Desejo concedido

Gina olhou novamente seu relógio,nervosa.Mas estava nervosa por quê?Por causa dele,sempre ele.O que fazia ali?Por que estava ali?Ah sim,lembrou-se,novamente por causa dele.

Nos últimos tempos,seu modo de agir e pensar rodava em torno dele,sempre ele.As mentiras que inventava ao seu irmão,por ele.As fugas noturnas,como essa,por causa dele.Agora cá estava ela,no meio da madrugada na beira do lago de Hogwarts,com o frio de inverno fazendo seu corpo de dezesseis anos tremer,esperando por ele.

Havia recebido uma carta pela manhã,pedindo por esse encontro,pois no dia seguinte seria a partida dos alunos para as férias de inverno,e ela iria para casa com a sua família,assim como a maioria dos alunos da Grifinória,incluindo Harry.

Desde que destruiu Voldemort,definitivamente,em seu quarto ano,no final do torneio Tri-Bruxo,no duelo do cemitério,Harry mora com o padrinho,que fora inocentado.Mas o que a fazia estar lá não era Harry,mas sim um outro rapaz que está fazendo seu corpo tremer,de uns tempos para cá,só com um simples pensamento.

Mas como isso havia começado?Uma detenção,uma maldita ou bendita,detenção.Entraram em contradição no meio do corredor e foram punidos por isso.A partir daquele dia,ele tomara gosto em irritá-la,apenas para metê-los em mais detenções.Por isso,tanto tempo de convivência diminuiu a animosidade e a transformou em amizade,uma amizade proibida.Nunca que permitiriam um Malfoy ter qualquer tipo de relação com uma Weasley.

-Virginia!-A voz,que fazia as suas mãos suarem frio,cada vez que a ouvia,soou atrás dela.A ruiva virou-se e deparou com um Draco sorridente,sorrisos esses que ele apenas dirigia a ela.

-Está atrasado.-Ela o repreendeu.

-Desculpe.-Draco fez um biquinho,extremamente falso,que a fez desconcertar.

A ruiva o olhou,tentando se desculpar,coisa que não era do feitio dele,e sorriu um pouco.À medida que o tempo passava,as lembranças de uma história não escrita,ou sonhos,pois era o que pareciam,sonhos,se esvaíam.

Lembrou-se do dia em que acordou em seu dormitório,em seu quarto ano,com a sensação de que não era para estar lá.De como,de repente,sonhos estranhos começaram a surgir em seu sono,e que quando viajou nas férias de verão passadas,com sua amiga Kari,para o Japão,encontrou o misterioso avô da menina,que incrivelmente sabia sobre esses sonhos.O homem explicara que as imagens que Gina via,a morte de Draco,sua captura por ele,uma guerra que nunca chegou a acontecer,mas que ele dissera que aconteceria se não fosse por ela,eram partes de uma história modificada,modificada por ela.A jovem ficou intrigada quando o velho bruxo lhe dissera aquilo.A guerra não aconteceu,por ela?Mas ela não havia feito nada,dissera a ele.Mas esse apenas lhe sorriu e retrucou,dizendo que ela havia feito muito.Ela havia sido egoísta,egoísta em nome do mais forte dos sentimentos.

O bruxo,misteriosamente,também sabia das provocações e detenções que pegara com Draco.Quando comentou isso a ela,a jovem fez uma carranca o que fez o homem sorrir e dizer,com todas as letras: "Os espíritos lhe deram outra chance,aproveite".Gina não entendera nada,pois quanto mais conversava com o velho bruxo,menos o entendia.Mas a palavras de que ela estava recebendo uma segunda chance,ficaram gravadas em sua mente e em seu coração.E foi isso que a fez mudar as suas atitudes para com Draco.

-Gina!Gina!-Draco a chamou,a tirando de seus devaneios.

-O quê?

-Você entrou em transe,garota.Sei que sou gostoso e tudo mais,mas não precisa ficar fora do ar cada vez que me vê.-Ele sorriu,desdenhoso,e Gina carranqueou.Gostava de Draco,sim,mas às vezes ele era irritante.

-Você é impossível,me chamou aqui,no meio do frio,para poder me chatear?

-Está com frio?-Ele sorriu maliciosamente.-Eu posso te aquecer.

Gina ruborizou,além de ser irritante às vezes,outras vezes ele soltava uma dessas provocações que a deixava sem ação.E isso foi se intensificando de uns tempos para cá.

-Malfoy...-Ela falou,com um tom letal na voz.O sorriso de Draco sumiu,sabia que quando ela falava assim era porque a sua pouca paciência estava se esgotando.-...diga logo o que quer.

-Nossa...-Ele fez uma expressão ofendida.-...eu te chamo aqui para lhe entregar meu presente de Natal,com todo amor e carinho...

-Amor e carinho?-A ruiva ergueu uma sobrancelha,descrente.Podiam até ser amigos,mais jamais ele demonstrou algum tipo de afeição profunda.Era como ir contra a sua natureza.

Draco observou a expressão da jovem e sentiu um pequeno aperto no coração.Quando reparou em Gina pela primeira vez,o que fora anos depois que ela entrara no colégio,notara que a garota era diferente dos irmãos.Ela parecia ser mais calada e retraída,e isso chamara a sua atenção.Não tinha graça bater de frente com os Weasley,se um deles nem se importava se ele existia ou não.Foi quando ele parou de provocar o Rony e procurou um outro alvo,Gina.Quando decidiu fazer a sua primeira investida,esperava como resposta da menina,uma crise de choro por tê-la ofendido e que ela corresse para os braços dos irmãos a procura de apoio.Qual foi a sua surpresa,quando viu aquele rosto calmo ficar vermelho de fúria e ela descontar uma raiva,que fazia seu corpo pequeno parecer maior,em cima dele diante de tal insulto.Vendo tal reação repentina,Draco percebera que seria bem divertido irritá-la,mesmo que isso lhe acarretasse imensas detenções,como acontecera na primeira vez em que se desentenderam.

Porém,com o tempo,ele começara a apreciar a companhia da jovem,e as provocações foram um meio que ele encontrou de estar perto dela,sem levantar suspeitas.E quando ela voltara diferente das férias passadas,o tratando de maneira amistosa,ele percebeu que não precisaria mais arranjar desculpas para estar perto dela.Sentir a textura suave de sua pele,cada vez que a tocava,quando tentava provocá-la.O cheiro do perfume que emanava de seu corpo,ou ver o sorriso luminoso que ela lhe dirigia.Tudo que precisava fazer,agora,era arrumar um meio de conquistar seu coração.Sim,estava apaixonado,e até diria que era a primeira vez que o suposto coração de gelo batia mais forte por alguém,mas algo em seu interior o dizia que já havia sentido isso antes,algo em seu interior o dizia que sempre estivera apaixonado por Gina,antes mesmo de conhecê-la realmente.Mas e ela?A jovem ainda devia acreditar que ele não possuía sentimentos,e só de pensar nessa possibilidade,tirava todas as suas esperanças de ter algo com ela.

-Isso mesmo.-Ele respondeu,com um sorriso,estendendo uma caixa para ela.Gina pegou o embrulho e o olhou,hesitante em dar o próximo passo.

-Não vai explodir.-Draco falou,quando percebeu que ela não abria o presente.-Garanto.-Ele sorriu,um sorriso maroto.

Ainda desconfiada,Gina abriu o embrulho e encontrou dentro dele uma caixa de veludo,vermelha,que na tampa possuía as iniciais de seu nome,bordados com fios de ouro.

-Draco...-Ela sussurrou.

-Sei que está impressionada,mas isso é só a caixa.O presente está dentro.-Disse divertido,com a cara que ela fez,diante da bela caixa.

-Eu sei,seu idiota!

-Ai Virginia,isso me magoou.-Ele fez uma expressão ferida,mas que não convenceu a garota.

-Sei.-Gina abriu a caixa,para encontrar um pelo par de pulseiras,onde a corrente era prata e a pedra,que complementava o acessório,era vermelha.Um deja vu abateu a garota,como se já houvesse visto aquele tipo de jóia em outro lugar.

-Isso...-Draco começou,cautelosamente.-...é o amuleto das almas.

-Amuleto das Almas?

-É!Um tipo de amuleto oriental.Amuleto Tamashii,acho que esse era o nome.Consegui de um comerciante oriental,no Beco Diagonal.

-Por que...por que você está me dando isso?Ele tem algum significado?Porque quando eu estive no Japão,com uma amiga,eu aprendi que lá tudo tem história e significado.

-Ah...bem...-Draco virou o rosto,para esconder o rubor.-...é que...

Gina estranhou essa reação.Não conhecia Draco há muito tempo,mas sabia que ficar envergonhado e gaguejar não era do feitio do garoto.

-Esses dois Amuletos foram feitos para proteção...proteção do...-O jovem engasgou.

-Proteção do?

-Do amor.-Draco falou tão baixo,que a ruiva quase não o ouviu.

Gina alargou um pouco os olhos e soltou um "Ah" quase inaudível,e voltou a encarar as duas pulseiras.

-E...por que tem duas?

-Bem...-Draco ainda não olhava para a garota.-...uma é para você e a outra é para a pessoa que você...que você...amar.Isso protegerá o amor de vocês de qualquer adversidade.Claro que eu não acredito nessa bobagem...-Virou-se para ela,mudando totalmente de assunto,tentando escapar dessa situação constrangedora.-...mas como eu achei a jóia bonita,e o homem não vendia separadamente,resolvi comprar para você.

-Draco...eu...eu não sei o que dizer.E eu ainda não comprei nada para você.-Ela abaixou os olhos,envergonhada.

-Não precisa...você já me deu muito.-Ele sussurrou.Gina levantou os olhos o fitando.Viu os orbes acinzentados perderem as expressões frias e tornarem-se mais calorosos,como se tentassem,pela primeira vez,refletir o coração do sonserino.

-Eu...-A ruiva sentiu que precisava de alguma maneira retribuir o gesto dele,e em um ato impensado segurou seu rosto e beijou seus lábios.Draco,sem saber muito como reagir a aquele ataque repentino,retribuiu o beijo com todo o amor que estava guardado há tempos em seu coração.Gina espantou-se com isso,vendo que ele retornava o beijo de forma apaixonada,percebeu que conseguira conquistar o coração do rapaz,que começara a amar desde a primeira discussão que tiveram.

Quando se separaram,ela lhe sorriu afetuosamente e abriu novamente a caixa,tirando de lá uma das pulseiras.Estendeu a jóia a Draco,que a fitou,intrigado.

-O quê...?

-Disse que eu deveria dar uma das pulseiras a quem eu amava...então...-Ela sorriu mais ainda.Draco sorriu de volta e segurando na mão estendida,a puxou para outro beijo.

Em uma outra ilha,sentado em seu templo,um velho bruxo observava,dentro de uma velha bacia de água,mágica,a interação dos dois jovens.E ficou feliz ao saber que seu amuleto protegeria o amor daqueles dois.Olhou para o lado,ainda sorrido,e mirou a caixa,onde dois outros amuletos,de pedra verde,jaziam.Uma inscrição surgiu em dourado dentro das pedras,e tão rápido quanto veio,foi.O homem fechou a caixa e a guardou,saindo do templo,murmurando as palavras que surgiram no amuleto.

"Desejo concedido".

Fim

NA:Obrigado a todos que leram essa fic e gostaram.Aos elogios.

A Ligia que foi declarada a minha cobaia oficial,e que quase me matou quando eu fiz o que fiz com o Draco,mas como seu sei que ela adora um drama,estou perdoada.Beijos a todos a até a próxima fic.