Alguém na Multidão

por Sarah Snape

Resumo: Vitor Krum, conta ao seu primo Dimitri sobre os desfechos de seu romance com Hemrione Granger

- A cada dia eu percebia que Hermione estava se afastando mais e mais e de mim. Era bastante controversa essa situação, pois não era somente fisicamente, uma vez que nosso relacionamento obrigava isso, ela estando na Inglaterra e eu na Bulgária. – Vitor Krum contava a seu primo Dimitri.

Se você perdeu
Um amor como eu
Alguém que você nunca
jamais entendeu

- Mas como assim, se afastando?- perguntou Dimitri. – Pelo que você comentava, ela lhe amava.

- Sim, Dimitri, era verdade.- explicou Vitor Krum , com uma espécie de dor na voz. – Mas não sei, ela foi se tornando fria e distante.. cada dia mais fria, cada dia mais distante. Eu estranhei muito- ele enfatizou a voz- até parecia que ela tinha outro alguém. As cartas de amor que eu enviava demoravam a ser respondidas. Enfim, tudo era muito estranho. Dia-a-dia me parecia que ela queria romper o namoro mas não sabia como fazer isso.

Pra que lamentar
O que aconteceu
Há um outro alguém esperando você

- Potter me escreveu sobre Hermione.- continuou Vitor com o olhar fixo num ponto da parede.

- Potter? – estranhou Dimitri- Você ainda mantem contato com ele?

- Hoje não mais, mas éramos relativamente amigos na época em que namorei Hermione, ao contrario do Weasley.- explicou Vitor.

- Ah, mas o Weasley tinha ciúme de você.... – troçou Dimitri.

- Não tenho muita certeza disso, Dimitri.- Vitor deu de ombros. – O que interessa é que Potter me avisou que Hermione não estava no seu normal. Estava dispersa, esquecida... cada vez essas coisas soavam mais estranhas para mim. Até parecia que ele estava tentando me dar um aviso mas ficou muito vago o que ele queria realmente dizer. Em todo o caso o aviso estava dado.

Há um alguém na multidão
Que vai lhe adorar
Com devoção

- Ainda não estou entendendo muito bem toda essa história, Vitor. – disse Dimitri meio atrapalhado

- Francamente Dimitri hoje analisando com frieza me parece evidente que ela tinha outro senão totalmente, ao menos em vista – constatou Vitor. –até mesmo Potter quis me dizer isso nas entrelinhas do seu recado. Na época obviamente eu não tinha esse senso de oportunidade de hoje senão teria me flagrado no ato.

- Mas eu não percebi nada de estranho – explicou Dimitri – apenas achei que ela estivesse ressentida por vocês estarem afastados.

- Como você é tolo!

- Então sabichão se você se acha tão esperto quem era o outro de Hermione Granger?

Há um alguém na solidão
Que vai lhe entregar com amor
O seu coração

- Ah! Esse –disse Vitor gesticulando – era o segredo mais bem guardado dos mil anos de Hogwarts.

- Então poderia ser apenas suposição sua ? Perguntou Dimitri com curiosidade .

- Eu era embasado mais por provas do que por teorias embora não vise isso na época. O caso era que ela tinha outro do qual ninguém sabia quem era, que nome tinha e o que fazia...

- Assim você me deixa curioso...ficou ou não sabendo quem era?

- Fiquei.

Se a vida tem sido um mal pra você
E o destino ingrato lhe faz padecer
Não chore nunca mais

- Foi inacreditável para mim, embora muitos dissessem que nos parecemos fisicamente, mas não entendo como ela pode me trocar por aquele sujeito. Quando conversamos e terminamos o namoro ela foi muito franca comigo. Não sabia como aquilo havia acontecido.- Vitor parou e respirou fundo – o fato é que aconteceu e eu não poderia julga-lo, mesmo porque o inverso também poderia ter acontecido.

Dimitri apenas olhava o primo esperando o desfecho da história.

- O mais incrível é que tudo parecia um melodrama programado. – em voz de falsete ele imitou Hermione "Coitado ele é tão sozinho", "...mas não deixa de ser interessante"; "acabei me interessando" . Não adianta eu não conseguia me conformar e os argumentos técnicos e científicos de Hermione me irritavam. Não seria muito mais fácil ela chegar e me dizer simplesmente " eu estou apaixonada por...

Você vai ser feliz
Ouça com atenção
Estes versos que eu fiz

- ....Severo Snape" .

Dimitri limitou-se a olhar o primo embasbacado. Não lhe parecia crível aquela história toda. Se ainda fosse o Potter se poderia dar um desconto. Mas o primo dele conhecido no mundo inteiro como apanhador ter sido trocado pelo Snape era o fim.

- E o que você fez? –Dimitri quis saber.

- O que você queria que eu fizesse? –retrucou Vitor bravio- mandei que ela fosse procurar o Snape e ficasse com ele. Aproveitei e disse que tinha morrido para ela, portanto que vingasse que eu nunca tinha existido. Espero que estejam muito felizes os dois porque se merecem. Vitor bebeu um gole do seu cálice de vinho mostrando todo o seu desprezo que sentia por eles.

Há um alguém na multidão
Que vai lhe adorar
Com devoção

Há um alguém na solidão
Que vai lhe entregar com amor
O seu coração