"Sine Die"

Sine die, do latim 'adiar por tempo indeterminado'. Você está adiando a sua felicidade.


Prólogo

Faria um mês em dez dias e James nunca havia querido que dez dias passassem tão rápido na vida. Então ela disse que precisava de um tempo pra ela, para os estudos na verdade. E então, os dez dias passaram tão devagar que nem pareciam dias de verdade.

-

12 de dezembro de 1976, 10:26 AM

Lily,

Quando você disse sim eu nem acreditei. De verdade. Parecia tão irreal. Você já tinha me dito várias coisas ruins sobre caras que se aproximavam de você, tentando ser seu 'amigo', mas que na verdade queriam ficar com você. Mas não foi minha culpa. Você me conquistou.

Na verdade, é sua culpa.

Mas não é uma culpa ruim. É mais só pra ter alguém pra culpar. Como se eu precisasse disso.

Eu sei que você não vai ler isso agora, até porque eu não vou entregar agora, é só que eu estava fazendo umas contas pra passar o tempo (você sabe como Poções é um saco) (ok, não sabe, mas deve ter uma idéia) então eu percebi que daqui a dez dias faz um mês.

Um mês que você disse sim.

Um mês que você disse 'Tá James. Mas promete que vai me deixar estudar em paz?'. Não foi engraçado na hora, mas nossos filhos podem rir disso um dia...

Nesse exato momento você está respondendo mais uma pergunta do professor, que só falta babar. Eu já estou babando, por motivos diferentes.

O idiota do professor baba porque acha que você é mortalmente inteligente, o que você é. Eu babo porque acho que você é mortalmente linda. E porque eu estou cansado de esperar fazer um mês pra dizer que amo você.

Seu,

James.

- Hey princesa. – James falou aparecendo ao lado de Lily no segundo seguinte ao fim da aula. A garota mordeu o lábio inferior e continuou guardando o material na bolsa como se nada tivesse acontecido.

- Hey. – respondeu muito depois, já tendo levantado e colocado a pesada bolsa nas costas.

Começou a sair da sala a passos arrastados deixando o garoto parado saboreando a confusão interna que ela acabara de propiciar. Não se passaram muitos segundos até James sacudir a cabeça, como se quisesse espantar pensamentos ruins, e gritar pela ruiva.

Lily não ouviu. Ou fingiu que não havia ouvido.

Fingiu por três dias inteiros. Chegando atrasada para as últimas aulas antes do feriado de Natal e saindo correndo no instante seguinte ao soar do sinal indicador do fim da aula.

Por três dias James se perguntou o que havia feito de errado. Até o bilhete aparecer misteriosamente em meio às folhas do dever de casa não feito do garoto.

15 de dezembro de 1976, 04:46 PM

Precisamos conversar.

Se algo bom se seguisse a essas palavras, provavelmente as pessoas as falariam com mais freqüência.


Ene/A: Aw, outra fic que expressa aquilo que foi. (ignorem, estou nostálgica) Pessoas, essa fic foi escrita pra colocar um ponto final e eu estava precisando de um chute pra começar a postá-la e pra continua-la, porque eu amei a idéia e eu achei que seria um bom exorcismo. Haha. Anyway, se você gostarem do prólogo, por favor comentem e então eu vou voltar a ativa com ela. Se não, bem, eu vou deixar esse negócio de exorcizar pra lá e curtir a minha não-fossa sem vocês. Infelizmente.

Me façam feliz, eu preciso e eu mereço. Todo mundo merece. Yay.

BjOx corações! Até o capitulo um, se vingar!