Bem, como podem ver, resolvi traduzir outra fanfic. Mas essa já está completa e tem 4 capítulos e meio que é só para treinar para quando o lemon de TMTWT chegar. E essa tradução deu um trabalho da porra. Ainda tem coisa que eu não gostei, mas fazer o quê. Enfim, espero que gostem.

Disclaimer: SnK e essa fic não me pertencem, sendo o primeiro de Isayama e a segunda de Creoleereri.


Capítulo 1

Um baixo mas ainda estranhamente intimidante homem entrou em um quarto frio e vazio. Localizado em um armazém longe da cidade, ele estava sentindo-se bastante satisfeito com a situação à sua frente. Ele sabia que ninguém o acharia ou ao seu pessoal à essa distância da cidade. Seus rivais eram um bando de idiotas. Bem, isso podia esperar; ele tinha outras coisas mais importantes com que lidar. Ele ia se assegurar de que esse idiota à sua frente sofresse e ele iria o fazer sem nenhum arrependimento. Afinal, ele não era o temido Levi por sua personalidade misericordiosa. É quase irônico ele ser tão temido, mesmo que ele mal alcançasse 163 cm, ele tinha a força de derrubar pelo menos dez homens sem suar. Ele podia atirar melhor do que a maioria dos atiradores treinados e seu único treino havia sido acertar ou ser acertado. E por falar nisso, ele tinha que cuidar de um agora. Ele já tinha matado muitos antes, esse não seria diferente.

Ou pelo menos, era isso que ele continuava a dizer para si mesmo. Deitado no meio do quarto estava um machucado e espancado detetive policial chamado Eren Jaeger. Ele tinha apanhado severamente e se ele sobrevivesse à isso, ele provavelmente teria cicatrizes que durariam para a vida toda. A vida tinha um grande jeito de abaixar as calças e cagar em cima do seu destino. Seja por seu carro ter quebrado ou você estar no lugar errado e na hora errada, a vida não poupava ninguém.

Para Eren, sua ruína tinha sido quando havia conhecido esse homem deslumbrante em um bar. Ele tinha acabado de terminar com sua noiva e tudo o que queria era uma bebida. Ele estava decolando na sua carreira como detetive e já tinha resolvido muitos casos impossíveis. Ele tinha propositalmente ficado fora dos holofotes para que não fosse reconhecido assim que pisasse em certas áreas. Suas aproximações anônimas sempre se provaram serem o motivo de seus grandes sucessos. Ele tinha uma boa vida mas tudo tinha desabado quando sua noiva disse que estava o deixando por outro homem. Eren não queria reviver a cena então optou por afogar suas dores na bebida. Assim que tinha entrado no bar, ele não perdeu tempo em se sentar num banco e pedir múltiplas doses de vodca. Ele não queria beber tranquilamente, ele queria beber até cair. E ele estava muito bem até que alguém de repente passou por el fez parar no meio da ação. Eren tinha talento em notar as coisas e tudo era magnetizado para seus olhos. Ele era capaz de sacar as coisas rapidamente e mais detalhadamente do que a maioria das pessoas. O homem ao seu lado era baixo mas impressionantemente bonito. Ele tinha feições penetrantes que deveriam fazê-lo parecer levemente feminino mas que ao invés disso acentuava sua masculinidade. Ele tinha pele pálida e era muito baixo. Ele tinha cabelos curtos que pareciam seda. Seu rosto estava carrancudo, mas isso acentuava os olhos cinzas. E como se o rosto não fosse o suficiente, o homem usava um terno impecável. Tinha que ser feito sob medida, além de parecer caro. Era preto e liso assim como o cabelo dele. Mesmo que seu rosto não fosse convidativo, Eren estava além de intrigado, ele nunca tinha achado um homem ou mulher tão atraente à primeira vista.

Eren tinha estado tão distraído que não tinha percebido que o homem tinha desacelerado e que agora estava olhando para ele. Eren sentiu-se como se estivesse em transe mas ele logo foi tirado dele quando ouviu uma tosse. Ele pulou e percebeu que o homem estava vindo até ele. Ele se aproximou do rosto de Eren com um sorriso malicioso.

"Gostou do que viu?"

"Hm... hm… terno legal?"

O homem riu e se aproximou da orelha de Eren.

"Você sabia que a maioria das pessoas não me lançariam um segundo olhar?" Eren não entendia porquê, esse homem era a perfeição.

"Eu não sou a maioria das pessoas."

Diante dessa resposta, o homem se endireitou e encarou o rosto de Eren. Como um raio, ele se inclinou e beijou a bochecha de Eren. Eren nunca soube que um beijo na bochecha pudesse o fazer se sentir tão quente. Antes que ele pudesse se recompor, o homem piscou para Eren e saiu. Ele tinha ido embora tão rápido quanto tinha chegado. Eren engoliu seu sexto copo de vodca e descobriu que a bebida estava agindo perfeitamente bem. Isso era algo de uma noite só. Ele nunca mais veria aquele lindo desconhecido de novo.

Levi tinha entrado no quarto e olhado para o homem à sua frente. Ele era o atual chefe da máfia e ele era cruel. Muitos o temiam e ninguém tentava desafiá-lo. Isso até que um pedaço de merda da força policial decidiu começar a prender seus homens. Ele tinha homens lá dentro e não podia acreditar que alguém tinha ousado ir contra ele. Ele descobriu que era um detetive chamado Eren Jaeger que tinha um senso estúpido de justiça. Bem, ele iria mostrar a esse tal de Eren justiça. Ele iria usá-lo como exemplo e se assegurar de que ninguém mais fodesse com ele.

E foi isso que ele disse a si mesmo até que viu Eren no chão. Ele estava surpreso em ver que era o pirralho do bar de um tempo atrás. Ele se lembrava dele porque ninguém nunca tinha encarado Levi por tanto tempo. As pessoas tinham um medo natural dele, mas esse pirralho não estava com medo, ele até mesmo pareceu interessado. Sem mencionar que ele era lindo pra caralho. Ele tinha pele bronzeada que parecia brilhar e cabelos bagunçados que só acentuavam seu rosto. Falando do seu rosto, ele era estranhamente jovem mas Levi podia dizer pelo maxilar forte e músculos torneados que já era adulto. Mas seus olhos foram o que atraíram Levi. Eles eram do mais brilhante tom de verde que ele já tinha visto e Levi tinha que olhar mais de perto. Levi estava tão tentado a levá-lo para cama naquela noite, mas ele tinha muita coisa para fazer então decidiu simplesmente brincar com ele. Quando ele beijou sua bochecha, o calor que o invadiu quase o fez ficar. Mas ele tinha coisas a fazer então saiu rapidamente antes que mudasse de ideia.

Irônico o fato de que a única pessoa que tinha-no interessado acabou por ser o detetive que fodia com seu trabalho. Ele queria desamarrá-lo e o violar, mas ele tinha um trabalho à fazer.

E Eren o reconheceu e percebeu que tinha ficado atraído por um monstro. Quando ele percebeu que esse era o Levi que causava tanto inferno, ele não conseguiu pensar claramente. Tudo o que importava para ele era a justiça. O que era ilegal era errado e as pessoas tinham que ser punidas. Ele devia estar assustado por saber que Levi tinha vindo para terminar o serviço, mas sua teimosia se recusava a submeter-se a isso. Ele lutaria até o fim.

Levi pegou uma arma do chão, caminhou até Eren Jaeger e olhou de cima para a pessoa raivosa aos seus pés. Mesmo perante a morte, esse pirralho ainda tinha esse olhar de determinação. Levi estava começando a desejar não ter que matá-lo, esse moleque tinha força de vontade. Mas do que isso importava? Ele era apenas um obstáculo.

"Você quer morrer tanto assim?" Ele apontou a arma para Eren.

"Policial Eren Jaeger."

Eren olhou para cima e recusou-se a perder para o medo.

"Se você vai me matar então ande logo e acabe com isso! Quanto tempo mais você vai perder falando?"

Ho, esse pirralho tinha coragem. Ele era teimoso e abrasivo. Ele nunca teria adivinhado que esse moleque corado tivesse tanta personalidade. Ele se abaixou e pegou Eren pela frente da camisa.

"Mesmo que eu não seja rápido não tem problema, certo? Só estava pensando num bom lugar para acertar a bala. Onde você quer que ela entre, hm?" Ele apontou para o pescoço de Eren. "Aqui?" Ele abaixou até o peito dele e perguntou, "Aqui?" Quando Eren não disse nada ele deslizou a arma lentamente até seu abdômen.

"Ou até mesmo" Ele deslizou a arma até que ela descansasse no pênis de Eren.

"Aqui?"

"Seu bastardo!" Eren sussurrou.

Levi sorriu maldosamente. Foda-se o protocolo. Ele poderia ter seguido-o mas ele percebeu a centelha de luxúria que passou pelos olhos de Eren quando pôs a arma no seu membro. Foi o mesmo olhar que tinha lhe dado depois de Levi ter beijado sua bochecha. Mas ele sabia que esse pirralho era teimoso demais para admitir o que queria em voz alta. Que pena que seu corpo não pudesse contar mentiras.

"O que foi? Essa arma não lhe interessa?" Ele deixou a arma cair no chão. Ele colocou ambas as mãos nos joelhos de Eren e o puxou em sua direção.

A ereção ainda coberta por roupas de Levi aninhou-se entre o membro dele e seu ânus.

"Então que tal a minha outra arma?"

As costas de Eren bateram na parede e ele olhou para Levi, chocado. Não era para isso que ele tinha se inscrito. Ele só estava tentando fazer o que era certo. Como ele tinha acabado nessa situação? Ele queria xingar Levi de novo e exigir para que fosse baleado. Ele tinha que continuar a pensar em seu cérebro explodindo para acalmar o fogo que queimava na sua parte de baixo. Quando Levi colocou a arma no seu membro, ele não tinha ficado nada satisfeito com a ereção que tinha tido. Isso tinha que ser sua mente enlouquecendo! Ele tinha planejado não cair sem uma luta. Maldito homem por ser tão atraente. Ele não conseguia pensar direito. Levi começou a acariciar lentamente sua ereção e Eren teve que lutar contra um gemido. Maldito corpo e suas necessidades.

Levi sentia Eren ficar mais duro a cada segundo que passava. Ele queria que Eren desabasse em seus braços. Geralmente, ele simplesmente transava rápido e forte, mas ele queria que isso durasse. Ele queria destruir Eren e não fazê-lo pensar em mais ninguém. Depois ele decidiria o que fazer quando isso acabasse mas por ora, ele queria se focar no moleque de olhos verdes que o encarava numa mistura de luxúria e confusão.

Levi se aproximou mais, deixando um pequeno espaço entre suas bocas.

"Eren." Ele disse, rouco. E ficou satisfeito quando notou Eren ficar mais duro ao som de sua voz.

"Não se preocupe; a bala dessa arma vai ser capaz de entrar facilmente."

"Merda." Foi tudo que Eren conseguiu dizer. Antes que Eren pudesse refletir sobre sua decisão, ele se inclinou e fechou o espaço entre ele e Levi. Ele sabia que isso teria consequências, mas Eren não se importava. Tudo sobre isso era irreal e não podia acabar bem, mas sua parte de baixo tinha ganhado controle sobre si. Se ele morresse depois disso, pelo menos morreria depois de um bom orgasmo.

Quando ele beijou Levi, obviamente pegou o homem de surpresa, mas ele se recuperou rapidamente. Levi envolveu as mãos ao redor do pescoço de Eren e rapidamente dominou o beijo. Ele não perdeu tempo em aprofundar o beijo e deslizar a língua para dentro da boca de Eren. Os dois homens ficaram nisso por um tempo, com as línguas dançando, recusando-se a pedir por ar. Levi puxou Eren mais para perto e o beijou mais profundamente como que tentando roubar o ar de Eren. Percebendo que não seria assim tão divertido se Eren estivesse amarrado, ele se afastou e olhou para seus olhos. Suas pupilas estavam dilatadas e cheias de luxúria. Suas bochechas estavam coradas e davam-no uma aparência inocente. Embora ambos estivessem ofegantes por falta de ar, Levi esmagou sua boca contra a de Eren simplesmente por não conseguir resistir àquele rosto.

A mente de Eren estava fora de controle. A língua de Levi estava quase que presa no fundo de sua garganta e Eren estava tentando muito se lembrar se alguém já o tinha feito querer gozar com um simples beijo. Levi de repente se afastou dele, criando uma linha de saliva com sua partida. Ele olhou para Eren novamente e Eren se perguntou se Levi estava se arrependendo por ter começado isso.

"Eu não acho que tenha que te dizer o que acontece se você tentar fugir, certo?"

Eren mordeu o lábio e tentou responder mas sua cabeça estava que nem mingau. Levi pegou o seu queixo e puxou o rosto de Eren mais para perto novamente.

"Estou esperando por uma resposta, Jaeger."

"N... não. Eu estou duro demais para correr."

Esse pirralho tinha coragem. Levi puxou a faca que mantinha no bolso como um adolescente mantinha o celular. Ele foi para trás de Eren e começou a cortar as cordas. Depois de dez minutos de pura concentração, Eren estava livre. Ele não estava bem certo do que fazer agora então olhou para Levi. Eles tiveram uma discussão de olhares para ver quem daria o primeiro passo. Os dois estavam tão duros que um toque poderia acabar com tudo. Já fazia um bom tempo que os dois não transavam. Era obviamente aparente no quarto agora tenso por causa do desejo.

Levi decidiu fazer o primeiro movimento. Ele não podia mais esperar. Ele queria aproveitar, mas quanto mais ele fitava aqueles olhos, mais seu autocontrole diminuía. Ele o tomaria para si agora e aproveitaria da próxima vez.

"Eren, eu não sou de preliminares românticas."

"Eu me pareço com alguma princesa da Disney para você?"

"Não, mas você vai estar gritando que nem uma donzela de dor em pouco tempo."

"Estou contanto com isso."

A paciência de Eren estava começando a se esgotar. Ele começou a tirar a própria roupa, esperando que Levi pegasse a dica. Parece que ele pegou, já que ele começou a tirar suas próprias roupa também. Eren se movia lentamente pois estava dolorido por causa da surra que tinha levado antes de Levi entrar. Ele tirava as calças centímetro por centímetro, sua boxer indo junto. Ele quase sibilou quando o ar frio bateu na sua ereção.

Levi presumiu que Eren estava tentando provocá-lo pelo modo como estava sedutoramente tirando a roupa. Ele se moveu mais rápido e quando terminou, viu Eren encarando seu membro. Onde Eren era comprido, Levi era grosso. Isso vai ser divertido, ele pensou consigo mesmo.

"Eu não tenho lubrificante e a menos que você queira fogo no cú, eu sugiro que você faça algo em relação à isso."

Eren sorriu e posicionou o rosto na frente da ereção de Levi. Ele deu uma lambida experimental e ficou quase presunçoso diante da lufada de ar que Levi tomou. Ele usou sua mão direita para acariciar toda a sua extensão. Enquanto acariciava a metade de baixo, ele pegou a parte de cima com a boca e começou a lamber ao redor o topo. Apertando-o quando começou a chupar.

Então ele removeu a mão e moveu a boca cada vez mais para baixo, tentado pegar tanto quanto possível. Ele estava faminto por isso e iria fazer Levi gritar por mais quando terminasse. Quando ele alcançou a base, ele começou a chupar e a deslizar a cabeça para cima e para baixo. Ele sentiu Levi se contorcer e isso o encorajou a enfiar mais na boca. Ele não tinha reflexo faríngeo, logo, ele tinha enfiado tanto de Levi na boca que podia sentir seu pelo púbico fazendo cócegas no seu rosto. Suas chupadas só ficaram mais fortes quando ouvia xingamentos e grunhidos vindo de cima. Ele estava fazendo bastante barulho e devorando aquele pênis como se fosse sua última refeição.

Ele sentiu-se como se estivesse no topo do mundo até que sentiu algo tentando pressionar a sua entrada. Ele ficou tão chocado que perdeu o ritmo e quase se engasgou. Ele deslizou a boca para trás e estava quase tirando-a quando uma mão o empurrou de volta.

"Por Deus, não pare."

Eren estava perdido quando um dedo deslizou para dentro de sua entrada e não perdeu tempo em penetrá-lo. Com a falta de lubrificante, era desconfortável mas não doloroso. Levi tinha revestido bem seus dedos em saliva. Eren estava tentando recompor a compostura quando sentiu outro dedo o penetrar. Quando Levi começou a alongá-lo e a mover os dedos para dentro e para fora de Eren, suas chupadas começaram a ficar frenéticas e mais desleixadas. Se Levi não se apressasse, ambos teriam terminado antes do evento principal.

Levi removeu sua mão e empurrou Eren para longe de seu membro. Ele puxou Eren para que ele pudesse sentar com as pernas abertas em cima de si. Ele queria que Eren o cavalgasse enquanto ele se enfiava dentro dele.

Eren estava ficando mais excitado a cada segundo que passava. Ele iria cavalgá-lo tão forte que o homem iria se esquecer do próprio nome. Levi procurou e achou a entrado de Eren novamente, empurrando seus dedos de volta para terminar de prepará-lo. Ele adicionou um terceiro dedo, ganhando um gemido de Eren. Levi empurrou mais forte e rápido, tentando achar sua próstata. Quando Eren meio gemeu e meio gritou, Levi soube que tinha encontrado.

Não querendo esperar mais, ele tirou os dedos de dentro de Eren e pegou seus quadris. Eren envolveu os braços ao redor do pescoço de Levi e se preparou. Quando Levi começou a preencher Eren, ele o puxou para um beijo quente e frenético. O beijo capturou todos os grunhidos e gemidos vindo de Eren.

"Merda, você é apertado!"

"Merda, você é muito grande!"

Quando Levi estava totalmente dentro de Eren, ele esperou o outro se mover primeiro. Ele esperava que Eren soubesse o que estava vindo.

Eren estava esperando a dor retroceder para que ele pudesse foder a si mesmo no membro de Levi. Naquele momento, ele ficou feliz por não ser um virgem completo. Fazer sexo com homens e mulheres tinha valido a pena.

Quando a dor desconfortável diminuiu e o prazer se infiltrou, ele deu um salto experimental em Levi e miou de prazer.

Levi rosnou diante dos gemidos de Eren e começou a penetrar mais forte nele, não dando-o mais tempo para pensar. Ele envolveu os braços ao redor dos quadris de Eren e começou a puxá-lo quase que totalmente para fora de seu membro e esmurrá-lo de volta. O aperto de Eren ao redor de seu pescoço aumentou enquanto esse prazer turbulento o dominava completamente, queimando-o até os ossos. Ele começou a seguir o ritmo de Levi, encontrando cada forte estocada, deixando o alto som de pele batendo contra pele ecoar pelo quarto. Os pulos de Eren foram ficando mais fortes e intensos enquanto as estocadas de Levi ficavam mais frenéticas. Levi estava se perdendo nesse calor apertado.

"Merda, Eren!"

Levi estava gemendo apesar de ser ele quem estava fazendo a penetração. A maneira como Eren cavalgava no seu membro o fazia ver estrelas. Suas estocadas não podiam acompanhar e esse moleque ia fazê-lo terminar primeiro.

Antes que ele pudesse terminar, Levi saiu de dentro de Eren e o empurrou para o chão. Ele pegou as pernas de Eren e as jogou por sobre seu ombro. Ele pegou Eren por trás dos joelhos e se enterrou dentro dele novamente sem aviso.

"Porra!"

"Você gosta disso, Eren, hm? Você gosta quando eu te esmago por dentro?" Levi tentou soar como se estivesse no controle mas sua voz falhou. Ele estava tentando destruir Eren, mas parece que era o pirralho que o destruiria.

Levi estava fodendo profundamente dentro de Eren e agora tinha atingido sua próstata. Eren estava babando e tinha sido reduzido para um garoto descontrolado e trêmulo. Mas ele precisava de mais, antes que isso acabasse, ele precisava de Levi mais fundo dentro dele, ele precisava ter a sensação que Levi tinha lhe prometido gravada na sua memória para sempre.

"Levi, mais rápido!"

"Eu não posso te ouvir, Eren, o que foi isso?"

"Eu di-disse mais rápido! Mais forte!"

Levi não conseguiu nem mesmo responder, ele se retirou e estocou Eren com tudo o que tinha. Ele estava prestes a gozar e ele se asseguraria de que esse fosse o maior orgasmo que ambos já tinham tido. Ele se enfiou tão fundo e forte dentro de Eren quanto pode, recusando-se a recuar. Ele se deleitava com cada grito e gemido obsceno que saiam dos lábios do outro. Levi estava xingando e gemendo o nome de Eren. Seus movimentos eram frenéticos e sem nenhum ritmo.

Eren sentiu um calor crescendo no seu estômago. Ele estava vendo pontos brancos e pretos. Seu corpo estava pegando fogo e ele não podia mais se segurar. A maneira bruta como Levi estava o estocando tinha só se adicionado ao seu prazer. Com um grito poderoso, ele berrou o nome de Levi e jatos esbranquiçados dispararam de seu corpo. Onda depois de onda de prazer deixaram Eren, fazendo-o pular e tremer.

Quando Levi viu o garoto gozar, ele não conseguiu mais se conter. Ele arqueou as costas, deu um grunhido animalesco e derramou seu sêmen em Eren. Ele teve seu orgasmo enquanto penetrava cada vez mais em Eren até que não sobrasse nada.

Completamente exausto, ele desabou em cima de um Eren sem energia.

Nenhum dos dois queria se mover ou mesmo respirar. Para ambos, esse tinha sido o melhor sexo que já tinham experimentado na vida. O som de respirações pesadas ecoaram por todo o quarto. O quarto cheirava a suor e sexo. Os dois estavam encharcados de suor e gozo. Embora se sentissem sujos, nenhum deles conseguia se mover para se limparem.

Depois de um tempo, Levi olhou para o garoto abaixo dele. Seu rosto estava completamente vermelho e seu cabelo estava preso na testa. Seus olhos estavam bem apertados e seus lábios entreabertos. Era a visão mais intoxicante que Levi já tinha visto.

Ele não podia matá-lo e isso o incomodava pra caralho. Ele era o impiedoso rei que não poupava ninguém. Era para o pirralho ser um exemplo e ensinar à todos as consequências de desafiar Levi! Ele tinha invadido seu território e merecia punição.

Mas, porra, ele tinha que admitir, esse pirralho tinha o impressionado. Sua força de vontade era forte e mesmo depois de ser espancado terrivelmente; sua determinação ainda estava presente em seus olhos. Eles tinham um fogo que Levi não via nem mesmo no seu homem mais leal. Ele não podia matar o pirralho, ele não sabia o que fazer.

Eren estava se recompondo e tentando descobrir o que acontecia agora. Ele não sabia se esses eram seus últimos momentos vivo, ou se ele ia ser mantido cativo. Para ele, tudo tinha sido sobre o certo e o errado. Pessoas que quebravam a lei tinham que ser punidas, mas ali estava ele, sendo fodido por um chefe da máfia. Eren sentia que as linhas do certo e errado estavam se embaralhando.

"Eren, você sabe que eu devo te matar."

"Sim, eu sei."

Eles se encararam por um longo tempo. Tudo que Levi tinha que fazer era pegar a arma e acabar com isso. Mas foda-se, ele estava no comando, se ele quisesse mudar as regras, ele desafiava alguém a questioná-lo.

"Eu não vou."

"O quê?"

"Eu não vou te matar."

"Eu te ouvi! Mas se não vai, então o que vai fazer comigo?"

Levi fez uma pausa antes de responder.

"Eu vou te deixar ir." Eren olhou para ele em completo choque. Isso não pode ser real.

"Mas tem condições."

Ok, Eren pensou. Faz sentido.

"Você não pode dizer a ninguém sobre onde eu estou ou como sou. Você tem que convencer todos de que foi espancado e deixado para morrer. E também se tiver alguém ligado a mim, você não pode prendê-lo."

"Levi, eu não posso fazer isso! Eu não posso deixar criminosos livres! É errado e as pessoas que merecem justiça?"

"Eren, é isso ou você morre. Na minha opinião, você morrer vai fazer mais mal do que bem. Você não pode tocar nos meus homens, mas os outros tudo bem. Eu li sobre você, você é bom no que faz. Se você morrer, quem vai resolver aqueles casos? Isso é o melhor que posso fazer. E se você escolher essas condições, você não poderá se arrepender."

Eren pensou demoradamente. Ele queria gritar e chorar, mas não podia. Tudo antes era ou preto ou branco, agora ele tinha sido sugado para um grande espaço cinza. Ele tinha trabalhado duro para que a justiça fosse feita e agora por causa de seus hormônios ele tinha que se decidir entre a morte ou abandonar seus ideais. Ele era insolentemente honrado e isso o mataria.

"Eren." Levi sussurrou suavemente. Ele viu as engrenagens girarem na cabeça de Eren. Ele sabia que isso estava matando o pirralho e, na sua cabeça egoísta, ele rezava para Eren seguir suas ordens.

Eren olhou para Levi com lágrimas que ameaçavam cair. Durante a conversa, Levi de alguma forma tinha puxado Eren para seu colo, com as pernas de Eren de um lado e com sua cabeça descansando no peito de Levi. Quando ele olhou para Levi, ele foi rapidamente puxado para um beijo. Mas esse foi diferente, Eren sentiu possessividade no beijo. Apesar da situação, ele se derreteu todo. Ele se perguntou o que aconteceria se ele decidisse viver. Ele veria Levi de novo? Talvez o sexo estivesse nublando sua cabeça, ninguém tinha tido tanto efeito no seu corpo assim antes.

Levi se afastou levemente com seus lábios ainda se tocando.

"Viva, Eren." Ele ordenou suavemente.

"Ok." Eren soou derrotado. Ele era teimoso e geralmente nunca se rendia a ninguém a menos que força bruta fosse usada. Contudo, ele se achou submetendo-se a Levi.

Levi capturou Eren em um outro beijo. Esse foi mais profundo, mais desesperado. Seus braços estavam envolvidos apertadamente um no outro, dificultando se algum deles quisesse se afastar. Quando se separaram, Levi decidiu que tinha que fazer algo ou Eren se arrependeria disso para sempre. Ainda envolvidos um no outro Levi disse, "Se algo acontecer à você, eu vou cuidar de você. E se você precisar de alguma coisa, eu vou cuidar de você."

"Eu posso me virar sozinho muito bem."

"Pense sobre onde você está, moleque e cale a boca."

"Levi."

"Sim?"

"O que acontece depois disso? Depois de eu ir?"

Levi sabia o que ele queria dizer. Eren aparentava ser forte, mas ele não sabia se ele suportaria esse tipo de pressão. E ele também não queria ele com mais ninguém, aquele rosto corado de prazer era uma coisa que Levi não queria que outra alma visse. Eren decidiu que se ele iria para o inferno por ir contra tudo que ele acreditava, então ele devia ir até o fim. As únicas coisas que ele sabia sobre Levi era o que tinha no seu arquivo. Ele também tinha ouvido sobre sua reputação, mas não batia com o que eles tinham acabado de fazer. O que ele estava fazendo era perigoso. Mas se ele ia quebrar a lei, então ele devia ter algo por que esperar. Ele não sabia o que ia acontecer no futuro, mas ele não iria pensar mais nisso senão ele iria se arrepender.

"Como eu disse, seu idiota. Eu vou tomar conta de você." Não foram ditas mais palavras quando Levi puxou Eren para outro beijo e o deitou no chão. Quando Eren começou a rebolar contra Levi, os pensamentos voaram pela janela. Eren envolveu as pernas ao redor da cintura de Levi enquanto Levi se enfiava dentro dele lentamente. Nenhum deles entendeu completamente porque as emoções estavam tão altas ou porque dessa vez tinha sido quase amoroso, não era do feitio deles mas foi bom.

Enquanto eles lentamente se moviam um contra o outro em direção a outro clímax, Eren decidiu que se ele não pudesse prender os homens de Levi, então ele trabalharia duas vezes mais para capturar qualquer outro criminoso lá fora. Levi decidiu que iria cuidar desse Eren Jaeger e nomear esses sentimentos estranhos que estava percorrendo por eles.

E esse foi o começo de um romance proibido.


Espero que tenham gostado. Reviews são mais que bem-vindas.

Até o próximo capítulo.