BLACK'S
© 2003 Nana Jiló.

Inspiração: Harry Potter

Autora: Nana Jiló

Spoilers: Harry Potter e a Ordem da Fênix

Sinopse: Uma possível verdadeira relação entre os primos Black – Sirius e Bellatrix. Nada de tramas mirabolantes ou dramáticas. Eles terão que encarar o fato de que são extremamente diferentes, e que um mundo de conceitos os separa.

Tipo: Romance, S/B

Censura: PG-13. Contém algumas cenas fortes.

Feedbacks:

Sirius Black, Bellatrix e outros são © J. K. Rowling. All rights reserved.
Isto é uma FanFiction, criada com o único intuito de entreter e promover os livros de J. K. Rowling. Não ganho nenhum tipo de remuneração por meu trabalho e não tenho a intenção de prejudicar a Rocco ou qualquer outra distribuidora dos livros de Harry Potter.

"Black's" é uma FanFiction by Nana Jiló. Dezembro de 2003.
Lembrando que apesar disto ser uma fanfic, a criatividade de escrevê-la ainda é minha. Tenha sua própria idéia e escreva-a.


I – AOS SETE ANOS

Sirius estava trancado em seu quarto no Grimmauld Place, nº 12, quando ouviu o burburinho de vozes lá embaixo. Curioso, ele largou seus brinquedos no chão e entreabriu a porta, bem a tempo de ver seu irmão mais novo, Rélugus, nos braços da babá, descendo as escadarias da casa.

- Olá, Ursula! – exclamou a já bem conhecida voz de tia Electra, mãe das irmãs Andrômeda, Bellatrix e Narcisa. Sirius sorriu, animado, e desceu as escadas pulando os degraus de dois em dois. Adorava brincar com as primas...a última vez que as vira fora há um ano atrás.

Era aniversário de sua mãe, não era a toa que as primas haviam vindo visitá-la. Como sempre, iria ser uma festa cheia de arranjos e pompa, com os mais ilustres convidados. E novamente Sirius iria ser obrigado a colocar aquele paletó e a gravata...Droga!

Ao chegar ao corredor, logo viu seu grande tio, Antares, indo para a cozinha acompanhado por seu pai, Aldebaran Black. Tia Electra e Ursula conversavam animadamente. Atrás da tia, vinha Andrômeda, Bellatrix e Narcisa. As três sorrindo.

Sirius acenou para elas. -- Olá!

- Olá, Sirius! – cumprimentou Narcisa, que era um ano mais velha que Sirius.

- Oi – cumprimentou timidamente Bellatrix, que tinha nove anos. Ela era a prima que Sirius menos brincava. Achava-a muito quieta e sem graça.

- Oi, Sirius! – sorriu Andrômeda, abaixando-se para beija-lo na bochecha. Ela tinha onze anos. Sirius abraçou-a afetuosamente. Ela era sua prima favorita! Adorava os jogos que ela fazia para eles brincarem durante o tempo que se hospedava na casa!

- Ei, meninas, como vão minhas sobrinhas? – sorriu Ursula para elas, dando beijos estalados em cada uma, que faziam uma careta. Sirius abafou uma risada. – Narcisa, querida, venha ver seu primo Régulus! Afinal, vocês estão prometidos a casamento!

Narcisa fez uma careta, horrorizada. Era de conhecimento de todos que ela não gostava dessa idéia de ser prometida ao primo de cinco anos. Tia Electra e Ursula guiaram Narcisa para longe de Sirius e das irmãs, que riam.

Os Elfos domésticos da casa correram para pegar a bagagem das irmãs, e levaram para o quarto de hóspede de cada uma.

- Vamos brincar?! – perguntou Sirius, animado. Não era todo dia que ele tinha as primas em casa para brincar com elas. Ele não achava graça em brincar com Régulus, que nunca 'brincava direito'.

Andrômeda deu um sorriso forçado.

- Sabe o que é, Sirius... – começou ela. Falta só dois meses para eu fazer 12 anos e ir para o segundo ano em Hogwarts...estou muito ansiosa! Vou me corresponder com umas amigas sobre a escola...Não vai dar mesmo! Brinque com Bellatrix! Ainda falta dois anos para ela ir para Hogwarts! – disse Andrômeda, aparentemente em tom de deboche.

Sirius virou-se para a prima que menos gostava, encarando-a, sério.

- Vamos brincar?

Ela pareceu considerar. Sirius fez a sua melhor cara de cãozinho sem dono.

- Tá, certo. – concordou Bellatrix. – De quê?

Nisso, Andrômeda já havia se afastado, e rumava para seu quarto no segundo andar. Sirius guiou Bellatrix para seu quarto, a fim de mostrar-lhe seus brinquedos mágicos. Havia o palhaço-dentro-da-caixa, que saía quando queria, fazendo caras diferentes e assustando as crianças. Sirius e Bellatrix concordaram que seria melhor brincar com o palhaço durante a noite ("Muito mais assustador" disse Bella), e decidiram-se pelas varinhas sintéticas que soltavam inofensivas faíscas de cores variadas, dependendo de quem utilizava o brinquedo. Geralmente, as faíscas que Sirius produzia eram vermelhas e, dependendo de seu humor, as vezes negras. Já a varinha sintética de Bella soltava faíscas verdes e prateadas e, assim como Sirius, as vezes negras.

- Deve ser de família! – brincou Sirius, quando ambos estavam com raiva e saíram faíscas negras de ambas as varinhas. Eles desataram a rir.

Isso durou a manhã toda, brincando de duelar. Era interessante brincar com Bella: ela duelava muito bem, e Sirius foi derrotado várias vezes por ela, o que o deixou bastante irritado, pois era acostumado a sempre ganhar de seu irmão.

Depois de um almoço maçante no qual tia Araminta falava sobre como os nascidos trouxas eram uma raça impura e cheia de defeitos e Ursula e boa parte da família concordava, Bellatrix, Sirius e Narcisa foram para o quintal, voar de vassoura.

Havia umas vassouras antigas no armário porta-treco da casa que sua mãe deixava usar, umas vassouras antigas e num estado lastimável, mas continuavam sendo vassouras...

- O que? – espantou-se Narcisa. – Você quer que eu voe de vassoura? – perguntou, incrédula, a Sirius que montava em sua vassoura.

- Vamos, Narcisa! – insistiu Bellatrix.

Narcisa passou a mão nos cabelos louros em trança.

- Não mesmo! Quando vocês descerem me chamem! – disse ela e, virando-se para Sirius. – E, seu chato, você sabe que eu não ando de vassoura! – grunhiu ela para o primo, que ria.

Ele e Bella deram um passeio rápido, e logo voltaram para o chão, para brincar com Narcisa de xadrez bruxo.

Sirius não era muito bom, e perdeu várias vezes para Narcisa e Bellatrix, até que, na décima partida, a mais velha gritou triunfante:

- Há! Seu trouxa! – exclamou ela.

- O que tem? – perguntou Sirius.

- Ora...te chamei de trouxa! – retrucou Narcisa.

- Isso era pra ser um xingamento?

Bella e Narcisa entreolharam-se, virando os olhos nas órbitas.

- Claro! – responderam elas ao mesmo tempo. E Bella acrescentou: - Você não ouviu tia Araminta falando? Eles são imundos...Devemos preservar nosso sangue!

Sirius apontou para Narcisa.

- Mas ela não quer casar com o Régulus nem na outra encarnação! – retrucou ele, confuso.

Narcisa e Bellatrix se olharam novamente, dessa vez confusas.

- Bom... – ponderou Narcisa. – Bom... – ela hesitou. – É diferente!

- Diferente como? – perguntou Sirius. Bella pigarreou.

- Estou cansada. Vou pro meu quarto. – avisou ela, levantando-se do gramado e entrando na casa.

- Mas, Bella! – chamou Sirius. – Nós estávamos tão animados brincando! – exclamou ele, sem entender a repentina mudança de humor da prima.

- Tchau, Sirius. – disse ela, como se não o tivesse ouvido.

Sirius ferveu de raiva.

Era noite. Sirius havia passado o resto da tarde com Narcisa e no finzinho da tarde Andrômeda havia se juntado a eles. Brincaram de coisas diversas, mas quando Ursula enxotou Sirius para o quarto, as duas irmãs também recolheram-se em seus aposentos.

Sua mãe estava zangada com ele, pois, de alguma maneira, ficara sabendo da conversa que ele tivera com Narcisa e Bellatrix sobre trouxas. Sirius tinha a leve desconfiança de que fora delatado pela própria Bellatrix, o que o deixou bastante irritado.

A lua ia alta quando Sirius ouviu um clique na porta de seu quarto e viu a sombra da mesma mover-se lentamente, rangendo.

- Quem está aí? – perguntou ele, levantando-se da cama.

- Sou eu – sussurrou Bellatrix, parada à porta. – Posso entrar?

- Cuidado com os brinquedos no chão! – murmurou Sirius, saindo debaixo das cobertas e sentando-se na cama. Bellatrix entrou e fechou a porta com um ruído seco. Ele a ouviu caminhar, ocasionalmente topando com algum brinquedo e gemendo de dor. Até que finalmente alcançou a cama de Sirius e sentou-se ao seu lado.

- Hey – murmurou ela. – Não vamos brincar com o palhaço?

Sirius estava emburrado.

- Por que contou a minha mãe sobre aquela história dos trouxas? – retrucou ele, zangado.

- Ora, ela me fez prometer que contaria caso alguma coisa assim acontecesse – defendeu-se Bellatrix, empertigando-se. – Acho que ela está desconfiada que você se torne um amante dos trouxas...

- Mas...o que os trouxas fizeram a ela?

Sirius não podia ver o rosto de Bellatrix, mas supôs que ela estava fazendo uma careta.

- Sua mera existência já é uma ofensa a nós, sangues-puros! – explicou Bellatrix. – Você é muito novo para entender...

- Não sou muito novo! – Sirius alterou o tom de voz.

- Shhh! – censurou-o Bellatrix. – Não quer que alguém me descubra aqui, não é? – disse ela. – Sirius, também tenho medo que você se torne um protetor de sangues ruins! Veja bem, você é meu primo, só quero o que é melhor para você!

- Se você quisesse o melhor para mim deixaria eu ter minhas opiniões! – disse Sirius, fazendo bico.

- Não esse tipo de opiniões! – retrucou Bellatrix. – Mas...Sirius, onde está a caixa do palhaço?

Sirius sorriu, logo esquecendo-se da conversa.

NOTAS: Gente, eu realmente não acho que eles se odiavam desde criança...Veja bem, crianças não odeiam ninguém! É claro que Bellatrix é uma mal caráter de nascença! Ursula não pediu para ela vigiar Sirius, Bella o delatou por livre e espontânea vontade. Mas, a meu ver, ela não o odeia...como vcs leram, ela fez isso por temer que ele se tornasse um amante dos sangues ruins! No próximo capítulo, Sirius Black entra em Hogwarts.