Grande homem, pequena garota

Jaqueline Verona olhava da janela da estalagem em que ficara aquela noite, após ter conseguido fugir dos "cuidados" de sua ama.

Jaqueline, ou Jaquie, como era chamada, era muito maltratada. Os pais morreram quando a pequena tinha, apenas, 8 anos. Agora, com quase 17, desconfiava que a morte dos pais não fora mero acidente... Um incêndio estranho, sem fundamento... Perdida em seus pensamentos, Jaquie demorou em se tocar que alguém vinha. Saiu da estalagem, correndo, ouvira passos e uma voz conhecida... Pulara a janela e corria pelo mercado... Lembrava-se das histórias que sua mãe contava para ela... Sobre um navio... E sobre um pirata...

Jack Sparrow olhava pelo convés uma pequena ilha, mais ou menos perto de Tortuga. Decidira passear por ali, já que nunca tinha ido por essas bandas (apesar de ter ido muito a Tortuga). Quando desembarcou, começou a andar pelo mercado, e os (outros) piratas do navio, ficaram por ali mesmo. Não planejavam saquear nada.

Olhava tudo o que vendiam, andando demoradamente com seus passos de pirata, quando uma "coisa" trombou com ele, e caiu. Parecia ser uma pessoa.

- Quem é você? – Perguntou Jack, olhando para baixo, com os olhos.

- Ja-jaquie... – a garota se levantou, os olhos molhados de lágrimas, mas as mãos firmes. Ela detestava chorar, principalmente na frente dos outros.

- Jaquie? – percebeu a semelhança com o próprio nome. – Jaquie de quê?

- Jaqueline Carina Verona... – Jaquie olhou, finalmente, para o seu "obstáculo" e arregalou os olhos.

Flashback

- Mamãe, mamãe! Conta uma história pra mim? – perguntava uma menina de 7 anos, olhos castanho-ébano, cabelos muito negros e compridos, nesse momento, recheado de trancinhas. A pele muito branca e os lábios muito vermelhos.

- Hummm... História de quê, Jaquie? – a mãe, uma senhora de pouco mais que 30 anos, sentara-se numa poltrona e pegara a pequena no seu colo.

- Uma... Que fale sobre o mar! E que tenha um barco! – a menina exclamou, sorridente.

- Tenho uma perfeita. – sorriu a mãe, delicadamente, para sua única filha.

- Conta! – a menina bateu palmas.

- Bom... diz uma lenda, que existe um pirata por ai... algumas mulheres até dizem que ele é muito bonito, mas não posso dizer nada! São apenas rumores! Dizem, que ele é capitão de um grande e negro navio, chamado Pérola Negra!

A menina, encantada, ouvia atentamente à sua mãe.

- Qual... Qual era o nome dele! – a menina perguntou.

- Ele era o Capitão Jack Sparrow!

Jaquie sorriu. Tinha um capitão com o nome parecido com o seu! Não era o máximo?... E a partir desse dia, Jaqueline Verona, denominou Jack Sparrow, o seu maior Herói.

Fimdoflashback

- Qual o seu nome? – a menina perguntou.

- Meu nome? Você não sabe meu nome? – perguntou Jack, numa pose convencida. – Capitão Jack Sparrow, pequena!

- EU SABIA! – a menina se recompôs tão ligeiro quanto caiu, e pulou em Jack, abraçando-o. – Você é o meu herói! Um grande pirata! Oh se é!

Jack estava apalermado. O quê? Uma menina o abraçando?

- Na, ah, querida... Eam... Ow... Jaquie...

- Sim, senhor? – Jaquie olhou-o. Seus olhos escuros encontrando com os do capitão. tem alguma coisa nessa menina. Chega a dar medo!

- Am... será que você... poderia... por favor... Soltar-me?

- Ah, desculpe-me, Capitão, mas não resisti! Desde meus 7 anos de idade eu sou apaixonada por suas aventuras! Não consigo me controlar! Estou abobada!

- Se não se importa... Será que poderia me informar onde se vende rum? – o capitão olhou, esperançoso, para a moça.

Jaquie revirou os olhos, não muito surpresa, e apontou para trás, com o polegar.

- Posso ir com você? – perguntou, por fim, olhando para o seu herói de infância.

Jack botou um dos dedos no queixo, fazendo pose de "pensador", depois olhou de soslaio para sua nova "companheira-temporária".

- E você pode entrar lá dentro? – ele perguntou.

- Claro que posso, aqui, Jaquie Verona tudo pode. – Ela sorriu, marotamente, o deixando meio encabulado. Ela saiu na frente dele, o chamando com as mãos.

- Hei! – Jack gritou, correndo atrás dela. – Só quem pode sorrir assim sou eu, savvy!

- Blá, blá, blá, seu fricote! - ela exclamou, entrando numa pequena e rústica loja de bebidas.

Jack olhou ao redor. Não poderia fugir sem o rum, muito menos deixar o rum lá dentro. Teria que agüentar a menina até ela se cansar e ir embora... Oh, vida! Pensou Jack, entrando na loja.

(Continua...)

N/A.: Gente, espero que tenha ficado bom! Foi muito dificil conseguir fazer essa fic direitinho, e tô fazendo ela só pra vocês e para os fãns de Piratas do Caribe!

Beijos e abraços!

Polly Weasley.