Epílogo - O Recomeço

Harry se olhava no grande espelho à sua frente. Definitivamente não se lembrava das vestes de gala incomodarem tanto, nem no baile de inverno em seu quarto ano e muito menos na sua formatura no ano anterior.

- Acho que sua mãe comprou o número errado. – Falou enquanto passava a mão nervosamente na gola das vestes.

- Eu acho que é você que está nervoso. – Rony falou com um meio sorriso.

- E você não está? – Harry desistiu de domar seus cabelos. Eles nunca ficavam no lugar mesmo, não seria hoje que conseguiria.

- Eu não. Não sou eu quem vai casar. - O ruivo se aproximou do espelho ficando ao lado do amigo. - E nem me lembro de ninguém aqui estar sendo obrigado a isso.

Harry corou levemente e não foi capaz de responder durante longos segundos antes de ter seus pensamentos cortados pela voz de Carlinhos que entrava no quarto naquele instante.

- Vocês vão ficar aí a tarde toda? O papai mandou vocês descerem porque já está na hora.

- É o Harry que fica embromando. – Rony empurrou o moreno com o ombro e terminou de se arrumar.

Hermione terminou de ajeitar os cabelos de Gina, tornando-os levemente cacheados com um movimento de varinha.

- Pronto. Você está deslumbrante!

- É mesmo. – Disse Tonks que estava sentada numa confortável poltrona acariciando a enorme barriga de sua já adiantada gravidez. – Parece até a noiva...

As garotas riram descontraídas enquanto Gina dava uma graciosa pirueta em frente ao espelho fazendo seu vestido ondular levemente.

- Você já contou pra ele? – Hermione perguntou preocupada fazendo a ruiva franzir o cenho e responder desanimada.

- Não... Pensei em dizer depois do casamento.

- Ah, Gina. Você já devia ter contado. Afinal, daqui a pouco não vai ser mais nenhum segredo, não é? - Falou Tonks enquanto tentava em vão se levantar.

Depois de algumas batidas na porta, Fleur entrou com a aparência levemente cansada, o que não diminuía em nada sua estonteante beleza.

- Sua mãe mandou avisarr que está na horra de descerem.

- Certo. - Gina olhou-se novamente no espelho, onde a imagem sorriu confiante.

- Cadê a Clarinha, Fleur? – Perguntou Tonks assim que conseguiu se pôr de pé com auxilio de Hermione.

Os olhos da francesa brilharam ao lembrar-se da filha que nascera sete meses após a derrota de Voldemort.

- Está com Gui, um pouco. - Riu divertida. - Aquela menina herdou muitos genes Weasley, parrece um furacão.

------

- O Harry já tirou as coisas dele lá da sua casa? – Perguntou Lupin distraído, ao mesmo tempo em que Sirius terminava de abotoar as vestes.

- Já. Disse que não queria deixar para fazer nada depois do casamento. Mas afirmou que vai aparecer sempre.

- Ele não consegue ficar muito tempo longe de você.

- É, nem eu. - Sirius deu um sorriso grande e sincero. Nesse ano em que Harry viera morar com ele depois que se formou, eles tinham virado uma verdadeira família que agora, na verdade, só ia aumentar. – Ele disse que, assim que terminar a lua-de-mel vai até lá.

Sirius ajeitou as vestes. Menos nervoso do que supunha que iria ficar. Lançou para sua própria imagem refletida no espelho um sorriso maroto que fez com que Lupin gargalhasse.

- Já está na hora, é melhor descermos.

------

Harry não conseguia tirar os olhos de Gina. Não via a hora de poder ficar um pouco a sós com ela, abraçá-la e beijá-la. Aguardou a noiva chegar até o altar construído nos fundos da mansão nos arredores de Londres e deu uma piscadela para Sirius que apresentava um sorriso bobo no rosto.

------

Hermione tentou com todas as suas forças, mas não conseguiu conter uma lágrima de felicidade que escorreu por seu rosto lentamente.

- Eu adoro casamentos. – Murmurou baixinho.

- Não me lembro de ver você chorando no casamento do Gui. – Rony abraçou-a carinhosamente.

- Mas era diferente. – Ela falou de encontro ao peito do namorado. – Estávamos em guerra, mas agora não...

Rony sorriu. Finalmente eles podiam se dar ao luxo de terem reações normais como qualquer jovem. Enfim tinha terminado o tempo de viver com medo, treinando para batalhas como se já tivessem vivido séculos a fio. Era realmente bom poder sentir e fazer as coisas como um jovem de dezenove anos. Ver Hermione emocionada ao invés de preocupada, Harry sorrindo e não taciturno, ser impulsivo e não planejar nada, só seguir o coração.

- Você vai querer um casamento assim? – Falou no ouvido de Hermione, que o olhou aturdida.

- Assim como?

- Com tudo que se tem direito.

- Por quê? - Ele não estava fazendo o pedido, estava? Era apenas uma pergunta hipotética, não era?

- Bom, porque por mim poderíamos fazer uma coisa mais simples, como foi o do Gui, ou do Lupin. – As orelhas de Rony começaram a apresentar uma tonalidade avermelhada que foi só aumentando conforme o ruivo falava.

- Ro-Rony. Você está me...

- Não agora, claro. – Falou apressado. Sabia como Hermione gostava de planejar as coisas. - Quando eu terminar o curso de auror, você se formar... Enquanto isso a gente pode ir, meio que, sei lá... Se organizando?

- Ah, Rony! - Ela enlaçou-o pelo pescoço, falando mais alto do que pretendia, mas ele havia a pedido em casamento e era só isso que importava.

- Shshshshsh. – Gina exclamou entre exasperada e divertida, com a atitude do irmão e da amiga. - Assim vocês não deixam a gente assistir a cerimônia.

A ruiva olhou novamente na direção do altar onde o funcionário do Ministério terminava sua falação habitual e depois olhou para Harry que a abraçava pela cintura ainda rindo da cena de Rony e Hermione.

- Quem diria que a Trícia ia conseguir finalmente fazer o Sirius deixar a vida de solteiro. – Rony perguntou baixinho, fazendo Hermione revirar os olhos antes de responder.

- Ah, dava pra ver o quanto eles estavam apaixonados.

- Ver e ouvir, infelizmente. – Completou Harry com uma careta que fez Gina involuntariamente rir antes de ralhar com ele.

- Harry!

- Eu não vou me surpreender se daqui a pouco tempo o Harry estiver com alguns irmãozinhos pra ajudar a cuidar. – Rony disse com um sorriso zombeteiro, fazendo Harry concordar.

- Nem eu!

-----

Harry foi o primeiro a cumprimentar os noivos. Deu um forte abraço no padrinho e um beijo carinhoso na sua nova madrinha que retribuiu sinceramente o carinho e depois de esperar que Gina, Rony e Hermione fizessem o mesmo, se dirigiram para o lugar preparado para a festa.

Tinha sido difícil deixar a casa em que passara a morar com Sirius depois que se formou. Um elegante sobrado onde o moreno se sentia vivendo em família junto com o padrinho, que a cada dia que passava o tratava ainda mais como filho. Mas com o casamento dele, Harry achou por bem passar algum tempo na Toca, para alegria de Molly que insistia nisso desde a sua formatura. Claro que não seria a mesma coisa estar lá sem Gina, mas pelo menos seria somente até que ela se formasse em Hogwarts no final do mês seguinte. Aí então se veriam todos os dias, ainda mais depois que ela entrasse também para o curso de auror.

Esses últimos dezoito meses tinham sido exasperantes. Depois que se recuperara e tivera alta do hospital, ficou ainda algum tempo na casa dos Weasley, junto com Sirius, até que ele, Rony, Hermione e Gina tiveram que voltar para a escola. Harry não esperava que muita coisa mudasse, mas estava se sentindo tão bem por tudo ter finalmente acabado, que os olhares curiosos dos alunos mais novos e as piadinhas que alguns sonserinos insistiam em fazer foram categoricamente ignorados. Não que ele estivesse de tal forma feliz que tinha se transformado em outra pessoa, absolutamente. Ele ainda acordava assustado, algumas vezes, com pesadelos em que revivia sua batalha com Voldemort e outros ainda mais angustiantes. Contudo ao menos tinha conseguido cumprir a profecia sem morrer no processo e o melhor, sem precisar virar um assassino, mesmo Rony dizendo que matar o "cara-de-cobra" não era assassinato.

Conseguira tirar os cinco Excede as Expectativas nos NIEM's que precisava para ingressar no curso de auror (na realidade tirara Ótimo em Feitiço e Defesa Contra as Artes das Trevas) que agora cursava junto com Rony. E até que estava sendo relativamente fácil, depois de tudo.

Definitivamente o que estava sendo complicado era ficar separado de Gina. Durante a semana procurava se dedicar ao máximo aos treinamentos do curso, mas quando chegavam os finais de semana e Rony e Hermione passavam o tempo todo juntos, dava uma inveja e uma saudade... Ainda bem que a diretora McGonagall não se importava quando ele resolvia "ajudar o time da grifinória a treinar", o que vinha ocorrendo com certa freqüência nos últimos meses. Ela autorizava com uma nesga de sorriso, afirmando que como diretora era imparcial, mas a nova professora de DCAT e chefe da casa dos leões, senhorita Sag, uma jovem bruxa especializada em identificar e reprimir as artes negras formada por uma escola de aurores do novo continente, era um pouco inexperiente nas questões quadribolescas e, portanto, precisava de ajuda.

----

- Por que você não aproveita que ele já tomou umas garrafas de cerveja amanteigada, o chama pra dançar e conta logo de uma vez?

Hermione perguntou baixinho para Gina durante o desenrolar da festa. Estavam sentados, os quatro junto com os gêmeos e suas acompanhantes, numa mesa circular iluminada por lindas fadinhas cintilantes.

- Eu não sei se é um bom momento... Talvez mais tarde na Toca...

- Aqui ele não vai fazer nenhuma cena. – Concluiu a morena, mas ao ver a expressão incrédula de Gina, completou. – Tá, pelo menos não uma das grandes.

- Você tem razão. – Gina disse após dar um longo suspiro.

- O que vocês duas tanto cochicham?

A voz de Rony perto de seu ouvido fez Hermione sobressaltar-se. Olhou-o duramente, afastando a mão grande que repousava em seu braço.

- Nada que seja da sua conta, Ronald.

- Ei, o que eu fiz? Só per...

- Vocês não se cansam de brigar não? – Perguntou Fred com cara de tédio, fazendo com que Rony o fuzilasse com os olhos azuis antes de responder.

- Não se mete!

Gina percebeu que não haveria desculpa melhor para ter uma conversa a sós com Harry do que chamá-lo para dançar naquele momento. Parecia até que Hermione sabia que uma pequena discussão entre ela e Rony daria a deixa perfeita. É realmente a cunhada sabia de tudo... Pegou na mão do namorado e falou em seu ouvido.

- Vem, Harry. Vamos dançar. –

- Dançar? - Harry fez uma cara desanimada. Não gostava muito de dançar. Ter que se movimentar num ritmo certo, com cuidado para não errar, junto de Gina, sentindo o corpo delicado em seus braços... Abriu um largo sorriso. – Dançar, claro!

Gina armou-se de um sorriso que ela desejava parecesse genuíno e sedutor, enquanto sentia os braços de Harry envolvendo-a e seus corpos começarem a se mover no ritmo lento da música que tocava. Como sentira falta de estar com ele... Se não fossem os NIEM's teria sido muito pior, pois ao menos ocupava seu tempo com os exaustivos estudos. E se não fossem as visitas que Harry fazia à Hogwarts provavelmente teria acabado fazendo o mesmo que Fred e George: sairia voando em sua vassoura para se encontrar com o moreno.

Falando nos NIEM's ela ainda tinha uma semana de revisão antes de começar a fazê-los. Uma expressão travessa passou por seu rosto ao lembrar que enquanto estava ali se divertindo, Collin devia estar quase tendo um colapso de tanto estudar. Se a diretora McGonagall não quisesse tão bem a Sirius e Harry e tivesse dado a autorização, era quase certo que deveria estar fazendo o mesmo.

Seus pensamentos foram interrompidos ao sentir que Harry estreitava o espaço entre eles e cantarolava a letra da canção junto ao seu ouvido, fazendo-a arrepiar.

You gave me faith 'coz you believed
I'm everything I am
Because you loved me

Deixou-se distrair por alguns momentos apenas apreciando a letra da música. Mas tinha que aproveitar o momento e contar para Harry. Hermione tinha razão.

- Harry? – Chamou vacilante.

- Hum. – Ele continuou murmurando de encontro à pele dela. – Eu já disse que você está linda?

Ignorando o elogio ela continuou, ficando levemente ruborizada.

- Eu tenho que te contar uma coisa...

A urgência na voz da ruiva fez com que o rapaz praticamente parasse de dançar e a encarasse com o cenho levemente franzido. Para ela querer conversar com ele naquele momento e não depois quando estivessem a sós, era porque o assunto era realmente urgente ou delicado.

- Você não está grávida, está? – Ela olhou-o espantada. – Não, porque se estiver isso muda um pouco os nossos planos, não é mesmo? Mas a gente dá um jeito. Eu falo com seus pais e depois a...

- Harry! – Gina interrompeu a fala apressada do rapaz, segurando o riso. – Não é nada disso, me deixa falar antes de ficar imaginando coisas...

- Desculpe. - O moreno sorriu encabulado. Tinha tido um sonho, dia desses, em que ele e Gina viviam numa linda casa e tinham um casal de gêmeos que Dobby ajudava a criar.

- Acho tão bonitinho quando você fica sem graça... – Ela olhava encantada, fazendo-o corar um pouco antes de perguntar.

- O que é então?

- Bom, é sobre o curso de auror...

- Ah, quanto a isso acho que você não tem com o que se preocupar. – Interrompeu Harry com alívio. – Você vai conseguir entrar com certeza. Eles seriam muito estúpidos se recusassem alguém tão boa em feitiços quanto você.

- É justamente esse o ponto. - Ela ficou com as pontas das orelhas rubras e enquanto ele diminuía novamente o ritmo dos passos. – Eu vou me aperfeiçoar em feitiços.

- O quê?

Hermione que observava discretamente a cena presumiu pelo pequeno grito de Harry que tivesse sido naquele momento que Gina contara a Harry que não fariam o mesmo curso. Nessas horas agradecia a Merlin o fato de ter se apaixonado por Rony, que apesar de ser normalmente um legume insensível, às vezes se mostrava mais sensato que o amigo. Lembrava que o ruivo considerara mais que normal o fato dela ter escolhido ser medi-bruxa e não auror como ele e Harry. Abriu um sorriso e levantando-se, puxou um Rony ainda emburrado para dançar ao mesmo tempo em que Gina saia com Harry para um canto afastado para poderem continuar a conversa sem atrair os olhares de todos.

- Como assim você vai se aperfeiçoar em feitiços? A gente não tinha feito outros planos?

- Bem, eu conversei com a professora Sag e com o professor Flitwich e eles acham que se eu quiser consigo facilmente uma vaga no curso de desenvolvimento de feitiços.

- Mas eu pensei que...

- Eu sei que você esperava que fizéssemos o mesmo curso, mas não íamos ficar juntos realmente, não é? Você estaria um ano adiantado de qualquer forma.

- É, mas... – Ficou de costas para Gina, olhando absorto para a pista de dança um pouco distante. Como confessar que queria ficar ao lado dela o máximo de tempo que pudesse, não se importando em como isso se daria?

- Veja o lado bom. O curso é no mesmo lugar que o seu e só dura dois anos.

Harry olhou-a novamente com os olhos atentos, o cérebro funcionando rápido.

- Então iremos nos formar juntos? – Ele perguntou e a ruiva apenas confirmou com um aceno de cabeça. – E você não terá que se arriscar, no futuro, atrás de comensais e trabalhará só no Ministério.

- É. – Respondeu Gina intrigada com o rumo dos pensamentos dele.

- É uma ótima escolha, Gina.

- Harry! – Ela socou-lhe o braço com falsa indignação.

- O que foi? – Ele sorriu maroto.

- Machista.

- Ué, eu só estou fazendo o que você mandou: vendo o lado bom.

-------

- Vocês demoraram. – A senhora Weasley olhava com um sorriso satisfeito Harry e Gina que acabavam de entrar pela porta da cozinha após passarem a tarde calorenta de julho jogando uma partida de quadribol. – Podem ir lá pra cima se lavarem, pois daqui a pouco vou servir o jantar.

- Tá, mãe. – Gina falou antes de dar um beijo estalado na bochecha de Molly que riu ainda mais quando Harry fez o mesmo antes de perguntar.

- O Rony e a Hermione já chegaram?

- Ainda não querido.

O casal entrou no quarto que Harry ocupava e imediatamente se abraçaram. O rapaz estava feliz como há muito não se sentia. Faziam dois meses que estava morando na Toca e quinze dias que Gina tinha se formado em Hogwarts. A quinzena mais maravilhosa de sua vida.

- Viu, eu ainda sou o melhor apanhador. – Ele zombou encostando sua testa na dela.

- Lógico, com uma Firebolt.

- Amanhã eu vou usar a Comet do Rony e ganhar do mesmo jeito, você vai ver.

Harry soltou o pomo dourado que ainda segurava, o mesmo que um dia fora de seu pai, e este ficou rodeando o casal que agora se encontrava num beijo cheio de desejo. Já estavam começando a perder o controle da situação quando a voz da senhora Weasley quebrou o clima, chamando-os apressada.

- Harry! Gina! Venham até aqui agora!

Os dois se desgrudaram depressa e desceram as escadas numa rapidez impressionante.

- O que houve senhora Weasley? – Harry perguntou preocupado.

Molly fingiu ignorar as roupas desarrumadas de Gina e os botões abertos da camisa de Harry, fora os lábios inchados e os rostos afogueados. Envergou um sorriso feliz e contou a novidade.

- Lupin acabou de avisar que Tonks vai ter o bebê. Eu estou indo pra lá agora, vocês vêm?

- Claro que vamos.

A matriarca olhou-os de cima a baixo fazendo com que percebessem o estado em que estavam. O casal se entreolhou e com um leve embaraço foram correndo se arrumar e em pouco tempo já se encontravam com Sirius e Trícia que também aguardavam no corredor do hospital.

- Alguma notícia? – Molly perguntou após cumprimentar o casal Black.

- Ainda não. Assim que chegamos, Lupin entrou para ficar junto com a Tonks. – Respondeu Sirius enquanto abraçava Harry de forma saudosa.

- Bom, então só temos que aguardar. - A senhora deu um suspiro saudoso e continuou. – O primeiro filho... Eu lembro como se fosse hoje o dia em que Gui nasceu...

A senhora Weasley iniciou uma longa conversa que amenizou a espera por notícias até que Rony e Hermione chegaram, se juntando ao grupo.

- Viemos assim que vimos o recado. – Falou Hermione. – Então, já nasceu?

- Francamente, Hermione! – Todos olharam espantados para Rony que mantinha uma expressão impassível ao imitar a namorada. – Se tivesse nascido eles não estariam aqui fora esperando.

A despeito das risadas incontroláveis de todos frente à cena, Hermione bufou e fez menção de iniciar uma discussão entre eles, contudo a porta da enfermaria se abriu dando saída a alguns curandeiros e passagem a um Lupin visivelmente emocionado.

- Nasceu. – Todos exclamaram congratulações, mas Sirius não se conteve e abraçou efusivamente o amigo.

- Parabéns, Aluado.

Remus limpou a lágrima de alegria que escorreu por seu rosto, enquanto era cumprimentado pelos demais.

- É menino ou menina?

- É uma garota. Lílian. – Essa informação aliviou ainda mais o coração de todos visto que desta forma não havia possibilidade da licantropia paterna se manifestar. Harry se sentiu ainda mais feliz, por saber ser também uma forma de homenagear sua mãe.

- Já podemos vê-las?

O ex-professor convidou-os a entrar e com um enorme e luminoso sorriso se aproximou de Tonks que aninhava um pequeno pacote rosa em seus braços. A metamorfomaga tinha a aparência cansada, mas feliz, coisa que seu cabelo num tom rosa-chiclete vibrante não deixava dúvidas. Lupin sentou-se ao lado da esposa e abraçou-a emocionado e embevecido.

Sirius levantou uma sobrancelha, divertido. Nunca tinha imaginado que um dia ainda veria seu amigo, sempre tão sério, com aquela cara de bobo. Se bem que James tinha ficado exatamente daquele jeito quando Harry nascera.

- Quem diria, mais um maroto abobalhado. – Riu enquanto recebia um olhar inconformado da esposa. – Primeiro foi o Pontas, agora o Aluado... Ainda bem que deram um espaço de dezenove anos entre um e outro senão eu não conseguiria agüentar!

Até Molly Weasley que sempre tivera suas rusgas com Sirius, riu da brincadeira feita por ele. Era evidente a felicidade que Sirius sentia por ver seu amigo de longa data naquela situação. Os jovens se acercaram do bebê e logo a pequena estava aconchegada nos braços de Gina enquanto os dois marotos continuavam o seu próprio diálogo.

- Quando você tiver os seus tenho certeza de que ficará do mesmo jeito.

- Eu, Sirius Black, com essa cara de bobo por causa de um embrulhinho que chora? – Perguntou irônico.

- Sirius, você chorou na minha formatura. – Lembrou Harry, divertido, ao ouvir a conversa.

- Eu não chorei. Foi... Minha vista ficou irritada por causa da luz.

Sirius respondeu sério, enquanto Harry e Rony riam de forma jocosa. Lupin já ia continuar zombando do amigo quando Trícia interrompeu-os.

- De qualquer forma daqui a oito meses vamos saber com certeza como você vai reagir.

As palavras da esposa de Sirius, ditas num tom calmo e seguro, fizeram com que todos a olhassem imediatamente, mas ela só mirava os olhos azulados do marido que tinha uma expressão de incredulidade estampada no rosto.

- Você...?

- Hum-hum. – Trícia assentiu sorrindo.

Contradizendo grande parte das palavras que tinha dito nos últimos minutos, Sirius abraçou a esposa, gargalhando feliz enquanto a rodopiava no ar, e com grossas lágrimas de felicidade deslizando por seu rosto.

- Eu vou ser pai! – Exclamava radiante.

- Droga, depois eu te dou o galeão, Lupin. – Rony falou com uma careta.

- Não se esqueça do meu. – Falou Harry, sentando-se no sofá e recebendo a pequena bebê dos braços de Gina.

- Negativo. – Rony disse espantado. – Você disse que ia ser antes do Natal, mas o Remus falou que ia ser em três meses. Você só ganharia se fosse depois de agosto, nem vem.

- Ok. – Harry concordou sem tirar os olhos da filha de Lupin e Tonks que mantinha um delicado sorriso nos lábios pequeninos. – Depois eu pago também, Lupin.

- Ei, vocês andaram apostando sobre o futuro da minha vida conjugal? – Sirius tinha uma expressão de ofensa estampada no rosto, que claramente se opunha ao brilho maroto de seus olhos.

- Não ligue, Sirius. Tradição Weasley. – Explicou Gina com simplicidade, observando feliz o jeito do namorado.

Hermione, que a esta altura já estava mais do que acostumada às inusitadas apostas que os ruivos faziam, se limitou a perguntar.

- Você apostou no que Ron?

- Eu apostei que ele aproveitaria durante um ano... – Abaixou os ombros à guisa de desculpas. – O que eu posso fazer se só ganho as apostas que são sobre o Harry?

O clima alegre e descontraído tomara o lugar da apreensão e do medo na vida daquelas pessoas. O caminho que trilharam não havia sido fácil nem curto, mas o amor, a maior arma que temos contra todos os tipos de males, ajudou-os a superar cada obstáculo, a cicatrizar cada ferida, a amenizar cada dor.

Decorridos alguns meses Trícia Black deu à luz um lindo menino que foi chamado de James e que Sirius afirmava que seria o mais maroto de todos os marotos. No ano seguinte Harry, Rony e Gina se formaram. Os rapazes logo foram aproveitados pelo destacamento de aurores especiais, devido à sua vasta experiência nas batalhas contra as Trevas e Gina, que havia obtido as melhores notas do curso desde que Lílian Evans Potter havia se formado, também teve seu devido reconhecimento. Hermione e Rony se casaram três meses após a formatura dela como medi-bruxa. Eles alegavam que tencionavam fazê-lo há muito tempo só aguardando aquele momento, mas Gina apenas ria incrédula, ainda mais quando a cunhada confidenciou-lhe que estava grávida.

Harry e Gina se casaram e foram felizes para sempre. Ele se tornou um grande auror, ela uma excepcional desenvolvedora de feitiços. Viviam num lindo sobrado, com seu casal de gêmeos que Dobby ajudara a criar.

A história de Harry Potter ainda era de conhecimento geral e a vida dele nunca seria igual à de qualquer outro bruxo, contudo ele nunca mais se sentira só ou infeliz.

FIM

--------------

N/A: Pois é... Terminei. O epílogo foi rápido de escrever (levei somente 3 dias), mas o último diálogo e a conclusão não. Levei mais 3 dias para fazê-los. Não sei se os personagens se recusavam a me abandonar, ou se era eu que não queria fazê-lo... Se eu disser que não estou emocionada, estarei mentindo e como todos aqui sabem: "Não se deve contar mentiras".

Agradeço a todos que leram e também aqueles que porventura ainda vão ler. Seus comentários me deixaram sempre muito feliz. Espero encontrá-los nas outras fics que vier a escrever.

Gostaria de manda um enorme beijo a todos que me ajudaram no decorrer da fic, sendo com idéias, frases, opiniões, críticas, apoio, mas não vou ser capaz de nomear a todos sem que acabe me esquecendo de alguém, portanto irei mandar somente um agradecimento especial às minhas betas (sim 2, a oficial e a substituta, e muitas vezes gama): Paty e Pamela que me ajudaram muitíssimo. Amo vocês, e não vejo a hora das 3P's estarem juntas finalmente.

No mais, picolés ácidos, penas açucaradas e pirulitos de sangue.

Bjks da Pri.

N/B: Li tudinho sem pensar que quando chegasse na ultima palavra seria o fim, mas depois que li o comentário da Pri bateu uma tristeza. Mas não é nada mto dolorido, pq logo me lembrei de tudo que ela escreveu, dos momentos que ela nos emocionou, nos fez rir, chorar, e ter mta raiva! Lembrei tb de como me diverti em conversas animadas com ela no msn, para decidir o destino desses personagens que tanto amamos! Então, nada de tristeza, pq daqui pra frente com certeza teremos mais histórias contadas pela Pri, com mta perfeição. Amiga, adorei sua fic, e mais que isso, adorei fazer parte dela e da sua vida! Parabéns por escrever tão bem e nos fazer viajar com vc por esse mundo mágico que nos encanta. Amo-te! Beijos

Remaria: Você acha que eu seria capaz de maltratar o meu ruivo????? quanto ao sofrimento... Ele faz parte da vida, hehehe. Bjks querida.

Ara Potter: Não afoga o pc do irmão senão ele não deixa você usar, e aí, como a gente fica????? Pronto, Priscila "Drama Queen... Espero que tenha gostado. Bjks

Anderson: Querido, Obrigada pelo apoio e pelo carinho (você foi o primeiro que comentou aqui na FF!!!) Ei que história é essa de achar que o Harry vai morrer??? Pode parar! Hahaha. Bjks e espero encontrálo nas próximas.

Quelone: Nem eu acredito que acabou... Mas é a vida. Espero que tenha gostado. Bjks

Livinha: Acho que na verdade eu coloquei o meu sonho e não o da Gina nessas linhas. Obrigada pelo cainho querida. Bjks

Georgea: Amiga se prepara, é muito difícil terminar uma fic que a gente ama. É eu queria postar mesmo no dia do meu niver, mas não deu... Ma não deixou de ser um presente ;). Obrigada a você, mas você me terá mais vezes, pode ter certeza. hehehe Bjks

July Black: De nada. O prazer de não ter matado o quarteto é todo meu, pode acreditar. Cadê o livro que você ia me mandar????? To esperando. Bjks

Anny Quillin: Pelo menos esse não foi triste, né? Os gêmeos são realmente sem noção... hehehe. Bjks querida e obrigada pelo carinho.

Géia: Amiga, espero que você tenha gostado do fim que eu dei para o seu bebê. Te amo. Bjks