"Cedo Demais você disse que me amava.

Cedo Demais você tentou ter-me em seus braços.

Cedo Demais você quis me seduzir.

Cedo Demais você conseguiu me beijar.

Cedo Demais conseguiu o que quis.

Cedo de mais desistiu de mim.

Cedo demais você me esqueceu.

Tarde Demais eu me apaixonei por você.

Tarde Demais percebi o quanto você mudou.

Tarde Demais resolvi te aceitar.

Tarde Demais me declarei a você.

Tarde Demais, você já não me quer.

Tarde Demais. Não tem volta. Amo Você."

Lílian Evans

Essas frases estavam escritas em um pergaminho manchado por lagrimas da autora do texto.

Tiago Potter era o leitor da carta. Ele a havia recebido através de uma coruja e agora seus olhos castanhos esverdeados estavam marejados. Em seus 7 anos de colégio gastara todos eles tentando se aproximar da ruiva, e agora que finalmente tinha começado a esquece-la aquela bomba cai em seu colo. Ela também o amava.

Também o amava, afinal ele ainda não conseguira tirar os olhos verdes e aqueles lindos cabelos ruivos de sua cabeça. E foi com essa constatação que o garoto saiu a procura dela por todo castelo, em cada sala que ele olhava a tristeza parecia pesar em seu peito.

Quando finalmente chegou nos jardins, a encontrou. Lá na beira do lago, emoldurada pelo por do sol, linda como ele nunca vira antes.

Chegando próximo a ela, sorriu ao ver o vento brincar com seus cabelos, o sol que refletia nos olhos cheios de lagrimas dela o faziam perder toda a razão. Suas pernas não agüentariam o peso do próprio corpo e por isso sentou-se ao lado dela.

Sentindo o perfume que inebriava sua mente, Lily olha para o lado, sorrindo internamente diz:

- Tiago... – impedindo-a de falar colocando o dedo indicador em seus lábios, ele toma a palavra:

- Me deixa falar Lily. Eu recebi isso hoje... – diz mostrando a ela a carta – é verdade Lily, é verdade o que está escrito aqui?

- Eu vou matar a Bruna... – diz ao ver o que era – ela não tinha o direito de te mandar isso... não tinha!

- Sabe Lílian, não posso deixar você fazer isso. – diz abrindo um largo sorriso – mesmo sendo a Bru quem mandou a carta... foi você que escreveu.

- E que diferença isso faz? – perguntou desanimada

- A diferença ruivinha, é que não é tarde demais.

- O que quer dizer com isso Potter.

- Quer dizer Evans – diz se aproximando dela e a enlaçando carinhosamente pela cintura, deixando seus corpos muito unidos, até que seus lábios se unem em um furioso e apaixonado beijo.

Quando finalmente se soltam, os olhares se atraem como imãs, ela fala:

- EU TE AMO! Tiago Potter.

- Eu também TE AMO! Lily Evans. Quer namorar comigo?

- É o que mais quero!

Os dois ficam ali, curtindo o por do sol e depois a lua crescente que pairava alta no céu, quase cheia. Aproveitando cada segundo que era único e mágico para ambos.

Lá fora a noite era escura, como o tempo que eles viviam, mas pensar nisso não era o que fariam hoje. Por hoje, o que queriam era apenas planejar o futuro, o casamento, os filhos que viriam. A guerra ficava pra depois. Tudo o que queriam agora era aproveitar que não era nem cedo nem tarde demais.