N/A: Desafio respondido porque a Hermione tinha apenas que tirar a Gina do Caminho. Desculpem pela simplicidade da fic, mas pessoalmente não gosto da Gina, então... espero que gostem.

Beijos,

Sarah.

Parte V- Hermione

― Harry, porque você não convida Gina para irem a Hogsmeade?

― Mione, de que isso iria adiantar?

― Ora, Harry - explicou Hermione em tom persuasivo -, você não percebeu que Gina não esta indo com ninguém? Ela deve estar esperando o seu convite.

― Será? - Harry se questionava intimamente se deveria ir falar com Gina ou não.

― Olhe, Harry - Hermione continuava no teu tom persuasivo e suavemente diferente de todas as formas com que já havia falado com Harry desde o inicio da amizade. Desta vez havia coisas importantes em jogo, e o moreno nem se quer se dava conta das correntes ocultas vigentes -, a gente só se arrepende do que não faz!

Hermione deixou-o calado, apenas remoendo as idéias. Uma frase que lera ou ouvia lhe parecia vir a calhar naquele momento: "as pessoas boas e honestas são tão fáceis de manipular".

Harry levantou-se num salto. Os olhos de Hermione brilharam. Por um momento pareceu que iria desistir. Mas caminhou rapidamente até o canto do salão comunal onde Gina, absorta, lia um livro.

― Gina? - Chamou ele.

― Fale, Harry - ela fechou o livro e ficou olhando-o.

― Você quer ir a Hogsmeade comigo? - a frase saiu fácil, sem qualquer problema. E logo ele que achara que iria gaguejar e atrapalhar tudo.

Gina olhou admirada para Harry. Esperara por tanto tempo por aquele convite. Por tanto tempo. Na verdade jamais chegara a esquecê-lo totalmente. Se a ruiva virasse seus olhos veria o rosto de Hermione totalmente tenso e preso na cena que estava se desenrolando. Por um instante, a ruiva pensou em recusar.

― Tudo bem, Harry - disse ela por fim, contendo uma emoção totalmente inesperada.

Harry sorriu feliz. Sentou-se ao lado da ruiva e com suavidade beijou-a nos lábios. Ginevra correspondeu plenamente. Naquela noite, o par ficou namorando sob os olhares felizes e aliviados de Hermione.

Quando Gina subiu ao dormitório, Hermione estava esperando por ela. A ruiva parecia estar caminhando nas nuvens. Hermione sorriu para ela esperando que ela falasse.

― Parece um sonho! - murmurou Gina sonhadora.

― É real! - afirmou Hermione. - Harry gosta de você.

― E eu dele - disse Gina com um sorriso radiante. - Na verdade, nunca esqueci Harry.

― Quer dizer que posso ficar descansada? Você não tem mais idéias sobre estar apaixonada pelo professor Snape? - Hermione manteve a voz firme como se falasse de algum assunto que não a interessava.

― Snape? - Gina arregalou os olhos. - Aquilo foi bobagem. Idéias idiotas da minha cabeça.

― Ainda bem! - afirmou Hermione.

Naquela noite, Hermione dormiu tranqüila. Tirara Gina do caminho e fora mais fácil do que imaginara. Na verdade, a história de paixão platônica pelo professor fora algo de momento e Hermione nem deveria ter se importado com isso. Agora suas baterias deveriam ser voltadas para o mestre de Poções, pois seu interesse nele nada tinha de fluído nem de fugás.

Mas essa é uma outra história.

FIM