Então, resolvi traduzir outra fic.

Disclaimer: Shingeki no Kyojin não me pertence e muito menos essa fic.

Fic original por Rizzlemonster. E pelo amor de Deus, não vai cair o dedo se vocês deixarem uma review.


Capítulo 1

Ele detestava arrumar as malas em cima da hora. O relógio batia quatro da manhã. Ele devia estar na cama e não correndo pela casa como um maluco. Ele atravessou o quarto correndo para atirar alguma de suas coisas na sua mochila de couro preto. Depois de parecer que tinha pegado tudo o que precisava do quarto, ele rumou para o banheiro.

"Maldita mulher que me ligou tão tarde!" Ele rosnou. "Eu vou estrangular ela."

E então, quando parecia que nada podia piorar no seu mundinho perfeito, a campainha toca. Ele praguejou.

"Hey, querido!" Uma voz alta e aguda cantou, seguida por fortes batidas na porta. Ele praguejou mais alto. "Espere mais um pouco sua... urg. Termino em um segundo!" Ele não podia se importar menos em acordar todo mundo daquele maldito prédio.

"Se apresse! Você é muito lento!" gritou a mulher. Terminou. Ele correu em direção a porta e a chutou. A mulher mal conseguiu sair do caminho antes da porta bater na sua cara.

"Merda, Levi! Você quase quebrou meus óculos! Seja mais cuidadoso, ok?" Ela disse enquanto agarrava o braço dele. Ela o arrastou para fora do próprio apartamento e bateu a porta. "Rápido, nós não queremos nos atrasar para o nosso próprio show!"

"Tá, e de quem é a culpa, Hanji?!" Levi sorriu desdenhosamente para a amiga. "Essa porra toda é ridícula." Ele tacou a mão dela para longe, libertando seu braço e colocando a mochila no ombro. Caminharam até o carro de Erwin, que estava estacionado não muito longe do prédio dele.

"Acho que Erwin estacionou em algum lugar por ali." Hanji disse enquanto acenava com a mão para Levi. Ela recebeu um dar de ombros mal humorado como resposta.

Hanji caminhou em direção à um carro azul escuro, que parecia quase preto debaixo das luzes dos postes.

"Erwin vai dirigir." Ela disse simplesmente enquanto abria a porta da frente, e pouco tempo depois gritou 'Shotgun'*.

"Eu estou te odiando tanto nesse momento."

"Eu também te amo. "Ela piscou antes de se sentar no banco da frente. Levi ouviu algo que soou como uma risada reprimida de Hanji e Erwin. "Eu odeio vocês dois." Ele disse antes de entrar no banco de trás. "E sua maldita piscada."

"Bom dia." Um alegre Erwin disse. Levi apenas deu de ombros enquanto colocava a mochila ao seu lado. " Então... ", ele começou. "Que porra aconteceu com o nosso voo?"

"Sobre isso." Hanji virou-se para encará-lo. Ela hesitou um pouco quando viu irritados olhos cinzentos praticamente jogando adagas em sua direção. Seu cabelo preto, normalmente impecavelmente arrumado, estava uma bagunça. "Bem, estou esperando. E é melhor ter uma boa explicação."

"Claro. Claro." Ela levantou os ombros como se não fosse grande coisa. " Nosso voo meio que ficou lotado". Suas sobrancelhas se contrairam em aborrecimento. "E bem. No momento em que Pixis foi fazer nosso check-in... bem. Ele não conseguiu. Você sabe. Todos os assentos já estavam ocupados. E o próximo voo só seria amanhã! Nosso show é hoje à noite! Então, agora nós estamos indo de carro." Ela terminou sua história com um sorriso e um polegar para cima.

Ele absorveu a situação. Ele pensou em várias maneiras de mutilar seu empresário e depois do que pareceu uma eternidade, ele finalmente disse, com um suspiro pesado. "Vocês sabem que são nove horas de viagem de Trost para Shiganshina, não sabem?"

Ela concordou com a cabeça lentamente. Seu cabelo estava desfeito e os óculos estavam sujos. Hanji tinha se apressado tanto quanto ele. Ele suspirou. E desistiu. Essa ia ser uma longa viagem.

"Cada um de nós vai dirigir por cerca de três horas. Teremos dois intervalos curtos e nós estaremos em Shiganshina às... digamos quatro, no caso de nos perdermos ou algo mais acontecer. Teremos tempo suficiente para testar o som e nós até poderemos relaxar um pouco. Talvez até mesmo dormir por umas duas horas." Ela disse. Mesmo no meio da noite, parecia que Hanji tinha um sério problema de TDAH.

E assim, os três membros da popular banda de rock 'The Mad Titans and the World of Tomorrow' começaram sua jornada para Trost . Certamente era um nome de merda, mas, novamente, quando eles começaram a banda, eles estavam bêbados pra caralho.

Levi não se lembrava de de ter caído no sono, mas ele acordou com um sobressalto quando Erwin balançou seu ombro suavemente. "Ei, estamos dando um tempo agora. Depois é a sua vez de assumir o volante." Ele voltou para o banco da frente ao lado de Hanji.

Levi gemeu em frustração. "Não é a vez da Hanji?" ele esfregou o sono dos seus olhos.

"Olha quem finalmente acordou!" Hanji gritou por trás do banco do motorista. "E não. É a sua vez. Eu já fiz a minha parte. Minha vez de não fazer nada!". Ela soltou um bocejo enquanto esticava os braços.

"Coloque suas mãos no volante, sua maluca!" Levi quase gritou. " Você está tentando nos matar?" Hanji virou-se para encará-lo, sem colocar as mãos no volante. "Não" ela simplesmente declarou, então piscou para ele. "Veja, estamos em um estacionamento. Tudo perfeitamente imóvel. Ninguém morrendo. Deixa de pânico." Erwin riu da confusão que os dois estavam fazendo.

"Vamos lá ", disse Erwin, intrometendo-se entre os dois. "Vamos comer. Estou morrendo de fome " Ele abriu a porta e saiu do carro. Ele caminhou até o que parecia ser um café. Ele usava calça jeans cinza que se agarravam ordenadamente em torno de sua figura, combinado com uma camisa preta. Uma jaqueta de couro terminava seu look. Assim como Levi, ele tinha o mesmo tipo de corte, com o cabelo raspado na parte de baixo. Seu cabelo loiro estava devidamente perfeito e sem um fio fora do lugar.

Hanji saiu do carro murmurando sobre comida e café, apesar de agora mesmo ela ter dito que queria dormir. Ela limpou os óculos e puxou uma fita do pulso. Ela sempre usava um par delas por precaução e prendeu o cabelo em um coque.

Ela usava uma calça jeans skinny preta, uma blusa branca e cardigã cor de vinho. Seu All Star preto estava a ponto de se desfazer, já que havia vários buracos visíveis - aqueles sobre os calcanhares revelava seu amor por meias malucas. Levi balançou a cabeça.

Ele próprio estava usando um jeans cinza skinny rasgado e uma camisa de manga comprida preta simples. Ele não teve tempo para realmente se importar com o que vestir. Usava botas militares pretas. Quando ele saiu do carro um arrepio percorreu sua espinha.

"Tá frio pra porra". Ele declarou sem rodeios. "Ótimo." E conteve um gemido.

"Ah, você esqueceu seu casaco." Hanji gritou perto do café quando viu seu amigo andar em um ritmo muito rápido para o calor que havia lá dentro.

"Cala a boca. Eu compro um novo."

"Legal, nós vamos fazer compras!" ela bateu palmas de excitação.

"Sozinho!"

"Sim, sozinho comigo." Simplesmente não tinha como convencê-la. Por que mesmo eles eram amigos?

Depois de uma curta pausa no café, a longa viagem continuou. Desta vez, com Levi atrás do volante.

Depois do que pareceu uma eternidade, a equipe de três, finalmente, chegou ao auditório onde seria o show deles, no centro de Shiganshina. A sala de concertos era conhecido como 'A Muralha'. Era o maior e mais popular lugar em que a maioria dos músicos só podem sonhar em se , ter ingressos esgotados já era uma outra história. Não que isso fosse um problema para "The Mad Titans and the World of Tomorrow.

Com ingressos completamente esgotada dentro de poucos segundos e fãs que pareciam ter dormido na frente do edifício desde um ou dois dias antes do show. A frente do edifício estava cheio de lixo dos lanches e bebidas, e havia alguns sacos de dormir e outros equipamentos de camping.

Levi odiava toda aquela atenção. Ele odiava os fãs, os gritos, a perseguição e seu comportamento obsessivo. Ele deu de ombros. Infelizmente foi um dano colateral e por isso ele teve que lidar com isso. Estar na banda foi uma das melhores coisas que já lhe tinha acontecido.

"Olhe para eles!" Hanji guinchou quando o carro passou em frente a Muralha. "Muitos já estão aqui!", o que era verdade. Parecia que havia mais e mais pessoas a cada show que eles davam. Parecia um exército em miniatura vestido de preto. A maioria deles usavam camisas da banda, enquanto outros usavam roupas do estilo do seu membro favorito da banda. Cantos e risos irrompiam do rebanho de fãs enquanto sorrisos brilhavam em seus rostos. Letras que Levi conhecia muito bem faziam seu caminho para o céu.

"Ainda bem que eles não fazem ideia que eu tenho essa merda de carro." Erwin brincou. Agora Erwin foi modesto. Seu carro não era um desastre de merda total. Seu Audi V8 azul marinho era considerado um clássico, um modelo antigo do início dos anos 90. Havia arranhões no lado esquerdo do carro, resultado de quando ele teve que tirar sua carteira de motorista, ou melhor ainda, quando ele quase conseguiu. Não era um carro celebridades gostariam de possuir, e muito menos dirigir. Mas Hanji e Levi não se importavam, desde que ele pudesse os levar de A à B.

Eles se dirigiram para a parte de trás do edifício. Mostrando ao segurança seu passe de verificação e procederam ao seu destino.

"Finalmente." Levi proferiu enquanto estacionava o carro de Erwin em um espaço no estacionamento vazio.

"Mal posso esperar para o show de hoje à noite!" Hanji jogou as mãos para cima em sinal de alegria e se atirou para fora do carro o mais rápido que pode. Erwin seguiu o mesmo exemplo.

Enquanto eles faziam o seu caminho para 'A Muralha', Levi devolveu as chaves do carro para Erwin. Uma vez que eles entraram, o empresário deles, Pixis, correu na direção deles.

"Onde vocês estavam? Nós estivemos muito preocupados. Agora, levem essas suas bundas em direção aos estilistas porque vocês estão parecendo merda! Merda, eu digo!"

"Bom dia para você também, senhor." Hanji fez uma reverência patética, fingindo ser uma bailarina. Erwin riu do movimento estúpido dela. Levi continuou indiferente sobre toda a situação.

"Bom dia o caralho!" o velho gritou fazendo com Levi levantasse uma sobrancelha.

" Se você não tivesse nos reservado um voo de merda nós teriamos chegado mais cedo." Levi disse em uma voz monótona. "Lotado. Nós dirigimos por nove horas de merda e tudo que você faz é reclamar. Patético."

"Nove horas!" Hanji repetiu depois do amigo, e estendeu nove dedos para constatar o óbvio. "Nove!" ela murmurou, com os olhos arregalados.

"Nós vamos nos arrumar" Erwin disse quando a expressão de Pixies se torcia em algo quase desumano e arrastou tanto Levi quanto Hanji por seus braços para o labirinto que era 'A Muralha'. Às vezes, Erwin sentia-se como se ele fosse o único adulto do grupo. Ele deu de ombros. Ser babá não era um de seus hobbies.

Quando Levi abriu a porta para seus camarins, cerca de quatro estilistas correram em direção a eles, pulando em torno deles como abelhas sendo atraídas por mel. "Atrasados, atrasados, atrasados." Soltou uma jovem com cabelos cor de avelã, que estava preso para trás em um minúsculo rabo de cavalo. Sua franja estava sob controle presa por vários grampos de cabelo. O nome dela era Petra e ela era a chefe estilista da banda. A julgar pelos seus rostos sombrios e Erwin, que estava balançando a cabeça como se dissesse "nem pergunte", Petra decidiu apenas aprontá-los. Ela sorriu e bateu palmas.

"Erd, Gunther, Oluo, vocês sabem o que fazer." Os três homens arrastaram seus projetos pessoais para salas separadas. "Depressa, por favor, os testes de som começam em 50 minutos e eu tenho certeza que a maioria deles gostariam de tomar um banho. Então peguem a roupa deles primeiro." Ela gritou para seus colegas de trabalho.

O pensamento de um bom banho quente soou divinamente bem aos ouvidos de Levi. Ele esteve em um carro o dia todo e ele sentia-se nojento.

"Oluo, no seu caminho de volta me traga uma bebida." Ele pediu ao seu estilista, o homem se virou. "Claro". E deixou a sala para pegar a roupa de Levi e sua tão necessária bebida.

Com Oluo fora, Levi rumou para o banheiro. Ele fechou a porta atrás de si e se livrou de suas roupas. Ele não ousou cheirá-las. Ele franziu o nariz com o mero pensamento. "Nojento pra caralho." Ele as arremessou para o lado.

A água estava fria e agradável em contato com sua pele e ele deixou escapar um suspiro que não sabia que estava segurando. Ele relaxou os músculos e levantou a cabeça para que sentisse a sensação da água batendo em seu rosto.

Cerca de 50 minutos depois, a banda estava pronta para os testes do som. Hanji usava grandes óculos pretos Ray ban. Seu cabelo estava preso em um rabo de cavalo bagunçado que saia da curva do pescoço dela, vários fios caindo sobre seus ombros. Ela usava uma regata branca simples, e uma camisa preta, curta e esfarrapada por cima com a palavra "Titan" escrita de maneira desleixada. Jeans skinny cor de vinho concluía seu look - ela simplesmente amava essa cor - e mais uma vez o seu All Stars. Eles eram inseparáveis.

As roupas de Erwin eram simples mas elegantes, como baterista, ele preferia algo mais confortável. Ele usava uma camisa cinza escuro simples, que provavelmente só ficaria nele por, o que?, duas canções antes que ele resolvesse tira-la. Um par de jeans preto se agarrava nele cuja barra estava escondida por um par de botas militares pretas.

Levi odiava sua calça de couro preto, era muito apertada e muito quente para o palco. No entanto, Petra insistiu, com segundas intenções é claro, mas ela nunca admitiria isso. Ela simplesmente amava ficar olhando para bunda dele. Ela não tinha vergonha na cara. Além disso, ele usava uma camisa de gola V cinza e um par de Vans preto. O poder de moda deles se resumia na sua simplicidade .

Tudo tinha que estar perfeito. Cada membro era exigente na sua própria maneira. Levi era o vocalista e baixista. Hanji fazia backing vocals e dominava a guitarra como ninguém. Erwin preferia não cantar muito e abalava a bateria a cada momento. Quando colocados juntos, eles eram uma força tão feroz que ninguém poderia negar a sua existência. Eles eram o assunto do mundo da música, e eram a banda de rock da era. E eles precisavam manter esse título.

Quando o equipamento soou como deveria, Levi começou a reclamar sobre as luzes do palco. Elas eram muito brilhante e muito coloridas. "Vão se foder com esses arco-íris e unicórnios de merda, seus idiotas! E cadê os fogos de artifício?"

"Eu comando a partir daqui." Erwin propôs. "É melhor vocês dois irem comer alguma coisa. Eu vou me certificar de que as luzes não nos façam parecer como-"

"Pôneis mágicos." Hanji terminou e mostrou aos técnicos o sinal de paz . " Sem ressentimentos." Ela acrescentou enquanto saia do palco. "Vamos Levi, vamos festejar! Soube que temos uma comida incrível. Passei pela cozinha no meu caminho para cá. Minha boca salivou tanto que deixaria as Cataratas do Niagara com inveja." Ela piscou para ele.

"Nojento." Ele resmungou, mas o pensamento de comida lhe pareceu bastante agradável, o seu café da manhã não foi muito agradável. Pelo menos não tanto quanto ele esperava.

O show começou com erupções de fogos de artifício nas laterais do palco, aplausos altos da multidão e uma recepção feita por Hanji . "Nós somos os Mad Titans and the World of Tomorrow! Bem-vindo ao nosso Freedom tour! Vocês estão prontos para comemorar o nosso 5º aniversário? Vamos detonar essa porra!" os gritos foram tão altos que Levi tinha certeza de que vários tímpanos haviam sido estourados naquela noite.

Hanji silenciou a platéia e fez algo que não muitas bandas faziam.

"Agora, que música vocês gostariam que abríssemos esse show?" centenas de pessoas gritaram e berraram ao mesmo tempo. Hanji avançou, colocando sua guitarra nas costas e segurou o microfone na frente de uma garota loira que estava na frente, que disse "Eu-eu gostaria de o-ouvir Th uhhh... Through Glass*. Por favor." Ela tropeçou em suas palavras, mas estava nervosa demais para se importar. Hanji lançou-lhe um sorriso, se virou nos calcanhares e piscou para Levi. Ela sabia que era a canção favorita dele. Uma canção sobre um certo alguém. Um alguém que ele adorava através do vidro. Ele balançou a cabeça lançando um olhar assustador para Hanji, ele odiava quando ela o provocava, mesmo que ela estivesse certa, e não muito tempo depois a música explodiu na noite.

"Boas notícias." Pixies esfregou as mãos . "Vocês vão voltar voando, nós reservamos um novo voo. E desculpas pelo meu comportamento de antes."

"Você só diz isso porque você está perdido sem nós." Hanji brincou enquanto ela revirava os olhos para o velhote e dançava sua pequena dança da vitória.

"Não abuse da sorte, eu sempre posso cancelá-lo."

"Bem, merda." Ela parou de provocá-lo . 'Não aguenta nem uma piada?"

"Suas piadas são uma merda." Levi disse em uma voz monótona e agradeceu ao empresário pelo voo. "Nós agradecemos."

"Só mais uma coisa, Erwin." Pixis dirigiu sua atenção para o dito homem e disse-lhe que ele iria fazer com que o carro de Erwin voltasse para ele, para que eles pudessem voar de volta para sua cidade natal tranquilamente.

Levi voltou para casa em tempo recorde. O caminho de volta foi impecável. O avião partiu de uma vez e Pixis ordenou para que três táxis os pegassem e os levassem para casa. "Casa". Levi soltou um bocejo. Eram quatro da manhã. Que irônico.

Ele saiu do táxi, agradeceu ao taxista e caminhou até seu apartamento no 5 º andar. Ele bateu a porta, não se preocupando em acordar seus seus vizinhos - eles eram uma merda de qualquer maneira - e então ele acendeu as luzes. Ele deu a volta em seu pequeno apartamento, finalmente decidindo que ansiava por um pouco de café. Sua decoração era modesta. Sua sala de estar possuía um sofá que fora empurrado até um canto e fora emparelhado com um pufe, criando um ótimo ambiente. Ele era dono de uma TV de tela plana, que se situava em cima de um armário de madeira. A sala continha duas plantas, um calendário e um relógio. Havia um porta-retrato, que ficava junto ao sua TV, mostrando o início da banda. Três bêbados com sorrisos de merda em seus rostos, Hanji ainda tinha fechado os olhos por acidente. Seu apartamento não era nada de especial. Ninguém sabia onde ele morava, com exceção de seus amigos. Este era o seu refúgio secreto.

Levi podia comprar todas as casas que ele quisesse, tudo o que ele desejasse era possível, desde uma casa na praia até uma mansão do outro lado do mundo. Mas ele amava seu velho e pequeno apartamento na parte mais decadente de Trost. Era um lugar onde não era muito seguro se aventurar a noite, um lugar onde lutas e roubo não era estranho para ninguém, e, acima de tudo, era um bairro sujo com ruas imundas e rios cheios de lixo. No entanto, por mais que ele fosse um maníaco por limpeza, ele ainda amava esse lugar. Ele amava a visão que tinha da sala de estar, a melhor vista do mundo de acordo com ele. E ele não iria deixá-la para o mundo.

Toda vez que ele olhava para fora de sua janela ele poderia obter um vislumbre da pessoa que o fazia se sentir completo. Do outro lado da rua estava um outro prédio de apartamentos, com janelas tão grandes que eram quase do chão até o teto. Ele não se importava. Só facilitava as coisas para ele.

Ele encostou-se na moldura da janela, e trouxe o café quente aos lábios. Ele primeiro soprou antes de tomar um gole. Seus olhos focados em um apartamento do outro lado da rua. As luzes estavam apagadas.

"Dormindo, hm? Que pena, bastante lógico mais ainda sim uma merda, eu teria gostado de ver o seu sorriso estúpido." Ele pensou consigo mesmo.

Assim que ele estava quase se virando para sair, a luz do outro apartamento ligou. Sua cabeça virou de volta com a mudança repentina. Ele pode ter um vislumbre de uma sala quase vazia e parte de um corredor bagunçado, que estava cheio de Deus sabe o que. E entre todo esse lixo estava a única pessoa que ele ele esperava o dia todo para ver. A pessoa das suas canções.

Um jovem correu por seu apartamento, chutando os seus sapatos, tropeçando na sua própria bagunça no corredor e correndo em direção a sala de estar. Ele jogou o seu casaco e cachecol em um canto abandonado e caiu no sofá verde. Ele passou as mãos pelo seu cabelo castanho bagunçado, se preparando para assistir TV. Ele tentou se colocar debaixo de um cobertor mas não conseguiu, ele parecia muito cansado. Levi sabia que aquele merdinha ia adormecer sem desligar as luzes ou a TV ou até mesmo sem se cobrir direito.

Um sorriso encontrou os lábios de Levi. Então ele pensou consigo mesmo. "Você é o vocalista de uma banda de rock mundialmente famosa, a banda de rock das bandas de rock. O mundo todo está praticamente aos seus pés. E ainda assim, a única pessoa que você quer que te note, não o faz. Levi, você é um pedaço de merda patético."

To be continued


Oh, Petra safadenha e.e mas não posso culpá-la. Sinto o mesmo u.u.

*Shotgun: é o equivalente de 'Eu vou na frente' dos EUA.

*Through Glass: Através do Vidro

Bem, até o próximo capítulo

P.S.: esse vocabulário do Levi me seduz