Desclaimer: Os personagens utilizados nessa fanfic não, repito: NÃO me pertencem. Todos os créditos à Hiromu Arakawa. As músicas citadas aqui também não me pertencem, são de Crystal Kay, Britney Spears e do grupo L'arc~En~Ciel respectivamente.

Obs.: Pra quem tiver curiosidade, ou quiser ouvir as músicas na hora em que elas aparecerem, segue abaixo os nomes.

Motherlandda Crystal. Trilha sonora do anime Fullmetal Alchemist. É o terceiro encerramento.

I love rock 'n roll – da Britney. É trilha também trilha sonora de um filme em que a cantora participa: Crossroads.

Link – do L'arc~En~Ciel. É trilha sonora do filme Conqueror of Shambala (O conquistaor de Shambala), de Hagaren.

0o0o0o

N/A:Pessoal, me desculpem não ter postado antes. Mesmo! Eu tinha planos de postar na quinta feira passada (27/11) que foi meu aniversário (segredo), mas não deu!Devo dizer que é uma sensação muito grande de dever cumprido escrever a última parte desta fic. Ao contrário do que muitos pensam, essa fic não surgiu do nada, quer dizer, surgiu, mas ela demorou pra ser concluída, e eu refiz toda a parte do Royai, por exemplo, no intuito de melhorá-la. Revews serão bem vindas (encarem como um presente de aniversário atrasado...). Espero que tenham curtido essa fic. Vou tentar não fazer um final ridículo. Os agradecimentos, eu irei colocar no final, então boa leitura!

PARTE V (Final)

Finalmente Ed e Al chegaram na central. Eles se dirigem ao QG para dar satisfações ao coronel Mustang sobre o relatório da "missão", mas ao chagarem lá, são informados que o coronel já saíra, mas pediu que Ed levasse o relatório na casa dos Hughes, onde jantaria.

- De jeito nenhum eu vou lá na casa dos Hughes na hora do jantar e ainda sem o relatório! – comentou Ed após saírem do QG.

- VOCÊ NÃO PODE FAZER ISSO! – Exclamou Al, mais aflito do que gostaria.

- Porque não? – perguntou Ed achando nada menos que estranha a oposição tão repentina e desesperada do irmão.

- Porque você tem que seguir as ordens do coronel Mustang e do exército, nii-san![1] - tentou explicar-se Al, num tom mais calmo agora.

- Quem liga? – resmungou Ed displicente.

- Eu ligo! – respondeu Al – Não quero que você fique em má situação por causa desse orgulho idiota!

- Ei!

- Além disso – continuou Alphonse – Eu já disse que vou falar com o coronel, não disse?

- Ok, ok! – Ed deu-se por vencido.

Eles caminharam lentamente até a casa dos Hughes, chegando lá Al toca a campainha. Logo o dono da casa aparece na porta.

- Oh, os irmãos Elric! – disse Hughes – Entrem, entrem! O coronel já está esperando vocês.

Assim que Ed e Al aparecem na sala, eles vêem não só o coronel, mas também Riza, Havoc, Falmam, Fuery, Breda, Armstrong, Shieska, Maria Ross, Brosh, Winry, a Sra. Hughes, Elysia e mais um monte de gente do exercito. Até o Sr Tsukamoto estava lá também, todo animado, batendo parabéns. Atrás deles um cartaz enorme escrito "Parabéns Edward!!!".

- O-O- O que significa isso? – perguntou Ed confuso.

- Significa uma festa surpresa! – Al disse o óbvio – Feliz aniversário, nii-san!

Foi aí que como um flash Ed se lembrou que era seu aniversário.

- Vocês prepararam tudo isso... Pra mim? – perguntou Ed, ele ainda estava bobo com a surpresa.

- Não, foi pro coelhinho da páscoa! – respondeu Mustang brincalhão. Ed também sorriu.

- Er... Obrigado? – disse (?) Ed – Mas... Bem... O que o Sr Tsukamoto está fazendo aqui? Não me diga que...

- Ué, eu vim pra festa, o que mais? – respondeu Tsukamoto.

- Vem Ed! Você precisa tomar um banho e trocar de roupa pra festa começar de verdade! – disse Al – A gente te explica tudo depois!

- Você também tava envolvido nisso? – perguntou Ed enquanto era guiado por Al até o quarto do casal que tinha banheiro.

- Claro! Eu tinha que ficar de olho em você pra impedir que você voltasse antes da hora – respondeu Al enquanto Ed escolhia sua roupa – Além disso, se eu não fosse, aí sim, você iria desconfiar...

Ed concordou. Pegou a roupa que havia escolhido, juntamente com a toalha que Hughes deixara em cima da cama (obviamente pra ele), entrou no banheiro e tomou um banho bem decente e relaxante.

"Quer dizer que eles fizeram uma festa pra mim?" pensou Ed.

0o0o0o

- Nii-san! – chamou Al – O pessoal ta esperando!

- Acabei! – disse Ed saindo do banheiro já vestido e perfumado – Vamos.

Chegando na sala, o pessoal conversava animadamente, enquanto esperavam Ed. Logo que ele aparece, a conversa cessa para que todos pudessem dar atenção ao aniversariante.

- E então? O que achou da surpresa? – perguntou Riza. Ed passa a mão nos cabelos louros e diz:

- Eu confesso que não esperava... Acho que foi como o próprio nome diz... Realmente uma surpresa...

- Boa, espero... – comentou Riza.

- Claro que sim – disse Ed – Fico feliz por terem se lembrado de mim.

- Embora até você tenha se esquecido – disse Al, maroto.

- Foi aquela missão e o relatório – justificou-se Ed

- Falando nisso... – disse Al – Acho que agora você já deve imaginar que a missão foi só fachada pra que você não descobrisse a festa, não é?

- QUÊ!!! – exclamou Ed – Quer dizer que... Tudo aquilo... Pra nada?!

- Pra nada não – corrigiu Hughes – Pra manter você ocupado.

- Nossa!Parabéns! – disse Ed altamente irônico – Vocês realmente conseguiram! Tanto que eu to UM CACO!

- Nii-san! Foi por uma boa causa! – comentou Al.

- Quer dizer que agora os fins justificam os meios? – perguntou Ed chocado.

- Achei que você tivesse gostado da surpresa – comentou Elysia em um tom doce e com aquele olhar tipo o do gatinho do filme Shrek.

- Eu gostei sim, Elysia-chan![2] – respondeu Ed com um sorriso tão irresistível quanto o olhar da menina.

- E O DIA FOI SALVO GRAÇAS A MINHA FILHINHA ELYSIA!!! [3] – disse Hughes – Ela não é uma gracinha?

Sabe aquelas gotas que aparecem nos animes quando alguém fala alguma coisa nada a ver? Pois então, imagine uma dessas beeeem grandes na cabeça de todo mundo naquela sala agora.

- Ta bom! Vamos adiantar logo essa festa que eu to com fome! – disse Hughes – Mas, primeiro as mensagens pro aniversariante. Quem começa?

- Primeiro as damas – disse o coronel Mustang

- Eeeeeh – concordaram os demais homens da sala

- Nessas horas vocês lembram que as "damas" existem né? – comentou Riza – Pois bem, eu começo. Ed-kun [4], você sabe muito bem o carinho, respeito e admiração que eu tenho por você. Eu o conheci no começo da sua carreira e acompanhei a sua luta. Vi os momentos bons e os ruins que você passou, por isso eu posso lhe assegurar que você merece essa festa, merece comemorações e merece tudo de bom porque você é um garoto vitorioso! No demais, pode contar com a Riza aqui, pro que precisar. Sempre. Feliz aniversário!

Riza abraça Ed e lhe entrega seu presente enquanto o resto do pessoal aplaudia.

- Obrigado Riza-chan – disse Ed – Você é muito especial pra mim também. É como minha segunda mãe. Pode ter certeza que se você precisar de algo, pode contar comigo também.

- Ta, chega de rasgação de seda – comentou Hughes – Coronel, vai deixar que uma mulher seja mais corajosa que você?

- Do que você ta falando? – perguntou Roy – Eu vou falar agora. Bem, Fullmetal... Nós temos as nossas diferenças (e eu não to falando apenas da altura...)

- QUÊ!!! – interrompeu Ed explosivo – QUEM VOCÊ TA CHAMANDO DE PINTOR DE RODAPÉ?

- Calma nii-san! Ele não disse isso! – apaziguou Al.

- Bem, como eu dizia – continuou Mustang – Nós temos as nossas diferenças, mas apesar disso, eu tenho um imenso respeito por você e pela pessoa que você se tornou. Desejo sinceramente que você alcance os seus objetivos (você sabe quais) e, enfim, parabéns pelo seu dia!

Os dois se encaram por um tempo tipo "Abraço não, pelo amor de Deus!" e acabam trocando um aperto de mão mesmo. O pessoal novamente aplaude, enquanto Roy entrega o seu presente. Após isso, um a um as pessoas presentes ali foram dizendo o que achavam de Ed, dando os seus votos e entregando-lhe os presentes que trouxeram (pelo menos os amigos de Ed do QG, já que tinha bastante gente lá), até que chegou a vez de Winry.

- Bom deixa eu falar logo, antes que eu desista – disse Winry

- Certo, vá lá – disse Hughes

- Bem... Ed – disse Winry meio sem graça – A gente se conhece desde que eu consigo me lembrar e...

- Você consegue Winry! – berrou Al. Winry ficou toda sem graça e quase joga uma chave de boca em nele.

"Al, eu te mato!" foi o que a loura pensou, mas tentou seguir a sua linha de raciocínio.

- Bem... Como eu dizia... A gente se conhece há um tempão e... Apesar das nossas brigas, eu sempre pude contar com você e...

- Fala logo que ama ele Win! – disse Al e dessa vez ele realmente levou um "chavada" na cabeça. Sorte que ele era feito de metal...

- Você é um amigo muito especial, Ed – disse Win, por fim – Eu fico muito feliz por ter tido a chance de te conhecer. Eu espero que você seja muito feliz e que você recupere logo seu corpo e o do Al e... Feliz aniversário! – concluiu ela estendendo o presente para Ed sem encará-lo. Este por sua vez a surpreendeu com um abraço e um "Obrigado" ao pé do ouvido. O pessoal aplaude novamente.

- Ok, ok! Vocês ainda vão ter muito tempo pra namorar! – disse Hughes deixando os dois amigos completamente corados – Vamos finalizar com a mensagem de Al, mas antes, eu também queria dizer algumas palavrinhas...

- Mais? – perguntou Mustang exagerando com a cara de surpreso – Cara, você fala hein!

O pessoal riu da cena e Hughes continuou.

- Bem Ed. Eu acho que todos aqui já ressaltaram demais suas qualidades (e alguns os defeitos também, mas isso não vem ao caso), então eu só gostaria de dizer que minha família é sua família, você sempre poderá contar conosco pro que precisar... Nós admiramos muito você e desejamos de coração que você seja muito feliz hoje e sempre!

Hughes entrega seu presente a Ed e se abraçam recebendo mais uma chuva de aplausos.

- Certo. Minha vez – disse Al, após os aplausos acabarem – Acho que qualquer coisa que eu diga aqui hoje não será suficiente pra descrever tudo o que passamos juntos ou o que eu penso de você, meu irmão. Os laços que nos unem vão além dos laços sanguíneos... Eu sou muito grato a tudo o que você fez por mim e não me arrependo do que passou, sei que um dia vamos conseguir alcançar os nossos sonhos. Enquanto isso, eu vou continuar do seu lado pro que der e vier. Feliz aniversário nii-san! Com certeza você merece ser muito feliz. Essa festa é uma forma simples, porém sincera de dizer "muito obrigado!"

Al entregou o seu presente a Ed e ambos trocaram um longo abraço. Uma nova chuva de aplausos irrompe à sala.

- Agora vamos comer! – disse Hughes brincalhão como sempre – Ed, pra quem vai o primeiro pedaço do bolo?

- Não me leve a mal, eu gosto de todos vocês, mas o primeiro pedaço vai pro meu irmão – disse Ed e o pessoal faz um grande "Ooooh!" – É sério. Ele é o meu companheiro de batalhas, sempre esteve do meu lado nos bons e maus momentos, nos acertos e nos erros, então eu o considero muito.

- Obrigado nii-san! – disse Al, recebendo um pedaço do bolo. Tudo bem, ele não podia comer, mas ele fingiu (guardando a comida dentro da armadura), como ele sempre faz quando tem que comer em público.

- Bem, agora o segundo pedaço – disse Hughes – Vai pra quem?

- Bom... O segundo pedaço vai pra Winry – dessa vez o pessoal faz aquele "Uuuuuh!" como se Ed tivesse pedido Win em casamento ou algo do tipo. Logicamente os dois coram, mas Ed prossegue o "discurso" – Acho que nunca lhe agradeci de verdade por cuidar dos meus automails. A verdade é que (cá entre nós, segredo de estado) não existiria Fullmetal Alchemist se não houvesse Winry Rockbel como protética... – Ao ouvir uma frase assim dita por Ed, o pessoal interpretou como um "Não vivo sem você", praticamente uma declaração de amor. Então, além de um "Uuuuuh!" ainda mais alto, o pessoal fazia "Uhu!" e assobiava também. Hughes resolve dar continuidade a festa antes que Ed e Winry ficassem irreconhecíveis de tão vermelhos que estavam. Winry recebe um pedaço do bolo também.

- Certo! – disse Hughes – Agora o terceiro e último pedaço!

- Hum... Foi um pouco difícil escolher, mas o terceiro pedaço é seu Hughes – disse Ed.

- Meu? Obrigado! – disse Hughes pegando um pedaço do bolo nas mãos de Ed.

- Eu é que deveria agradecer. Seu apoio e preocupação paternal foram muito importantes pra mim e pro Al. De coração, obrigado.

O pessoal aplaude mais uma vez e os outros pedaços do bolo foram sendo distribuídos aos outros ali presentes, juntamente com os doces e salgados. Também foi servida bebida. Ed, Win, Elysia e os outros que eram "de menor" foram servidos com refrigerante.

0o0o0o

Havoc foi fumar na varanda, Shieska conversava com Hughes sobre a vasta biblioteca do segundo ficando extremamente fascinada a cada livro que este mencionava ter em sua coleção, Riza bebia enquanto observava o coronel paquerando uma das oficiais que estavam ali presentes. "Esse coronel não tem jeito..." pensou a loura, sem perceber que por mais incrível que pareça, seu coronel não estava paquerando a oficial, só estavam conversando mesmo, embora a mulher desse umas investidas de vez em quando. Uma música lenta tocava enquanto alguns casais dançavam.

- Ed – chamou Win

- Sim – respondeu o alquimista

- Você... Você gostou do presente? – perguntou ela. Ed sorriu.

- Claro que sim! – disse Ed – Eu amei. Vai ser muito útil pra mim...

Winry sorriu.

- Que bom que gostou... – disse ela. Dentro de si havia uma batalha "O que é que tem de mais chamar um garoto pra dançar ao invés de ser chamada? Ele nunca vai me chamar, então eu tenho que fazer isso, senão vai passar a chance... Vai! Coragem mulher!" – Ed... Escuta...

- Você quer dançar? – perguntou Ed. Ele também estava tomando coragem e perguntou primeiro.

- O que? – perguntou Win surpresa. Era isso mesmo? Ed a chamou pra dançar?

- Esquece – disse ele – foi uma péssima idéia, não?

- Não! – disse Win – Eu... Eu só fiquei surpresa...

- Então quer dizer que você...

- Sim, eu aceito – disse Win sorrindo. Ed não pode evitar retribuir o sorriso. Winry quando queria sabia ser doce. Os dois foram ao centro do salão (que na verdade era a sala de estar com seus móveis afastados pra criar uma pista de dança) e ficaram de frente um para o outro. Ed colocou suas mãos timidamente na cintura de Win, enquanto esta passava os braços em volta do pescoço do louro. Ed por sua vez deu mais um passo para frente, aproximando ainda mais os dois. Winry cora. Ed acaba corando também ao perceber o motivo de Winry ter ficado vermelha; a proximidade. Lentamente a música começa a tocar e ela parecia que foi feita pra eles.

Kimi ga tabidatsu hi wa

Itsumoto onaji jaane to te wo futta

Marude ashita mo mata

Kono machi de au mitai ni

Nos dias em que você partiu

Você balançou sua mão e disse "adeus"

Como se não houvesse nada de errado

Como se fôssemos ver um ao outro, novamente

Nesta cidade, amanhã

0o0o0o

Enquanto isso, num canto do salão Al e Armstrong observavam o casal dançando feliz.

- Ai, ai... O amor é lindo! – disse Armstrong com os olhinhos brilhando em forma de coração.

- Eu sempre soube que eles se amavam. Mas eles dois são muito tímidos e ao mesmo tempo muito teimosos e orgulhosos para assumir isso, só que tá na cara o que eles sentem um pelo outro – disse Al.

Ai wo shinjiru no wa

Jibun ni mo makenai koto

Yume ga kanau hi made

Egao no mama, hoshi wo mite inori sasage

Koko ni iru kara

Acreditar no amor

Significa que você não perderá a si mesmo

Até que seus sonhos se tornem realidade

Irei sorrir e olhar para as estrelas, rezando

E eu estarei aqui

0o0o0o

Alheios aos comentários de Armstrong e Alphonse o casal continuava dançando, balançando pra lá e pra cá, quase sem sair do lugar. Parecia que o tempo havia parado para eles.

Watashi wa kimi ni totte no sora de itai

Kanashimi made mo tsutsumi konde

Itsudemo miageru toki wa hitori janai to

Tooku de omoeru you ni

Kaeru basho de aru you ni

Quero ser o seu céu e abraçar sua tristeza

Não importa para onde você olhe

Quero que saiba que não está sozinho

Mesmo que você esteja muito distante

Quero que saiba que tem um lugar para o qual retornar

Winry encosta a cabeça no peito de Ed. Ela ficou ali apenas ouvindo as batidas do coração do garoto, enquanto ele sentia o doce perfume da sua protética. Nenhuma palavra precisava ser dita. Apenas olhar nos olhos já bastava para sentir o que eles não conseguiam dizer um pro outro.

0o0o0o

Já na mesa perto dali. Hughes tentava fazer com que Riza parasse de beber pois esta já havia bebido demais até para ela que era forte com bebida.

- Melhor você parar por hoje, Riza – disse Hughes.

- Ta dizendo que eu não agüento beber? – perguntou Riza num tom mais alterado que o de costume – Me deixe Hughes! – disse ela e como ele não obedecesse ela emendou – Me deixe agora!

- Ok, mas pare de beber – disse hughes se afastando.

0o0o0o

Enquanto isso o casal continua dançando no centro do salão ao som da leve melodia.

Kimi ga inai machi de

Aikawarazu ni genki de sugoshiteru

Sorega ima watashi ni

Dekirukoto sou omoukara

Você não está mais na cidade

E tenta agir como antes

Para parecer tão otimista

Como na época em que você partiu

Não posso mais aceitar isso

Já perdi muito

- Ed... – chamou a garota

- Sim... – disse Ed

- Depois de hoje... Quando vamos nos ver de novo?

- ... – Ed parou por um momento - Não sei...

Donna dekigoto ni mo

Kakureteru imi ga aru to

Yume ga kiekaketemo

Ibun rashiku ite hoshii donna toki mo

Kokoko ni iru kara

O que acontece agora

Agora que os sonhos se mantêm escondidos

E estão prestes a desaparecer?

Irei compensar o tempo

Não importa quando

Estarei la

- Confesso que eu já tive muitos pensamentos egoístas... – disse Win – Eu já cheguei a torcer pra que você e o Al desistissem de recuperar os corpos de vocês só pra vocês voltarem pra Rizembool, mas depois me arrependi. Eu só quero poder continuar ajudando vocês, mesmo que seja apenas como protética...

- ...

Namida nakusu hodo tsuyoku nakute mo ii

Tsukareta kokoro yasumasetara

Suteki na ashita wo negai nemuri ni tsuite

Chiisana kodomo no you ni

Já escondi bastante lágrimas atrás de sorrisos

Sei que não sou forte

Irei descansar meu coração vazio

Enquanto durmo, rezo para que um belo amanhã

Alcance minha pequena criança

- O problema é que é muito triste ter que ficar esperando vocês... Só esperando... Sem saber quando e se vocês vão voltar, sem saber se estão bem, se estão vivos... Eu finjo que já me acostumei, mas... Tudo que eu quero é que você volte...

Ed ficou surpreso ao ouvir essas palavras de Winry principalmente porque no final ela disse "Eu quero que você volte", no singular, referindo-se exclusivamente a ele.

Kono hiroi sekai wa tsunanagatteru

Shiroi kumo wa nagare kaze ni natte

kimi no moto e

Esse vasto mundo está entrelaçado

À maneira que as nuvens brancas flutuam

À maneira que o vento sopra até aonde você está

- Mesmo assim eu torço para que vocês consigam recuperar os corpos de vocês – continuou Win - Acho que só assim vocês serão felizes... Eu só desejo isso a vocês...

- Eu preciso ir até o fim disso... – disse Ed

- Desculpa estar falando disso no dia do seu aniversário...

- Tudo bem...

Watashi no koe wa todokimasuka

Afureru kimochi ienakatta

Será que minha voz alcançará seu coração?

Para contar a você que meus sentimentos estão transbordando?

- Eu só quero que você saiba que... – Winry recomeçou a falar. Tinha que dizer isso hoje, ou do contrário não conseguiria - Não importa o que aconteça... Eu vou continuar apoiando você e te amando...

- Me... Amando? – Ed agora estava estático, não sabia o que dizer, as palavras simplesmente se perdiam no meio da garganta.

- Por que a surpresa? Vai dizer que nunca notou? –disse Win, meio corada – Acho que só você ainda não percebeu o que eu sinto por você...

- Eu... Me desculpe – disse Ed, Winry abaixou a cabeça, não queria olhá-lo nos olhos enquanto ele dizia que ela era apenas uma amiga especial pra ele – Eu devia ter notado antes... Até por que... Acho que eu também sinto algo por você...

Watashi wa kimi ni totte no sora de itai

Kanashimi made mo tsutsumi konde

Itsudemo miageru toki wa hitori janai to

Tooku de omoeru you ni

Quero ser o seu céu e abraçar sua tristeza

Não importa para onde você olhe

Quero que saiba que não está sozinho

Mesmo que você esteja muito distante

- Sério? – disse Win, sentindo as esperanças renovarem.

- Sim... Acho que... Eu também amo você – disse Ed e por fim Winry o encara. Eles ficaram se encarando por uns milésimos de segundos que pareceram mais meio século para os dois. Lentamente seus rostos vão se aproximando e eles encerram o contato visual com os lábios a milímetros de centímetros de distância um do outro. Finalmente seus lábios se encontram enquanto a última frase da música era tocada.

Kaeru basho de aru you ni

Kaeru basho de aru you ni

Quero que saiba que tem um lugar para a qual retornar

Quero que saiba que tem um lugar para a qual retornar

Ao término da música todos aplaudem e uma nova música começa a ser tocada. Dessa vez uma música mais agitada, mas ainda romântica. À mesa, Armstrong e Al comemoravam por Ed e Win. De repente, a música que estava sendo tocada é interrompida.

- Vamos começar essa festa de verdade! – disse Riza em alto e bom som e completamente bêbada – Solta o som DJ!

A música começa a tocar e ouve-se uma batida forte e ritmada. Riza vai lá pra frente, onde outrora ocorreram as mensagens e entrega dos presentes e começa a cantar.

Hey!? Is this thing on?

hã ... hã

I saw him dancing there by the record machine

I knew he must have been about seventeen

The beat was going strong

Playing my favorite song....

Hey!? Isso está ligado?

hã ... hã

Eu o vi dançando ali perto da máquina de música

Eu sabia que ele deveria ter uns dezessete

A batida estava ficando mais forte

Tocando minha música favorita

O pessoal começa a dançar também enquanto os que conheciam Riza pessoalmente ficavam cada vez mais chocados com a cena.

- Eu não sabia que a tenente sabia cantar... – comentou Havoc

- Nem eu – alguns subordinados de Mustang concordaram

And I could tell it wouldn't be long

Until he was with me, yeah me!

And I could tell it wouldn't be long

until he was with me, yeah with me!

E eu poderia dizer que não iria durar

enquanto ele estivesse comigo, yeah comigo

E eu poderia dizer que não iria durar

enquanto ele estivesse comigo, yeah comigo

Nisso Riza passava pelo meio da platéia e dançava com todos os homens, foi justamente nessa hora que Mustang apareceu e se perguntou: "Que diabos está acontecendo aqui?" Há dois segundos atrás, quando ele havia ido ao banheiro, estava tudo em paz, estava tocando até uma música romântica.

Singing...

I love Rock 'N Roll

So put another dime in the jukebox, baby

I love Rock N' Roll

So come and take your time and dance with me

Cantando...

Eu amo rock 'n roll

Então bote outra moeda na máquina de música, baby

Eu amo rock 'n roll

Então venha e passe seu tempo dançando comigo

Riza passava por cima do sofá pulando em cima deste enquanto cantava o refrão da música. E foi nessa hora que ela viu o coronel Mustang e foi na direção dele. Ela o provocava dançando de modo sensual e tentava fazer ele dançar com ela sem parar de cantar.

Ouw !

He smiled, so I got up and asked for his name

That don't matter, he said, "cause it's all the same"

I said, "Can I take you home where we can be alone?"

And next we were moving on

And he was with me, yeah me!

And we were moving on

Singing the same old song, yeah with me!

Ouw!

Ele sorriu, então eu me liguei e perguntei o seu nome

Isso não importa, ele disse, porque é tudo a mesma coisa

Eu disse, posso te levar para casa onde poderemos estar sozinhos?

E depois estavamos nos movendo

E ele estava comigo, yeah, comigo

E estavamos nos movendo

Cantando a mesma velha música

Singing...

Cantando...

E ela estava prestes a cantar o refrão novamente quando o coronel a puxou pelo braço em direção à saída da festa.

- Uow! – disse Riza, mais gritando do que falando – Se queria ficar sozinho comigo era só falar Roy...

- Pra onde você vai levá-la, Roy? – perguntou Hughes

- Pra casa dela, pra onde mais? – disse Mustang – Ela não está em condições de continuar na festa...

- Eu disse a ela pra não beber tanto...

- Tudo bem, deixe comigo agora – disse Roy

- VAMOS ROY! – gritou Riza com toda sensualidade que sua voz podia expressar.

- Precisa de ajuda para levá-la? – perguntou Hughes

- E eu lá preciso de ajuda pra lidar com mulheres? – brincou Roy, mas vendo que o amigo estava sério ele acrescentou – Pode deixar, eu to com o carro do exercito lá fora.

- Você ainda vai voltar?

- Não sei... Acho que vou pra casa depois de levar Riza.

- Você a chamou pelo primeiro nome – disse Hughes.

- Esqueci.

- Quando acontece algo com ela você esquece a patente, não é? – perguntou Hughes. Mustang ignorou o comentário.

- Já vou indo – disse ele

- ROOOY! – Riza continuava usando aquele tom de voz.

- Vá lá – disse Hughes – E juízo! Não se esqueça que ela é sua subordinada e está bêbada.

- Não vou esquecer Maes.

- Ok. Então Tchau!

- Tchau.

Dizendo isso Roy saiu levando Riza e a festa continuou como se nada tivesse acontecido.

- Ei, Hughes! – Ed chamou o outro que estava passando – Riza vai ficar bem?

- Vai sim. Mustang foi deixá-la em casa, ela está muito bêbada – respondeu Hughes.

- Você confiou no coronel pra deixá-la em casa? – perguntou Ed

- Não se preocupe. Ele sabe o que está fazendo.

0o0o0o

Enquanto isso, num certo carro do exercito, a viagem foi mais tranqüila do que Roy esperava. É que Riza simplesmente apagou no banco. Chegando à casa de Riza, ela ainda não havia acordado, então, ele não viu escolha a não ser deixá-la lá dentro quietinha em seu quarto.

Ele pegou a chave que estava no bolso da jaqueta que Riza havia levado e abriu a porta da casa. Em seguida voltou ao carro e carregou Riza no colo junto com a jaqueta fechando a porta do carro com o pé. Ao passar pela porta da sala ele fez a mesma coisa para fechá-la. Lentamente subiu as escadas e deitou Riza em cima da cama, no quarto dela e foi aí que Riza mostrou que não estava tão adormecida com Roy pensara. Ela o puxa pelo pescoço e rouba um beijo de Roy. Ele acaba caindo em cima dela. Ele afasta o rosto do dela, mas ela puxa seu pescoço novamente, roubando mais um beijo dele. Ele novamente e com toda força de vontade que ele poderia reunir se afasta dela, mas ela continua puxando seu pescoço, na tentativa de beijá-lo mais uma vez.

- Porque você não me quer? – perguntou Riza magoada – Pensei que havia dito que me amava... Era tudo mentira?

- Não... – disse ele

- Então... – disse Riza o puxando novamente – Fica comigo...

- Não – disse Roy – Vá dormir

- Eu não quero dormir...

- Quer sim.

- Não, não quero! – disse Riza – E você sabe muito bem o que eu quero. Vem cá... – disse ela tentando puxá-lo novamente.

- Não! – disse ele categórico – Riza! Não!

- Porque não? Eu quero, você também quer... O que nos impede?

- Olhe pra você! – disse Roy – Você está bêbada! Pode estar gostando disso agora, mas se eu fizer o que você quer, você vai me odiar pro resto da vida. E eu não vou conseguir olhar mais pra você.

- Quem liga? – disse ela

- Eu ligo!

- Aposto que você não pensa nisso quando dorme com outras mulheres...

- Riza! Não se compare com as outras! – disse Roy – Você é mais importante pra mim do que um dia qualquer uma delas vai ser.

- Obrigada... – disse Riza, o sono já começando a vencê-la – Eu te amo... – e ela apagou. Dessa vez pra valer. Roy suspirou aliviado. Ele a cobriu com a coberta que estava dobrada na cama.

- Eu também te amo... – sussurrou ele antes de sair dali pra sua casa.

0o0o0o0o

A estória acaba por aqui, mas calma, continue lendo, tem o epílogo...

0o0o0o0o

Oboete iru kai?

Osanai koro kara tsumesakitachi de todokanai tobira ga atta yo ne

Jikan wo wasurete samayoi tsukushita

Meiro no michi wa itsumo soko ni ikiataru

Você se lembra?

Quando éramos crianças, existia uma porta que não conseguíamos entrar mesmo andando na ponta do pé

Nós vagamos por isso, e o tempo esquecido

Sempre corremos dentro de um labirinto de ruas aqui

E assim passou-se o aniversário de Ed.

Muishiki ni kimi no egao wo sagasu no wa tomerarenai

Nani hitotsu kawarazu ni ima mo boku wa kakete yuku

Eu não posso parar de procurar inconscientemente seu sorriso

Nada mudou, e agora eu corro

O dia após o aniversário do alquimista foi de ressaca total, sorte de Al, Ed, Win e Elysia que não beberam. Mesmo assim eles só acordaram dez horas do dia, o bom é que era domingo.

- Nossa! Acho que nunca fui numa festa como a de ontem... – comentou Winry

- Acho que eu nunca ganhei uma festa como a de ontem... – disse Ed – Foi muita zueira... Acho que ninguém vai esquecer essa festa tão cedo...

- Riza cantando I love rock 'n roll... Hilário... – disse Win – Nunca imaginei uma cena dessas...

- Vocês dois também tiveram seu momento de glória – disse Al – Ou vocês acham que ninguém viu vocês se beijando no meio do salão?

Ed e Win ficam extremamente corados.

- Tudo bem, é normal... – disse Al como se fosse muito experiente no assunto – Mas, e então? Vocês estão namorando agora?

Os dois se olharam como se estivessem fazendo um pro outro aquela pergunta.

- Acho que vocês deviam – disse Al – Eu sei que vocês se amam, além disso, depois de ontem, ninguém vai se surpreender se vocês dissessem que estão namorando... Bem... Eu vou aqui... Eu prometi a Elysia que faria o café dela... – disse Al saindo em seguida. Os dois se olharam por um tempo em silêncio.

Tatoe haruka tooku hanarebanare ni nattemo tsunagariau omoi

Itazura na unmei ga furikakarou to mo koware ya shinai

Mesmo se estarmos distantes um do outro, nossos pensamentos estão ligados

Mesmo se um fato travesso tentar nos derrubar, nós não cairemos

- Ed... Não precisa se sentir pressionado pelo que seu irmão falou... – disse Win.

- Eu sei... Mas, até que não seria uma má idéia, seria?

- Sério? – perguntou Win surpresa

- Uhum. Você quer? – perguntou Ed um tanto inseguro.

- Hum – disse Win balançando a cabeça afirmativamente.

Eles se olharam novamente.

- Ed... – disse Win

- Sim...

- ... Er... Você não vai me beijar? – Ed ficou surpreso com a atitude da garota, mas não demorou pra entender o recado. Al deu uma olhada no casal se beijando.

"É..." pensou Al "O nii-san só precisava de um empurrãozinho..." Ele vai no quarto de Elysia que ainda estava dormido [5]. "Acho melhor dar uma voltinha..."

Nozomareru asu ga sono saki ni aru to

Atama no oku de daremo ga kidzuite iru hazu sa

Harewataru hibi ni arasoi no dougu ga

Kiesaru toki wo itsuka kimi ni misetai na

Se o amanhã que eu sonho estiver na minha frente

Todos deveriam saber disso, em suas mentes

Um dia eu quero te mostrar quando

Os motivos do conflito desaparecerem, nos dias límpidos

Na casa de Riza, ela acaba de acordar. Instantaneamente ela põe as duas mãos na cabeça.

- Droga! Que dor de cabeça... Parece que ela vai explodir...– Ela olhou ao redor e logo percebeu que estava em sua casa. "Como eu vim parar aqui? O que foi que aconteceu? A última coisa de que me lembro foi que eu estava na festa do Ed..." de repente, como um flash, Riza se lembrou de tudo. O ciúme que sentiu do coronel, a bebedeira exagerada, o showzinho que ela deu, o coronel a trazendo pra casa, ela tentando agarrá-lo, ele fazendo-a voltar à razão e finalmente ela dormindo. Lembrava de tudo.

- Droga! Droga! Droga! – exclamou Riza, embora ninguém pudesse ouvi-la – Com que cara eu olho pra ele agora? E a tal amnésia alcoólica? Nem aparece nessas horas pra ajudar...

Nessa hora o telefone toca fazendo Riza ter vontade de quebrá-lo. Ela atende.

- Alô? – diz ela ainda com voz de sono.

- Desculpe se te acordei, eu só queria saber como está... – disse Mustang do outro lado da linha

Kizutsukeau no wo yamenai ochite yuku sekai dakedo

Kimi ni deaeta koto dake de mou nani mo kowaku wa nai

As pessoas não vão parar de se machucar neste mundo degenerativo

Porém desde que conheci você, eu não tenho mais nada a temer

- Coronel? – perguntou Riza alarmada, a voz de sono sumira

- Sim, sou eu – disse Roy aliviado por aquela não ser mais a voz de uma Riza bêbada, mas sim sonolenta – Te acordei?

- Não, eu já estava acordada... Aconteceu alguma coisa?

- Não, eu só queria saber como está... – disse Mustang repetindo tudo o que dissera antes para uma não mais sonolenta Riza.

- Com uma baita ressaca... – disse Riza, Roy riu.

- Beba muita água, coma uma torrada queimada e duas aspirinas – disse Roy – E não se esqueça de se alimentar [6] – completou ele – Logo a ressaca vai embora.

- Esqueci que você entende tudo de ressaca...

- Também não é assim... – disse ele – Mas fico feliz que já esteja de bom humor...

- Me desculpe por ontem... – disse ela, sem graça. Ainda bem que por telefone não dava pra ver que ela estava extremamente corada.

- Pensei que você não lembrava de nada... – disse o coronel

- Infelizmente sim...

- Tudo bem, você cantou bem e fez o maior sucesso... – brincou ele

- Não diga isso... Eu nem sei como vou pisar os pés no QG amanhã...

- Como você sempre faz – disse ele – A Riza que eu conheço não ia ficar com medo de meia dúzia de soldados de patente inferior...

Tatoe kono karada ga ikura moetsukitemo ii sa kimi ni sasagu nara

Oozora e to boku wa masshiro ni maiagari mamotte ageru

Mesmo se estarmos distantes um do outro, nossos pensamentos estão ligados

Mesmo se um fato travesso tentar nos derrubar, nós não cairemos

- ...

- Se quiser eu vou aí te buscar... Até porque amanhã a amiga do Fullmetal vai voltar pra Rizembool, já que a chamamos, seria bom levá-la até a estação...

- Melhor não...

- Por quê?

- Acho que já ultrapassamos demais a relação coronel-subordinado – disse Riza

- Eu não me importo – respondeu Mustang deixando Riza definitivamente corada – Até amanhã, tente descansar e não se esqueça do que eu disse – disse ele desligando o telefone antes que ela pudesse argumentar.

- Ora seu... – ela tentou xingá-lo mais não tinha como fazer isso se ele a ajudou tanto - Coronel lindo – completou ela num sussurro – Obrigada...

Tatoe haruka tooku hanarebanare ni nattemo tsunagariau omoi

Itazura na unmei ga furikakarou to mo koware ya shinai

Não importa o quanto meu corpo se desmanche, desde que esteja com você

Seria bom se o mundo em que renasci estivesse ao alcance de seus olhos, algum dia

Na segunda-feira, foram todos (Mustang e seus subordinados juntamente com Armstrong, Brosh [7], Shieska e Maria Ross e a família Hughes) levar Winry até a estação de trem.

Eles estavam todos sem os uniformes militares porque chamaria atenção e eles não queriam isso. Havoc estava apagando um cigarro, Al encontrou mais um gatinho (com certeza mais uma discussão com Ed vem aí...), Fuery estava segurando a coleira de Hayate [8] que latia feliz. Breda também estava lá conversando com Falman. Roy e Riza estavam lado a lado, de mãos dadas conversado, Hughes estava babando sua filhinha como sempre, Ed, Win e a Sra. Hughes estavam conversando também.

Passados uns cinco minutos ouve-se o barulho do trem chegando.

- Bem... Eu to indo Ed... Vê se se cuida...

Winry dá um beijo nele que fica corado por ela fazer isso em público, mas retribui e depois sorri pra ela.

- Pode deixar – disse ele

- Se você não se cuidar, minha chave de boca ainda esta bem guardada... – disse Winry provocando arrepios em Ed. Maldita chave de boca...

- Eu nunca vou me livrar dela não é?

- Não... – disse Win – Nem da dona dela...

O trem faz um barulho avisando que já vai partir. Winry abraça Al, Elysia e a Sra. Hughes e se despede o mais rápido possível dos demais. Ela entra no trem e da janela grita.

- Ed! Al! Vê se aparece lá em Rizembool pra ver a vovó! Ela está com saudades!

- Ta bom! – disseram os irmãos Elric em uníssono.

O trem foi partindo ao som de tchaus e até logos do pessoal.

- Até!!! – gritava Winry

Tatoe kono karada ga ikura moetsukitemo ii sa kimi ni sasagu nara

Oozora e to boku wa masshiro ni maiagari mamotte ageru

Mesmo se estarmos distantes um do outro, nossos pensamentos estão ligados

Mesmo se um fato travesso tentar nos derrubar, nós não cairemos

§ Fim §

0o0o0o

Notas de rodapé:

[1] - Nii-san – É o modo respeitoso que algumas pessoas no Japão usam para chamar seu irmão mais velho.

[2] – Chan – Sufixo usado para chamar carinhosamente alguém (geralmente mais novo).

[3] – Isso foi só uma brincadeirinha que eu fiz (rsrsrs). Inspirei-me no desenho "As meninas super poderosas". É que o desenho sempre termina com um cara falando "E mais uma vez o dia foi salvo graças às meninas super poderosas!"

[4] – Kun – Sufixo usado para chamar carinhosamente garotos jovens.

[5] – Pra quem não entendeu essa parte, aquele lance de Al falar que prometeu a Elysia que faria seu café era mentira. Só uma desculpa pra deixar os pombinhos sozinhos.

[6] – É verdade! Eu não bebo, mas queria fontes corretas para por na fic, então eu pesquisei. Essa é uma boa receita pra quem quer curar a ressaca, mas é importante lembrar de que não existe nenhuma "fórmula mágica" capaz de evitar completamente a ressaca. Se você beber muito, possivelmente você irá pagar por isso no dia seguinte.

[7] – Não tenho certeza se esse é o nome dele, mas se não for, é algo parecido.

[8] – Hayate –Black Hayate, o cachorrinho de nossa querida Riza. Fiquei sentida dele só aparecer agora no finalzinho... Numa próxima fic eu vou tentar colocá-lo mais em cena. Gomen!

0o0o0o

N/A: Caramba! Esse com certeza foi o maior capítulo dessa fic. Mas, bem... Chegou ao fim... Agora chegou um momento ilustre desta fic (momento esse que só tem nessa parte). É à hora das respostas às revews, mas, mais do que isso... É a hora de agradecer a você. É! Voce mesmo que está lendo agora! Então lá vai:

***Respostas a revews e agradecimentos***

Winry S2 Ed: Morre não amiga! Aqui está o novo capítulo! Este é o último, espero que tenha gostado e que eu não tenha estragado nada. Tentei não fazer nada ridículo, afinal, este é o gran finalle! Obrigada por ter acompanhado todos os capítulos até aqui, saber que você estava lendo foi muito importante para que eu conseguisse terminar essa fic. A você, meu muito obrigado!

Mekyo: O que dizer de você? Você é o máximo! Saiba que sem suas revews eu jamais conseguiria terminar essa fic! "Obrigada" ainda é muito pouco para poder lhe agradecer pelas belas e incentivadoras revews, enfim, por todo apoio que você me deu. Saiba que se não fosse por elas eu não teria conseguido terminar essa fic. Ficam aqui expressos os meus humildes e sinceros agradecimentos.

Tsukishi-chan: Não tem problema que você só chegou no final, o importante é que você leu também e gostou! Obrigada pelo elogio sobre meu modo de escrever, isso só me motiva a escrever mais e mais! Essa foi a primeira fic que eu publiquei na VIDA, então fiquei meio insegura a posta-la, mas que bom que eu consegui te agradar! Espero não ter descaracterizado muito Riza colocando ela pra ficar bêbada e cantar I love rock 'n roll, mas só assim ela fica menos racional (se é que você me entende...). Deixa uma opinião sobre esse capítulo também, por favor! E mais uma vez, obrigada por ter acompanhado essa fic!

Agradeço também a Daianelm que deixou uma revew pra mim no capítulo três. É Daí... Você não apareceu mais, mas amei seu comentário, valeu por te-lo postado!

Por fim, agradeço a todos que leram, mas por algum motivo não deixaram revews (Sim! Eu ainda tenho esperanças de que isso tenha acontecido!) e os que ainda vão deixar também (A esperança é a última que morre, não é? E nunca é tarde pra deixar uma revew, lembrem-se do meu presente de aniversário...) Se por acaso alguém deixar revew, prometo que vou ler com carinho e se possível responderei.

Mais uma vez, valeu mesmo a todos em especial os que deixaram revews. Foi por vocês que terminei essa fic e espero que todos, principalmente vocês, tenham gostado deste último capítulo!

Nyah! Já estou com saudades!

Até a próxima fic!

Beijos!

K-chan