Vocês não acharam que iam se livrar de mim, não é? Sabe, eu geralmente cumpro o que prometo. Além disso, eu estava cansada de ver o Rabicho sempre salvar seu rabo. Então, cá estou eu novamente, dessa vez para escrever um UA, como prometi ao fim de Hades.

Para quem não sabe o que é UA, essa sigla significa Universo Alternativo. Ou seja, eu posso fazer as coisas sem seguir aquele roteiro pré-estabelecido sobre os marotos, no qual todo mundo já sabe o final. Ou seja,... Rabicho NÃO salva seu rabo, os Potter vivem para criar seu filho, Sirius vive livre, leve e solto...

Acontece que eu decidi brincar também com uma outra história que conheci graças a um trabalho da faculdade. Para fazer isso, eu tive que sacrificar alguns pontos de Harry Potter. Ou seja, nada de Hogwarts, nem de magia. Mas isso não deixa a história menos interessante, acreditem. Na verdade, eu estou adorando o rumo que essa fic tem tomado...

A história a que me refiro é "Os mistérios de Londres" ou "As aventuras de Rocambole", do Visconde Ponson du Terrail, sucesso na França e no Brasil, em 1857. Eu não cheguei a ler os livros da série, porque ele é, simplesmente, uma raridade... Além de que eu teria que aprender francês para isso... Mas conheço muitos dos trechos por causa da minha pesquisa. Pesquisa, aliás, que me rendeu nota máxima em História da Comunicação.

Além disso, como eu já disse, essa fic é uma brincadeira, onde vou homenagear alguns dos melhores livros e filmes que li e assisti nesses dezoito anos de vida (por sinal, o prólogo já é uma referência a um filme recente... alguém adivinha qual?). Não fiz, dessa vez, nenhuma pesquisa histórica para escrever, deixei a coisa correr solta mesmo. Vocês terão muitas surpresas, a começar pelo "herói" da história... Ou devo dizer anti-herói?

Vejamos, o que mais posso dizer... Eu ousei um pouquinho mais nessa fic, por isso aumentei a classificação etária dela. Não que eu tenha colocado algum NC-17 da vida, mas eu deixei um bocado de coisas para a imaginação de vocês completar.

Só um último conselho. Os primeiros capítulos podem parecer meio chatos e confusos, mas é porque a primeira parte é uma introdução aos personagens. A história está dividida em seis partes e tem 20 capítulos. Eu farei o possível para colocar pelo menos um por semana. E, lembrem-se, eu não estou seguindo ponto por ponto da tia Rowling. Bem, só o que posso fazer agora é torcer para que gostem do resultado final...

À espera de comentários,

Silverghost.


Prólogo

Essa é uma época diferente. O novo convive com o antigo, as armas brancas começam a ser substituídas por armas de fogo. A sociedade, como há tempos conhecemos, vive uma grande mudança, visível mesmo aos menos sensíveis.

São como dois mundos paralelos... À Londres elegante e repleta de luz, salões de cortesãos, de risos e champagne, sobrepõe-se uma outra Londres, sombria, úmida, cheia de ratos e feita de docas.

Esse é um terreno fértil para intrigas das mais variadas. Especialmente quando uma jóia inestimável está na berlinda. Pois, por trás de sua bela fachada, Londres esconde inúmeros segredos...

Enquanto assim pensa, um jovem rapaz caminha pelas margens do Tâmisa. Fora ali que tudo começara e seria ali também que acabaria. As águas turvas do rio tinham sido sua muda testemunha. Ele fechou os olhos, pensando nos olhos verdes da ex-noviça. Se tudo desse certo, naquela mesma noite, eles se reencontrariam.


DISCLAIMER

Eu realmente preciso repetir isso? Ai, ai... Como eu gostaria que eles fossem meus. Infelizmente não são. James, Lily, Sirius, Remus e todos os outros personagens que aparecem nessa fic não pertencem a mim. Aliás, o enredo é uma adaptação de trechos que li de "As aventuras de Rocambole". Sobrou alguma coisa que eu possa reivindicar como minha? Bem... Acho que me cabe a primazia em juntar esses elementos para criar essa história. E talvez a idéia da noviça... E da jóia... Mas isso vocês só vão saber mais para frente. É isso aí, respeitem o que é dos outros! Use e abuse, mas dê os créditos, ok? No fim da fic eu vou dizer em quais livros e filmes eu me inspirei para escrever cada capítulo. Até lá, usem a imaginação e tentem adivinhar. Quem acertar ganha o capítulo seguinte antes de todo mundo!