Capítulo 38

Minha Vida em Minhas Mãos

Ela não tinha aparecido no Natal,como a um ano atrás.Desde que eles tinham recebido a carta da escola avisando que ela havia sofrido um acidente,nunca mais tiveram notícia da garota.Porém,Amélia sabia que ela teria que aparecer,mais cedo ou mais tarde e enfrentar o seu futuro.E era por isso que estava,agora,no lado trouxa da estação King's Cross,no final de mais um ano letivo,observando as crianças e jovens atravessarem a barreira da estação indo de volta aos seus lares.E foi durante essa observação calada que ela viu um garoto vir em sua direção.

-Sra.Winford?-Keith parou em frente à mulher,que o olhou de uma maneira irritantemente superior.

-Sim?

-Dallas mandou isso para você.-Entregou a mulher uma pequena caixa e saiu de perto dela,empurrando o seu malão em direção aos seus pais.Amélia olhou para o pacote e o abriu bruscamente,sob os olhares atentos de Monty e Albert,que a acompanhavam.Dentro da caixa ela encontrou uma pequena medalha que dizia : Ordem de Merlin,3ª Classe.E junto a medalha uma carta,a qual ela começou a ler em voz alta para os seus acompanhantes.

Queridos grandmère e papai

Se vocês estão recebendo essa carta isso significa que eu não estou passando pela barreira de King's Cross como era o esperado.Na verdade,no momento,estou levando o meu malão para o apartamento de um rapaz.Um rapaz que eu conheci durante os melhores,mais conflitantes,dolorosos e felizes anos de minha vida.Estou levando meus pertences,minha alma,meu coração e meu corpo para junto daquele que eu amo.Creio que depois de ler isso grandmère deve estar tendo um ataque,mas eu não me importo.Não agora.Poderia me importar no passado,mas Hogwarts me ensinou muito mais do que magia.A Sonserina me ensinou muito mais do que responder a ofensas.Meus amigos me ensinaram a sorrir e a acreditar em algo.Esses últimos sete anos foram mais intensos do que todos os onze que eu vivi sob o teto e o nome Winford.Porque eu os vivi em liberdade.Eu fazia as minhas escolhas e sofria as conseqüências delas,cabendo a mim o arrependimento ou não.Diferente do que a sra.Amélia Winford fez comigo quando assinou aquele contrato de casamento em meu nome.Pois bem,cara vovó,pode voltar aos Haliwell e dizer que está cancelado o contrato.Dê a eles essa medalha como lembrança de minha pessoa,ou a venda,como você fez comigo.A decisão é sua.

Termino essa carta dizendo que: papai,obrigada por tudo.Pelo apoio,pelos conselhos,por ser um pai maravilhoso.Monty,sentirei muito a sua falta.Você sempre será o meu melhor e mais estimado amigo e,grandmère,a você eu digo apenas adeus.Finalmente eu posso suspirar aliviada,olhando o sol se pôr por detrás dos montes do vilarejo semi reconstruído de Hogsmeade e dizer com orgulho que eu tenho a minha vida,pela primeira vez e para sempre,em minhas mãos.

Amor,apenas Dallas

Não é preciso dizer que a sra.Winford não ficou nada feliz ao ler a carta e ter que dizer aos Haliwell que o contrato estava cancelado.Ou ter que justificar aos jornais e revistas o motivo do desaparecimento de sua neta,tentando a todo custo encobrir a vergonha que a jovem a fez passar.E foi essa vergonha e o orgulho ferido que fez a mulher declarar a imprensa que,para ela,sua neta estava oficialmente morta.E foi esse orgulho que a impediu de,dois anos mais tarde,quando a limusine da família parou em um cruzamento nas ruas de Londres em uma noite estrelada de primavera,olhar janela afora para o singelo restaurante italiano na esquina e que parecia estar em festa,comemorando o noivado de uma bela jovem de cabelos castanho mel e olhos violetas,com um rapaz de negros cabelos rebeldes e olhos verdes vivos.

O mesmo orgulho ferido a fez ficar cega diante do fato de que,um ano mais tarde,depois do interlúdio de Londres,essa mesma jovem gritava ao topo dos pulmões na cama de um hospital,com o mesmo homem ao seu lado lhe apoiando,enquanto um  jovem médico novamente a ajudava a trazer a vida ao mundo.Mas não a vida dela.A vida,a conseqüência de suas decisões e escolhas,de seu filho.

Dallas recolheu o pequeno ser em seus braços,enquanto olhava admirada aquela criatura tão pequena e tão frágil,mas ao mesmo tempo parecendo ser tão forte.A força,o alicerce daqueles jovens pais.Ao seu lado,Harry lhe sorria ternamente enquanto afagava os poucos cabelos negros do bebê e dava um abraço na mulher ao seu lado.Tantas coisas haviam passado juntos.Choraram,riram,brigaram,viram os seus amigos e conhecidos sofrerem.Perderam entes queridos,sentiram-se excluídos do mundo e diferentes.Diferentes para os outros,iguais para si.Isso os uniu,os fez se perderem em meio a turbilhões,e os fez se reencontrarem.Cada um conseguiu atingir a sua meta.Dallas conquistou o amor de sua vida e a liberdade…

-Que nome vamos dar a ele?

…Harry conseguiu preservar a inocência que tanto lhe acalmava o coração,dentro daquela mulher.

-Evan.

E conseguiu a prometida paz que queria para a nova geração que estava por vir.Para aquela pequena criatura que dormia tranqüilo nos braços quentes da mãe.O novo herdeiro dos Potter,o último herdeiro dos Winford.Uma criança que,infelizmente,por causa de seu orgulho,sra.Winford pode nunca chegar a conhecer.

Kanashimi mo itami mo

Furikiru you ni habataku

Anata ga kureta tsubasa wo

Kono mune ni hirogete

I feel your love reflection

Mitsumekaesu hitomi ni Egaite haruka na Neverending Story

Como se estivesse me livrando da tristeza e dor

Eu bato as minhas asas

E em meu coração,eu vôo rapidamente

As asas da coragem que você me deu

Eu sinto o seu amor refletido

Nos seus olhos quando olham dentro dos meus

Escrevendo uma distante,interminável história

White Reflection

Fim

Agradecimentos:

Eu estou surpresa, sim eu confesso, eu estou muito surpresa.Nunca recebi tanto retorno em nenhuma de minhas fics em todos os meus anos de carreira (nossa estou falando como uma profissional, estou começando a assustar a mim mesma J ), porém ao mesmo tempo em que estou surpresa eu estou lisonjeada e feliz. Feliz em saber que um trabalho de longos seis meses resultou em uma aceitação tão boa dos leitores.Por que eu estou dizendo isso? Porque eu sou leitora, e eu sei que personagens originais nunca caem facilmente nas graças das pessoas.

Eu me lembro que, quando eu criei a Dallas e a apresentei a Ligia, a primeira coisa que a Li me perguntou era: "o que ela faz de especial?". E eu disse: "nada, ela é apenas uma bruxa nascida trouxa". Mas à medida que a fic foi se desenvolvendo, a Ligia me disse que a Dallas, apesar de não parecer, tinha sim algo de especial, por simplesmente ser quem ela era. E eu fico feliz. Fico feliz que a minha garotinha desajeitada e tolamente apaixonada tenha agradado a todos. Nunca fui de escrever agradecimentos em fim de fics, mas Entre Extremos é especial. Foi o trabalho mais longo e mais divertido que eu fiz, e confesso que ele tornou-se o meu xodó. Agora paremos com as palavras difíceis e vamos ao que interessa.

Eu agradeceria leitor por leitor, mas tenho medo de esquecer alguém e ser injusta. Por isso farei um agradecimento em geral, pois aqueles que leram e comentaram, ou apenas leram e apreciaram, sabem que eu estou falando deles.

Gostaria também de lamentar aos fundadores do clube "Dallas & Davon" J, pois não tiveram o casal que queriam. Sinto muito, mas quando formulei EE na minha cabeça, já tinha previsto que Dallas ao menos teria alguma coisa com Harry, ou terminaria com ele. Confesso que Davon apenas seria o garoto chato que chamava a "heroína" de sangue – ruim, e vivia para atormentá-la. Porém, parece que ele tornou-se o coadjuvante que aparece pouco no filme, mas brilha e acaba levando um Oscar por isso. E não, Ligia, não o darei de presente para você.

Também quero agradecer a Ligia e a Mayra (Den-chan), minha cobaia e musa, por elas terem lido e comentado, me dizendo o que estava bom e o que não estava. Por terem agüentado eu enchendo o saco perguntando o que fazer. Por terem me dado sugestões e opiniões.Obrigada também a Juliana e suas sugestões, que também foram muito úteis. Tornou-se a minha musa interina.

Valeu mesmo gente, nos vemos nos próximos trabalhos.

Obs: E a aqueles que perguntarem, eu prometo que estou fazendo o máximo para jogar "A Profecia de Réia" de volta ao ar.Não esqueci dessa fic não, okay.

Beijos, Daphne.