Disclaimer: Twilight não é nosso.

N/A: Eu precisava de uma história em que eu pudesse escrever lemons. Sério, estou cansada de desenvolver relacionamentos e queria escrever uma história movida a lemons e aqui estou. Se eu tiver respostas, atualizarei com maior freqüência. Se eu não receber o esperado, espere por duas atualizações por semana, ou qualquer coisa assim.

N/T: Essa foi uma das primeiras fics de Twilight que começamos a ler — e se tornou impossível não surtar cada vez que When Life Gives You Lemons é atualizada. Gostaríamos de agradecer à Stephanie (aka Daddy's Little Cannibal), por tornar nossas manhãs/tardes/noites mais encaloradas — seja no trabalho ou em casa, qualquer hora que seja, passamos muito mal quando a fic é atualizada! —, por escrever alguns dos melhores lemons que já lemos — e, acreditem, já lemos bastante coisa no fanfiction, não apenas de Twilight como de um outro fandom que não deve ser nomeado, então podemos dizer que temos bagagem para afirmar isso. Costumamos dizer que você sabe quando um lemon é bom quando se percebe que o autor sabe trepar — afinal, só quem já teve um orgasmo sabe realmente como o corpo se comporta durante esse ato tão... único.

Tivemos sérios problemas para definir títulos. A questão toda é que há coisas que só têm sentido em inglês — ao traduzi-las perde-se totalmente o sentido da coisa, se é que vocês entendem. O próprio título da fic — When Life Gives You Lemons não tem nada a ver com Introduzindo Sexo a Vampiros Virgens, mas nós descartamos toda e qualquer coisa parecida com Quando a Vida Fica Quente e passamos até mesmo por 14 Dias, 14 Posições antes de Introduzindo Sexo a Vampiros Virgens brotar na nossa mente. Os títulos das posições também foram um problema — e fizemos o melhor que pudemos para manter alguma coerência (não que nós tenhamos muita!) na hora de escolher.

Como vocês notarão, a autora coloca uma N/A sempre no início e outra no fim dos capítulos — comentando a quantidade de reviews recebida no capítulo anterior e a expectativa para o capítulo publicado. Mantivemos os números da fic original — caso você queira lê-la o link está nas nossas Favorites Stories —, que recebe uma quantidade absurda de reviews a cada capítulo. Além disso, sempre que alguém nos deixar uma review nós a traduziremos pra Stephanie, que faz uma espécie de "ranking" das melhores reviews de suas fics em seu profile.

E por fim, mas não menos importante, gostaríamos de deixar registrado que alguém ficou com inveja quando ela anunciou que Lemons estava sendo traduzido por português e resolveram traduzir Stupid Pixie Shaped Vampire pro francês. Recomendamos qualquer fic da Stephanie para quem quiser ler, são todas muito bem escritas.

Atualizaremos sempre que possível — ao começarmos a traduzir, a fic tinha seis capítulos publicados, os quais já estão prontinhos para ir pro ar — e, como a Stephanie, de acordo com a resposta dos leitores. Antes que você comece a ler, um aviso de extrema importância. Nós não nos responsabilizamos por eventuais problemas respiratórios e/ou disléxicos que vocês venham a ter durante a leitura.— inclusive o original disso saiu "tenham a ver", para vocês notarem que a capacidade de digitar fica comprometida com a falta de oxigenação do cérebro. Lembrem-se sempre de respirar, por mais difícil que seja em certos momentos, nós entendemos.

Sumário: Emmett faz um a aposta com Bella, ela precisa ensinar uma posição por dia para Edward até o dia do casamento. Lemons. MUITOS LEMONS!

Capítulo 1 — A aposta

Nós estávamos deitados juntos em meu quarto. Edward estava com os dedos entrelaçados aos meus e eu sorri para ele. Ele depositou um beijo sobre minha sobrancelha, passando seu polegar sobre o anel que havia me dado. Eu estava noiva e não poderia estar mais apavorada. Não que eu não amasse Edward, ele era a maçã do meu pomar, meu cavalheiro em uma armadura brilhante, mas, sobretudo, era parte da minha alma. Claro que nós tínhamos pequenos desentendimentos, mas isso fazia nosso relacionamento muito mais divertido.

Ele beijou minha bochecha. Eu o encarei e ele tomou meus lábios em um beijo desesperado. Eu sabia onde isso acabaria. Era assim desde que Edward havia quebrado todas as regras e havíamos transado. Foi um grande momento na minha vida, e todos os momentos depois disso eram maravilhosos. Nós não estávamos preocupados com gravidez ou algo assim, vampiros não podiam reproduzir.

Ele ficou sobre mim, controlando-se para não me esmagar. Os lábios dele nunca deixaram os meus e ele abriu a boca para aprofundarmos o beijo. Beijar Edward não era como nada que eu pudesse explicar. Era a coisa mais mágica do mundo. Eu amava beijá-lo, o gosto dele era único e exótico.

Ele se afastou dos meus lábios e começou a trilhar beijos pela linha do meu maxilar. Encontrou o lóbulo da minha orelha, mordiscando-o. Eu dei uma risadinha; isso era estranho. Ele riu levemente. Eu corri minhas mãos por suas costas e as mãos dele pararam na minha cintura. Ele se afastou da minha orelha e beijou meus lábios novamente. Existia uma regra entre nós que não nos permitia fazer sexo na casa de Charlie. Nós a vínhamos cumprindo por um longo tempo, mas algo me dizia que naquela noite seria mais difícil.

Ele finalmente se afastou. Eu respirei pesadamente. Os lábios dele estavam acima da minha orelha e eu tremi com sua respiração gelada. "Você não tem idéia do que você faz comigo, Bella", ele sussurrou em meu ouvido.

Eu sorri. "Eu acho que eu tenho uma idéia."

Ele riu baixinho antes de mordiscar minha orelha de novo, suas mãos puxando a minha camiseta. Eu segurei pulso dele. Ele se afastou e me encarou. Meus olhos estavam severos e ele suspirou. Ele podia não conseguir ler minha mente, mas sabia o que eu estava pensando.

"Só dessa vez", ele sussurrou.

Eu sorri e balancei minha cabeça. "Essa é a sua regra."

"Sim, mas eu a fiz antes de saber como você era boa nisso", ele sussurrou para mim, seus olhos suplicantes. Eu corei e desviei o olhar.

"Não", eu disse sem olhar para ele. "Nós precisamos de alguns limites."

Ele deitou perto de mim. "Desde quando você é a responsável?"

Eu sorri. "Desde que você descobriu a graça do sexo."

Ele sorriu para mim antes de beijar minha bochecha. Olhou para a janela e ficou encarando o horizonte. Eu balancei minha cabeça e ele riu. "Eu disse que nós não poderíamos fazer sexo na casa de Charlie, mas não disse nada sobre o carro dele."

Eu abri minha boca e balancei minha cabeça. "Não. Nós não vamos dormir juntos na viatura!"

Ele franziu as sobrancelhas. "Vamos lá, Bella, casais fazem isso o tempo todo."

Eu balancei minha cabeça novamente. "Sem chances."

Ele resmungou, mas concordou, relutante. Ele ainda era o doce, amável e moralista vampiro que eu amava. Apenas havia adquirido uma tendência de pensar com o pênis e não com o cérebro. Ele correu as mãos pela minha cintura. "Amanhã você vai passar a noite na minha casa", ele sussurrou no meu ouvido.

Eu pisquei. "Eu vou?"

Ele assentiu.

Eu rolei os olhos. "Legal", eu tentei soar desinteressada nisso, mas, honestamente, eu estava tão excitada quanto ele. E obviamente ele sabia disso, porque não conseguia parar de me tocar. Não importava quantas vezes eu dissesse para ele manter as mãos para si mesmo.

--

Nós entramos na casa dos Cullen. Emmett e Jasper jogavam videogame, Rosalie estava lendo uma revista de moda e Alice estava desenhando alguma coisa.

Alice me olhou e sorriu. "Bom dia, Bella."

Eu sorri de volta. "Olá, Alice." Ela levantou e veio me dar um abraço, o que foi bastante estranho, porque Edward ainda entrelaçava minha cintura. Ela beijou minhas bochechas e se afastou. Seus olhos dourados estavam brilhando.Eu deixei meu rosto cair, Alice tinha alguma coisa acima de sua luva.

Edward me afastou do resto da sua família e me ajudou a subir as escadas. Eu tentei dizer adeus, mas ele praticamente me arrastou para o seu quarto. Ensinar sexo para vampiros virgens, péssima idéia!

Ele fechou a porta atrás de nós. Eu caminhei para a cama, tirando meus sapatos e minhas meias. Edward estava sorrindo para mim quando caminhou em direção a cama, tirando sua camisa. Eu rolei os olhos e dei uma risadinha, ele era tão impaciente. Edward correu suas mãos pela minha cintura e começou a me beijar. E o beijei de volta, passando minhas mãos ao redor do seu pescoço e pelo seu cabelo.

Ele se afastou e começou a beijar meu pescoço, suas mãos subindo pela cintura e entrando pela minha blusa. Eu não tinha nenhuma intenção de pará-lo. Ele tocou meus seios por cima do sutiã e continuou lambendo meu pescoço. Eu gemi baixinho e pude sentir os lábios dele curvando-se no meu pescoço. Ele se afastou para tirar minha blusa, levando meu sutiã junto. Eu não poderia fazer isso mesmo (eu passei horas praticando), e ele era um mestre desde a primeira vez.

O polegar dele tocou meu mamilo quando voltou a beijar minha boca novamente, podia senti-lo pressionado contra mim. Eu estava tentando ao máximo não gemer. Era um pequeno jogo que nós gostávamos de jogar um com o outro, batalhávamos para ver quem podia fazer o outro gemer mais alto.

Ele começou a desabotoar minha calça, afastando-se rapidamente das minhas pernas para puxá-la. Nós dois estávamos quentes e prontos para ir adiante. Preliminares eram legais, mas nós precisávamos um do outro. Eu me virei, ciente de que estava completamente nua e ele apenas em parte. Comecei a desabotoar sua calça enquanto beijava o pescoço dele. Ele gemeu alto. Eu corri minha língua pela longa cicatriz que ele tinha em seu pescoço, onde Carlisle o havia mordido. Eu tinha (em muitas ocasiões) deixado cicatrizes parecidas em várias partes do corpo dele.

Ele me ajudou a tirar suas calças, e sua cueca revelou "ele" para mim. Era como eu o chamava, "ele". Eu não sabia como me referir a "ele", existiam muitas palavras para, mas eram todas tão sujas. Eu ainda ficava embaraçada metade das vezes que mencionávamos sexo entre nós. Edward era assim também. Nunca tínhamos realmente falado sobre isso, até nós fazermos.

Eu podia senti-lo na minha entrada. Ele olhou para mim quando eu deixei um suspiro alto escapar. Eu mordi meu lábio quando ele entrou em mim, extremamente devagar. Eu tremi sob ele. Ele estava indo penosamente devagar para, em seguida, entrar e sair de repente. Eu gemi em frustração e balancei minha cabeça. Era tão bom. Eu fechei meus olhos, tentando desfrutar o ecstasy; Edward moveu seus lábios sobre a minha orelha. "Olhe para mim, Bella."

Eu nunca entendi sua obsessão em olhar para mim enquanto fazíamos isso. Abri meus olhos, gemendo alto, a boca dele estava aberta e ele estava me encarando. Eu tinha que admitir que era um pouco quente. As investidas dele eram rápidas e mais fortes. Meu corpo encontrou-se com o dele e ele jogou sua cabeça para trás e fechou os olhos. Um rosnado baixo saiu de seus lábios. Eu estava começando a ofegar, sentindo aquela sensação familiar crescendo no peito. Edward dilatou-se em mim e meus olhos abriram, minha respiração começando a ofegar, desesperada.

"Edward", eu gemi. Ele sorriu para mim. "Edward", eu gemi mais alto.

Minhas costas se arquearam e eu fechei meus olhos. Eu me segurei em suas costas e cravei minhas unhas nele. Ele deixou um gemido escapar enquanto abria seus olhos e me encarava. Eu caí de volta à cama e comecei a ofegar enquanto saía de mim e deitava ao meu lado. Meu corpo estava flutuando e meu coração correndo. Eu estava em êxtase absoluto.

Edward sorriu para mim, deitado ao meu lado. Ele beijou minha bochecha, envolvendo-me em seus braços gelados. Eram momentos como aquele que toda minha mente concordava que pensar que Edward gostava demais de sexo era totalmente estúpido e inútil. Não era a sensação que vinha do sexo que era maravilhosa, era a proximidade. Transar com Edward não era como um pornô para apenas alcançar as sensações boas. Era o verdadeiro sentido da coisa. Era quando nos tornávamos completamente íntimos e vulneráveis um para o outro. E era maravilhoso me sentir demoniacamente bem.

"O que eu faço com você?", eu perguntei, baixinho, descansando no peito dele.

Ele beijou minha cabeça. "Me ame", ele sussurrou.

Eu concordei e sorri. "Eu sempre vou amar você, Edward."

--

"Então, eu tenho uma aposta para você, Bella", Emmett sorriu para mim. Estávamos sozinhos na cozinha que nunca usavam.

"Que tipo de aposta?", eu perguntei, sem gostar do jeito que Emmett estava sorrindo.

"Para celebrar a recém descoberta...", ele procurou pela palavra. "Intimidade, sua e de Edward, eu aposto que vocês não vão mais longe do que papai e mamãe."

Eu arregalei meus olhos. Abri minha boca para dizer alguma coisa, mas nada saiu. "O quê?", eu finalmente pus pra fora.

Emmett gargalhou. "Eu tenho um acordo. Eu dou a você uma nova posição e você tem que tentá-la com Edward."

Minha boca abriu-se ainda mais. "E o que eu ganho se eu fizer isso?" Eu sabia que eu me arrependeria disso depois, mas eu estava genuinamente curiosa sobre o que ele queria que eu fizesse.

Emmett sorriu. "Além de você aprender novas e divertidas maneiras de transar, eu não vou rir ou fazer piadas de você até depois do dia do seu casamento."

Eu pensei sobre isso. "Certo", eu concordei.

Emmett sorriu. "Essa é minha garota!"

"Embora eu não vá gostar disso", eu adicionei enquanto ele caminhava para fora do cômodo.

Ele virou a cabeça e sorriu. "Eu acho que você vai..."

Eu fiz uma careta quando virei as costas. No que eu tinha me metido, afinal?

N/A: Essa será a história mais louca e sexual que eu hei de escrever. Deus. Me digam o que vocês acham. Se não for uma boa reação eu vou apagar isso. Eu sou realmente minuciosa em história de sexo porque, duh, é sexo. Eu tentarei deixar os personagens nas suas personalidades. Bella será irritante e nervosa e Edward ainda será o vampiro relutante que todas nós amamos. Dito isso, veja os novos capítulos de Coffin of Love, Cigarette Burns e That Darn Emmett. :D

Feliz dia das mães de

Daddy's Little Cannibal