Ok... a última parte! Espero que vocês tenham gostado de ler essa estória tanto quanto eu gostei de escrevê-la!! Eu tenho que confessar que foi divertido!! hehehehe Eu nunca tinha tentado escrever um pouco de humor, e foi uma experiência muito legal! Agora, para finalizar a nossa pequena jornada e a longa deles, aqui está o último capítulo de Uma Longa Jornada! Curtam à vontade e me digam o que acharam!! Review:D

Uma Longa Jornada - capítulo 3

Aragorn sentiu o seu coração acelerar, se é que aquilo era realmente o seu coração batendo. Ele viu quando Legolas ficou sobre um joelho, curvando a cabeça, aguardando o julgamento do Vala, e fez o mesmo.

"Manwë falou, e a sua palavra deverá ser cumprida," Mandos começou, sua voz profunda e severa, como a de um juiz experiente pronunciando a sentença final de seus réus. "A vocês foi concedida a graça de retornar à Terra-média, e cumprir o destino que foi traçado pelas mão do próprio Criador."

Aragorn e Legolas sentiram uma incrível sensação de alegria e exultação enchendo os seus corações, e profunda gratidão a Eru e aos Valar.

Mandos então olhou diretamente dentro dos olhos do humano e do elfo com um olhar mais penetrante que a mais afiada de todas as lâminas, e disse vagarosa e austeramente, como que para se certificar de que ambos entenderiam o verdadeiro significado de cada palavra que estava proferindo. "Entendam isso. Um segunda chance para retornar não é algo dado levianamente pelo Súlimo, e tudo que ele pede a vocês em troca é que a usem com sabedoria. Muito depende de você, Elessar, pois levas em ti a última esperança para o mundo dos homens. E você, Thranduillion, deves auxiliá-lo neste caminho para alcançarem a vitória sobre as forças da escuridão".

Com isso, Mandos se levandou, estendendo suas mãos sobre eles. "Vão em paz, filhos de Eru. E que a graça de Ilúvatar os proteja."

Legolas acordou com o vil odor do campo de batalha agredindo as suas narinas. Abriu os seus olhos vagarosamente, e a primeira coisa que viu foram os corpos de inúmeros orcs espalhados ao seu redor.

De súbito, tudo voltou a sua mente... a viagem com Aragorn, o ataque dos orcs, os dois lutando números infinitos de inimigos, seu amigo caindo atingido por uma flecha, e a dor aguda na sua costa e flanco.

Percebendo que não sentia qualquer tipo de dor, levou suas mãos aos locais onde recebera os ferimento, mas tudo o que encontrou foram as suas vestes rasgadas com longos cortes, a pele e os músculos abaixo, porém, estavam intactos.

Com a sua cabeça funcionando a mil, ele olhou ao seu redor e viu Aragorn caído de bruços no chão, não muito distante dele, imóvel.

Correndo para o lado de seu amigo, ele o virou cuidadosamente, com a preocupação de não machucar ainda mais o humano já ferido.

Mas, para sua supresa, não havia flechas, ou cortes, ou arranhões... nada. Ele fitou, espantado, os orifícios e os talhos na roupa de seu amigo, constatando que, verdadeiramente, era tudo o que havia.

Aragorn foi despertado pelos movimentos do elfo enquanto este o checava, buscando qualquer indício de ferimentos.

"O que você está fazendo?" Aragorn perguntou, sentando-se e empurrando para longe as mãos do amigo.

"Eu vi você sendo atingido por uma flecha... eu sei que eu vi..." a voz do elfo soou distante, enquanto fitava o seu amigo milagrosamente são. Ele não podia expressar em palavras o alívio que sentia naquele momento, assim como a sua total incompreensão de como isso viera a ocorrer.

Foi então que Aragorn finalmente se lembrou da batalha travada contra os orcs, as suas mãos indo instintivamente para onde lembrava ter sido atingido pelas flechas. Ele olhou ao seu redor para se certificar de que a luta não tinha sido apenas um pesadelo, porém os corpos dos orcs eram a prova suficiente de que ela ocorrera.

"E eu fui..." ele finalmente disse. "Eu não entendo."

"Eu também não, mellon nîn. Mas agradeço aos Valar por este milagre," disse o elfo, levantando-se e estendendo a sua mão para ajudar o amigo a pôr-se de pé. "Acho melhor voltarmos. Não sabemos se ainda há mais orcs desse bando espalhados por estas planícies, e eu não quero abusar da boa vontade dos Valar," ele concluiu com um sorriso.

"Aye," Aragorn respondeu, ainda muito espantado para conseguir formular uma resposta mais eloqüente.

Os amigos, após empilharem e queimarem os corpos dos orcs, começaram o seu retorno para Valfenda.

"Você acha que alguém vai acreditar se contarmos o que ocorreu hoje?"

Legolas pensou um pouco, sem desviar os olhos do caminho, e respondeu com um sorriso. "Não... não acho que alguém iria acreditar... eu estava lá e ainda não acredito no que aconteceu..."

"É... foi o que eu pensei.", Aragorn respondeu, rindo-se, já que ele mesmo não entendia o que acontecera.

"Mas uma coisa eu posso afirmar, mellon nîn..." disse o elfo, virando-se para encarar o humano, olhando-o bem nos olhos.

"Sim, Legolas?"

"Da próxima vez que nós formos viajar, eu farei o planejamento."

FIM


É... é isso aí!! Acabou!! Espero que cês tenham gostado e que deixarão uma linda e amigável review para mim!! hehehehe Valeu por terem lido!! E até a próxima!!