O silêncio era quebrado apenas pelo vento frio que balançava as árvores carregadas de folhas douradas. Era outono. Em breve o inverno chegaria, cobrindo as paisagens com seu monótono manto gelado.

O cemitério estaria vazio não fosse a presença dele. Afinal, tudo o que as pessoas queriam era esquecer. Exceto por ele. Ele jamais poderia esquecer. E tampouco era esse seu desejo. Só lhe tinham restado fragmentos do passado. Não podia enterrá-los sem enterrar a si mesmo.

As mãos buscaram abrigo do frio nos bolsos do sobretudo, acabando por se fecharem em uma delicada corrente. Deixando uma nuvem branca escapar de seus lábios, ele puxou a jóia para fora.

O pingente em forma de dragão que pendia da corrente brilhou por breves instantes. Ou teria sido sua imaginação? Ele sorriu sem se importar. Não precisava se preocupar com isso. Não mais.

Mas quantos caminhos tivera que percorrer antes de perder o medo? Quanta dor tivera que sentir antes de finalmente obter paz? Quantas vidas se perderam diante de seus olhos antes que tudo estivesse acabado?

Tiago Potter fora o primeiro a cair. Fora traído. Crer demais nos homens - esse foi o seu erro. Subestimou as fraquezas inerentes ao ser humano e perdeu a vida por isso.

Depois, Sirius Black. Ele foi certamente quem mais sofreu. Pagou por um crime que jamais seria capaz de cometer; pagou com a liberdade, com a juventude e com a sanidade. Remoeu por doze longos anos uma culpa que não lhe pertencia e quando finalmente a sorte lhe pareceu sorrir...

Ele meneou a cabeça. Pensar em Sirius ainda doía. Doía tanto quanto no dia em que o vira se perder atrás do véu.

Após a morte de Sirius, a guerra realmente teve início. Ambos os lados sofreram pesadas baixas. Mas ele fora mantido na ignorância. Dumbledore tentava protegê-lo sem saber que deixá-lo de lado era a pior coisa que podia fazer.

Quantas lágrimas derramara quando a matriarca dos Weasley se fora? Ou quando o desaparecimento de Hagrid fora anunciado? Ou ainda quando Neville adormecera para sempre em seus braços?

Então, finalmente, a última batalha... A batalha da profecia. Remo estava ao seu lado. E no instante seguinte... No instante seguinte o lobisomem sucumbira à poderosa mão de prata que Voldemort presenteara ao traidor.

Sim, o traidor... Pedro, o menor dos quatro. Pedro, o covarde. Pedro, o rato. Pedro, o traidor. Mas quando tudo parecia perdido, fora ele que viera em seu socorro. Fora ele que sacrificara a própria vida, balbuciando um pedido de perdão.

E novamente ele era "O-Menino-Que-Sobreviveu", Harry Potter, o herói do mundo bruxo.

Será que quando as pessoas vinham parabenizá-lo e abraçá-lo, suspeitavam que por trás de seu sorriso havia tanto sofrimento? Suspeitariam que seu coração batia forçado, clamando pela hora em que poderia silenciar e junto aos seus, descansar?

Observou a estela a sua frente. Estavam todos enterrados juntos, exceto por Sirius, cujo túmulo ali apenas representava sua memória. Uma lágrima solitária escapou dos olhos intensamente verdes, os mesmos olhos que um dia tinham encantado seu pai.

Harry esticou o braço, prendendo à estela a corrente que pertencera a sua mãe. O pingente de Hades.

No céu, as primeiras estrelas começaram a surgir, lembrando a Harry que o estavam esperando. Era Halloween; o primeiro desde o fim da guerra. Excelentes motivos para se comemorar.

Olhando uma última vez para a estela, ele aparatou. Pouco depois, pequenos flocos de neve começaram a cair. Ecos de uma risada alegre soaram na solidão e o pingente de Hades brilhou uma última vez antes de desaparecer na escuridão da noite que se anunciava.

Aos Srs. Aluado, Rabicho, Almofadinhas e Pontas

Ad perpetuam memoriam

FIM


Terminou... Nossa, eu nem acredito que chegamos ao final... Vejamos... Tem tanta gente a quem eu gostaria de agradecer... Vou começar por aquela que teve a (in)felicidade de ler todos os capítulos muito antes de todo mundo... Meri, minha beta, amiga, psicóloga, colega de fics... Enfim, quero agradecer toda a paciência que você teve comigo durante esses últimos meses. DA não seria o que é não fosse sua ajuda.

Quero agradecer também a:

Sarita, a primeira a deixar um comentário, a quem eu devo uma carta a quase seis meses (que coisa feia...); Dynha Black, a quem dedico esse epílogo, outra amiga que eu adoro e que conheci graças às fics; Debora Dumbledore, a quem torturei com atualizações quinzenais; Lisa Black, que escreveu um testamento em sua última review (testamento esse que eu adorei); Juliana Montez, que sempre me divertiu e emocionou com seus comentários quilométricos; Evenstar; Aluada-Digrin; Juliana; G-Lily P; Mah Clarinha; Paty Felton, que quase teve um infarte quando eu comentei na fic dela; Lele Potter Black; Nath Mansur; Witches; Lily Dragon, minha mãezinha do Sindicato do Crime; Giulinha Black; Lorena; Belle Aurore, Babbi, Nycolly; Lílian Black; Nick Malfoy, que comeu brigadeiro em minha homenagem e nem me ofereceu; Jé Black, que sempre escapava do estágio para ler minhas loucuras; Thaisinha, minha filhota querida; Gween Black, outra que quase infartou...; Flávia; Lily Dany Potter; Dominun, que quase me fez chorar com seu último comentário (amigo muito querido); Sarah-Lupin-Black; MarcelleBlackstar; Almië Black; Deby; Marcellinha Madden; Pandora; Adriana Black; Babi Evans; Mechanical Bride; Jéssy; Keshi; Sinistra Negra; Mari-Buffy; Ewan Potter; Miriam Potter; Slytherin (não, eu não sou a J.K.); Nimrodel Telcontar; Marina; Mariana Fan-sister; Susan Timms (até tu estás por aqui?); Thelma; Xharah; A Marota; Pekena Malfoy; JuJuKa; Naru Tonks; Gabi C. Lupim; Mikaela; Naty Black Witter; Ang; Carol Black; Juliana (Carol); Gabizinha Black; Moony Ju; Kakamelo; Luci Potter; t0n; Elyon Somniare, que não vai se livrar de mim; pessoal da comunidade, dos fóruns, do msn, amigos loucos...

Enfim, agradeço a todos que me acompanharam até aqui. Finalmente, chega ao fim a saga de Hades. A Silver agora vai tirar umas férias... Mas ela volta. Um dia, ela volta. Não me peçam para continuar com essas notas... Estou tentada a chorar aqui... Assim, me despeço de vocês...

Beijos,

Silverghost.

(Mas não pela última vez...)