N/A: Férias! Hahaha!

Waking Up in Vegas

Era o dia de partir, Roy, Riza e Armstrong desejaram muito que fosse um dia chuvoso e terrível, desses que espantam qualquer um. Assim pelo menos não teriam com o que se lamentar por ir embora.

Mas a ilha era inegavelmente perfeita, e o sol parecia mais forte do que em todos os outros dias, estava o calor insuportável do habitual, e o mar parecia muito convidativo.

As gêmeas Frida e Freda fizeram um café da manhã tão vasto que a mesa quase não guardava lugar para os pratos e copos.

- Ah, é o último café da manhã... – Disse Riza com desânimo, ela sentiria falta de ter cozinheiras e faxineiras.

- Pois é, só de pensar que vou voltar para o café ruim da central e as torradas me desanima muito. – Disse Roy pensativo.

Armstrong por sua vez estava quieto, ele parecia muito triste. Talvez tinha se apegado ás gêmeas? Melhor não perguntar, pensou sabiamente Roy.

"Com certeza ele viria com um discurso de dez páginas sobre o quanto essa estadia por aqui foi agradável, o que nos faria morrer de tédio e passar a nossa última manhã presos nessa cozinha"

Então, após comerem, Armstrong e as gêmeas pareciam estar se comunicando por olhares, Roy não havia percebido, mas aquilo era praticamente uma intimação para que ele e Riza se retirassem.

- Roy. Vamos caminhar, está uma ótima manhã. – Riza sorriu.

- Mas eu não arrumei as malas direito e...

- Vem!

Ela puxou o braço dele e saíram em disparada para a praia.

- Riza! O que foi?

- Eles precisavam conversar! Estavam praticamente implorando que a gente saísse de lá. Você não percebeu?

- Er... Sinceramente?

Riza virou os olhos e continuou andando.

- Estava tão evidente assim?

- Hum... Sim.

- Ah...

Continuaram a andar, em silêncio. Até que Roy perguntou:

- O que faremos quando...

- Chegarmos na Central?

- É.

Riza parou, olhando diretamente para ele:

- Acho que a gente devia manter tudo isso em segredo. Pelo menos enquanto você não termina com a Kathleen.

- Ah, claro.

- Eu também tenho pendências pra resolver.

- Quem?!?

- James.

- James?

- O irmão da Helena.

Imediatamente Roy se lembrou do sujeito, era um homem alto, loiro, irmão da melhor amiga de Riza... Quando se deu conta percebeu que o monstro em seu estômago já estava arranhando as paredes. Ciúme. Riza não deixou passar batido.

- E você acha que eu me sinto como sabendo que você vai voltar com a megerinha?

- Mas eu não queria.

- E você acha que eu quero voltar com o James?

- Você não tem nada com ele.

- Fiz uma promessa para a Helena.

Ele sabia que Riza não era uma pessoa de faltar com a palavra, além disso, ela tinha todo direito de ficar com alguém enquanto ele estava com Kathleen.

- Nós vamos ficar bem. – Ele a abraçou. Se sentaram na areia e ficaram por lá, conversando e agindo como se nada mais importasse.

A manhã passou mais rápido do que eles esperavam, quando se deram conta já era quase meio dia e Roy precisava acabar de arrumar sua mala.

- Eu te ajudo, a gente acaba antes que você piscar.

- Ui, então vamos.

Riza sabia arrumar malas tão bem quanto atirar, Roy ficou embasbacado quando ela terminou de arrumar sua mala em alguns minutos. O resultado final ficou melhor do que qualquer coisa que ele poderia ter demorado horas pra fazer.

- Uau.

- De nada.

Ele sorriu e a roubou um beijo.

- Roy! – Ela o afastou e riu.

Segundos depois Armstrong entrou no quarto. Ele não parecia ter visto nada, senão provavelmente teria se pronunciado de alguma forma.

- Nossa balsa chega daqui meia hora, acho bom já irmos indo. – Seu tom de voz era tão triste que até Roy deixou de categorizá-lo como aberração por alguns minutos.

Se despediram de Frida e Freda, ambas com lágrimas nos olhos. Riza até percebeu que estava triste com a separação, as gêmeas eram boas pessoas afinal.

Fri - Garotos, fizemos uma merenda

Fre - Para a viagem. Esperamos...

Ambas - Que vocês voltem algum dia.

- Voltaremos. – Disse Roy confiante. Ele ainda se tornaria Führer e tudo aquilo seria dele.

Enquanto isso, na Central, Kathleen estava quase explodindo fogos de felicidade.

" Ele vai chegar amanhã! Logo já verei meu Royzinho!"

A garota já estava arrumando tudo para recepcionar bem seu tão estimado namorado, isso sem contar que estava muito orgulhosa com o plano que havia bolado, das investigações.

"E papai ainda por cima convenceu Armstrong a acompanhá-los, nunca teriam tempo pra ficar juntos!"

Em outro núcleo, Helena também dava pulos de alegria.

- Riz chega amanhã, Jean!

Havoc, ainda sonolento, deitado ao lado dela, esboçou um sorriso, embora provavelmente nem tivesse ouvido o que ela tinha falado.

"Será que rolou algo entre ela e o Roy? Oh meu deus"

Além delas, todos os outros subordinados e amigos de ambos estavam esperando sua volta. Hughes sentia falta de conversar com Roy. Fuery, Breda, Fallman e Havoc, Shieska e Hayate sentiam falta de ambos.

Mas ao contrário do clima de alegria das pessoas da Central, o clima entre Roy, Riza e Armstrong era muito triste.

Dessa vez haviam reservado duas cabines, uma exclusivamente para Armstrong. Roy e Riza estavam sozinhos em sua cabine, e obviamente não queriam desperdiçar esses momentos que podiam ficar juntos.

- Vou sentir muita falta sua. – Ele disse, a abraçando.

- Mas Roy, vamos nos ver todos os dias praticamente!

- No quartel!

- Nada impede que visitemos um ao outro.

- É...

- Falando nisso, você não sentiu mais dores não é?

Roy congelou, sim, as dores da costela haviam praticamente desaparecido, e as supostas dores de um ataque cardíaco nunca aconteceram. E ele se sentia mal por isso ainda, mesmo que tenha sido aquela simulação que os tinha levado á onde estavam agora.

- É, está tudo bem melhor. Pena que minha licença acabou.

- É verdade...

Ele olhou para ela, um sorriso malicioso no rosto.

- Você estava gostando de morar comigo, não estava?

- Você nem imagina o quanto. Mas confesso que suas provocações me deixavam muito nervosa.

- Hahahahaha, era a pura intenção.

Ela fingiu estar brava com ele. Mas não agüentou o rosto de bobo que ele fez. Se abraçaram novamente, se beijaram, e ficaram grudados daquela forma até começarem a ver os primeiros indícios que a cidade se aproximava.

A viagem estava sendo mais demorada, haviam pegado outra rota mais confortável. Mas que demoraria praticamente dois dias.

Pegaram no total, três trens. O trem que passaram a noite era de longe o mais confortável, tinha beliches. E cabines separadas. Assim como o primeiro.

Roy e Riza passaram a noite juntos. Deitados na parte de cima da beliche.

O terceiro e último trem, era um trem comum, tinha apenas vagões com bancos normais. E dessa vez eles não podiam ficar juntos abraçados ou coisa e tal, porque alem de Armstrong estar ali na frente deles, muitas pessoas dali eram da Central e adorariam espalhar uma boa fofoca.

Chegaram na Central era praticamente hora do almoço, os estômagos confirmavam.

Logo na estação, Roy e Riza achavam que poderiam ter algum momento de privacidade, mas...

- Royzinho!!!

Kathleen veio correndo e abraçou Roy, depois o beijou furiosamente, deixando Riza nauseada.

Armstrong aproveitou que Kathleen estava entretida e puxou Riza para lhe falar algumas coisas.

- O que foi major?

- Bom, primeira tenente, eu sei que você e o coronel gostariam que o que aconteceu entre vocês lá na ilha...

Riza prendeu a respiração.

- ...Ficasse em segredo. Portanto não irei reportar nada do que eu vi e soube pelas gêmeas em meu relatório. (Os olhos dele se encheram de água ao falar de Frida e Freda).

Riza não se conteve e o abraçou. Ficando até ela surpresa com o ato.

- Obrigada Major! Não sabe como eu e o Roy ficamos gratos com isso!

- Não tem que, sei que vocês andam tentando ser discretos da garota, também não gosto muito dela, não mais.

- Ela forçou o pai dela a te enviar, não foi?

- Sim... Me desculpe.

- Não tem problema Major, você... Você fez as nossas férias mais divertidas.

O major ao ouvir isso começou a chorar, os brilhinhos Pink chocante se intensificaram perigosamente, e ele apanhou um lencinho.

- AH TEEEENEENTE. – Ele gritou em meio ás lágrimas. Atraindo um pouco de atenção para si, mas na Central já estava acostumados com ele.

Riza olhava para os lados tentando disfarçar,mas nessas olhadas, ela avistou Helena.

- RIIIIIZAAA! – A loira veio correndo e se jogou nos braços da tenente. Lhe beijando o rosto várias vezes.

- Você não tem noção do quanto senti a sua falta!

- Eu também morri de saudades, Helena.

- É claro que sim. – A outra deu um sorriso convencido. Riza também não pôde deixar de sorrir.

- Oi Riza.

Ela se virou, era James.

- Oi James.

- E então? Como foi a viagem? – Ele disse, se aproximando perigosamente depressa.

- Foi ótima.

- Que bom. – Ele passou o braço pela cintura de Riza. Ela sorriu pra ele. Não tinha se esquecido da promessa á Helena.

Roy e Kathleen se aproximaram do grupo, Riza pode perceber que Roy já havia visto James e sua mão espertinha. Ela transmitiu um olhar pra ele, desses que só os dois sabiam decifrar.

- Então Roy... – Disse James – Se divertiu na viagem?

- Sim, foi bem relaxante. As praias, a casa maravilhosa, comida de primeira. Não podia estar melhor.

Kathleen, ao reparar que Riza e James estavam praticamente abraçados, e Roy parecia não estar se importando (embora tanto ele quanto Riza estivessem nauseados e querendo sair correndo dali) ficou muito mais feliz, acreditando que seu plano havia dado certo. Ela até falou com Riza.

- Uau Hawkeye, você pegou um bronzeado incrível! Acho que realmente também estou precisando de férias!

- É, obrigada. As férias realmente melhoraram muito minha vida. – Ela disse isso dando um olhar para Roy, que não passou despercebido por Helena, mas que tanto Kathleen quanto James não repararam.

- Então vamos! – Disse Helena. – Estou morrendo de fome e aposto que vocês também estão! Tem um restaurante muito bom aqui perto. E onde está o Armstrong?

- Já deve ter ido. Ele tinha muitos relatórios da nossa investigação á escrever.

Kathleen sorriu, é, a investigação que ela tinha inventado parecia ter dado certo, eles haviam caído como patinhos. Bom, ela achava isso.

Eles se dirigiram ao local, era um restaurante bonito, com um ar meio férias na praia, que Riza e Roy imediatamente sentiram falta.

A comida era por quilo, Kathleen não desgrudava de Roy, mas na hora de pegar a comida, Helena começou a conversar com a morena deixando espaço para Riza e Roy conversarem. Sim, ela já tinha entendido tudo.

Riza e Roy entraram juntos na fila.

- Desculpe. – Ele disse. – Mas não teve como evitar, ela é muito pegajosa.

- Tudo bem. Fiquei tentada á pular nela e a jogar na linha de trem. Mas o James chegou.

- É, eu vi.

- Roy, você sabe que eu prometi á Helena!

- Ok, não estou reclamando. Apenas estou me mordendo de ciúmes.

- Assim como eu.

Ele sorriu. Ela também. As mãos roçaram por alguns segundos no pegador de comida.

- Você vai ter que ficar em casa por mais um dia. Aposto que não vai querer se mudar logo hoje...

- De forma alguma. Vou direto pra lá assim que sair daqui.

- Certo, aposto que Kathleen tentará passar em algum lugar antes, então... Eu te vejo mais tarde, lá em casa.

- É, provavelmente. – Ela sorriu dessa vez. Eles ainda poderiam ter algum momento juntos, se Kathleen não resolvesse passar a noite com Roy.

Aquele pensamento, mesmo Riza sabendo que era algo perfeitamente normal para a morena, continuava sendo algo totalmente nauseante para ela.

James e Helena acompanharam Riza até o apartamento de Roy, Hayate veio correndo todo feliz, Fuery, Shieska, Havoc e Breda logo atrás.

- Nossa! Todos vocês aqui! – Riza não conseguia parar de sorrir.

- Sim, viemos dar um oi pra você e pro Coronel... Mas onde ele está?

- Ah, Kathleen resolveu arrastá-lo para algum lugar, ele só vem mais tarde.

Todos fizeram um rosto de compreensão.

- Como foi a viagem, Tenente? – Perguntou Fuery.

Riza se sentou e mais uma vez contou sobre a viagem, sobre Frida e Freda, sobre as praias e o luau (obviamente omitindo muitas partes).

- Uau, preciso logo virar Coronel... – Disse Havoc todo feliz.

Eles começaram a conversar sobre outras coisas, então Helena fez um sinal para que Riza fosse com ela para outro cômodo. Mais exatamente no quarto de Riza.

Após fecharem a porta, ela pulou em cima de Riza e começou:

- Pode me contar tudo senhorita Hawkeye. TUDO.

Riza fez o que a amiga pediu, contou desde a cantada na trilha até o luau e as declarações de amor e como ela tinha falado tudo pra ele, e como ficou ignorando ele depois, e como se reconciliaram, contou sobre a volta, no trem. Contou até sobre Armstrong e as gêmeas!

- Uau, dava pra fazer um filme...

- Pois é...

- Aiiiin, vocês estão juntos! Isso é lindo!

- Shhiiu Helena, ninguém pode ficar sabendo. Estou te contando porque você é minha melhor amiga.

- Relaxa Riza... Ta tudo bem. E quanto a James? Vi que você não protestou quando ele acionou a mão boba dele em você.

- Ah, eu te prometi que ia "fazer ele feliz até ele ir pra Briggs".

As duas se abraçaram, conversaram um pouco mais, bolando planos para quando Roy terminasse com Kathleen. Até que Havoc bateu na porta.

- Helena! Roy chegou!

- Estou indo! Vamos Riza!

- É, vamos...

As duas saíram e foram para a sala.

Roy estava muito animado, conversava com todos e abraçava todo mundo. Também fizeram a pergunta sobre o que ele tinha achado da viagem, e a resposta foi parecida com a de Riza.

Quando Helena e a Tenente entraram na sala, ele deu um olhar rápido para Riza, e voltou a conversar com James. Tentando se conter em não correr até ela.

Depois que quase todos, exceto James, Helena e Havoc haviam ido embora. A casa parecia bem mais aconchegante. Uma brisa fria entrava pelas janelas...

Riza fez um sinal para Helena, ela queria ficar a sós com Roy...

- Ah, ta tudo lindo, vocês estão bem, nós estamos bem, já está tarde e temos que ir não é rapazes? Acho que os dois estão muito cansados, querem descansar não é?

- Eu adoraria dormir agora. – Disse Roy sorrindo.

Após se despedirem, e James tascar um beijo em Riza (Roy fechou os pulsos e se segurou), finalmente estavam sozinhos.

- Foi torturante. – Foi a primeira frase de Roy para ela.

- Realmente, quis arrancar os fios daquela pirralha.

- Acho que posso dizer o mesmo quanto ao garotão.

Os dois sorriram e se abraçaram, Roy trancou a porta da entrada e os dois começaram a se beijar.

Hayate, sem estranhar nem um pouco, se direcionou a cozinha e deixou-os a sós.

O rádio estava ligado e uma música muito calma pairava no lugar. Eles continuavam abraçados no sofá, e ficaram assim um bom tempo, até que Roy percebeu que Riza tinha adormecido em seus braços.

- Oh meu deus...

Ele a pegou nos braços, e a levou para a cama. Se deitou ao lado dela, e nem cinco minutos depois, também caiu no sono.

Acordaram no dia seguinte com batidas na porta, Riza estava enroscada no pescoço dele. E ficou meio embaraçada diante disso, mas ele sorriu e a beijou, ignorando totalmente as batidas na porta.

- Roy, pode ser importante...

- Deve ser o carteiro... Deixa ele lá.

- Eu acho que não...

- CORONEL MUSTANG! – Uma voz imponente gritou lá de fora.

- OH meu deus!!! – Roy levantou da cama em um pulo.

- O que foi?

- É o pai da Kathleen!

N/A: Capítulo acabando com um toque de suspense, hahahaha.

Deixem reviews! É só clicar no botãozinho verde. A autora e as lhamas caribenhas ficam eternamente gratas ;D