Festa

Haviam se passado 13 anos desde a união de dois enamorados ninjas da vila da folha. Agora, o ex-vingador estava feliz por completo, e o clã Uchiha tinha voltado a florescer. Agora ambos estavam com 31 anos e formavam um casal que ainda despertava inveja por tamanha beleza.

Sato estava com 13 anos (ele nasceu no mesmo ano do casamento) e Saya com 11, dando muito trabalho aos pais por estarem entrando numa fase chamada adolescência

OoOoOo

O tom do céu se tornava alaranjado enquanto o sol se escondia atrás dos montes. Era um tranqüilo fim de tarde em Konoha...

No clã Uchiha um lindo homem (e gostoso! XD) com um par de olhos cor de ônix lia atentamente o seu jornal quando algo lhe interrompeu:

- Otou-san... - dizia a criatura de orbes verdes estonteantes.

- Nani?- respondeu, sem prestar muita atenção.

- Sabe... – dizia a pequena fazendo movimentos circulares com o pé direito – Hoje vai ter o festival da primavera e eu queria ir. Você deixa?

Sasuke largou o seu jornal. Sua princesinha queria mesmo ir a uma festa? Saya era muito delicada e doce como a mãe, mas herdara a timidez do pai. Nesse momento, suas bochechas ferviam, temendo pela resposta. Para Sasuke, era meio difícil acreditar que sua menininha havia crescido... Pelo menos ele não queria! Ele já ia responder "não", mas outro indivíduo chegou à sala e fez a mesma pergunta. Sato era sério, mas tinha o temperamento explosivo da mãe e falava muito. Antes que o pai respondesse, ele dava seus argumentos:

- é sério Otou- san! Todo mundo vai estar lá! E além do mais eu já tenho 13 anos. Se você já está velho demais, eu não e posso ir sozinho...

- QUEM TE DISSE QUE SOU VELHO, MOLEQUE? – Sasuke estava irritado. Agora não iria deixar mesmo. Onde já se viu? O último membro da família adentrou o cômodo onde todos estavam reunidos discutindo e disse:

- O que está acontecendo aqui?

- Nossos filhos querem ir ao festival! – disse Sasuke com um olhar reprovador para as crianças.

- Sato, você pode ir...Mas Saya está muito novinha! – a menina já ia apelar para mãe:

- Mas Okaa-san, eu prometo que volto cedo! – dizia ela com lágrimas nos olhos e com a franja caída em sua testa.

- Mas filhinha, o festival começa 7:00 horas! E você tem que voltar cedo... – vendo que não ia adiantar, a menina foi de alguém que poderia deixá-la ir e atacá-lo em seu ponto fraco: O seu pai. Ela olhou diretamente para o pai com seus olhinhos verdes lindos que deixariam qualquer um hipnotizado. Saya era tão linda e meiga que ela poderia pedir o pai para colocar fogo na casa com aquela carinha, ela conseguiria.

- Por favor, Toto-san! – dizia ela acariciando os cabelos negros do Uchiha.

- Está bem, mas nove horas ou te buscar... Nem um minuto a mais viu mocinha? – disse ele. A criança sorriu e deu um beijo no pai. Saya era muito carinhosa, ao contrário de Sato, que tinha trocado essa característica por rebeldia. Ele beijou a testa de Saya e disse:

- Agora vai se arrumar!

- E eu Otou-san? Tenho que voltar nove horas? – disse Sato – Não sou uma "mocinha".

- Não filho, no máximo 11 horas. Você voltar com seu tio Naruto porque não vou passar lá duas vezes...

O menino se apressou e subiu as escadas para se arrumar também. Sakura aproximou-se do marido sorrindo e deu-lhe um selinho. Sentou em seu colo e disse em tom de brincadeira:

- Você vai colocar as crianças perdidas, Sasuke-kun! Deixa-as fazerem tudo o que querem... É mais fraco que eu.

Sasuke sorriu. Tudo aquilo o entorpecia, mesmo sendo um pouco frio amava muito sua família e na verdade, não estava interessado em negar-lhes nada, pois queria vê-los feliz. Queria que eles tivessem tudo aquilo que ele não teve: uma vida saudável, cheia de alegrias. Queria ser apenas, pai.

Continua...

Gente, quase que a fic não sai! Esta história está dedicada à Mye-chan, é uma honra tê-la conosco fofa! Não sei se ficou boa, mas dei o meu melhor...Espero que goste. Amo todos os meu leitores e prometo responder todas as reviews, viu?

Beijos!!!!!!!!!!!