Eu poderia resumir essa história em poucas linhas. Mas é um pouco difícil contar mais de duzentos anos de existência em apenas algumas palavras.

Meu nome é Odin Lowe II, ou ao menos assim eu era conhecido na época em que estava vivo. Sim, vivo. Pois como vocês verão, eu não sou mais uma pessoa tão comum. Não sou mais o filho de um comerciante europeu com uma jovem camponesa do Japão. Eu sou o que muitos temem, o que um dia eu temi, até encontrar o meu destino dentro de um beco sujo e frio, depois de mais uma noite de boemia. E foi depois daquela noite, que a minha vida, ou morte, como preferir, mudou completamente.

Durante mais de dois séculos vaguei pelo mundo, sendo que o primeiro século de existência eu era conhecido como o mais perigoso demônio que havia na face da Terra. Matei pessoas, aterrorizei outras. Fui o impiedoso caçador, até que um dia eu virei o caçado e paguei pelos meus erros da maneira mais dolorosa que poderia existir. Afinal, dores físicas sempre se curam, dores na alma nunca se apagam. E era nos momentos mais dolorosos que eu sempre pensava nos provérbios que minha mãe dizia: Não há inimigo maior de um individuo do que ele próprio. Ou algo do gênero.

No século seguinte, e mais alguns anos, eu vaguei novamente pelo mundo. Mas, dessa vez, em busca de redenção. Quase enlouqueci, quase quis por um fim nos gritos e nos choros das pessoas que atormentavam a minha mente, as pessoas que um dia eu atormentei. Até que novamente o destino resolveu pôr-se em prática. E foi salvando a vida de um trabalhador rural chinês, que eu percebi que: se tinha uma alma, algo nessa história deveria valer a pena.

Foi então que a mais longa jornada que eu poderia percorrer começou. Uma jornada novamente escrita pelo destino. Apenas nunca pensei que algo inesperado, não previsto, cruzaria o meu caminho…