Até o fim


-Vocês já devem saber que não os chamei para simplesmente tomar chá comigo - nesse ponto Lílian e Remo não conseguiram deixar de escapar sorrisos vitoriosos - mesmo porque, se fosse apenas para isso, eu teria convidado todos os meus ex-alunos.

- Nós fomos selecionados. - Edgar observou com atenção a face de Dumbledore - o senhor provavelmente encarregou Moody disso, visto que a maioria aqui são de aurores.

- Muito perspicaz, senhor Bones. Moody selecionou, um pouco a contra-gosto, - nesse ponto o velho diretor olhou divertido para Tiago e Sirius - os que mais se destacaram na Academia. E eu, por minha vez, convidei alguns amigos para indicarem em suas áreas de atuação pessoas que pudessem nos ajudar...

- Voldemort. - completou Frank.

- Exato, sr. Longbottom.

- Dumbledore planeja essa reunião há muito tempo. - Elifas Doge disse, olhando para cada um dos jovens que ali estavam - Ele tentou adiar ao máximo dividir esse fardo com vocês, por acreditar que ainda são muito jovens.

- Eu queria formar uma Ordem de bruxos capazes e leias. Pensei em muitos nomes, mas acabei por decidir esperar sugestões de vocês mesmos. Talvez eu esteja pedindo muito de vocês afinal. - Dumbledore suspirou, recostando-se ao espaldar da cadeira - Mas é a nossa única chance. Sei o quanto são unidos e isso é um ponto a favor se aceitarem se juntar a nós. Logicamente, a escolha é de vocês.

Tiago observou os amigos. Sirius tinha um sorriso triunfante no rosto, como se tivessem acabado de lhe oferecer doce. Remo estava com o semblante decidido, cheio de responsabilidade, como sempre. E Lílian... Lílian estava olhando docemente para ele, embora tivesse um brilho de desafio nos olhos verdes. A ruiva sabia que, por ele, ela certamente estaria fora disso. Mas Lílian, como a grande maioria dos grifinórios, tinha um senso especial de justiça (que a fez muitas vezes defender o "Ranhoso"), além do que, perdera os pais pelas mãos dos asseclas de Voldemort. Ela participaria dos planos de Dumbledore quer ele quisesse ou não.

- Pode contar conosco, professor. - Tiago respondeu pelos amigos depois de um suspiro de resignação.

- Depois dos dragões, qualquer coisa é válida. - Alice observou com um sorriso, segurando firme a mão do marido.

- Faremos tudo o que pudermos contra Voldemort, Professor Dumbledore. - Edgar completou - Será uma honra trabalhar com o senhor.

Dumbledore sorriu.

- Acho então que devo apresentar a vocês a nossa "mascote". Fawkes?

Nesse momento, uma grande fênix vermelha adentrou o salão, pousando junto ao diretor. Lílian sorriu, estendendo a mão para fazer uma carícia em Fawkes.

- Professor, se não se importar, acho que tenho um nome para nossa "Ordem".

- E pelo seu sorriso, eu posso até adivinhar qual é. - Dumbledore olhou profundamente para os olhos verdes da ex-aluna. Tanta responsabilidade num corpo tão frágil... - Nós seremos a Ordem da Fênix.

While the sun hangs in the sky and the desert has sand
(Enquanto o sol pender no céu e no deserto houver areia)
While the waves crash in the sea and meet the land
(Enquanto as ondas quebrarem no ocenao e encontrarem a terra)
While there's a wind and the starts and the rainbow
(Enquanto houver um vento e as estrelas e o arco-íris)
Till the mountains crumble into the plain
(Até que as montanhas desmoronem dentro da planície)
Oh, yes, we'll keep on trying
(Oh, sim, nós continuaremos tentando)
Tread that fine line
(Passando naquela corda fina)
Oh, we'll keep on trying, yeah
(Oh, nós estaremos tentando, sim)
Just passing our time
(Apenas passando nosso tempo)

Snape parou diante do túmulo que mostrava uma jovem sorridente em uma fotografia já desbotada pelo tempo. Naquele mesmo lugar, há muitos anos, ele se encontrara com Lílian Evans, ou melhor, Lílian Potter, e alertara a jovem sobre as intenções de Voldemort.

Tantos anos... E agora estava acontecendo tudo de novo. Tudo de novo. O maldito Lord voltara. Quanto tempo demoraria até ele conseguir todo o seu poder de volta?

O homem aproximou-se mais um passo da lápide e passou os longos dedos pela fotografia. O nome dela estava quase descascado, mas, mesmo sem ler, ele sabia exatamente quem estava ali. Dorcas Meadowes.

- "À liberdade acima de tudo: eis meu lema e por ele viverei e morrerei". - ele leu em voz alta o epitáfio da moça de olhos tristes.

Por ela, a única pessoa que confiara nele em muito tempo, ele continuaria a lutar. Pela liberdade que ela tanto amara. Dando um passo para trás, ele desaparatou.

While we live according to race, colour or creed
(Enquanto nós vivemos de acordo com raça, cor ou credo)
While we rule by blind madness and pure greed
(Enquanto nos governamos por cega demência e pura ganância)
Our lives dictated by tradition, supersticion, false religion
(Nossas vidas ditadas por tradição, superstição, falsas religiões)
Through the eons, and on and on
(Através de íons, e em frente e em frente)
Oh, yes, we'll keep on trying
We'll tread that fine line
Oh, oh, we'll keep on trying
Till the end of time
Till the end of time
(Até o final dos tempos)

Remo observou a velha fotografia com carinho. Lílian piscou os olhos verdes para ele, os incríveis olhos verdes que ele vira naquele mesmo dia no filho dela. Tiago abraçou a ruiva e acenou, rindo. Um pouco mais atrás, Selene, Emelina e Alice apontavam para os dois, fazendo cômicas caras de surpresa.

Susan estava sentada na mesa da Grifinória e Sirius estava no banco, quase encostado às pernas dela. Pedro aparecia mais atrás, olhando o salão principal vazio. Ele não estava na imagem porque fora ele quem tirara.

Aquela foto fora tirada no dia em que Lílian afinal assumira o que sentia pelo grifinório. Quase toda Hogwarts veira abaixo quando eles entraram de mãos dadas. E quando ele roubara um beijo e ela não começara a gritar, aí parecia que o mundo tinha parado de girar.

Agora eram tempos tão diferentes... Tudo aquilo parecia tão distante... E, ao mesmo tempo, tão próximo. Quase podia ouvir os sussurros dos sonserinos quando eles passavam no corredor. "Escória. Mestiços. Sangue-ruim".

Gostaria de entender porque tanto preconceito. Porque tanta loucura. Porque tanta tristeza.

Through the sorrow all through our splendour
(Através de toda a mágoa, através do nosso esplendor)
Don't take offence at my innuendo
(Não se ressinta com minha insinuação)
You can be anything you want to be
(Você pode ser o que quer que queira)
Just turn yourself into anything you think that you coul ever be
(Apenas se transforme em algo que você pensa que pode sempre ser)
Be free with your time, be free, be free
(Seja livre com seu tempo, seja livre, seja livre)
Surrender your ego - be free, be free to yourself
(Renuncie seu ego - seja livre, seja livre para si mesmo)

Perebas saiu correndo de mais uma das brincadeiras de Fred Weasley, escondendo-se no bosque perto da Toca. Era sempre para ali que corria quando queria ficar longe daqueles pirralhos loucos.

Ou então quando precisava ficar sozinho com sua própria consciência.

Traidor. Ele era um traidor. Um traidor. Um maldito traidor. Quanto tempo mais ele conseguiria viver com isso? Quanto tempo conseguiria viver com o olhar de Edgar e Camille Bones a persegui-lo. Com o sorriso da pequena Susan? Com a confiança que Sirius e Tiago tinham depositado nele quando o fizeram fiel de segredo?

Quanto tempo demoraria até que o Lorde voltasse a se levantar? Quanto tempo levaria até que o último dos Potter pagasse pela cruel sorte que o fizera sobreviver aos seus pais?

If there's a God or any kind of justice under the sky
(Se houver um Deus ou algum tipo de justiça sob o céu)
If there's a point, if there's a reason to live or die
(Se houver um objetivo, se houver uma razão para viver ou morrer)
If there's an answer to the questions we feel bound to ask
(Se houver uma resposta para as dúvidas que nos sentimos presos para perguntar)
Show yourself - destroy our fears - release your mask
(Mostre-se - destrua nossos medos - livre-se de sua máscara)
Oh, yes, we'll keep on trying hey, tread that fine line
Yeah, we'll keep on smiling yeah
(Sim, nós continuaremos sorrindo, sim)
And whatever will be - will be
(E qualquer coisa que quiser - será)
We'll just keep on trying
We'll just keep on trying
(Nós ainda estaremos tentando)
Till the end of time
Till the end of time
(Até o fim dos tempos)

Sirius observou o recorte do jornal. Na foto da primeira página, lá estava ele. Como não poderia reconhecê-lo? Rabicho, Pedro Pettigrew, estava vivo. Vivo e perto de seu afilhado, pronto para entregar o último dos Potter ao menor sinal de reaparecimento do maldito Voldemort.

- Ele está em Hogwarts. - Sirius resmungou para si mesmo, entre dentes.

Tinha que sair daquele lugar. Tinha que continuar vivo, tinha que chegar até Harry. Proteger o filho, já que falhara em proteger o pai.

"Ele está em Hogwarts".

O homem rasgou uma tira da calça, amarrando junto ao peito o pequeno gravador que lhe fizera companhia por tantos anos. Em seguida, respirou fundo e transformou-se no velho Almofadinhas. Mas o imenso cachorro que acompanhava os outros marotos em suas andanças na lua cheia agora estava magro, muito fraco, respirando quase que com dificuldade.

Não era de todo ruim. Estava tão magro que conseguiu passar pelas grades quase que sem esforço. À sua frente, agora havia o mar. Quanto teria que nadar? Sobreviveria? Não importava, ele tinha que tentar. Não. Ele não podia apenas tentar. Ele tinha que conseguir.

"Ele está em Hogwarts".


Pessoal, esse é o último capítulo de Fragmentos. Sinto dizer isso, mas essa é a verdade. Não poderei mais atender seus pedidos e peço desculpas por isso.

Mas porque não continuarei essa série? Bem, porque a partir da semana que vem, eu vou conseguir abrir uma brechinha na minha agenda e poderei começar a escrever Doze Anos. E Fragmentos vai ser, tipo... incorporado na história. Bem, vocês vão entender quando eu puder começar a postar.

Só que isso ainda vai demorar. Acredito que em janeiro poderei começar a publicar Doze Anos, mas isso não é certeza. O que posso fazer se a faculdade só vai liberar a gente dia 22 de dezembro (ninguém merece...)?

Então é isso. Um grande beijo para todos que acompanhram mais essa fic.

Silverghost.