Nota da Autora: Por favor, Leiam a bendita nota!

Apesar dos primeiros capítulos fazerem parecer o contrário esta será uma fic InuYasha / Kagome, mas ao contrário de tudo que já fiz, Kikyou terá uma aparição maior. Logo isso vai acabar, porque apesar de eu não ter nada contra Kikyou, eu ainda acho que o casal deve ser Inu/Kag. Espero que gostem e que não desistam de ler apenas por causa do começo.

Não esqueçam de deixar sua opinião!

Kissus e ja ne,

Naru

Sumário –( U.A.) InuYasha é um cantor passando por alguns problemas. Primeiro tendo que lidar com uma namorada ciumenta que o trai o que o deixa desiludido quanto a acreditar nas mulheres novamente. Até que ele é forçado a conviver com uma garota que vai fingir ser sua namorada...


Uma Canção para a Eternidade

Música – Everywhere (Michelle Branch)

Fanfic – Naru L

Disclaimer – InuYasha & Cia. Não me pertence. Assim como nenhuma das músicas utilizadas nesse fanfic.


Turn it inside out so I can see–uh
The part of you that's drifting over me–uh
And when I wake you're––you're never there
But when I sleep you're––you're everywhere
You're everywhere

(Vire tudo ao contrário para que eu possa ver–uh

Aquela parte sua que está pairando perto de mim–uh

Quando eu acordo você – você nunca está l

Mas, quando eu durmo você – você está em todo lugar

Você está em todo lugar)

Uma garota de cabelos negros e lisos que iam até a cintura, parou na porta da sala do pequeno apartamento.

– O almoço está pronto. – Ela olhou para o rapaz de cabelos prateados que estava sentado no sofá distraído com o violão no colo e fazendo algumas anotações em uma folha esperando que ele a notasse, depois de alguns minutos viu que seria em vão e resolveu chamá–lo – InuYasha?

O rapaz pareceu não ouvi–la, concentrado em tocar algumas notas e fazer anotações. A garota estreitou os olhos castanhos enquanto aproximava–se dele, colocou a mão em seu ombro e revirou os olhos quando o viu olhar para ela espantado.

– O que foi Kikyou? – InuYasha olhou para a garota parada a seu lado que não parecia nem um pouco satisfeita por ter sido ignorada novamente – Você precisa de algo?

– Será que você pode largar esse maldito violão e vir almoçar?

– Não sabia que estava pronto... – InuYasha colocou os papéis e o violão no sofá e levantou.

– Saberia se prestasse atenção no que digo! – Sem esperar resposta, Kikyou se virou voltando para a cozinha – Mas, não é só pegar esse violão e você se esquece do resto do mundo!

– Você sabe que tenho que entregar isso hoje para os rapazes... – InuYasha explicou seguindo–a – Depois disso, eu serei todo seu. – Completou sorrindo.

– Como se eu não o conhecesse... – Kikyou puxou uma cadeira e sentou, continuou com a expressão séria – Depois disso você vai mergulhar em outra música.

– Eles contam comigo para escrevê–las e me pagam pelo trabalho. – InuYasha falou puxando a cadeira em frente à dela e sentando.

– Não é o suficiente para pagar as contas no fim do mês! – Kikyou falou ríspida – Não sei porque não arruma um emprego de verdade! – viu a expressão magoada no rosto dele e se arrependeu. Estendeu a mão sobre a mesa até tocar a dele – Vamos esquecer disso por enquanto e comer sossegados...

– Por mim tudo bem... – InuYasha se afastou do toque dela – Mas, não tenho muito tempo... tenho que terminar aquela música logo! – Estendeu a mão e começou a se servir.

– InuYasha, eu...

– Pensei que queria que comêssemos em paz! – Ele a interrompeu, continuou a comer sem desviar os olhos do prato.

Just tell me how I got this far
Just tell me why you're here and who you are
'Cause every time I look
You're never there
And every time I sleep
You're always there

(Apenas me diga como eu cheguei tão longe

Apenas me diga por que está aqui e quem você

Porque toda vez que olho

Você nunca está l

Mas, toda vez que durmo

Você está sempre lá)

Kikyou olhou para ele sem se mover, baixou a cabeça triste por tê–lo magoado novamente. Sabia o quanto à música era importante para ele, mas queria um pouco de atenção também.

– Gomen nasai, InuYasha.

– Pelo que?

– Por ter dito que você deveria procurar um emprego de verdade... – Kikyou levantou a cabeça e olhou para o rosto, agora impassível dele –... Eu sei como isso é importante para você...

– Tudo bem, eu não me importo.

– Mentiroso! Eu sei que você fica magoado quando eu falo essas coisas... Gomen ne, eu só queria que você me desse um pouco mais de atenção.

– Eu saí da banda por você... – InuYasha soltou os talheres sobre a mesa e afastou o prato –... Não me peça mais que isso.

– Eu sei que você fez isso por mim, mas... – Kikyou suspirou estendendo a mão para ele – Eu queria que você me dissesse o que sente...

– É difícil para mim também... – InuYasha entrelaçou os dedos nos dela – Toda vez que fala o que sente é para me criticar... Às vezes me pergunto por que continua comigo se minha presença a incomoda tanto.

– Se eu não o amasse tanto não ficaria ao seu lado...

– Se eu não a amasse não seria capaz de compor essas músicas que você odeia tanto... – InuYasha apertou a mão dela e sorriu – Eu não seria capaz de falar de amor se não o sentisse.

– Então, eu sou sua fonte de inspiração? – Kikyou perguntou sorrindo para ele.

– Você é minha musa. – InuYasha falou levando a mão dela aos lábios e beijando seus dedos – Nunca se esqueça de como é importante para mim.

– Também amo você, InuYasha.

Ele apenas sorriu, acariciando a mão dela mais uma vez antes de soltá–la.

– Eu tenho mesmo que terminar aquela música hoje. – InuYasha falou voltando a pegar os talheres – Se quiser pode ir comigo ao bar depois, os rapazes disseram que acharam uma garota para cantar junto com Naraku.

– Hai – Kikyou falou, começando a se servir – Talvez seja divertido. – completou tentando parecer animada com a idéia

oOoOoOoOoOoOo

'Cause you're everywhere to me
And when I close my eyes it's you I see
You're everything I know
That makes me believe
I'm not alone
I'm not alone

(Porque você está em todo lugar para mim

E quando fecho meus olhos é você que vejo

Você é tudo que conheço

Aquilo que me faz acreditar

Que não estou sozinha

Eu não estou sozinha)

InuYasha parou segurando a porta aberta e olhou curioso para Kikyou, quando ela não fez nenhum movimento para entrar.

– Está esperando que estendam um tapete vermelho ou algo do tipo? – Ele perguntou divertido, riu quando a viu corar e se apressar a entrar.

– Você é tão engraçado... – Kikyou resmungou, mas não pode evitar um pequeno sorriso quando a porta se fechou e o ambiente ficou mais escuro. Sentiu ele passar a mão em torno de sua cintura guiando–a pelo corredor até a parte iluminada.

– Inu, – Miroku foi o primeiro a vê–lo – Bom vê–lo de novo!

– Você está atrasado, irmãozinho! – Sesshoumaru disse sem tirar os olhos da guitarra em suas mãos.

– Eu sei... Estava terminando aquela música nova que me pediram...

– Isso não quer dizer que pode chegar à hora que quiser... – Naraku falou sentado em uma mesa perto do palco – Temos muito que fazer para esperar que sua majestade tenha a boa vontade de nos trazer nossas letras!

– Nada é seu, eu as escrevi!

– Se pagamos pelo que faz, passa a ser nosso!

– É sempre muito interessante vê–los discutir pelos mesmos motivos, mas... – Sesshoumaru interrompeu, sua expressão de tédio desmentia suas palavras –... Ainda temos que testar a garota nova.

– Não há necessidade de outro vocalista!

– A banda original tinha dois...– Miroku falou calmamente pelo que devia ser a décima vez naquele dia –...Com a saída de InuYasha...

– Ele era desnecessário desde o início!

– Se tem algo dispensável aqui é você!

– InuYasha... – Kikyou segurou o braço do namorado, impedindo–o de avançar contra Naraku –... Acalme–se. Não dê escândalos...

– Está bem... – olhou para a mão dela ainda em seu braço e depois para o rosto dela – Pode me soltar agora.

– Vou chamar a garota. – Miroku falou, dirigindo–se à parte de trás do palco. As outras quatro pessoas ficaram em um silêncio desconfortável até que se ouviu um grito feminino e o som de algo pesado caindo no chão – Gomen nasai eu...

– HENTAI! – Uma voz feminina gritou irritada – Se acha que vou fazer qualquer coisa para conseguir...

– Não é isso...Eu apenas...

– Afaste–se de mim!

– Eu acho que é melhor alguém ir salvar Miroku... – Kikyou falou olhando para os outros rapazes que pareceram nem piscar. Ela revirou os olhos e deu um passo em direção ao palco, parou quando InuYasha colocou a mão em seu braço.

– Ele está acostumado, não se preocupe.

– Mas, a garota está pensando que o comportamento... "Peculiar" de Miroku faz parte do teste e...

– Humano inútil! – Sesshoumaru falou antes de colocar a guitarra sobre um banco e ir resolver o problema – Sempre fazendo coisas que não deve!

– Agora quem vai salvar Miroku de seu irmão? – Kikyou perguntou para InuYasha que apenas riu e deu de ombros.

– Tenho certeza que Sesshoumaru não vai fazer nada de grave... – InuYasha falou subindo no palco, pegou a guitarra do irmão –... Ele nunca vai achar outro baterista em tão pouco tempo.

– Juro que não consigo entender vocês... – Kikyou falou, mas percebeu que InuYasha não prestava atenção nela enquanto tocava algumas notas. – InuYasha? – estreitou os olhos quando não obteve resposta e se afastou pisando duro.

I recognize the way you make me feel
It's hard to think that you might not be real
I sense it now, the water's getting deep
I try to wash the pain away from me
Away from me

(Eu reconheço os sentimentos que você desperta em mim

É difícil pensar que você pode não ser real

Eu sinto agora, a água ficando mais profunda

Eu tento lavar a dor de mim

Tirá–la de mim)

– Acho que você deveria dar mais atenção a sua garota ao invés de ficar de ficar sonhando com coisas que não são mais para você! – Naraku sorriu quando viu o outro rapaz lhe lançar um olhar irritado – Qual o problema? Ofendeu–se com a verdade?

– Preocupe–se com sua vida! – InuYasha quase gritou, olhou para Kikyou que caminhava para o bar e suspirou desanimado. Colocou a guitarra do irmão no lugar que estava e desceu do palco. Era melhor conversar com ela antes que as coisas piorassem. Ouviu barulho de vozes e se virou para ver seu irmão voltando puxando Miroku pelo colarinho, dando de ombros continuou a andar em direção a Kikyou.

– Por aqui Sangô–san... – Sesshoumaru falou mantendo Miroku afastado da garota que olhava para eles desconfiada. – Não precisa se preocupar, ele é inofensivo!

– Não sei não... – Sangô encostou–se à parede e cruzou os braços – ele nem me conhece e já foi me agarrando...

– Fique tranqüila... – Sesshoumaru levantou Miroku e olhou em seus olhos – Ele não vai mais fazer isso, não é?

– Foi sem querer... Eu realmente tropecei no degrau da sala e...

– Eu perguntei se você vai parar com esse comportamento pervertido perto da garota... – Sesshoumaru aproximou o rosto do dele e completou em voz baixa para que apenas Miroku ouvisse –... Concorde com o que eu digo ou não vai mais procurar mulher nenhuma! – soltou o rapaz que deu um passo para trás antes de se equilibrar.

– Ahm… bem… – Miroku falou arrumando a camisa – Eu realmente não tive intenção de ofendê–la Sangô–sama... e vou tentar me manter afastado.

– Muito bem, Miroku... Pode ir para o seu lugar agora... – Sesshoumaru olhou enquanto o rapaz se afastava em direção a bateria e virou para a garota parada sem saber para onde ir. Procurou por Naraku e suspirou quando percebeu que ele tinha sumido Esse infeliz está me dando mais trabalho do que vale , voltou os olhos para a garota – Você disse que toca algum instrumento...

– Piano e teclado, mas acho que vocês não precisam de mim para isso...

– Hai – apontou para o lugar que de Naraku e virou de costas para pegar a guitarra, estreitou os olhos ao perceber que estava numa posição diferente da que tinha deixado Maldito baka fingindo que não se importa por deixar a banda desviou os pensamentos de seu irmão – estamos em busca de um cantor... Baixou o tom de voz antes de completar –... Porque Kami sabe que minha paciência com o que temos está no fim...

– Disse alguma coisa?

– Nada... Só pensei alto. – olhou para a garota antes de continuar – Está familiarizada com nossas músicas?

– Algumas, não todas.

– Entendo... – continuou a olhar para a garota que não desviou os olhos dos seus – Se importa em dizer qual música vai cantar agora ou devemos esperar que os anjos nos digam?

– Sumimasen, eu pensei... – Sangô respondeu sem graça por não saber o que dizer, ela respirou fundo antes de continuar –... Que vocês me diriam o que cantar.

– Certo... – Sesshoumaru revirou os olhos pensando em sua sorte por a única pessoa que respondeu ao anúncio parecer ser tão cabeça oca quando os outros inúteis que ele já agüentava. – Vamos começar com algo simples...

oOoOoOoOoOoOo

'Cause you're everywhere to me
And when I close my eyes it's you I see
You're everything I know
That makes me believe
I'm not alone
I'm not alone

(Porque você está em todo lugar para mim

E quando fecho meus olhos é você que vejo

Você é tudo que conheço

Aquilo que me faz acreditar

Que não estou sozinha

Eu não estou sozinha)

InuYasha estreitou os olhos ao ver Kikyou se aproximar do bar e cumprimentar Kouga com um grande sorriso, apressou o passo e viu o outro rapaz sorrir para ele sarcástico quando Kikyou fingiu não perceber sua aproximação e virou de costas.

– Perdeu alguma coisa, Cara de cachorro?

– Nada que seja do seu interesse. – InuYasha falou entre dentes olhando para a garota que se esforçava em ignorá–lo – Faça algo de útil e suma daqui.

– Você parece esquecer que está no meu Bar... – Kouga sorriu da expressão frustrada do rapaz a sua frente – Vou perdoá–lo dessa vez... Falo com você depois Kikyou.

– Não se eu puder evitar... – InuYasha murmurou vendo Kouga se afastar. Respirou fundo, pensando em como começar a falar com a namorada.

– O quê você quer? – Kikyou virou para encarar o namorado, os olhos brilhando de raiva. – Vai me dizer que não posso conversar com meus amigos?

–... – InuYasha engoliu seco antes de falar – Por que você está brava agora?

– Brava? Eu? – Kikyou estreitou os olhos –Imagine... Fico super feliz quando tento falar com você e vejo que está..."Viajando".

– Eu não estava "viajando"! – InuYasha falou cruzando os braços enquanto pensava em uma desculpa – Só estava vendo a... Guitarra...Nova de Sesshoumaru...

– Ela não é nova, baka! – Kikyou o interrompeu – Já tem mais de dois anos pelo que me lembro... – Ela cruzou os braços antes de continuar – Então, você não tinha que ficar "olhando" e "viajando" ao invés de me dar atenção!

– Inferno! Por que você tem sempre que arrumar uma desculpa para se zangar comigo? – estreitou os olhos – O que você quer que eu faça afinal?

– Arrumar desculpas? Essa é boa... Eu apenas quero que você pare de viajar um pouco e me dê atenção! – Kikyou não conseguia mais esconder sua irritação – Sou sua namorada, ou nas suas viagens você esqueceu disso também?

– Impossível esquecer disso quando você sempre está brigando ou me culpando por algo!

– A culpa é sempre minha por sua falta de percepção do mundo real? – Kikyou respirou fundo tentando se acalmar, olhou nos olhos dourados e disse calmamente – Muito interessante... talvez eu deva poupá–lo de minha desagradável companhia então... – ela falou começando a se afastar.

– Matte! – InuYasha falou sentindo–se culpado, aproximou–se e segurou o braço dela impedindo–a de se afastar.

– O que foi? – Kikyou virou, fuzilando–o como olhar – Continue a viajar! Eu vou para casa.

– Pensei que íamos ficar aqui um pouco... – InuYasha falou em um tom baixo, aproximando o rosto do dela –... Eu quero ficar com você...

– Você vai realmente ficar comigo, ou sonhando acordado? – Kikyou perguntou desconfiada.

– Vou ficar com você...

– Hum...

– Depois que repassar a música com os rapazes... – Ele completou em voz baixa, fechou os olhos esperando pela reação da namorada.

– Eu sabia que tinha algo por trás disso! – Kikyou estreitou os olhos soltando o braço da mão dele – Você quer ficar aqui e não comigo!

– Vai ser rápido, prometo.–InuYasha estendeu a mão tentando pegar a dela – Depois à noite vai ser toda sua... – Completou dando um pequeno sorriso.

– Vai ser rápido mesmo? – suavizando a expressão, mais ainda olhando desconfiada – Não vai "viajar" de novo e esquecer de mim?

– Claro que não... – InuYasha sorri – Você me conhece, eu sempre cumpro o que digo!

– Vou cobrar as suas palavras... – Kikyou falou dando um pequeno sorriso.

– Pode cobrar...– InuYasha falou animado, dando–lhe um beijo rápido nos lábios antes de se afastar.

Kikyou fica parada olhando o namorado se afastar, baixa a cabeça pensando em como precisava mais dele do que ele parecia precisar dela.

I am not alone
Whoa, oh, oooh, oh

(Eu não estou sozinha

Whoa, oh, oooh, oh)

oOoOoOoOoOoOo

Kikyou olhou para InuYasha que continuava no palco depois de mais de uma hora, ele tinha se esquecido dela novamente. A garota levantou da cadeira e se aproximou do palco pisando duro, os olhos faiscando com a raiva que não conseguia mais esconder.

– Inuyasha... – Fala com voz baixa e perigosa no momento que fizeram uma pausa, estreitou os olhos ao vê–lo se virar em sua direção e sorrir sem graça ao notar quanto tempo tinha se passado.

– Ahn... Kikyou... Eu...

– Olhou no relógio para saber que horas são? – Kikyou perguntou sarcástica sem se importar com o olhar espantado dos outros integrantes – "timo! Vejo você em casa! – Ela dá meia volta e começa a se afastar – Espero que ao menos se lembre de voltar para casa!

– Matte Kikyou...– InuYasha jogou a guitarra nas mãos de Naraku e pulou do palco – Kikyou? – chamou mais alto ao vê–la se afastando em direção a saída.

– Maldita garota! – InuYasha falou correndo atrás dela. Conseguiu alcançá–la na porta. – Kikyou? – O rapaz estreitou os olhos ao vê–la sair fingindo não tê–lo ouvido. – Eu disse para esperar maldição! – Colocou a mão no ombro dela e a virou de frente.

– Você me dá ordens por acaso agora? – Kikyou perguntou tirando a mão dele de seu ombro – Você viu que horas são?

– Hai! – pega o braço dela para impedi–la de se afastar – Mas, isso não lhe dá motivo para sair correndo e me ignorar!

– Não mesmo? – Kikyou perguntou tentando puxar o braço – Se você se esqueceu de sua promessa... Por que acha que eu tenho que ouvi–lo?

– Eu só demorei um pouco mais do que tinha pensado... por que não pode ficar e conversar como qualquer pessoa normal faria? – InuYasha estreitou os olhos segurando o braço dela mais forte.

– Quem você pensa que é para falar em normalidade? – Kikyou tenta puxar o braço com mais força – Me solte, está me machucando!

– Pare de tentar fugir! – InuYasha falou puxando–a de encontro a seu corpo e a abraçando.

– Seu troglodita, me solte! – Kikyou quase gritou batendo no peito dele – Quero ir para casa!

– Você está fazendo uma cena por nada! –InuYasha falou em voz baixa, empurrando–a contra uma parede – Eu só quero falar com você! – Completou estreitando os olhos

– Você me disse que não demoraria, mas é incapaz de cumprir a mais simples das promessas, não é? – A garota olhou para ele os olhos brilhando de raiva – Estou cansada de ouvir suas mentiras – cruza os braços na frente do peito tentando manter alguma distância – Pare de me olhar desse modo! – estreitou os olhos – Se alguém aqui tem o direito de estar zangada essa pessoa sou eu! – Viu ele levantar uma sobrancelha e isso só a enfureceu ainda mais – Por que acha que tenho que ficar e ouvir as mentiras que quer me dizer?

– Por que eu estou mandando! – InuYasha se arrependeu das palavras assim que a viu arregalar os olhos e o rosto dela ficar vermelho de raiva – Ahn... o que eu queria dizer...

– VOCÊ NÃO MANDA EM MIM! – Ela gritou, aproveitando–se da distração dele, colocou as mãos em seu peito e o empurrou para longe – Estou cansada de ter que brigar para ter um pouco de atenção! – Afastou–se alguns passos – Eu quero ir para casa – falou sem esconder a tristeza em sua voz.

And when I touch your hand
It's then I understand
The beauty that's within
It's now that we begin
You always light my way
I hope there never comes a day
No matter where I go
I always feel you so

(Quando toco sua mão

É quando entendo

A beleza que possui

É agora que começamos

Você sempre ilumina meu caminho

E eu espero que nunca chegue o dia

Não importa onde eu v

Eu sempre sinto você)

– Eu... – InuYasha balançou a cabeça tentando colocar os pensamentos em ordem – Eu vou com você! – Falou começando a seguí–la.

– Você não prefere ensaiar? – Kikyou perguntou ainda sem olhar para ele – Estava tão entretido... – Completou sarcástica.

– Eu disse que a noite era sua! – InuYasha respondeu irritado e continua a seguí–la – Já acabei por hoje!

– Claro... – murmurou começando a andar mais rápido – ... eu sempre estou em segundo lugar...

– Pare de correr! – InuYasha falou sem ouvir as palavras dela, apertou o passo até ficar a seu lado – Será que pode andar mais devagar? – Kikyou baixou os olhos para que ele não visse a tristeza neles estampada, diminui o ritmo sem dizer uma palavra. InuYasha suspirou e tentou se manter em silêncio por um tempo, olhava para ela de vez em quando sentindo–se cada vez mais arrependido – Pretende ficar sem falar comigo por muito tempo?

– ... – Kikyou se apressou a dar os últimos passos que a separavam da entrada do prédio, passou pela porta sem esperar que ele fizesse o mesmo – Hum... – apertou o botão e quando as portas do elevador se abriram finalmente falou – Se não vier logo, o elevador vai subir.

InuYasha se apressou a entrar no elevador e permaneceu em silêncio até que as portas se fecharam e este começou a subir, olhou para a namorada parada a seu lado que parecia se esforçar para ignorar sua presença.

'Cause you're everywhere to me
And when I close my eyes it's you I see
You're everything I know
That makes me believe
I'm not alone

(Porque você está em todo lugar para mim

E quando fecho meus olhos é você que vejo

Você é tudo que conheço

Aquilo que me faz acreditar

Que não estou sozinha)

– Gomen nasai... – Ele falou em voz baixa, viu ela estremecer e baixar a cabeça permanecendo em silêncio. InuYasha suspirou desanimado, as coisas pareciam cada vez mais difíceis mesmo quando se esforçava para atender os pedidos dela.

– Tudo bem... – Kikyou falou no mesmo momento que as portas se abriram, saiu quase correndo se dirigindo a porta do apartamento, entrou deixando a porta aberta – Vai querer comer algo?

– Iie... – O rapaz responde em voz baixa enquanto fechava a porta, virou para a namorada, pensando no que dizer a seguir – Você ainda está brava?

– Veja se todas as janelas estão fechadas – Kikyou falou caminhando para o corredor que levava ao quarto – Tranque tudo. Estou cansada, vou dormir.

InuYasha ficou parado no meio do sala por alguns momentos olhando para o lugar onde Kikyou tinha estado. Suspirou desanimado, cada vez era mais difícil entendê–la, fechou as janelas e apagou as luzes antes de ir para o quarto.

Entrou no aposento escuro e a viu deitada na cama, por um momento achou que talvez fosse melhor deixá–la dormir, mas no fundo sabia que isso apenas pioraria a situação.

– Kikyou? – Chamou se aproximando da cama.

– Hum... – a garota esfregou os olhos tentando afastar o sono, esticou o braço para ligar o abajur. – Quer alguma coisa?

– Eu... – InuYasha começou a falar sentando ao lado dela na cama –... realmente sinto muito por ter demorado tanto... e por não ter cumprido o que disse que faria...

– Tudo bem... – ela sentou na cama suspirando – Não foi a primeira vez e tenho certeza que não será a última. –completou passando as mãos nervosamente pelos cabelos.

– Eu não fiz de propósito...

– Você nunca faz... – ela murmurou triste.

–... Eu realmente, não tinha intenção de fazer você esperar por tanto tempo. – Ele completou tocando o rosto dela – Eu só queria passar um tempo com você, achei que se fosse comigo...

– Não tem problema.– ela falou desviando os olhos dos dele. – Eu já me acostumei... – falou voltando a deitar.

– Se acostumou?

– Você sempre esquece do horário quando está com a banda. – Kikyou falou, deitando–se de lado, de costas para ele – Eu estou sempre em segundo lugar...

'Cause you're everywhere to me
And when I catch my breath
It's you I breathe
You're everything I know
That makes me believe
I'm not alone

(Por que você está em todo lugar para mim

E quando respiro

É você que eu inalo

Você é tudo que conheço

Aquilo que me faz acreditar

Que não estou sozinha)

– Segundo lugar? – coloca a mão no braço dela, que se encolheu. InuYasha não soube se por causa de seu toque ou pelas palavras – Você acha que eu me esqueço de você?

– Ás vezes, penso que sim. – Kikyou falou com voz triste – e outras vezes tenho certeza...

– Eu nunca me esqueço de você... – deslizou a mão pelo braço dela até o ombro e a fez se virar de frente, aproximando o rosto do dela – Eu lhe disse antes, que tudo o que faço é para você – aproximando os lábios dos dela –... a cada palavra que eu escrevo... a cada nota que eu toco... – sussurrou entre beijos –... é tudo por você... para você...

– InuYasha... –Kikyou falou sentindo os braços dele abraçando–a fortemente – É tão difícil... você parece não se lembrar que eu existo quando está com––

– Você sempre vai estar em primeiro lugar... – Ele a interrompeu beijando os lábios dela levemente –... não importa o que aconteça...

– Vou tentar me lembrar disso... – Kikyou um sorriso, tentando esconder a tristeza que o pensamento lhe infligia, enlaçou–o pelo pescoço – ao menos eu sei que suas noites são minhas...– completou antes de beijá–lo puxando o corpo dele sobre o seu.

You're in everyone I see
So tell me
Do you see me?

(Você é tudo o que vejo

Então, me conte

Você me vê?)