Nome: Mais que uma conquista
Autora: Sabrina Potter conhecida também como A Doida, A Maravilhosa ou simplesmente, Dri.
Disclaimer: Oh, imagina só, meu nome não é JK Rowling. ¬¬' Então, oh, não é meu!

Capítulo V – Stand by me parte 1

(Ela)

Dizem que música sempre te anima. Ok, isso foi exagero meu...quase sempre te anima. Mesmo quando você brigou com o namorado, engordou 12 quilos, seu cabelo está uma merda e ARGH! Sua tentativa de parar de falar palavração simplesmente foi por água abaixo. Felizmente quem perdeu o namorado foi a Parvati e quem engordou 12 quilos foi a Hannah About! Você ficaria impressionado como as coisas correm dentro de Hogwarts.

Feliz com a desgraça alheia? NUNCA! Se alguém estivesse me vendo agora, se depararia com meu sorriso diabólico. Eu me sinto tão bem como a má e sexy ataque de tosse Slytherin. Diários vêem? Digo, diários mágicos? Hum...esse é um efeito colateral do meu lado Slytherin. Ignore-o. Mas voltando...

Lembre-se: Elas contribuíram pro meu dia ser miserável antes de Elvis (Sim!O REI NÃO MORREU!) me salvar em sua limusine feita de chocolate branco com biscoito crocrante.

Eu ficaria mais feliz, se eu não tivesse esse forte pressentimento - que eu acabei de notar que não é um pressentimento, mas pura certeza -, de que algo muito, muito ruim vai acontecer. São nessas horas que paro para refletir. Será que aquele chocolate, minhas pantufas e meus pijamas valem tanto assim agora? OBS: Olhar tipo Calton Banks do Um maluco no pedaço aqui.

Nota adicional só para caso de dúvidas: Eu sou doida sim, algum problema com isso?

Hum...TALVEZ, não valha tanto assim. Mas o peitoral do Harry...Ok, ok, ok! Eu tenho que parar com esses pensamentos indecentes! Agora eu estou agindo como uma garota que "troca caricias" debaixo da mesa durante aula. Preste atenção na palavra sublinhada! Se todos não estivessem cegos (e se o rumor sobre o Draco Malfoy ser gay ainda fosse forte o suficiente), eles saberiam que eu nunca faria algo assim! Hum...quer dizer, eu quero deixar de ser virgem algum dia e sei que alguém lá em cima, gosta o suficiente de mim para não me deixar morrer seca, então, conseqüentemente, eu vou passar por esse estágio, mas...DURANTE A AULA? Como as pessoas podem chegar a esse ponto! Eu sou Hermione Granger e não Pansy Parkson ou Cho Chang (sim...eu tenho remorsos. Me crucifiquem!)!

Isso nos leva a outro momento de reflexão, caderninho de anotação muito, muito útil para desabafos: Onde o mundo vai parar? Ou foi...nem sei mais em que tempo conjugar os verbos.

Mas tudo bem. Eu sou uma pessoa racional, acredito que a esperança é a última que morre. Nada pode ficar pior.

1° Lei de Murphy do dia: Se alguma coisa pode dar errado, dará. E mais, dará errado da pior maneira, no pior momento e de modo que cause o maior dano possível.

Não é como se eu tivesse acordado, tido esse pequeno momento de reflexão caderninho de anotações e Hermione, Hermione e caderninho de anotação e, é claro, eu pensasse que eu sairia do meu quarto com um conjuntinho básico preto de couro com direito a bota e óculos, cabelo voando perfeitamente atrás de mim e um belo sorriso no rosto com as pessoas indo todas "Ah" e eu incrivelmente sexy. Se você imaginou isso, definitivamente merece um rolar de olhos.

Rá! Se eu tivesse imaginado isso, eu estaria entrando em uma profunda depressão agora, mas eu pelo menos esperava uma recepção nem tão calorosa assim. Não se preocupe. Isso irá acontecer no dia que o conjuntinho básico preto de couro entrar em mim, a bota não sufocar meus pés e eu conseguir andar de óculos escuro sem bater em uma pilastra.

- Hum...Oi? – Essa seria a coisa certa a se dizer se você estivesse em um encontro com uma pessoa da Internet OU – e somente - SE você estivesse prestes a paquerar alguém, mas quando você está na frente dos seus colegas de dormitório e mais uns 30 alunos que você nunca viu na vida e provavelmente vai passar na rua e pensar "hum...conheço de algum lugar" e então, continuar mais uns 5 minutos até chegar a conclusão que é o filho do açougueiro, o que nos leva a pergunta "como?" se o açougueiro é gay...pra você ver até que ponto a insignificância das pessoas chega...Hum...isso não faz sentido, mas tudo bem, do que eu falava? Ah sim! Fazer isso não é lá o que se possa dizer de "Meu deus, que coisa ótima!". Você não ganha um prêmio do Oscar ou um Nobel por ser morta no seu salão comunal.

Uns olhares furiosos, uns murmurinhos, uns rosnados...Nada que você não veja no seu dia-a-dia.

Não perdendo a chance, eu visto NOTA: mentalmente meu conjunto empresarial azul bebê, com um óculos Dumbledore-ish e, no fundo da minha cabeça diabólica, falo para uma câmera que:

"Opção A do que realmente poderia ser um desastre:
Harry Potter Fã Club Junior – Saia de Perto Dele Agora caindo em cima de você enquanto está em uma escada. Exatamente 20 degraus, escada a baixo.
Opção B:
Ginevra Weasley com a força de todo o fã clube. Você sabe, toda aquela coisa de primeira mulher de sete irmãos, blábláblá.
Opção C:
Em qualquer uma dessas situações estar usando salto alto."

Em todas as opções eu não sou a Miss Simpatia, o que me leva a um trágico fim.
Minha saída também não foi espetacular. Eu alguma vez disse como fico mal quando as pessoas estão olhando pra mim? Melhor, falando descaradamente de mim. UMA GAROTA ROSNOU PARA MIM! Quantos de vocês já tiveram alguém rosnando pra você! Isso não é normal. Não é mesmo. Não mesmo, mesmo, mesmo.

Mas eu vou sobreviver.

Eu posso até ouvir longe, longe, looooonge a música. Eu já falei da trilha sonora da minha vida? Bem...agora tem I'll survive nela...

Did you think I'd crumble, did you think I'd lay down and die, Oh no not I, I will survive…


Mas todos sabem que isso é bom demais pra ser verdade. Principalmente, quando se trata de mim.

2° Lei de Murphy do dia: Errar é humano. Perdoar não é a política da empresa.

Eu falei que eu...odeio a Luna? Odeio! Odeio! Odeio! Ufa...Bem mais calma.

"Como esperado, nem todos reagiram da maneira esperada com as últimas notícias.
Não podemos, no entanto, nos responsabilizar pelos atos irresponsáveis dos alunos deste recinto..''

Quanto tempo ela demorou achando a palavra "recinto" no dicionário?

''... Minha profissão, como já disse e me vejo obrigada a repetir várias vezes é, dar informações aos meus leitores. Fatos verídicos. Aconselho que, da próxima vez – talvez, não haver "próxima vez" seria um bom inicio -, as pessoas sejam mais cuidadosas ao dar suas demonstrações de amor."

O mundo é feito de traidores! Traidores! Traidores!
Como ela...ousa...Hunph! Em pensar que eu tenho que entrar no Salão Principal.

3° Lei de Murphy do dia: Um atalho é sempre a distância mais longa entre dois pontos.

Não é possível que você conheça um castelo Rá! Quantas pessoas já te disseram que conhecem um castelo? desde seus 11 anos e ainda assim a) você consiga se perder b) descubra – em um momento inoportuno – que não há atalhos o suficiente e que c) por acaso mais de 48 pessoas – foi aí que eu perdi as contas - escolheram os mesmo atalhos que você em uma manhã infeliz.

Mas é claro que sempre devemos lembrar os lados bons das coisas, se é que isso é possível em uma hora dessas: você não perdeu o café da manhã que todos sabem ser a refeição mais importante do dia como diz minha boa e velha mãe...

4° Lei de Murphy do dia: Acontecimentos infelizes sempre ocorrem em série.

Boa e velha mãe...

RÁ!

Boa e velha...uhun...claro...corretíssimo para não dizer o contrário!

Velha, tudo bem.

Mas boa...nada, nada de boa. ¬¬'

Se eu por acaso me jogasse da Torre de Astronomia, será que teria alguma manchete legal seguido de um texto bom e emocionante, algo que me valorizasse...do tipo "Perdemos uma grande amiga e, e alguma coisa, hoje, por favor, um minuto de silêncio ..."?

Nhai... Não.

Ponto de vista de Hogwarts

"Nunca em toda minha vida, Hermione Jane Granger, fiquei tão decepcionada", soou a voz da senhora Granger pelo Salão Principal.
"Como você se atreve a fazer algo assim comigo e com sua mãe? Nunca a vi tão decepcionada...Onde está sua dignidade?" interrompeu a voz fria do sr Granger.
"...Embaixo da mesa? Durante uma aula? Minha filha, que o garoto é charmoso, até eu já percebi,mas você não podia esperar um pouco? Seu pai está..."
"Furioso. É assim que eu me sinto, Hermione! Como você pode? Meu primeiro pensamento foi..."

Hermione prendeu a respiração. Esperando pelo pior.

"tirá-la da escola! Era o que o seu pai queria se não fosse..."
"Pela sua mãe."

"Mas eu sei o que é melhor, por isso, preste atenção..." A voz de Anne mais fria do que Hermione tinha ouvido em todos os seus anos de vida.
"Só uma vez, ouviu bem? Só uma vez..."
"vou te alertar."
"Afaste-se..." Mandou Antony.
"Imediatamente" A voz da senhora Granger voltou a destacar-se.
"De Harry Potter e Ronald Weasley" Os dois berraram de uma vez só. O som de jornais sendo revirados atrás dela.
"Será tolerado... esse tipo de comportamento...não é para um Granger!"

"Há uma vida toda planejada para a senhorita e não deixaremos uma adolescente que..."

"Troca caricias em uma demonstração tão...tão...tão...qual a palavra, amor?", perguntou o senhor Granger.

"Tão desnecessária, precoce."
"De...de carinho não...De...Anne, por favor..."
"INDECENCIA!"

"Nada irá por água baixo...nada será em vão!"

"Se isso é por causa da nossa agenda para você, querida, que você virou tão rebelde, fale conosco", disse a mãe de Hermione, sua voz mais calma do que antes.

"Eu sempre pensei que..."
"Aos 20, quem sabe, você tenha uma casa."
"Aos 20 e meio seja uma jornalista, médica ou professora conceituada..."
"Pausa aos 25 para algum possível futuro marido..."
"Aos 27 um casamento é uma boa escolha, querida."
"Com 28 anos uma filha."
"Aos 32 um filho..."
"Aos 35 uma viagem para ascender a chama do amor..." – Hermione falou junto com os berradores de seus pais, em um tom cansado.

- O que? Eu sei disso desde que eu tenho 8 anos! – Disse, olhando para Harry e Ron e então, voltando-se para os dois berradores.

."eu tenho 8 anos." choro da mpais delho..."
"Aos 35 uma viagem para ascender a chama do amor..."
"Eu sinceramente gostaria que você", a voz do pai de Hermione se perdeu em meio aos soluços de Anne Granger:
"Se meus pais tivessem feito o mesmo por mim. Mas voltemos a você..."

Mer...Nada de palavrões! Se controle. Quase no fim.

É só respirar...respirar...respirar...

"Hermione Jane Granger..."

Hermione voltou a prender a respiração.

OK. Agora podia: Merda!

"Gostou do cartão querida? Bem bonitinho, não? Comprei outros desses vermelhinhos extras..."

- Mamãe sempre foi mais legal.

Hermione congelou.

Era impressão ou sua mãe acabara de dizer que havia mais daqueles em casa? Cartões vermelhos são berradores!

"Não me decepcione desta maneira. Irei..."

"Eu falei para o senhor da loja de cartões que você gostava de vermelho – cor do seu alojamento aí, não? - e eu falei brevemente, é claro, do assunto que iríamos tratar. Ele disse que você certamente iria..."
"Lembrar disso para sempre."

"Homem engraçado, não? E também..."
"O dia em que minha pequena filha, caiu nas garras do..."
"Estranhoooooo..."
"Harry Potter"

"Se você olhar por um lado, assim, de perfil...ele não era tão..."
"Bom como parecia. O diabo em pele de cordeiro, acho que é isso."
"Tão assustador."

"Saber que nossos filhos estão largados em um mundo assim.", lamentou o senhor Granger.
"Bem, amor, é melhor eu parar por aqui.Seu pai está um quanto tanto deprimido. Alimente-se bem..."
"Escove os dentes antes de dormir"
"Meninos bonitos vem e vão..."

Harry olhou para Hermione.

- Hum...Lembre de agradecer sua mãe quando ela passar por aqui.

Hermione murmurou alguma coisa enquanto batia com a cabeça na mesa em resposta.

"Eu conheço esse tipo..."

"Eles vem, te iludem, falam que você é única e como estão perdidamente apaixonados por você. E então, eles se vão..."

"Eu era um deles", ele falou

"Charmosos. Olhos misteriosos, quase sedutores. Bons de lábia..."
"Sua mãe apareceu grávida logo depois que nos formamos."

"Eu sei como é estar por perto de um desses garotos, querida. Eu já fui jovem. E que sei pai não me ouça, mas eu não te culpo pelo o que você fez..."
"Só Deus e sua mãe sabíamos o que fazíamos..."

"O que você tem que ter em mente é:"
"Sua família sempre vai te amar."
"Já falei que eles vem e vão? Pois bem...eles vem e vão."

"Há mais a perder do que você pensa..."
"Nossa confiança, sua dignidade...sua virgindade, pelo amor de Deus, Hermione!"

Hermione pegou o garfo, olhando-o tentadoramente. Uma garfada rápida e precisa e lá estaria ela fazendo uma visita um pouco adiantada a São Pedro. Uma vida curta, sem mais momentos embaraçosos.Ela quase sorriu ao pensamento.


"E esperamos...que isso JAMAIS não se repita."
"Até os 27 anos, é claro,quando você deve estar casada..."

Hermione levantou a cabeça da mesa, olhando de um lado pro outro, em rápida reflexão, seus olhos, no entanto,pousando sobre Lilá e Parvati que tinham suas mãos tampando a boca e olhos esbugalhados. Era do conhecimento de todos ali o que elas estavam pensando: "Hermione,coitadinha, privada até os 27 anos das coisas boas da vida..." depois seguido de um rápido "se ela já não fez nada com Harry Potter, é claro" já que sorrisos marotos brotaram no rosto das duas que se ajeitaram confortavelmente na cadeira, voltando a atenção pro berrador.

Não distante dali, Ron trocou um olhar com Harry, resumindo todos os seus pensamentos antes de se virar para Hermione e encontrá-la murmurando (Lilá...matar...Parvati...) algo enquanto batia com a cabeça na mesa.

"Fique feliz por falarmos tudo isso agora..."

"Poderíamos ter sido como os pais daquela menina do 207 e ir berrar na porta da sua escola..."

Hermione levantou a cabeça, a sobrancelha erguida. Um sorriso irônico saindo por entre seus lábios antes de murmurar, amarga:

- Vocês fizeram pior. Obrigada.


"Só fazemos o bem para você.."

"E um dia, quando você tiver seus filhos, você vai entender."

A tão famosa frase. Bleh.

"Eu mandaria beijos se não tivesse decepcionado com você, Hermione," disse o senhor Granger.

"Seu pai manda beijos e abraços para você."
"O recado está dado"
"Eu te amo,querida. Espero que não tenha sido tão dura. Eu não queria isso. Cuide-se."

- Bem, poderia ser pior. – Falou Ron terminando de mastigar o pedaço de panquecas que havia se esquecido desde o inicio dos berradores, dando palmadinhas nas costas de Hermione.

Hermione nada fez além de ver dois berradores explodirem no ar e formarem um pequeno montinho de cinzas a sua frente, fazendo uma pequena anotação no fundo de sua mente de lembrar, na próxima carta aos seus pais, de mencionar que já não gostava tanto de vermelho assim.

5° Lei de Murphy do Dia só pra ter certeza de que ninguém esqueceuSe alguma coisa pode dar errado, dará. E mais, dará errado da pior maneira, no pior momento e de modo que cause o maior dano possível.

Acrescentado por Hermione Granger por achar que não contém informação o suficiente: Se não der no mesmo dia, vai dar no dia seguinte e assim nos dias ao decorrer dele. Não corra, não grite, não entre em pânico. Tudo vai se tornar uma merda de qualquer maneira. Qualquer maneira mesmo. Nada vai melhorar. Por pura precaução, escreva seu testamento.

Observação: Privar-se de falar palavrão foi provado pela história dessa atualmente deprimida adolescente ser impossível.

------------------------



Nota da autora:

Bem, então...demorou mais do que o esperado. E o melhor, eu demorei tanto com um capitulo que eu já tinha escrito desde de antes do inicio do ano. Se eu gostei dele? Não, mas vou atualizar mesmo assim. Eu já falei como eu sou confusa? Hum...bem, eu sou.
Bem, leiam, opinem... Desculpa pela demora. Obrigada a Irene por quem eu sempre passo a fic antes de qualquer coisa. Alguém notou que tem um parte 1 lá em cima? Então, apesar de ser a primeira parte e estar escrita desde sei lá quando, não quer dizer que a segunda parte esteja escrita. Essa foi uma das poucas coisas que eu recuperei do meu computador por estar num CD.
E uma das piores coisas que poderia ter acontecido nessa fic, foi eu ter perdido meu histórico com a Irene onde tinha as coisas planejadas da fic! O.o

Apesar do meu comum, "se não lerem, eu não escrevo" eu desisti dele. Até por que, uma fic não é feita pelo n° de reviews, mas pelo trabalho do autor. Então...

Ok, isso é pura mentira, mas valeu a minha tentativa.