N/A: Comentários no final do capítulo.

Relembrando: Lily e James foram dar uma volta no castelo para "discutir a relação" no horário do jantar, após ela ter pedido desculpas por tê-lo magoado.

Agora, o último capítulo.

Oportunidades Perdidas

"Eu não vou mentir, James. Você me deixou muita confusa." Lily começou, virando num corredor ao acaso e vagando por ele. Ela, em toda sua honestidade, não sabia aonde eles estavam indo também. "Justo quando eu achava que já tinha te decifrado, você vem e faz o meu mundo girar de novo. E francamente, eu nunca gostei de ficar tonta." Ela estava notavelmente calma, apesar de sua mente estar indo à loucura.

"Você está me fazendo subir pelas paredes, mas ainda assim, você é como uma chama que continua me atraindo. Eu continuo me queimando de um jeito ou de outro, mas mesmo assim não consigo me afastar. Eu estou ficando louca." Uma outra virada, uma pequena escadaria, outro corredor. A voz dela ia crescendo gradualmente com mais fervor. "E eu não sei por quê não consigo ficar longe de você, não importa o quanto eu queria. Não tenho controle algum sobre mim mesma, James. Não desde que você me puxou para dentro daquele armário horrível e me beijou e..." ela fez uma pausa, o rosto ganhando um tom vermelho de raiva moderada. "E eu te odeio, e não odeio, tudo ao mesmo tempo e eu não posso suportar isso, mas também não quero que isso acabe nunca, tudo isso de uma só vez, e tudo é inteiramente culpa sua! Eu quero esgoelar você mas eu não posso porque estou preocupada demais com os seus malditos belos olhos!"

As palavras que Lily falara fizeram o coração de James inchar, deram a ele esperança.

"Então por que você está tentando lutar contra isso?" James perguntou sinceramente, ele não entendia o que ela tinha a perder ficando com ele. Se os dois ficassem juntos, as coisas seriam muito mais simples, fariam sentido.

Ela deu um sorriso fraco, daqueles que alguém dá a uma criança que não entende uma coisa importante. "Porque, James," ela disse olhando para baixo e balançando a cabeça. "Eu quero isso demais." Como se isso explicasse tudo o que se passava na mente dela ao mesmo tempo. "Porque eu quero demais, e porque toda voz lógica na minha cabeça está gritando 'não!'. Porque é tudo simples demais para possivelmente funcionar." Ela soltou uma dolorida, irônica risada. "É por isso."

"Algumas coisas nem sempre tem que ser lógicas, Lily. Algumas coisas simplesmente são. Veja o céu, por exemplo..." James disse ao empurrar e abrir uma porta que levava para os jardins. Ele gesticulou para o céu antes de continuar, "É azul. Poderia ser de qualquer outra cor, mas é azul. Não é verde, nem amarelo e nem roxo. Mas azul. Apenas é." Disse James, esperando que isso de alguma forma fizesse sentido para Lily.

"Se você sente alguma coisa, então não deveria ter que esconder. Nós ficando juntos, faria você feliz?" ele perguntou.

"O céu é azul por causa das moléculas e da refração da luz." Ela contrariou, inclinando-se contra a parede mais próxima e dobrando os braços sobre o peito. As palavras dele a atingiram lentamente. Ficarem juntos. Felizes. Merlim. Eles eram uma espécie de ícone, não eram?! Ela certamente nunca pensou que estaria lidando com isso. Ela não podia mentir, mas não queria simplesmente dizer 'sim' também. Bem, na verdade podia, mas ela tinha alto controle.

"Talvez. Eu não sei. Várias crianças pensam que comer uma cesta de doces de Halloween inteira vai fazê-las felizes, até passarem-se dois dias e elas continuarem com dor de barriga por causa dos doces." Bem. Isso circundava a questão de uma certa forma, ela pensou.

Esse último comentário atingiu James pesadamente, ter sido comparado com algo sem importância como um doce de Halloween. Ele suspirou, e olhou de relance para o céu. Moléculas e reflexão da luz, claro que Lily tinha algo a dizer para fazer com que tudo o que ele dissesse fosse errado.

"Lily... Eu estou cansado de brigar com você por causa disso. Talvez devêssemos apenas fazer do seu jeito." Ele disse as palavras suave e lentamente. Dizer isso doeu, mas ele não podia continuar com esse jogo de vai e vem para sempre.

Um olhar alarmado surgiu na face de Lily, e ela rapidamente se esticou em toda a sua altura. "Que jeito é esse?" ela exigiu, antes de colocar as mãos nos quadris. "Sério James, esse é um lado seu que eu nunca vi e não acho maravilhosamente atraente. Desde quando James Potter desiste de alguma coisa, especialmente quando é em relação a mim? Sr. 'Eu-acho-que-é-uma-idéia-BRILHANTE-seguir-aquela-ruiva-lá-até-ela-concordar-em-sair-comigo'". Ela cruzou os braços sobre o peito novamente.

"Você provavelmente está fazendo isso de propósito," ela pensou alto, olhando-o de cima a baixo com um olhar que dizia 'Eu não acredito nisso'. "Só pra me irritar."

"Lily, eu não posso mais fazer parte desse jogo onde você age como se gostasse de mim num minuto, e no próximo você me odeia. Eu não agüento mais. Eu não sei se você percebeu, mas eu gosto de você muito mais do que você pensa, e me machuca demais ter que sentar e esperar eternamente só pra ouvir você dizer que não é lógico!"

Pronto. Ele tinha falado; talvez Lily fosse aproveitar algo disso.

"Então se você for me recusar de novo, pense bastante sobre isso e tenha certeza de que é a sua palavra final. Porque eu não posso esperar por você pra sempre Lily." James concluiu, se encostando na parede e suspirando. Ele não queria que Lily tomasse aquilo como ofensa, ele queria que ela percebesse que precisava dele.

"Eu não estou fazendo drama nenhum, James." ela disse friamente, parecendo magoada. "Eu gosto mesmo de você, e te odeio também. Você gostou de mim o tempo todo. Eu, por outro lado, vim te recusando desde os onze anos. É extremamente difícil simplesmente voltar atrás assim, do nada, e dizer 'oh, não importa o que era considerado uma parte vital e engendrada de quem eu sou. Ele é um bom garoto!' Talvez isso tudo seja preto e branco pra você, James, mas é completamente cinza pra mim." Ela o fixou com um olhar sério.

"E me desculpe se estou te machucando, eu realmente estou, mas isso também está me machucando, e você não parece se dar conta disso!" Ela parecia estar à beira de lágrimas. Lily se encostou na parede, a confortáveis dois passos de distância, e olhou para ele. "Eu não quero continuar fazendo isso James. Eu só... Eu não sei." Ela também liberou um suspiro. "Apenas… não vá. Por favor."

James a encarou, os olhos dela pareciam menos brilhantes, fizeram James querer fazê-la rir, para que ele pudesse vê-los brilhar.

"Eu não vou a lugar nenhum Lily." James disse baixinho. Ele então sentou, as costas se apoiando na parede, como se isso confirmasse o que ele dizia. Ele lançou um olhar para os macios cabelos ruivos, nariz perfeito, e lábios incríveis. 'É, isso pode estar machucando-a,' James pensou, 'mas está me matando.'

Ele ia esperar até que ela sentisse vontade de falar; ele sentaria pacientemente e esperaria. Quando ela falasse, ele iria escutar, e aceitar o que quer que ela dissesse, não importando se fosse doloroso ou o contrário. Em sua mente, James fez uma nota que se ela o rejeitasse novamente, ele iria parar de persegui-la, e simplesmente desistiria.

Lily sentou ao lado dele e se afundou no silêncio, aliviada por ele ter ficado onde estava. Ela pensou por pelo menos cinco minutos. Cinco lancinantemente longos minutos. Ela considerou quase todos os cenários possíveis, todos os resultados, comparou a situação com tudo o que ela pôde, antes de chegar a uma conclusão. Ela relanceou um olhar para James, antes de se inclinar e deitar a cabeça sobre o ombro dele.

"Eu acho... que eu quero ao menos tentar. Você perde todas as oportunidades que não aproveita." Ela disse bem baixinho, olhando para as pedras da parede à sua frente, mas apreciando o suave calor que se acendia no seu peito.

James não estava preparado para isso, mas ele não protestou nem um pouco. Ele a deixou descansar a cabeça sobre seu ombro por um momento, se entregando totalmente. Ele então colocou o braço ao redor dela e a segurou bem perto, não querendo deixá-la ir nunca.

"Eu estou totalmente afim de tentar." James disse suavemente, dando em Lily um gentil aperto.

Ele havia se sentido congelado por tanto tempo, mas agora, naquele momento, ele começou a derreter. Tudo porque aquela garota tinha descansado a cabeça no seu ombro, mostrando-se disposta a tentar. Ele deixou um sorriso de satisfação escorregar, esse se tornou um sorriso largo, enorme. Ainda bem que Lily não podia ver, se não ela teria achado que ele era louco.

Uma delicada mão vagou por uns instantes, antes de encontrar uma mão livre e enlaçar seus dedos com os dele. Um sorriso extremamente genuíno passou pelas feições de Lily, e se aprumando até ficar confortável, ela fechou os olhos e suspirou feliz. Ah, sim. Boa escolha.

"Obrigada por me agüentar, James." Ela murmurou.

"Obrigado por me agüentar." James respondeu. Relanceando sobre a mão dela na dele, ele sentiu seu coração inchar ainda mais; certamente iria explodir a qualquer momento agora. No fundo ele estava com medo de que Lily mudasse de idéia a qualquer minuto, fazendo com que ele tivesse um ataque cardíaco, tudo novamente. Mas agora, ele estava completamente satisfeito. Não havia lugar algum no mundo em que ele preferisse estar, do que sentado contra a parede com ela em seus braços.


N/A: Eu realmente não pretendia demorar tanto… Sei que não adianta explicar, então não vou. Espero que tenham gostado da fic e principalmente de como ela terminou.

Agradecimentos a: Jhu Radcliffe, Nice Egan, Mahzinha Weasley, Mrs. Mandy Black, Thaty, Maria Lua, Bella D. Potter, Gra Evans, Fla Marley, Jéssica, Rose Anne Samartinne, Kine L., Mari-Buffy, Dan224, DeH, Julinha Potter, Tahh Halliwell, Bella S. Weasley, Letícia Cullen, Mel.Bel.Louca, manela, Paty Felton, Andie Black, Cla V., Reeh, Luiza Holmes, Bruna B.T. Black, enfim, todos que leram e comentaram, mesmo que tenha sido apenas uma vez. Muito obrigada pela paciência de vocês!

Com isso, acaba o meu vínculo com o FF, pelo menos temporariamente, ou seja, até eu escrever ou traduzir algo novo.

Mais uma vez, obrigada, e até uma próxima vez!

Lulu Star