Roy parou, não porque ela pediu, mas eles haviam acabado de descer e lá estava o 2º Tenente Havoc os esperando para levá-los para suas respectivas casas. Mas a paz de Riza durou pouco, logo o Coronel já estava com um plano B em ação.

Tranqüila a viagem?

Você nem faz idéia de como, a Tenente Hawkeye até cochilou um pouco.

O que??? Tenente, não sabia que você cochilava.

E o que há de tão fantástico em se cochilar, vocês fazem isso toda hora.

É que você nunca faz isso...

Eu nunca faço isso no horário de serviço, nas demais horas eu costumo ser uma pessoa normal.

Aquilo era injusto, um simples cochilo não merecia um castigo tão severo. Ela estava lutando bravamente para não transparecer seu nervosismo, apesar de não estar sendo muito bem sucedida, principalmente porque, mal entraram no carro e Roy aumentara a ofensiva.

Nem tão normal assim, ela nem fala enquanto dorme, muitas pessoas fazem isso sabia, Havoc? Você não acha que seria legal uma garota adormecida pronunciando seu nome?

Nossa Coronel... seria tão bom, se uma garota sussurra seu nome enquanto dorme, é sinal de que ela está na sua, se é que me entende..

O Coronel não teria feito melhor, Havoc inocentemente havia elevado a angústia da Tenente a níveis não imaginados. Riza só não conseguiu ficar verde. Pra alegria de Roy, várias outras tonalidades de cor passaram pelo rosto dela, o que só o fez entender que estava cada vez mais perto da vitória, resolveu disparar um ataque fulminante.

Sabia que uma garota disse meu nome enquanto dormia, há pouco tempo atrás?

É? Muitas garotas devem dizer o seu nome enquanto dormem, Coronel, você bem que poderia deixar algumas pros outros... mas quem foi a vítima dessa vez?

A ajuda dada por Havoc saíra do que o esperado. Hawkeye parecia que ia explodir, mesmo que tentasse esconder de todas as formas, o seu desconforto já era visível. Riza estava extremamente irritada. Ela provavelmente iria apontar a arma pra cabeça dele antes que ele respondesse qualquer coisa, mas ele precisava fazer o que tinha de ser feito.

Ah... não importa. Tenente, você pode passar no QG antes de nos deixar em casa?

Sim senhor.

E agora isso. O que se passava na cabeça do Coronel? Ele subitamente muda o assunto, para temas militares, como se a conversa sobre sonhos nem tivesse ocorrido. Que tipo de manobra seria essa? Passar no QG... não fazia o menor sentido, a menos que ele planejasse acabar com ela na frente de todos. Não... O Coronel não poderia ser cruel a esse ponto, ou poderia? Riza decidiu-se por não sofrer mais, não pensar no futuro próximo e apenas discutir a questão que eles discutiam.

Pronto senhor,chegamos ao Quartel General da Central.

"timo! Tenente Havoc, você poderia levar alguns relatórios para o General Hakuro? Pode voltar pros seus afazeres depois disso e não se preocupe que eu posso levar a Tenente pra casa.

Sim senhor.

Coronel... EU dirijo.

Não vejo problemas Tenente Hawkeye, desde que você passe primeiro pela sua casa, acho que você tem mais necessidade em descansar do que eu.

Sim senhor.

Riza preferiu não levantar polêmicas sobre o ponto de ter de passar primeiro pela sua casa. O porquê da condição, ela não entendeu, de todo jeito ela dirigiria, ela era a Tenente, ele o Coronel, ela era a subordinada, por uma questão de hierarquia ela deveria ficar como motorista. Também preferiu não demonstrar reação pela "necessidade maior de descansar". Ela deu partida e seguiu caminho imaginando o que Roy tramava.

O silêncio foi uma surpresa pra ela e seguiu até a porta de sua casa. Riza estava, no mínimo, agindo mecanicamente. Evitou olhar pelo retrovisor o caminho inteiro. Quando o carro parou, o Coronel resolveu fazer o último movimento.

Eu posso ajudá-la a descarregar as malas?

Sim senhor.

Pode me entregar as chaves do carro?

Sim senhor.

Mais uma coisa.

Sim se..

Me desculpe pelas brincadeiras, talvez eu tenha exagerado mesmo e não quero minha melhor subordinada chateada comigo. Acredite, eu só quis ver até onde você agüentava antes de atirar em mim. Sabe, é divertido ver a reação de uma pessoa tão séria como você numa situação dessas. Enfim... Não haverá problemas se eu nunca mais tocar nesse assunto, haverá?

Nunca mais?

Nunca mais.

Sim senhor, não haverá problemas.

Aquele foi o "sim senhor" mais terno que já saíra da boca dela. Foi um alívio saber que ele não tinha levado nada daquilo a sério. É verdade que de alguma forma também foi frustrante. Será que ela era tão séria assim? Se ao menos não tivesse feito uma tempestade em copo d'água... mas quem sabe Riza ainda não poderia demonstrar que apesar de séria ela também poderia ser humana. Numa última cartada ela pediu pra que ele abaixasse o vidro do carro antes de sair.

- Coronel... Eu só gostaria de informar que o sonho... foi um sonho bom.

Hawkeye o pegara de surpresa. Não propriamente saber que o sonho foi bom, sim, esse dado era interessante, mas principalmente a Tenente que era sistemática até para cochilar havia acabado de permitir que ele soubesse algo pessoal. E foi por isso que ele usou suas palavras de despedida para agradecer esse súbito gesto de intimidade.

Obrigado, Tenente. Até amanhã.

Mais uma vez, era como se nada tivesse ocorrido, à exceção do obrigado, a despedida ocorreu igual a todas as outras. Talvez no fundo ela tenha acabado gostando da brincadeira. Talvez as coisas não tivessem saído tão erradas afinal. Talvez aquele dia onde tudo que podia dar errado aconteceu servisse de esperança pra que um dia tudo que pudesse dar certo também acontecesse.

Fim