Estava frio.

"E por que você acha isso?"

"Bem... é apenas um palpite. Mas mesmo que eu esteja errado, acho que vale a pena investigar."

"Stork, não está sendo paranóico de novo?"

Ele sorriu. "É, talvez. Mas minha paranóia nos manteve vivos muitas vezes."

Ela suspirou. "Tudo bem, vamos seguir o seu plano então."

"Eu pensei que diria isso." Stork preparou os motores.

Piper descruzou os braços e seguiu em direção ao corredor.

Não muito longe, Finn estava recostado em uma parede de metal. "Nenhuma notícia ainda, P?

"Nada."

"Que idiota. Eu deveria ter ido com ele. Ou ao menos você."

Silêncio.

"Finn..." Ela disse em voz baixa. E então, desistiu. Ela não sabia o que dizer.

As ordens eram claras. Aerrow iria investigar sozinho. A equipe deveria permanecer fora de vista, no mesmo lugar.

A Condor estava atrás de uma pedra grande. Não era o melhor lugar do mundo, mas fora o melhor encontrado as pressas.

Finn ainda questionou, como sempre 'E se você não voltar?' Mas, afirmou que voltaria. E todos acreditaram nisso.

Afinal, ele sempre volta.

"Sair daqui apenas em caso de emergência." Finn pronunciou as mesmas palavras que seu líder dissera.

"Sim."

Mas era uma emergência.

Duas semanas se passaram desde que Aerrow havia deixado a Condor.
E por mais insistente e 'destemido' que ele fosse, ele não era imortal.
Não tinha suprimentos o suficiente para tanto tempo com ele. E eles estavam em uma terra estranha. Seria extremamente perigoso encontrar alimento em um lugar que não se conhecia nada.

"Vamos atrás dele. Stork acha melhor parar a nave em outro lugar. E de lá eu vou começar a procurá-lo."

"Sozinha?" Ele perguntou mais alerta.

"Sim."

"Piper, não."

Ela suspirou cansada.

"Você sabe que eu preciso ir."

"Eu concordo que precisamos ir atrás dele. Mas, Piper, ele foi sozinho e não voltou. Não posso deixar que faça o mesmo."

"Eu vou encontrar ele, Finn. Vamos voltar para a Condor a salvo."

Eles se olharam cansados pelo que pareceu uma eternidade.

A essa altura, todos estavam cansados. Noites mal dormidas, sensação de impotência, preocupação.
As coisas deram muito errado no início da guerra. E muito certo no fim.

Mas Cyclonis havia escapado.

E agora eles estavam em uma terra que nunca haviam pisado antes. Sem alimento o suficiente para sobreviver por muito mais tempo e sem seu Líder.

"Como está se sentindo?" Ele perguntou.

"Estou bem, Finn. Não tive mais problemas desde a vinculação."

"Bom." Ele se virou e começou a caminhar devagar para a ponte. "Se precisar de algo, me avise."

"Obrigada."

A verdade é que, muito aconteceu em duas semanas.

A ficha caiu.

Eles quase viraram escravos. Quase morreram. E agora estavam sem saber como prosseguir.

Eles precisavam se unir, mais do que nunca. E todos sabiam disso.
Não era mais uma brincadeira.
Deixou de ser divertido a muito tempo.

Entrando em seu quarto, Piper começou a preparar sua bolsa de viagem.

Seria imprudente sair sem se alimentar ou descansar. Afinal, ela poderia demorar bastante tempo. Mas não conseguiu se imaginar dormindo naquele momento. Com toda aquela preocupação.

Depois que a ligação entre ela e Aerrow fora estabelecida, parecia que algo havia mudado. É como se causasse dano físico não saber se ele estava bem.

Ela tentou entender o significado disso, mas em sua coleção não muito extensa de livros, não tinha nada sobre isso. A única pista que teve, em todo esse tempo, foram as palavras da própria Cyclonis.

Ela corou um pouco ao se lembrar desse dia. Da preocupação nos olhos dele. E da discussão que tiveram em seguida.

Ela não queria acreditar na possibilidade dele ter morrido. Ela não queria pensar nisso.

Se algo tivesse acontecido com ele, ela saberia, não é? Sentiria algo diferente?
Uma ligação como essa seria profunda a esse ponto?

Ela tinha tantas perguntas. E era frustrante não saber se algum dia teria respostas.

Ela colocou a mão no peito. E fechou os olhos.

Quando o rádio fez um chiado alto, e a voz de Stork saiu aos gritos

"Acho que estou vendo ele!"

Ela abriu os olhos, e foi imediatamente em direção a ponte.

Por favor, seja verdade.

Por favor, esteja bem.

"Stork! O que você viu?!" Ela gritou entrando na ponte. Finn estava observando pelo vidro.

Ela se juntou a ele, mas não conseguiu ver nada.

"Piper." Stork chamou, para que ela pudesse olhar pela luneta. Ele ajustou para onde ele achava que Aerrow estava e deu espaço para ela olhar.

A skymmer de Aerrow. Estava vindo em direção a nave.

"Stork, abre o Hangar." Disse apontando para o painel de controle.

"É ele?! Deixa eu ver." Disse Finn puxando a luneta.