: Name.: The Black's: My True Family
.: Author.: Pandora Narcissa Black

.: Spoilers.: 5º Livro: Harry Potter and the Order of Phoenix.

.: Disclaimer.: J. K. Rowling é a autora do mundo e personagens de Harry Potter.

.: Personagens.: Andrômeda Tonks; Bellatrix Lestrange; Blaise Zabini ; Draco Malfoy ; Harry Potter ; Nymphadora Tonks ; Narcissa Malfoy ; Pansy Parkinson ; Rodolphus Lestrange; Sirius Black; Theodore Nott; Tom Riddle/Lord Voldemort

.: Summary.: Bellatrix tem um sonho estranho com Lilly Potter. Recupera umas estranhas recordações e escreve ás suas irmãs, Andrômeda e Narcissa, a contar-lhes. Com mais clareza, toma uma decisão e vai atrás do seu amor.

.: 1º Chapter.: Memories

.: Mansão Black-Lestrange.:

.: Quarto Roxo Azulado.:

.: Sonho de Bellatrix.:

Encontrava-se num sítio estranho, ela sabia. Sentia os seus cabelos a esvoaçarem, sincronizados com o movimento da sua camisa de noite. Não encontrava nada a seu redor, a não ser relva. Muita relva.

Ouviu passos. Elegantemente, virou-se para trás. E viu-a. Lilly Potter. Os cabelos ruivos caíam pelo corpo esbelto, coberto por seda branca e os olhos verdes a reflectirem harmonia.

Adoptou um olhar frio, que causou uma doce gargalhada de Lilly.

- Tem calma, Bellatrix, não vou fazer-te mal.

- Que queres de mim, sangue de lama? – perguntou, com desdém.

- Chama-me Lilly, Bellatrix. – a voz era calma e quente. – Que quero de ti, perguntas-me. A tua concentração.

- Perdão? – a cara era um poema de gozo.

- Tenho umas memórias para te mostrar, Bellatrix. Algo que deves saber. Acompanha-me.

- Aonde estamos? – começou a acompanhá-la, na caminhada. Notou que Lilly sobrevoava a uns centímetros do chão. Olhou para a frente e viu um enorme castelo, quase do tamanho de Hogwarts. Branco.

- Na Cidade Celestial. Mais conhecida como a Cidade dos Anjos. – revelou, surpreendendo.

- Eu morri? – quase guinchou, fazendo rir, novamente Lilly.

- Não sejas tonta, Bellatrix. Só te quero ajudar a ver algo que te pertence. Mas antes, diz-me. Como está Harry?

- Ei! Sou inimiga dele e estou-me a borrifar se ele está bem ou não!

/- Ainda…/ - pensou, tristemente Lilly. – OK. Pergunta errada. – suspirou. Os guardas celestiais prestaram uma reverência a Lilly, correspondidos pela mesma e entraram. Tudo era branco. Celestial.

Bella entrou numa sala espaçosa e acolhedora decorada de branco. Ao centro de todos os sofás, estava um pensatório.

- Senta-te. Desejas tomar algo, antes de tudo? – perguntou, Lilly, amavelmente.

- Chá. – respondeu, fria.

Um lindo conjunto de porcelana celestial apareceu. Lilly verteu o chá, na taça e Bella viu o seu conteúdo. Arroxeado.

- Uva. – disse, vendo a sua curiosidade. Bella bebeu-o e espantou-se ao ver sabor tão delicioso. Mas não o expressou. Lilly soprou o líquido, tentando-o manter gelado. Respirou fundo, apreciando o súbito silêncio. Rompeu-o, falando:

- Não é meu filho.

- Desculpa?

- Harry não é meu filho. Nem de James.

Bellatrix, teria derrubado a taça, senão fosse por um rápido movimento de Lilly.

- O quê?

- Será melhor que vejas por ti mesma… - sussurrou.

- Espera, espera! Que tenho eu a ver com o estúpido do Potter Jr.?

- Já verás… - sussurrou, novamente.

Fez um movimento e o pensatório mostrou uma imagem. E Bellatrix quase se desmaia.

- Sirius? – sussurro de uma Bellatrix, de quinze anos.

- Bella. Tudo bem contigo? – a figura de um Sirius jovem.

- Sim. E contigo?

- Também. Sucede algo? – notou a cor nas suas bochechas.

- Porquê que perguntas?

- Estás a corar. Tens a certeza que não se passa nada?

- Não. Não tenho a certeza. O que sei é que te quero, muito mais que um amigo, irmão ou primo. Te amo.

- …

- Provavelmente, não sentes o mesmo por mim, mas eu entendo, isto é algo que o tempo cure.

- Espera… - Sirius pareceu despertar de um transe. – Eu sempre senti um carinho diferente, por ti, diferente ao de Andy ou Cissa. Com a nossa separação, por estarmos em casas diferentes e com novos amigos, comecei a sentir a tua falta, desesperadamente. E entendi. Também te amo.

E os dois uniram-se num beijo apaixonante.

- Recordas-te disto? – perguntou Lilly, após uns minutos de silêncio.

- Sim, mas…que tem isto a ver com o estúpido Potter? – grunhiu a mais velha ex. Black.

- Observa.

Bellatrix Lestrange em adulta. Mais ao menos aos vinte e dois anos. Sentada num sofá na casa dela.

Faz umas semanas que casara com Rodolphus Lestrange. Um matrimónio de conveniência.

- Seu idiota pulgão. Sirius, seu imbecil! Sirius, seu cara de pau! Sirius, seu filho da mãe. Sirius, cabeça de papão. – trinta xingamentos depois. – Porquê que não acreditaste em mim? Eu avisei-te. Matrimónio com o deficiente do Rodolphus. Por conveniência. Porquê aquele escândalo todo?

Caminhou até ao quarto de banho e olhou-se no espelho.

- Que farias se te dissesse que estou grávida e que esse filho é teu?

- E então? – insistiu Lilly.

- Lembro-me que me apaixonei por Sirius, sim, não nego, mas esta parte é confusa. Grávida?

- Sim. Engravidas-te e com a ajuda das tuas irmãs, lograste esconder a tua barriga de Rodolphus. Tomaste a decisão de não dizer nada a Sirius, como pagamento. Então, começaste a odiá-lo e…

- … aliei-me ao Lord das Trevas. – completou Bellatrix.

- Sim. – concordou lentamente Lilly. – Havias escolhido o nome do garoto e estavas pronta para traze-lo ao mundo.

- Que sucedeu? Eu não me lembro de munda coisa…

Como resposta, a esposa de James olhou para o pensatório.

Bellatrix acordou. Tinha realizado o parto. Tocou a barriga. Lisa. Entrou em pânico. O bebé?

Incorporou-se e escutou uma mulher chorar. Lilly Potter. Ignorou-a, mas uma enfermeira entrou com um belo bebé de cabelos castanhos-escuros.

- Parabéns.

Ignorou-a e tomou o bebé. Este dormia. Olhou, novamente para Lilly que a olhava agora, com a inveja nos olhos verdes. Mirou o bebé. Trabalhava para o Dark Lord; era esposa de Rodolphus e o filho não era dele. Temia por ele. Viu a enfermeira a ir-se embora.

- Espere.

- Sucede algo, Sra. Lestrange?

- Alguém sabe que perdeste o bebé, Potter?

- N-Não.

- Óptimo. Eu não posso ficar com ele. Não posso. Não posso dar-lhe uma vida feliz. E sei que tu e o Potter vão dar-lhe uma boa vida.

- Nem te atrevas, Lestrange. Ele tem o teu sangue, nunca será um Potter.

- Vocês conseguirão. – entregou-lhe o bebé. – Você é a única testemunha. Não conte nada, se aprecia a sua vida. – fez uns quantos feitiços e o bebé ficou com os cabelos pretos e, possivelmente, os olhos verdes. Entregou a varinha para Lilly. – Sabes o que fazer.

Lilly chorou, feliz e triste ao mesmo e Bellatrix soltou uma lágrima. O feitiço, saiu dos lábios de Lilly e Bella fechou os olhos, recebendo o feitiço em cheio.

Bellatrix tinha a boca, levemente aberta e os olhos com lágrimas. Não só matou o amor da sua vida, como desprezou o seu próprio filho. Olhou para Lilly.

- Ele não sabe, mas merece saber. Não te culpes. Fizeste o que achaste correcto, na altura. Mas ele merece saber, nem que seja por meio de uma carta. Fala com as tuas irmãs, também. Também merecem saber que têm um sobrinho. Tens a oportunidade de rejeitares o Lord e começares a lutar pela sua confiança. Boa sorte, Bellatrix.

E tudo começou a ficar distante, mas Bellatrix não deu conta. Estava metida em pensamentos e lágrimas.

.: Fim do Sonho de Bellatrix.

Abriu os olhos. Estava no seu quarto. Recordava-se. Ela tinha um filho. De Sirius. Levantou-se, mas o braço de Rodolphus, impediu-a.

- Estás bem, Bella? Noto-te preocupada…

- Estou bem. Vou beber água. – e saiu do quarto. Correu em direcção á sala e, com as mãos a tremer, tirou duas folhas de pergaminho. Sentou-se e começou a escrever:

"Querida Irmã Andromeda,

Não vou começar com formalidade, Andy. Vou contar-te uma coisa. Quando era jovem, apaixonei-me por Sirius e namorei com ele durante muito tempo. Mas ele cortou comigo, quando soube que a mãe me queria casar com Rodolphus. Achou que eu também queria. Eu fiquei grávida e graças a ti e Cissa, logrei esconder isso de Rodolphus. Nove meses depois, tive um menino de cabelos castanhos-escuros. Mas, trabalhava para o Lord, nessa época. Dei o bebé a Lilly Evans, que tinha perdido o dela. Sabes de quem falo, verdade? Converte-o num Black. Treina-o. Levas as minhas memórias juntas, para veres no pensatório, para acreditares em mim. Igual a que Narcissa. Eu vou para o Departamento dos Mistérios. Sei como tirar Sirius do véu. Vai buscá-lo. Vou á meia-noite de amanhã. Venham comigo. Tu e Narcissa. Depois, vão a Gringotts e recolham o testamento dele. A minha fortuna Black vai toda para as mãos dele.

Sirius vai ficar com a custódia dele, se algo me acontecer. Como a inocência dele, ainda não está provada, ele fica nas vossas mãos. Impeçam Rodolphus de lhe por as mãos, caso descubra e reclame a custodia.

Tua irmã,

Bellatrix"

"Querida Narcissa,

Não tenho tempo para explicações, mas vai ter comigo e com Andy ao Departamento dos Mistérios, sem ninguém saber. Vou tirar Sirius do véu. Andrômeda explica-te o resto.

Tua irmã,

Bellatrix"

Colocou-as num envelope e atou-os á pata da coruja, que voou pela noite dentro. Secou uma lágrima e rabiscou mais umas palavras numa filha de pergaminho e soltou outra coruja, para Gringotts. Subiu as escadas e deitou-se na cama, cobrindo-se e ignorando o braço de Rodolphus na sua cintura.

.: No dia seguinte.:
.: Malfoy's Manor.:

.: Quarto de Narcissa/Lucius.:

Narcissa acordou naquela manhã a tremer de frio. Desde que Lucius fora enviado para Azkaban, Cissa tinha mais liberdade, ainda que lamentasse a ausência do marido e a queda do apelido Malfoy. Chamou um elfo, que lhe preparou um banho quente. Vestiu uma bela túnica de seda da china azul e penteou o cabelo loiro, elegantemente. Ouviu uns ruídos e viu uma coruja parda á janela. Abriu-a e a coruja entrou, pousando a carta e tornando a sair. Narcissa leu-a rapidamente e empalideceu visivelmente. Algo sucedera com a sua irmã, Bella. Correu as escadas abaixo, ignorando as chamadas do seu filho Draco e parou na lareira. Pegou um pouco de pós de flu e gritou:

- Mansão Black-Tonks, Quarto de Andromeda!

E desapareceu.

.: Mansão Black-Tonks.:

.: Quarto Cinza.:

Quando Narcissa chegou, soltou um bufo. A sua irmã do meio, nunca fora daquelas de cumprir horários. Dormia, enrolada nas mantas e a carta em cima da mesa.

- Andrômeda, desperta! – chamou.

Obteve um gemido.

- Andrômeda Belinda Black Tonks, desperta imediatamente! – a mulher de cabelos cor de mel abriu os olhos azuis, bocejando.

- Cissa? Que raios fazes aqui na minha casa? – resmungou, observando-a.

- Arranja-te. Estou a tua espera na sala. – e saiu.

-Ei!

.: Meia hora depois.:
.: Sala castanha.:

Andrômeda desceu as escadas. O cabelo solto e desalinhado, não combinava com a túnica negra. Narcissa rolou os olhos, quando a viu.

- Mãe! – Cissa massajou a cabeça. – Vamos a Dia….Tia Narcissa!

- Tonks, Pandora, tenho um assunto sério a conversar com Narcissa. Saiam de uma vez.

- Adeus, tia Narcissa. – a mais nova encaminhou-se para a lareira e gritou: - Diagon-All! – e desapareceu.

- Sucede algo, mãe? – perguntou, olhando para as irmãs Black.

- Não, Nymphadora. Podes retirar-te?

- Que mau humor. E não me chames Nymphadora! – sussurrou. – Adeus, Narcissa. Diagon-All!

O silêncio reinou. Andrômeda pediu o café da manhã para ambas e perguntou:

- Que te traz por cá, Narcissa?

- Bellatrix.

- Que fez ela desta vez? Já não lhe bastou, matar Sirius? – rosnou, friamente.

A loira suspirou e tirou ambas cartas, para cima da mesa.

- Que é isso? – perguntou, novamente Andy.

- Bellatrix mandou-me esta carta pela noite e a ti também. – explicou, lentamente. – Espera-nos á meia-noite no Departamento dos Mistérios. Esta é a tua carta. – sublinhou, entregando-a. Andrômeda leu o pergaminho, empalidecendo e arregalando os olhos. Narcissa estranhou isso.

- Que conta ela?

- Ela…filho..Potter…Sirius…Departamento…- balbuciou.

- Perdão, Andy? – inclinou uma sobrancelha loura.

- Diz aqui que ela namorou com Sirius, quando era nova e que terminaram, quando a mãe a casou com Lestrange. Que descobriu que estava grávida e o pai era Sirius. Graças a nós, conseguiu esconder a barriga. Uniu-se ao Lord, por ódio. Nove meses depois, deu á luz. Lilly Potter perdeu o filho e Bellatrix entregou-lhe o dela, sabendo que corria perigo, se o Lord soubesse do miúdo. Quer que nós treinemos o miúdo para ser um Black e descubra as suas origens. Vai ao DdM, resgatar Sirius.

- E quem é o miúdo? – as memórias haviam sido recuperadas e ambas recordavam-se de tudo.

- Harry Potter.

Olá!

Espero que gostem desta nova história, onde as minhas personagens favoritas estão unidas entre si.

Comentários, se querem o segundo capitulo!

Pandora Narcissa Black