Primeira fanfic depois de um boooom tempo, haha~ espero que gostem!

Essa é uma história que segue como uma continuação do manga/brotherhood, sim?

Não é muito focada em couples, visto que tem uma história que sequer dá muita condição para que eles fiquem no mesmo lugar ao mesmo tempo LOL~ mas teremos alguns momentos, hehe.

Boa leitura!


PRÓLOGO

Edward Elric parecia se acostumar com a ausência da alquimia em sua vida – ou, pelo menos, ele estava tentando.

"Não, o mundo não é só feito de alquimia", ele costumava dizer após alguns minutos de contemplação; olhos fixos no horizonte, que parecia esconder uma infinidade de coisas de seus sentidos; nos momentos nos quais ele reencontrava os amigos que havia feito durante a jornada com Al; as viagens para o exterior; os dias em que ele acordava e sentia o corpo quente de Winry contra o seu.

Sim, o verdadeiro começo do mundo estava muito além de círculos de transmutação, portas da Verdade ou um fluxo de energia disforme que flui por toda a parte do universo. Muito maior que fórmulas químicas, grandezas escalares ou vetoriais. Os feitos de uma pessoa entre seu nascimento e sua morte não eram as únicas coisas que realmente importavam; era apenas uma ínfima parte do conjunto que coisas que moldam o mundo.

Nada disso, porém, era motivo para que Ed não se sentisse estranho. O fato era que todas as coisas que ele e Al teriam feito por Amestris, junto de companheiros e da própria alquimia, nada mais se tornavam além de lendas do passado. Talvez ele não fosse mais um prodígio, não sendo mais capaz de usar aquele poder imensurável para obter o que busca.

De qualquer forma, isso não o fazia deixar de ser Edward Elric. O mundo não era feito apenas de alquimia, e a alquimia não era o suficiente para fazer um ser humano.

E esse conjunto de fatos, em suma, não fazia com que Ed se incomodasse totalmente com aquela nova realidade; muito pelo contrário, ele ganhara mais confiança do que nunca para seguir em frente.

Assim como Alphonse, Edward viajou por muitos países, conheceu muitas culturas e pensamentos que, muitas vezes, entravam em confronto com os seus próprios. Ele obteve novas pesquisas, para seu próprio prazer; e o desenrolar de suas novas descobertas lhe rendia certo trabalho de vez em quando.

Depois de mais alguns anos de viagens, pesquisas e fervorosos debates entre os irmãos Elric, o que poderia estar permeando os pensamentos dos dois rapazes depois de todo o conhecimento obtido? De fato, eles tinham uma série de novas coisas para imaginar a respeito do mundo e da própria alquimia.

Novas notícias a respeito de Drachma comprovavam tudo aquilo que Edward e Alphonse vinham descobrindo e colocavam todos diante de uma grande discussão. O militarizado império do Norte nunca deixara de representar uma ameaça para Amestris, principalmente após os recentes relatos a respeito das armas desenvolvidas naquela região. Era algo estranho, porém muito bem conhecido pelos militares amestrinos.

Quimeras.

Quimeras não soam como verdadeiras ameaças a Amestris, mas a maneira desenvolvida pelo Norte para a criação e treino dessas criaturas era algo que beirava o absurdo. A princípio, parecia um problema sem solução e totalmente desconhecido – e os relatos de que uma criatura híbrida estaria perambulando pelas vielas da Central não ajudavam a acalmar os ânimos.

Um novo problema estava para começar.