Reviews for O DESTINO DE MUITOS
Selene san chapter 11 . 8/24/2012
Ai que a minha parte favorita foi quando Aragorn, os El e lorde Elrond foram atras do Las. Elrond no carro, Estel chegando primeiro e os El juntos nessa adrenalina agindo em conjunto novamente.
Nanda chapter 11 . 7/21/2012
Trinca minha cara de vergonha, rs... Você cobrando minha review do capítulo 10 bem nas notas iniciais... Mas em algum momento imagino que você desistiu e me jogou no vente J
Legolas plantou até aqui uma série de boas sementes, cuidou para que o solo estivesse fértil para recebê-las e se guardou do desejo de justiça própria. Mas é sempre uma guerra para a semente romper sua casca e tornar-se broto, para a borboleta romper o casulo, para o pássaro libertar-se do ovo. É uma guerra e um teste de força... Ninguém poderia atravessar essas densas trevas por Elladan, Elrohir e Estel sem danificar-lhes o brio, que será exigido no caminho diante deles.
Rafaela gomes chapter 11 . 1/22/2012
Ui, esse tipo de situação me enche de revolta! Malditos lixos sem algo de bom para fazer.

Legolas é o herói de novo, imagina o que não se passa pela cabeça de uma moça que é salva por um homem com cara de anjo, cabelos compridos, porte de príncipe... Sem comentários.. KHKS

Uma pergunta que sempre me perseguiu. A Arwen ao desistir da vida élfica vive apenas o tempo de um mortal? Ela morre de velhice como eles? Nunca soube bem, porque lembra aquela parte do filme em que o Elrond diz pra ela que não existe mais nada para ela ali, e que se ficasse com o Aragorn ela sofreria quando ele se fosse? Mas se ela desistisse da vida eterna também morreria, não? Ela morreria com ele. Me confundi agora... KHSK Tomara que você entenda minha pergunta complicada Mellon...

A volta do relacionamento entre o Ro e o Dan é linda, esses dois não merecem ficar separados, é como ver algo errado, não? Sempre sinto isso quando vejo eles brigando.

Adorei o capítulo, ficou divino, adoro angst como você bem sabe.. Rs

Rafinha.

Ps: Amei a dedicação no capítulo 92, me senti realmente emocionada, você agradece a gente por ler, mas quem devia realmente agradecer somos nós, leitores que apreciamos tanto suas obras, as quais você dedica tanto do seu tempo. É indescritível o prazer de ver um novo capítulo postado -principalmente quando ele é beeeem longo, Rs- Muito, muito obrigada Mellon-nín, nunca vou esquecer isso, tenho uma dedicatória só para mim na fic da Sadie! EHHH, obrigada mesmo, me sinto muito lisonjeada por fazer algo que realmente adoro e amo, que é ler suas histórias.

Obrigada por pensar em nós quando escreve, por não abandonar suas fics como tão tristemente vemos autoras boas fazendo por ai, por se importar conosco a ponto de se desculpar por demorar um dia a mais para postar, jamais abandonaria sua escrita, jamais.

Muitos beijos, e felicidade amiga.
Lourd chapter 11 . 9/8/2010
Oi Sadie,

não tenho palavras para dizer como estou gostando da história. Até comecei a copiar alguns trechos que mais gostei, mas foram tantos. Contudo, não posso deixar de citar os seguintes:

Estel esvaziou os pulmões. Anjos do céu, como ele queria aceitar tal desafio e atirar-se por sobre aquele desgraçado, apenas para ver o belo canivete descer-lhe goela abaixo. Mas após mais uma rápida olhada no amigo ferido, percebeu que o tempo não estava disposto a oferecer-lhe tais caprichos. Então ele colocou as mãos nas costas e ergueu aquela que ditava as verdadeiras regras do mundo.

"Vamos compartilhar o mesmo cavalo?" Ele indagou e Elrohir sorriu um riso triste.

"Você guia." O gêmeo mais novo respondeu.

"Shhh. Tudo bem, gwador-nin..." Elrohir interrompeu-o, ainda mais preocupado por ver as pálpebras do elfo quererem se fechar. "A gente sabe que você salvou uma donzela em perigo. Sabe como é... um príncipe é sempre um príncipe..."

Se ele estivesse em Mirkwood com seu arco e aljava tudo estaria resolvido. Mas aquela não era Mirkwood, aquele não era mais um tempo de armas e luta. Entretanto ele ainda era o mesmo e certas coisas em seu íntimo não podiam mudar.
JuRuby chapter 11 . 8/9/2010
Oh Ilúvatar! Arwen no mundo dos edains? Como assim? Ah, mellon... Você realmente não quer que eu pare de ler né? rsrsrsrs
Didi 'Oito Dedos chapter 11 . 11/30/2008
Olá, querida!

O que posso dizer? Outro capítulo de tirar o fôlego.

Aliás, baixei a música do capítulo passado, aquela do Joe Cocker. Eu nem fazia idéia de que a conhecia, acho que é trilha de um seriado se não me engano, e tentei buscar ela na internet, na certa época, mas não encontrei. Viu só? Você escreve e reaiza desejos, kakakaka.

Quanto ao "cansativo" a que você se referiu no começo... Angst que é angst tem que ser assim. Acredito que quem começa a ler uma fic cujos capítulos são tão grandes é alguém que gosta de leitura. Aquele que olha e pensa: Af, pra quê capítulos tão imensos?, esse nem devia começar a ler - claro que existem casos em que seja o contrário, heheheeh (tipo eu que não gosto de capítulos grandes). Mas enfim, nada de cansativo e, sim, surpreendente.

Estou adorando a leitura.

Beijos.
AUehara chapter 11 . 1/27/2008
nahh!

esse capítulo foi lindo!
Pink-na chapter 11 . 2/28/2007
Bom pensamento do Legolas, cada dia que passa também fico pensando que todos deveriam andar armados para se proteger.

Mas como isso é tão ruim quanto, ainda bem que ainda existem Las para proteger aos indefesos.
Estrela Vespertina chapter 11 . 11/16/2005
... *rs* ...

Capítu8lo sugestivo para eu estar enfim mandando uma review? Tsc...sou eu, a Carina, dos e-mails... e bem, só preciso lhe dizer que conseguiu acelerar meu coração e ansiarpor mais e mais palavras!

Perfeito...

Beijos
C4rl4C chapter 11 . 10/6/2005
Tava dificil ler este cap e mandar uma review. A minha net está a dar problemas...

Mas agora já posso dizer que está muito lindo, como da pequenina Arwen... e do Elhorir, tadito... ficou mesmo transtornado. E o nosso anjo principe a salvar uma donzela em apuros. Estilo "Contos de Fadas". LOL...

Muito fixe o cap, gostei...

Beijinhos e XiXauXinho

* * *
Elentari2 chapter 11 . 9/28/2005
A estrela de Estel!

Ai! Eu tô maluca!

Só o Legolas mesmo, Sadiezinha.

Eu achei a cena dos gêmeos linda, linda, linda de morrer. eu fico bege com o jeito como voce tece as relações familiares, entre amigos, tudo tão profundo e quase até visceral. Uia!

Tô correndo pra alcançar as meninas lá na frente... uma fic enorme, cheia de capítulos... ai, que eu me dei bem!
Nanda chapter 11 . 7/11/2005
Em primeiro lugar, vou dizer que segui seu conselho sobre ler esse capítulo devagar, apesar de substituído o cafezinho por um prato de mingau que mamãe fez (resquícios da infância...).

Nham... Elrond de pijama (ele estava usando pijama, certo? Cabecinha oca a minha...)

Nhay, que lindo, lindo, lindo! Até quando o Las se mete em encrenca ele consegue acertar as coisas... Eu tow chorando em cima do mingau feito criança... eu também quero abraçar os gêmeos, um abraço em grupo, hum? Eles deviam fazer as pazes e dar um abraço apertado todos os capítulos dessa fic (e das outras) para compensar esse tempo todo separados...

O interessante é que diferente do que você alertou, eu cheguei à conclusão que (para mim) o capítulo foi mais angst que este aqui; na verdade sempre achei que as situações que envolviam uma forma de conflito intimista, pessoal, mais perturbadoras que aquelas onde havia violência física. Talvez isso também se deva ao fato de que, ao longo desse capítulo você tenha colocado essas pequenas ilhas de bem querer (as lembranças de uma estrelinha que se fez elfa, o reencontro dos gêmeos, Eleazar voltando aos poucos a ser aquilo que ele nasceu para ser...).

Mas, pelamordeDeus, bem que poderiam arranjar um guarda-costas (ao melhor estilo guarda-roupa) pro Las, né? Que tal o Zuberi? Ou convencer o Las que crianças humanas mal-criadas bem merecem umas palmadas de vez em quando...
Ju chapter 11 . 4/14/2005
Sadie! D

Cá estou eu de novo \o/ E vim correndo desesperada.

Depois do susto do capítulo passado, eu cheguei rezando para não ter sinais daquela moça, tão cedo. Espero realmente que meu desejo se realize. D

De qualquer maneira, vamos ao cap!

Cena forte, logo de início. É fascinante ver o jeito com o qual você descreve a visão do lourinho. É tudo tão real que chega a chocar. Legolas olhando os rapazes prenderem a moça, imaginando o porquê dos homens "não poderem andar armados". Muito bom.

Passamos, então, para a doce Celebrian e o adorado Elrond. Eu amo esses dois. Gente do céu, amo mesmo. A cena do café ficou muito boa. Sabe, é tão familiar... hehehehe, por que será? D

Nostalgia é uma beleza. Principalmente quando ela é tão bem narrada e retratada como você fez. Apesar de eu não suportar a Arwen (o que eu acho que não é novidade XD), eu devo admitir que vê-la como uma linda criança foi simplesmente adorável.

Como você tem essas idéias maravilhosas? Fiquei boquiaberta com a grande jogada do desenho feito pela pequenina. Eu nunca haveria de imaginar algo assim. Realmente muito bom. E os comentários dos reis foram perfeitos. Hipócritas, claro. Mas foi como deveriam ser. Excelentes.

A cena seguinte, após a lembrança do Elrond, também foi um show. Eu juro que vi meu pai no lugar do Elladan, reclamando do celular que eu sempre esqueço. XD Eu fico impressionada com seu talento. Você consegue fazer os personagens vivos, dar um ar de realidade nua e crua à tudo. E isso é raríssimo. E maravilhoso, claro.

Continuando... O clima pesado que tomou conta da saleta foi excepcional. Tive a impressão de que poderia tocá-lo.

A cena dos gêmeos também balançou muito. O choro de Elrohir, as promessas, as palavras, os olhares... Realmente estarrecedor. E, é claro, recheado daquele clima agridoce que só você sabe fazer.

Não posso esquecer de mencionar sobre a reconciliação dos dois fofuchos. Não foi o que eu esperava. Foi um milhão de vezes melhor. Nem em sonhos eu havia conseguido imaginar uma cena como aquela. E babei. Horrores.

A cena do cemitério foi, de longe, uma das melhores que eu já li. Eu tenho uma queda por acontecimentos neste cenário. O fato de Estel não gostar desses lugares foi mais um ponto para você. Se ele gostasse, se sentisse alívio ou calma, não teria dado o impacto que deu. Mesmo odiando o caminho, ele não estava ali por ele. Muito bem retratado.

Não consigo evitar... Lá vou eu!

Momento "Vamos tietar e babar em cima do louro": Não adianta. Todos os personagens são lindos e carismáticos (Com exceção da tiazinha oferecida da boate x), mas ninguém barra o nosso príncipe. Por mais que o mundo tente, só dá Legolas. D

Cof, cof. Voltando.

Quando ele socorreu a moça, eu só pude suspirar, enxergando-me como uma daquelas figurantes hormonalmente instáveis de gibis, que suspiram com as mãos juntas, murmurando "Meu herói" para os mocinhos altamente babáveis.

Agora... O QUE FOI AQUELA CENA DA ARMA?

Gente... Muito boa mesmo.

E eu gostei, principalmente, por ser contraditória. Logo no início do capítulo, vemos Legolas pensando que os homens não andavam com armas. E, ao finalzinho, vemos o doce Estel com uma arma. Simplesmente incrível. Genial. Perfeita. Afe, faltaram adjetivos.

Antes de passar à outra cena, preciso comentar sobre isso:

"Se Celebrian estivesse com ele na certa já teria lhe dito algumas gracinhas sobre suas habilidades ao volante. Como era bom tê-la por perto, sempre, em todos os momentos de sua vida." - Não sei se era o intento, mas eu senti uma certa ironia nesse 'como era bom...'. De qualquer maneira, ficou ótimo.

Voltando...

Como sempre, o louro me derrete. Pedindo desculpas. Simplesmente maravilhoso. Simplesmente lindo. Simplesmente... Legolas.

E acho que saquei o sentido da frase “Era a estrela... de Estel...”.

Cabelos escuros. Linda. Legolas a reconheceu. Estrela Vespertina de Aragorn. E Arwen foi muito citada.

Então... D Tenho a ligeira impressão (nossa, jura? -_-'') que teremos uma nova personagem em breve.

Anyway, o capítulo ficou excelente. Como sempre.

Será que já disse que amo esse fanfic? Ai, ai.

Parabéns, Sadie. \O/ Você é um arraso!

Beijão

Ju
Dani de Rohan chapter 11 . 3/29/2005
Sadie,

Em nosso dias faz parte da nossa natureza, usar com cautela nosso coração.

Afinal , é necessário manter uma distância. Viver exige responsabilidade e estamos abertos para todo o tipo de interferência e pessoas.

Uma certa proteção se faz necessária. Ao mesmo tempo ansiamos pelo momento em que podemos viver sem essa proteção.

A arte e a religião são alguns dos caminhos para essa ansiada liberdade.

O amor é o nosso caminho mais sonhado. E quando encontrado vira a cabeça de muita gente.

Os muros que nos rodeiam derrubou minhas barreiras.

As emoções afloraram, e entre a lágrima que escorria, e o encanto, eu vivi a sua história.

Las, Ro e Dan - o nome deles está gravado no meu coração. Através do seu talento.

Lady Éowyn
Rach chapter 11 . 2/11/2005
OS GÊMEOS SE ACERTARAM!

AI, QUE BOM!

Claro, você me deixou com o coração na mão quando o Elrohir chegou em casa e nos descreveu como a cabeça dele parecia funcionar agora, mas ainda bem que você foi boazinha e pôs essa parte antes:

“Disse que estaria no hotel com Ami!” Defendeu-se o guerrilheiro, erguendo ambas as mãos. “Ele só vai ficar mais um dia e tínhamos que conversar.” Insistiu, olhando um a um e intrigando-se ainda mais com o ar de insatisfação e nervosismo que se instalava no local. “Liguei avisando! Por que estão tão irritados?”

Adoro essas partes! Igual o Glory em Vidas!

E o Glory e o Erestor fizeram a sua ponta na história! Eu estava sentindo falta deles!

Mas o melhor ainda é os gêmeos! Eu fiquei com um sorrisinho bobo no rosto! Ainda não saiu...

Agora... essa última parte... seja amida, Iraci, o que você pretende fazer?

Ai... fiquei nervosa com essa frase do legolas:

“Era a estrela... de Estel...”

ai...
Lele chapter 11 . 1/31/2005
Esse capitulo ta...sem comentarios...não sei mais o que escrever!

LINDO! LINDO! LINDO! LINDO!

Parabens...vc realmente consegue me deixar sem palavras!

Beijos!

*Le!*
Soi chapter 11 . 1/28/2005
olá Sadie, devo te dizer que finalmente consegui uma foto de borboleta azul te envio o rápido possível

Obrigada a você Sadie por sempre encontrar tempo pra ler minha singela fanfic.

Desculpe a demora na reviw, acontece que minhas primas que eu não via a um ano vieram passar um tempo aqui e eu não achei tempo para ficar no computador.

" Porém o tão inevitável e não ignorável tempo – única certeza dos que ali vivem - de fato passou, mas as afirmações dos amigos não se efetivaram e ele continuou sentindo-se extremamente cansado no final do dia, e amargando a mesma dificuldade de atingir um sono qualquer sem ser obrigado a cerrar as janelas de sua alma e dormir como os mortais."

Engraçado você colocar desse modo, os orientais acreditam mesmo que os olhos são as janelas da alma, é por isso que os desenhos conhecidos como Mangá possuem os olhões. Acho que a Alma do Las não está pronta para a terra-média Renovada. Uma alma tão pura como a dele, eu creio, dificilmente conseguira abrir-se para esse mundo tão difernete.

comentário inutíl: ei, eu tb amo café na verdade eu e a Naru tomamos mto café juntas na aula de desenho (será q o Elrond prefere cappucino ou café expresso?)

Ai, eu tô ficando preocupada com o Las!

Eu gostei de ver o Elrohir falando pro Dan dirigir. Pode parecer uma coisa idiota sabendo o valor que o Ro dá pra moto, tanto por ele ser um mecânico, qunato por todos implicarem por ele possuir uma, ele deixar o Dan dirigir é um sinal de que ele está voltando a 'confiar' no irmão. Acho q 'se aproximar' é uma expressão correta.

Ei...olha Sadie, eu vou dar umas boas shinaizadas na cabeça desses caras feios e maus! QM eles pensão q são? QM? Só o thrandy pode ser mauvado com o Las e não me deixar revoltada(d)...

Ai, eu já disse que amo o Estel? (coinsidÊncia ou não eu comecei a fazer um desenho dele hj na aula de desenho)

“Mais tarde eu vou lhe dar muitos motivos para eu te fazer esse pedido e não você.”- num tem um 'te' a ai não?

Ará eu bem q tava achando que faltava! o Estel é incompleto sem a Arwen e ela voltou e todos vão ficar felizes e contentes e saltitantes

Bem, cheguei ao fim do capítulo, vou tentar ler o 12 hj

beijos

Soi
Leka chapter 11 . 1/25/2005
Ai, ki capitulo lindo!Mto bom, mto bom, mto bom! Meu preferido até agora! E embora eu não seja muito fã da Arwen, eu tenho que dizer que ela pequena mostrando o desenho dela pro Elrond foi muito bom! Mto bom mesmo! De qualquer forma, eu sinto que essa não é a última vez que eu "ouço" falar sobre ela nessa história?

Agora vamos aos fatos: nada foi tão bom quanto a hora em q o Dan e o Rô se acertaram! Nossa, aquilo foi lindo demais! Eu até chorei nessa hora! Vc não sabe(na verdade, acho que sabe sim)o quanto eu esperei pra ver esses dois se acertando...voltando a ser o que eram antes!

Bom, Sadie, esse capítulo está fantástico, maravilhoso, lindo...gostei muito!

Bjs
Kiannah chapter 11 . 1/25/2005
Não podia ser brindada na minha volta com mais nada além de um capítulo simplesmente espetacular...é até difícil comentar muito esse seu capí ainda vou ter que reler tudo umas cinco vezes e todas elas ficar com o coração apertado por causa do Las, por causa do Elrohir, por causa dessa familia tão especial...

Quando vc avisou que seria o mais angst dos capítulos não imaginei a intensidade...

Com certeza vários momentos impressionaram, mas o momento em que o Elrohir se dá conta de como ele está vivendo, ou seria melhor, de como ele não está vivendo, da ausência do irmão, de todas as dores e obstáculos colocados cruelmente não só diante dele mas como diante da família...e o momento não se destacou só pq era com ele ou pq é um dos meus elfos favoritos, senão o principal no momento, mas pq foi da sensibilidade de uma bofetada que a vida dá e que depois cura com delicadeza balsâmica.

E como eu esperei por esse momento, dele se libertar, retomar o que a vida nessa Terra Média tão mudada tomou dele...

E então a lembrança do que já aconteceu no passado - na hora, aquele flash do sumiço do Las contado no Vidas...

Comovente Sadie...e vc continua sendo uma escritora maravilhosa.

Ainda vou te mandar o review dos outro capítulos tb...

Bjinhos

Ah sim...esqueci de dizer... É ELA! Não é? :D
phoenixeldar chapter 11 . 1/25/2005
Sadie, q me matar do coração?

eu pensei q meu elfinho louro tinha morrido, na me dá um susto desses denovo plz. tá maravilhosso o "capitulo" kisses
Estelzinha Tk chapter 11 . 1/25/2005
s/ palavras... incrívelmente maravilhosamente maravilhoso... este capítulo está realmente ótimo...naum tenho palavras...

mtos bjos!
regina chapter 11 . 1/25/2005
oiê!

Eu resolvi que escrever-te agora seria a única maneira de não deixar capitulos acumular e assim eu poderia enviar as reviews sossegada.

bjs

regina

ps: ah! Deixe-me admitir algo. Ainda não gosto da Arwen, contudo, porem, todavia, gostei da rememoração com ela, quem sabe você consiga fazer o grande feito de que eu "suporte" a personagem.

TODOS OS MUROS QUE NOS RODEIAM

OK. Lá vamos nós de novo. A começar pelo título. Na realidade nós edain, somos especialistas em muros. Muros não de tijolos ou concreto (como o que separa a faixa de gaza em israel) mas muros que erguemos para impedir-nos de ver o amigo, o irmão, o companheiro etc de sofrer. Fazermos que todos os problemas não existem e mais que não temos nada com isso. Culpa? Contribuição para o sofrimento alheio? Pior ainda? Isso não enxergamos mesmo.

Maravilha! Você começou com a personagem que mais gosto. Celebrían. A filha de galadriel tem se mostrado tão sábia quanto a mãe e uma verdadeira ancora ou melhor dizendo um porto seguro, uma lembrança viva de Valinor em meio a um mundo tão conturbado.

“Por que está tão aflita?” Indagou passando os dedos pelo rosto da amada. “O que perturba seu coração? Sabe que Elrohir desenvolveu esse péssimo hábito noturno. Provavelmente está trabalhando, envolvido com algo que considera urgente. Está preocupada pelo fato dele ter mantido Legolas consigo?” Coitada da Celebrían. Ela desenvolveu o mesmo hábito de todas as mães, preocupar-se com as crias, mesmo que eles já sejam adultos e no caso de elrohir/elladan com milhares de anos, nas costas.

“Está certo. Vou chamar a atenção daquele elfinho teimoso assim que cruzar a porta.” Sorriu o curador tentando animá-la. “Já há tempos estou adiando a conversa que precisamos ter, pois a última coisa que aquela criança parece saber fazer é cumprir as promessas que me faz.” E o sempre tão sábio mestre Elrond também parece ter se imbuído do papel de pai, na terra média renovada (para usar suas próprias palavras). Finalmente o casal élfico mais perfeito que Tolkien já criou parece perceber que algo, alguma coisa está por acontecer. E que eles não tem como controlar isto, seja lá o que for.

"Legolas abriu os olhos assim que a luz invadiu o canto escuro no qual se sentara. Ele apertou-os novamente, protegendo as pupilas sensíveis, e sacudiu a cabeça. Em seguida voltou a libertá-los, piscando várias vezes até que se habituassem com a súbita presença da claridade. O tempo passara de fato bastante depressa. Afinal faltavam mesmo poucas horas para o amanhecer quando ele decidira se aninhar naquele lugar a espera do novo nascer do sol. Ele olhou a sua volta tentando se assegurar se estava mesmo onde julgava estar, depois sorriu um riso triste" OK. Estamos retornando as duvidas, angustias e sofrimentos, coisa que Sadie sabe fazer os personagens passar como ninguém. hehhe Mas também depois de fazer o principe de mirkwood enfrentar um autentico inferninho, o que mais poderia vir?

"... e ele continuou sentindo-se extremamente cansado no final do dia, e amargando a mesma dificuldade de atingir um sono qualquer sem ser obrigado a cerrar as janelas de sua alma e dormir como os mortais." Pobre Legolas, obrigado a dormir o mesmo sono que não nos revigora de modo algum (porque isso é tão... semelhante com os meus próprios sonos).

"Legolas suspirou, fechando brevemente os olhos e erguendo o rosto apenas para tentar sentir uma brisa qualquer atingi-lo. Ele gostava de fazê-lo, de ignorar as imagens e usar de poucos sentidos para fingir-se estar em outro lugar. E quando conseguia, quando um resquício de natureza, como pingos de chuva, a brisa matinal ou raios perdidos de sol, banhavam seu rosto, ele conseguia realizar essa façanha, ele conseguia imaginar-se em outro lugar. Conseguia lembrar-se de como era ser parte de uma terra viva, parte de algo de fato e não um ser perdido em um mundo criado por edains, onde nenhum traço de Iluvatar podia agora ser visto ou sentido." E muitas vezes só fazendo de conta, nem que seja por alguns minutos, que estamos em outro lugar, é que conseguimos suportar muitas das coisas do nosso mundinho, que criamos e recriamos a nossa imagem e semelhança.

Legolas e sua eterna bondade.O que o faz, tão impreparado para as tristes realidades, verdades que está encontradando no nosso mundinho. Ou será justamente o contrário? Bom para a garota em questão, a bondade de Legolas deve ser mais do que suficiente.

"Legolas respirou fundo. A cada dia que se passava ele julgava mais e mais insensato o fato dos habitantes daquelas cidades não poderem andar armados. Se ele estivesse em Mirkwood com seu arco e aljava tudo estaria resolvido. Mas aquela não era Mirkwood, aquele não era mais um tempo de armas e luta. Entretanto ele ainda era o mesmo e certas coisas em seu íntimo não podiam mudar." Bom uma vez, principe e guerreiro. Sempre principe e guerreiro... daí o fato dele observar e analisar tudo, com rapidez para tentar resolver o que fazer.

"... Aquilo sempre fora um fato irônico para o lorde elfo. Elrond lembrava-se do quanto temera pelos gêmeos quando os deixara na Terra-Média e partira para Valinor para reencontrar Celebrian. Ele receava que o destino que o separara de seu próprio gêmeo Eros, desunisse também a seus filhos. Mais curioso era o fato de que, em sua mente, sempre apostara, apesar de condenar-se por isso todos os dias, que, se um dos gêmeos fosse optar pela mortalidade dos edains, seria o mais novo." Interessante isso! Nunca pensei que Elrond receasse que um dos gemeos ficasse em Arda. Eu não consigo imagina-los vivendo na terra média ao invés de valinor, depois de tudo o que fizeram para ajudar Aragorn/Elessar.(Lá vem os muitos nomes dele. E eu nunca me acostumo com isso).

"...Mas havia o destino, a opção da escolha que era martírio e libertação em sua família. A opção da qual Eros fez uso e Elrond se negou. A opção que seus gêmeos também ignoraram, mas que a alguém de igual importância foi de grande valia. Quando Elladan e Elrohir atracaram no grande porto onde as lágrimas eram apenas de alegria, seus rostos expressavam a dor da separação e suas palavras continham toda a saudade de alguém a quem se viram obrigados a deixarem para sempre. A doce Arwen nunca voltara atrás em sua decisão de destinar seus momentos dourados ao marido Elessar, a quem Elrond ironicamente também amava como a um filho." E voltamos a separação, a dor e ao sofrimento que a mesma ocasiona. Praticamente toda a familia, iniciada com Galadriel e Celebron, optou por Valinor. Pelas terras imortais onde tudo o que vivenciaram na Terra Média, viraria uma doce lembrança. E houve apenas uma única excessão. Apesar de não gostar da personagem, devo concordar em parte com ela. A imortalidade, deve ser algo bem chato. Ver todos e tudo aquilo que voce ama, desaparecer enquanto voce fica. Correndo o risco de tornar-se como os imortais no livro "as viagens de Gulliver" insuportável acima de qualquer coisa.

“Cumprimente meus amigos, Undomiel.” Elrond pediu, tentando disfarçar o sentimento de total vulnerabilidade às vontades da filha. Mas sabia ser pura perda de tempo, pois a verdade já estava mais do que expressa no olhar irônico que seus amigos lhe lançavam." OK. Finalmente um Elrond pai, e não tão... lorde elfico. Interessante de observar.

"A pequena Arwen era de fato a criação mais graciosa que Iluvatar fizera e a energia que dela irradiava parecia conter o próprio sentido do amanhecer." Coisa mais poética. SADIE.

"Elrond fechou os olhos, mas um sorriso escapou-lhe dos lábios. Quando os reabriu percebeu que tanto Glorfindel, quanto Erestor olhavam atentamente para o pequeno segredo que a menina agora desdobrava diante deles. O curador sorriu com mais vontade dessa vez. De fato Iluvatar o agraciara com amigos de inegável valor." Essa é de fato impagável. Dois elfos absolutamente e indubitavelmente sérios, como Glorfindel e Erestor deixando todas as preocupações para simplesmente contemplar o desenho de uma criança. Uma criança élfica mas ainda assim uma criança.

“Esse rei não é um elfo, minha querida.” Completou então o conselheiro do pai. Erestor mostrava-se o mais intrigado dos três. “Como pode tê-la como rainha?”Arwen voltou-se para o retrato surpresa. Depois ergueu o rosto e encarou os presentes um a um, como se olhasse para um grupo de tolos.

“È claro que é!” A menina respondeu indignada. “Só está disfarçado.” Ela então riu um riso adorável, voltando a olhar para o desenho. “Ele é um rei elfo... um rei elfo disfarçado... Ele é muito bom em disfarces... Mas eu saberei sempre quem ele é... Eu e todos os que o amarem de verdade... Eles todos saberão... Nunca terão dúvida alguma...” Uma criança que aparentemente sabe mais do que os adultos dos segredos do mundo. Os judeus tem uma crença de quando estamos no ventre de nossa mãe, Deus nos conta todos os segredos do universo. E quando nascemos trazemos todos os segredos, mas quanto mais nos envolvemos com nosso mundo, esquecemos do TODO completo. Mas a sua Arwen, aparentemente não esqueceu de nenhum segredo.

"Elrond apertou a toalha nas mãos e soltou o ar dos pulmões dolorosamente. Memórias tristes eram algo a ser combatido, sem dúvida, mas como combatê-las quando vinham temperadas com tamanha poesia?" Haverá como combater saudades? Creio que não. Em especial se elas nos trazem boas lembranças.

"Saíram então para a sala e sentaram-se a mesa em silêncio. O sol já clareava o dia por completo e Elladan surgiu no corredor, recebendo o olhar intrigado dos pais."

“Parece que todos decidiram abandonar seus leitos cedo hoje.” Sorriu Celebrian ao ver o rapaz já preparado para sair. Ela ergueu-se, apanhando uma jarra e servindo o suco que o filho sempre tomava pela manhã. Elladan aproximou-se e não se sentou, como sempre fora seu hábito. Avesso que era a comer pela manhã, tinha um pacto com a mãe e aceitava empurrar sempre um copo de qualquer coisa que fosse garganta abaixo para que ela o permitisse sair para o trabalho." Elladan parece ter se adaptado melhor do que o irmão inclusive com relação a hábitos alimentares, preocupações de mãe e trabalho.

“Francamente não sei porque ele tem essa porcaria.” Enervou-se o rapaz jogando novamente o aparelho de volta na prateleira. “Conto nos dedos as vezes que o infeliz lembrou-se de carregá-lo consigo.” Devo confessar que compartilho com Elrohir deste péssimo hábito. É mais fácil meu cell-phone está em casa do que comigo. são... tão... inconvenientes.

"Mas o rapaz não pôde sequer tocar na maçaneta, pois o som da chave girando do outro lado da porta o estagnou e todos se olharam apreensivos, para encontrarem, em instantes, o olhar cansado e intrigado de Estel. A insatisfação que percebeu na face da família ao vê-lo foi tão evidente, que o rapaz franziu a testa nervoso, questionando-se sobre o que fizera de errado."

“Disse que estaria no hotel com Ami!” Defendeu-se o guerrilheiro, erguendo ambas as mãos. “Ele só vai ficar mais um dia e tínhamos que conversar.” Insistiu, olhando um a um e intrigando-se ainda mais com o ar de insatisfação e nervosismo que se instalava no local. “Liguei avisando! Por que estão tão irritados?” Pobre Estel. O Elrohirr apronta e ele fica sem saber como entender o que se passa na própria familia.

"O curador voltou a apertar as têmporas com mais força agora e Estel percebeu que, fosse qual fosse o motivo, não devia mais questioná-lo, pois, quando o pai repetia aquele gesto mais de uma vez, era sinal de que algo estava de fato acontecendo." é bom quando podemos decifrar as pessoas através de pequenos gestos como esse. E no caso dos pais, dá pra ter uma boa noção do tamanho do problema que iremos enfrentar ou não.

"Mas então a chave girou outra vez na porta de entrada e todos se voltaram no mesmo instante. A figura de Elrohir finalmente surgiu. Ele parecia mais cansado e abatido do que jamais estivera. Tão cansado e abatido que nenhum dos presentes sentiu-se capaz de fazer-lhe qualquer indagação. O gêmeo franziu a testa primeiramente, sem sequer fechar a porta, depois deu alguns passos para dentro do apartamento, passando pelo caçula e pelo pai. Seus olhos enfim voltaram-se para o sofá de Legolas e seu rosto empalideceu ainda mais. Ele soltou os lábios, como se estivesse sem ar e deixou os capacetes que segurava caírem no chão." e o filho pródigo retorna...

"Elrohir fechou os olhos, como se sentisse que até o momento ainda houvesse alguma dúvida e que a pergunta do pai a tivesse extinguido de vez. Um frio imenso invadiu seu corpo e ele nunca se sentiu mais fora de si como naquele momento. Como pôde? Como pôde ser tão cruel? Como pôde retribuir tudo o que Legolas havia feito por ele desde que chegara daquela forma? Como pôde mostrar-lhe a realidade do mundo de um modo tão frio e calculista. Que criatura ele tinha se tornado afinal?" E finalmente os muros começam a querer ruir. Com Elrohirr/Einarr começando a se questionar, e as próprias atitudes. Já não era sem tempo.

"Elrohir voltou a sacudir a cabeça ao reconhecer a voz do gêmeo e, no fundo, ao reconhecer-se nela, reconhecer alguém de quem sentia uma imensa falta. Sim, ele não sentia só falta do irmão, ele sentia falta de si mesmo, de quem fora e não era mais. Estava desesperado, amargando a terrível culpa do que ocorrera, do que fizera Legolas passar, sofrendo pela falta de notícias e pelas perspectivas negativas que se pintavam a sua frente como um quadro sombrio. Tudo o que menos queria era ouvir a voz de Elladan, aquela voz que sempre o acalmara, tentando fazer isso agora, tentando trazer-lhe a razão como sempre fazia, tentando fazê-lo abrir portas que ele não queria abrir, para as quais nem sequer sabia se ainda possuía as chaves. Aquilo era árduo demais, era por demais enlouquecedor." E mais alguns tijolos caem e o muro cada vez mais ameaça a ruir, desabar.

'Elrohir deixou subitamente de se debater e ergueu os olhos para o gêmeo em um sobressalto. Ele sabia das sensações que apenas Elladan tinha, das certezas que sempre povoaram somente aquele bom coração. Sabia que o irmão sempre vira além do que ele era capaz. Seus olhos fixaram-se nos dele então, desesperados para que seus ouvidos ouvissem novamente o que Elladan lhe dissera. O gêmeo mais velho entendeu bem o recado, como sempre entendera todos os recados do irmão." Parece que não foi apenas as artes de curador, que Elladan/Enosh herdou de Elrond e Elrohirr sabe disso.

"Elrohir desprendeu os lábios novamente e o ar escapou-lhe dos pulmões quase contra a sua vontade. Ele não agüentava mais aquele pesadelo, não suportava mais estar onde estava, não suportava ser quem era, não suportaria se o futuro ainda fosse pior do que o triste presente no qual vivia." Na realidade me pergunto como todos eles suportaram este mundinho depois de Valinor. Olha sinceramente eu não sei se saíria de lá não.

"E dizendo isso o gêmeo voltou a soltar os capacetes que segurava e cobriu o rosto com ambas as mãos, começando um choro compulsivo, um pranto que não era apenas de preocupação, era o pranto das perdas, o pranto que ninguém o vira derramar com a morte de Sudhir, com a morte das esperanças que tinha, com a tristeza pelo rompimento com o irmão, com tudo o que lhe ocorrera de mal desde que chegara. Elladan sentiu as lágrimas fazerem seus olhos arderem também e todos as dores do irmão invadiram seu coração como se fossem dele." Bom este é o pranto que eu sinto que logo eu mesma tenha de soltar. E que está preso dentro de mim há pelo menos quinze dias.

"...agarrando-se como podia na camisa do irmão, nos fios dos cabelos longos que agora eram só dele, naquele que sempre fora sua outra metade. Elladan apertou os lábios fechados como se temesse até respirar e acordar de um sonho estranho, um sonho triste, mas bom. Ele enlaçou o irmão com firmes braços agora e ambos foram ao chão, incapazes de sustentarem-se em seus próprios joelhos." E finalmente os dois se entenderam. E eu espero poder fazer o mesmo com a minha outra metade.

"Um pouco distante deles, o jovem Estel também fechou seus olhos diante daquele universo inteiro que se transformava diante dele. Ele os reabriu então e olhou para os irmãos no chão, para a mãe que agora se abraçava ao pai e também chorava e a não compreensão de tudo desfez-se em um entendimento maior que surgia, algo que mesclava dor e dúvida, angústia, sofrimento e descobertas. E ele pôde finalmente sentir o quanto a família jogara e perdera por estar onde estava. O quanto a família perdera por tentar ajudá-lo, por tentar fazê-lo ver que, ao contrário do que ele sempre julgara sobre si mesmo, ele era de fato alguém e, acima de tudo, era alguém muito amado." E a compreensão de ser parte de uma familia finalmente chegou a Eleazar/Estel. E mais do que tudo, ele sentiu-se amado.

"O grande vaso de barro partiu-se na cabeça do primeiro opressor e o segundo também mal teve idéia do que o atingiu. A surpresa do momento então se fez suficiente arma para que a moça escapasse das garras dos outros atordoados inimigos. Ela ainda voltou-se para trás, aflita em ajudar a seu salvador e Legolas empalideceu ao vê-la, ao sentir-lhe os traços do rosto desenharem-se vagarosamente em suas lembranças, como se vivesse de fato algum pesadelo estranho. Mas ele balançou os braços e gritou.“Fuja!”A moça se viu sem alternativa que não fosse correr, correr muito em busca de ajuda. Sabia que aquele rapaz sozinho decerto não teria chances contra quatro oponentes que agora mesmo feridos estavam completamente fora de si. Ela tinha que encontrar ajuda." E retornamos ao nosso herói louro. mas enfrentar quatro oponentes com jarros ou vasos de barro, bem essa não foi a melhor ideia que Legolas já teve.

"Ele procurou fixar o pensamento. Concentrar o coração em uma resposta que sabia que viria. Ele tinha fé. Sim, tinha fé. E sua fé já o salvara, já o resgatara da dor, já o conduzira para fora das trevas, já lhe fora salvação. Ele sabia que ela não falharia. Ele só precisava se concentrar. Sim. Concentrar-se." Sim o grupo de busca ao Legolas já saiu. E tem algo muito importante_ fé_ consigo. Embora além da propria fé Estel agora precise de outros objetos para resolver os problemas que aparecem.

"Caminhou silenciosamente por entre os túmulos erguidos. Rostos amarelados de fotos antigas pareciam observá-lo de forma triste e incômoda. Rostos do passado como sentinelas perdidas do que um dia fora símbolo de amor e ternura. Estel apoiou a mão por sobre o peito, massageando-o devagar. Ele não gostava de cemitérios, conjunto de perdas e lágrimas, centro de dor e despedidas. Estel não gostava de despedidas. Sentia-se como se houvesse passado sua existência toda amargando cruéis despedidas." DUVIDO que haja alguém que goste de cemitérios. Eles nos lembram de tudo o que perdemos, de todos que se foram, das despedidas para as quais não há retorno. E o probre Estel já se despediu muito.

ok. eu não sei quem é mais louco. Legolas por enfrentar quatro homens desarmado ou estel que aparece do nada para enfrentá-los também.

"Estel esvaziou os pulmões. Anjos do céu, como ele queria aceitar tal desafio e atirar-se por sobre aquele desgraçado, apenas para ver o belo canivete descer-lhe goela abaixo. Mas após mais uma rápida olhada no amigo ferido, percebeu que o tempo não estava disposto a oferecer-lhe tais caprichos. Então ele colocou as mãos nas costas e ergueu aquela que ditava as verdadeiras regras do mundo."OK. Creio que os comentários são desnecessários. Mas... Minha irmã foi assaltada, quando vinha da faculdade, levaram tudo o que ela tinha, meus pais quase morreram em uma tentativa de assalto e eu não saio mais a noite. Precisa dizer mais, pra saber quem manda neste inferno em que vivemos. Não creio que não.

"Os quatro homens se apavoraram e os dois que seguravam Legolas pareceram entender o recado não verbal expresso no rosto do guerrilheiro e soltaram o arqueiro, que caiu no chão com um gemido abafado de dor." Bom e finalmente algo de bom começa a acontecer. Já soltaram o Legolas.

"E foi a vez de Estel estremecer, pensando mais uma vez em todas as palavras que o pai lhe dissera durante a vida, sobre motivos, circunstâncias e objetivos. E subitamente nenhum motivo que pensasse passava a ser o bastante para praticamente nada. O que estaria acontecendo com ele? Porque o ódio simplesmente deixara seu coração? Para onde teria ido? Ele então olhou rapidamente para o amigo no chão. Legolas caíra encostado em um dos túmulos, mas não estava desacordado, ele mantinha a mão por sobre o estômago, e seus olhos embora cobertos de sangue, estavam fixos nele. Olhos azuis que lhe diziam o mesmo que seu coração lhe cantava agora, olhos azuis adornados por hematomas que inchavam visivelmente, mas que pediam que ele encontrasse o fim correto para tais circunstâncias." E como o mundo seria melhor se todos nós fossemo mais Legolas, mais Gandhis, mais Budas, mais Jesus e tantos outros.

“Posso esperar pelo que assim me ordenar, meu bom líder.” Respondeu o elfo fechando novamente os olhos, para reabri-los com mais dificuldades. A resposta era uma evidente mentira, mas inexplicavelmente enchia o coração do guerrilheiro com uma sensação que parecia transportá-lo para outro lugar. Ele subitamente não se sentia mais ali onde estavam, ele se sentia em um lugar estranho. Se o inimigo não fosse um oponente que merecesse vigia constante, ele tinha certeza de que, se pudesse fechar os olhos, seria transportado e os reabriria em algum lugar distante. Ele não sabia qual, mas não seria aquele." E tais pessoas tem a inexplicavel mas muito bem-vinda capacidade de nos transportar para um lugar melhor, um mundo melhor apenas com um olhar.

"...Ele apertou um botão e logo a voz de Elrohir surgiu no celular de Elladan, oferecendo ao pai a certeza de que não sonhara, que seus gêmeos haviam de fato feito as pazes a ponto de não ser mais claro o que vinha de um e o que vinha do outro...Eram uma equipe perfeita. Como sempre o foram. Uma equipe de novo." E meu sonho_desde que voce começou a escrever esta fic_ se realizou. Eles são uma familia mais uma vez e não apenas pessoas que compartilham a mesma habitação.

"Legolas voltou a abrir mais os olhos, franzindo a sobrancelha e sentindo seu queixo cair já quase sem força alguma. Uma certeza se fizera. A verdade se confirmando de forma estranha e inesperada. “Não, Ro... Era... era... a estrela...” Disse então fechando os olhos. “Era a estrela... de Estel...” OK. será que Elrohirr será capaz de decifrar a charada de Legolas.

"Elrohir acenou com a cabeça, mas suas sobrancelhas continuaram tensas. Respirou fundo tentando apagar as dores daquele dia difícil, entretanto não conseguiu deixar de repetir mentalmente a estranha informação que recebera do príncipe e que ao pai parecia ter passado despercebido." E aparentemente Elrohirr já começou a tentar decifrar a charada.

Bem minha querida amiga é isso. Espero que esta review a agrade e obrigada pelas palavras de estimulo com relaçao ao meu novo escrito.

bjs

regina
tata chapter 11 . 1/24/2005
mt bom espero k ct
giby a hobbit chapter 11 . 1/24/2005
Finalmente postando minha review :D

Você escreve poesia sem rimas!

Comparar os olhos do mestre Elrond com o céu cinzento foi lindo( me lembra uma música)

Eu só me toquei que o Legolas estava dormindo um cemitério quando o Estel foi procura-lo lá, eu pensei que ele estava dormindo num canteiro de obras abandonado. Não,não, você não perdeu sua capacidade de descrição, relendo a fic para postar essa review eu percebi que está mais com cara de cemitério que canteiro de obras abandonado.

Alias, infeliz essa idéia do Legolas de esperar amanhecer para voltar para casa para não preocupar a familia, acabou surtindo efeito contrário, tá que com isso os gemeos fizeram as pazes, mas "oh agunia".A cena em que eles fizeram as pazes é uma lição de como escrever angust.

Presenciar essa cena foi bom para o Estel, talvez agora ele fique mais próximo da familia,Acho que isso despertou o antigo Estel.

Também tem a moça( é ela, é ela), imagino que ela deve ter pensado por uns instantes que um daqueles anjos que enfeitavam os tumulos criou vida para salva-la .

Como será o encontro da Arwen com a familia?

Falando nela, linda a cena dela pequenininha :)

Continuando nela,alguns laços não podem ser desfeitos jamais, para mim a aflição de Elrond e familia era pelo que estava acontecendo com ela e não com o Las.

Sobre o celular eu não culpo o Elrohir, eu também vivo esquecendo o celular em casa, isso quando não esqueço de carregar a bateria :(

Agora uma dúvida, que fim levaram os safadões do cemitério?

giby a hobbit

Ps: nossa como escrevi!
Misao-dono chapter 11 . 1/23/2005
Como assim deixei esperando?E aquele capítulo novo, foi colocado lá pelo Desejo do Seu Coração? D

Adorei a inovação, até porque eu sempre pensei que Arwen tinha um potencial muito pouco aproveitado o livro. Até brincava com ela e com a Miyoru, sobre elas entrando na história, e fico satisfeita de ver uma das minhas fantasias se concretizando. Boa sorte!
Lene chapter 11 . 1/23/2005
...

...

...

1º: Até eu senti a preocupação que tomou conta deles quando perceberam que Ro e Las não tinham chegado e que o "inconsequente" Ro tinha esquecido o celular (pra variar)...

2º: Concordo com o Las, existem lugares melhores pra se ficar... dormir na rua não é exatamente reconfortante...

3º: Até eu senti o calafrio do Elrohir... eu juro que visualizei a cara dele do instante em que chegou em casa até quando todo mundo saiu pra rpocurar o elfo loiro... Todos os tipos de expressões possíveis... Aliás, eu consegui visualizar as expressões de todos, e até ouvir as vozes, nas mais variadas entonações possíveis para a onda de emoções que eles estavam sentindo...

4º: Ah não, não pode ser quem eu estou pensando!... Ah droga, com certeza é...

5º: Se fosse eu com a arma, provavelmente teria estourado os miolos dos cretinos que ousaram enconstar no Las...

Provavelmente não, com certeza e das mais absolutas!

6º: E finalmente... FINALMENTE ESSES GÊMEOS CABEÇA-DURA SE ENTENDERAM!

LENE_ com mais um "episódio de anime" rodando na cabeça...
Pitybe chapter 11 . 1/23/2005
Uau! Finalmente os gêmeos fizeram as pazes. E nem demorou toda a fic para isso... Que jogade de mestre! Ninguém esperava.

A Arwen também foi uma supresa mesmo. Eu também não imaginava. O que será que vai acontecer? E quando o Elrond e a Celebrian souberem que a filha reencarnou? Putz! Nem posso imaginar e fico de cabelo em pé de ansiedade para saber.

Achei que essa evolução do Estel também está muito intrigante e fico pensando como vai ser o encontro da menininha e o rei dela. Uau mesmo! Como você consegue fazer uma fic ter tanta coisa ao mesmo tempo? Parece novela!

bjs
Nimrodel Lorellin chapter 11 . 1/23/2005
Coração aos pulos!

Então vou respirar fundo e começar... do começo:-)

**Os sentimentos que angustiavam a bela nana e o bom ada (E o lindo Elladan também:-):**

É claro que o coração deles ia contar quando a estrela surgisse tão próxima.

Eu sabia que ela voltaria desde o início é claro, mas nem assim deixei de me emocionar. E a lembrança do ada. Foi tão tocante. Em poucas linhas vc fez-me entender toda a dor e angústia que haviam feito o nobre elfo temer tanto a união dos dois amados.

Viver eternamente e nunca mais poder segurar nos braços sua elfinha. Isso despedaçaria o coração de qualquer pai, agora imagina um como o ada?

**O despertar do Las:** É claro que a bravura do elfinho louro nunca iria se arrefecer, mesmo que passassem todas as eras do mundo e muito menos aqui na Arda renovada. Sua coragem e o dom de se meter em encrencas :-) e por isso dar uma mãozinha para os desígnios do destino...ou era o destino o usando para fixar seus cursos?

**O amor por Estel :-)** Era mais que destino! Como se estivesse enraizado no ser inteiro dela. Como se o amor dos dois fosse uma parte do que a fazia ser Arwen... como o som do seu riso ou a beleza de seu rosto. Almas gêmeas nunca poderiam separar-se, não importa em que mundo fosse...

PS: E ela saberá! Como o Las não teve dúvida nenhuma de que aquele era o Estel dele :-)

**À volta de Elrohir:** Aguardei tanto por esse momento... tanto... que a única coisa que fiz foi chorar copiosamente enquanto lia!

As emoções, a dor e a angústia do elfinho moreno eram tão vívidas que eu pude sentir cada uma delas, tal qual seu gêmeo. Afortunado é nosso Ro por ter um irmão tão maravilhoso como Dan, que estava ali, esperando pelo retorno dele com todo o amor que os unia intacto em seu coração.

E como Ro precisava derramar aquelas lágrimas, segurado pelos braços do irmão. A catarse de todas as dores que este mundo infringiu no coração doce dele.

Ada tem razão. As máscaras que o elfinho invariavelmente usa para esconder seus sentimentos não passaram pela prova desse mundo, e justo ele, o mais irônico e enérgico de seus gêmeos vinha a ser o mais frágil deles :-)

Elrohir enganou a todos sempre... e até a si mesmo :-)... mas finalmente está de volta!

**Lembranças:** Ah! Assim que ia lendo uma imagem foi sendo formada em minha memória. De um dia, muito tempo atrás, quando um certo lourinho fugiu de Imladris para proteger aqueles que amava e Estel fez uma promessa ao mesmo choroso Ro de então.

"Não Elrohir", disse Estel colocando a mão levemente em seu ombro. "Nós vamos achá-lo. Você vai ver".

Não é à toa que os meninos espantaram-se tanto ao ouvi-las. Não é que aquele dunadan apaixonante insiste em se mostrar nos momentos mais oportunos? :-)

**Meu Estel:** Eleazar provou (não para mim que nunca duvidei), que ele é o mesmo rei dos homens de outrora. Sua conexão com Las e o jeito com que dominou seus sentimentos em face do ódio que o atingia foram provas definitivas disso. Ele nunca foi tão Aragorn para mim. Nunca foi tanto o herói tolkeniano que aprendi a amar sem pudores.

**Salvo:** Pobre Las! Mas não é essa a sina daqueles que agem por aqueles que não podem defender-se? Não dava para esperar outra coisa dele e sem dúvida o elfinho sofreria as mesmas dores muitas vezes mais se fosse para socorrer um inocente dos predadores dessa era. Mesmo sem saber que era a estrela de Estel :-)

**Frase que merece destaque:** “Vamos compartilhar o mesmo cavalo?”

Como palavras tão simples podem significar tanto e serem tão especiais?

Ai amiga minha, se eu insistir em destacar tudo que merece ser comentado aqui, vc terá um review gigantesco, então só quero reforçar e dizer que foi toda uma perfeição tão extrema que eu me quedei a tentar entender como vc consegue. Estou tão encantada (principalmente com a reconciliação dos irmãozinhos) que não consegui pensar em outra coisa o domingo todo.

PS: Nem vou perder tempo comentado o fato de vc ter divido o cap. Tesc, tesc... mas não vou deixar de dizer que será uma imensa crueldade me fazer esperar uma semana pela continuação. Será que vc não imagina o suplício que será?

Nim, que reza todo os dias ao papai do céu, para um escrever assim :-)

Beijos.
Tenira chapter 11 . 1/23/2005
Ah!

Eu sabia, eu sabia!

A Sadie conseguiu se superar!

Este capítulo está lindo demais!
Karina chapter 11 . 1/23/2005
Nossa Sadie. Esse capítulo ficou lindo demais. Fez meu coração quase pular para fora durante todo o texto, quase me fez chorar de preocupação pelo Las e de felicidade pelos gêmeos finalmente estarem juntos. Quando acabei de ler o capítulo 10 fiquei realmente pensando sobre o que iria acontecer com o Las depois que ele saiu do Noturnos afinal, como ele mesmo disse, não sabia andar sozinho pela cidade. Mas, como sempre você me surpreendeu. Nunca poderia imaginar que fosse acontecer algo assim, e a surpresa não poderia ter sido melhor. Você conseguiu, como sempre, deixar meus olhos pregados à tela do computador até que o texto acabasse, até que eu soubesse que ia ficar tudo bem.

Fiquei revoltada com os quatro homens que espancaram o Legolas, como puderam ser tão cruéis? Não sabem contar ou não perceberam que 4 é um número muito maior que 1? E o Las, sempre tão doce, nem se importou com a quantidade de homens: se encheu de coragem e salvou a jovem (era a "Arwen"? UAU, inacreditável, mais uma ótima surpresa). Nem quero imaginar como o Las ficou, só fiquei pensando: quatro homens do tamanho de armários espancando cruelmente o elfo franzino... Espero que ele se recupere logo.

Mudando de assunto (para algo mais feliz), você não imagina o quanto fiquei alegre quando os gêmeos finalmente se entenderam. Não posso negar que quase chorei, a cena foi mesmo muito triste, mas finalmente uma nova luz de esperança apareceu. Até nesse momento a união dos dois teve um leve empurrão do Las, né?

Sadie, esse capítulo ficou realmente muito, muito bom, mais do que perfeito, com certeza. Já estou ansiosa para ler o próximo. Realmente, concordo que esse capítulo seja o mais angst (dessa fic, no mínimo), mas me deixou um pouco aliviada por saber que a família está novamente unida. Meus parabéns por mais um capítulo fantástico e, novamente, muito obrigada por simplesmente continuar escrevendo e permitindo que nós, leitores, possamos viver emoções nunca imaginadas ao ler suas histórias.

Beijinhos, minha amiga.

Karina
Vcious chapter 11 . 1/23/2005
Eu sequer vou me atrever a perguntar como é que você consegue escrever em um capítulo, pensando em uma cena que irá acontecer partes depois. As teias vão se interligando, não é?

E agora a aparição da Arwen... É de se advinhar que, com ela, outros problemas virão.. E talvez outras pessoas... Ou ela voltaria sozinha para a Nova Terra-Média?

Creio que a única coisa que me entristeceu, além de ver o pobre Legolas apanhando de um bando de vagabundos, foi você ter dividido o capítulo. Quanto mais, melhor, eu sempre digo - Principalmente quando se trata de leitura.

Gostei muito também da cena dos gêmeos, suas palavras foram muito tocantes quanto a isso, eu já estava ficando nervosa de ver os dois separados. Claro, o 'flashback' do lorde Elrond sobre a pequena Undomiel.. E, por último, mas não menos importante, a hesitação do Estel quando encontrou o Legolas no cemitério.

Foi muito bem escrito, como sempre, tão detalhadamente sedutor que tenho certeza de que ninguém conseguiu parar um momento de ler e que todos se sentiram, mais uma vez, como se estivessem lá.

Esperamos anciosamente seu próximo capítulo.

Syn
Lady NaruSami chapter 11 . 1/22/2005
Oi Sadie!

Lindo o capítulo! *.* Pkena Undomiel, q fofa! Me deu uma vontade d apertar ela! Quer dizer q ela desenvolveu o "dom da visão" desde cedo aki? Q meiga!

Adorei o jeito q vc descreveu o Estel com a arma em punho, ficou tão realista!

*com sono* São 00:37 jah... desculpa por ñ ter escrito (ou seria escrevido? Hm...) mto hj...

Bjus!
galadriel chapter 11 . 1/22/2005
EU QUERO!

Eu quero mais um capitulo.

Só pra não deixar dúvidas:

AMEI!