Nunca Fui Beijada

N/A: Minha primeira fic sozinha! Já tinha feito algumas, mais nunca postei. Então aqui está. Espero que gostem e comentem pra mim saber o que acharam.

Shipper: James e Lily Potter

Resumo: Meu nome é Lily Evans. Tenho 17 anos e nunca fui beijada. Lily está no último ano de Hogwarts e em meio a problemas familiares, ela faz um acordo: Tem um ano para arranjar um namorado e decidir o que quer da vida. Caso isso não ocorra, Lily terá que aceitar o escolhido por sua mãe e esquecer o mundo bruxo.

Disclaimer: Nada disso me pertence. Personagens e mundo mágico são de propriedade de J. K. Rowling. Esta história não possui fins lucrativos.

Meu nome é Lily Evans. Tenho 17 anos e nunca fui beijada. Tenho uma irmã adorável, com cara de cavalo, fofo e que me odeia (o sentimento é mútuo...). Meus pais vivem brigando, dormem em quartos separados. A última vez que eles dormiram juntos... bem, o resultado foi eu. Eles estavam bêbados. Depois disso, tomaram o maior cuidado com bebidas que possuem um alto teor alcoólico. Ou seja, nem posso afogar minhas mágoas...

Meu pai é empresário e minha mãe socialite. Por isso, eles não se separam. Para preservar a imagem! De vez em quando (melhor, de vez em sempre) eu sou obrigada a ir a jantares ridículos, com pessoas extremamente irritantes e fazer de conta que somos uma família feliz.

Quando tinha onze anos, descobri que era uma bruxa. Fui para Hogwarts, que é o lugar mais parecido com um lar que eu já tive na vida. Não tenho amigos. O último me chamou de sangue-ruim e disse que não precisava de mim. Depois disso, eu me tornei mais CDF do que já era. Sim, eu sou (e assumo) que sou CDF. Só uso óculos para para leitura, mas uso. Não converso durante as aulas, não colo nas provas (na verdade, não preciso). Não tiro notas abaixo de O. Não uso decote. Não falo com estranhos. Não fico bêbada. Não uso drogas. Não como beterraba¹. Amo chocolate. É, eu sei que é depressivo. Às vezes, quando fico mal, ouço música e como chocolate, me sinto uma gordinha de filme norte-americano.

Por isso, eu não costumo chorar.

Outra coisa, que eu gosto é de ir perto da floresta proibida e sentar à sombra das árvores. Geralmente, estar em Hogwarts me faz feliz. São as pessoas que vivem lá é que me irritam. Eu juro que não é TPM! Mas, geralmente, tudo me irrita. E eu juro que não sou eu. Eu acho que alguém, Merlin provavelmente, colocou uma placa na minha cabeça escrito: "Me Irrite!" eu atraio essas coisas. E aqui estou eu. Falta uma semana para meu último ano em Hogwarts. Se os meus pais fossem normais, eles me dariam um apartamento no centro de Londres e dinheiro para viajar pelo mundo enquanto eu decido o que fazer. Mas, não! Legais como eles são, estão me apresentando à classe alta, discutindo qual faculdade eu vou fazer, e os possíveis partidos para mim casar. E o que eu posso fazer?

1º. Bruxas não fazem faculdade;

2º. Eu não vou me casar. Não tão cedo, pelo menos;

3º. Eu não quero conhecer nenhum nerd com amendoim nos dentes!

Tudo o que eu quero é PAZ! Pequena palavra de 3 letras que tem um maravilhoso significado. Mas nem isso eu consigo.

Então, tudo o que me resta é agüentar mais uma. Conhecer mais alguns nerds. Ver mais projetos de faculdade e, na última noite, agüentar meu pai chorando por eu ir para uma escola de bruxos e minha mãe falando para as amigas dela que sua filha caçula está indo para uma escola chiquérrima no exterior que ela se recusa a falar o nome. Ah, e tem a minha irmã que vai tentar me pregar alguma peça maluca, como por exemplo pendurar meus sutiãs pela casa ou coisa parecida, e seu namorado me olhando como se eu fosse uma aberração. Ah, eu não contei? Minha irmã com cara de cavalo tem um namorado. E eu não. Não que eu queira um... Aff, quem eu estou querendo enganar? É lógico que eu quero um.

Enfim. Mais uma semana. Aí eu vou para Hogwarts. Aprendo a desaparatar, já que agora eu tenho 17 anos. E sumo. Sumo da vida dessas pessoas.

Há. Até parece. E onde eu vou arranjar dinheiro? OK. Eu arranjo um jeito de acabar com essa frase.

-- Contagem Regressiva

Segunda-feira

Hoje é dia de jantar aqui em casa. Com certeza minha mãe vai querer me apresentar um "partidão". São 7h da manhã. Daqui a 15 minutos minha mãe vem me acordar. Vou pôr meu cronograma aqui, só para você ver como eu sou uma pessoa de sorte:

8:00h – Natação

9:30h – Academia

11h – Shopping (Seria ótimo se minhas mãe e irmã não fossem)

12:30h – Almoço

13:15 – Piano ()

14h – Manicure

15:30h – Cabeleireiro

16:15h – Drenagem

17h – Chá das cinco (Der! São cinco horas, né?? A Criatividade Britânica me impressiona)

17:30h – Banho

19:30h – Jantar

23:30 – Dormir

Viu? Poucas coisas aí eu faço sozinha. E o tempo que sobra para mim é entre banho e jantar. Seria longo, se minha mãe não me obrigasse a trocar de roupa uma 7 vezes!

Agora são 7:12. 3 minutos até minha neurótica mãe me chamar. Meu quarto é tão legal. É uma das poucas partes da casa que eu gosto. Minha cama tem dossel. Eu sempre gostei de dossel. Me lembra da época medieval, mitologia grega. Coisas que me fascinam.

7:13. 2 minutos. Talvez, se eu tivesse um namorado eu seria mais feliz, mais calma, mais amada. Petúnia melhorou muito depois que arranjou um.

7:14. Catorze é meu número preferido. É o dobro de muitas coisas que eu gosto. Por exemplo, as 7 notas musicais, as 7 cores do arco-íris.

É meu número preferido.

10

9

8

7

6

5

4

3

2

1

'-Lily, querida, acorde.

Eu não disse?

N/A: Fim! E ai gostaram? Comentem. BeeeijO