Rain

Chuva, chuva, chove chuva, céu, cinza? Cinza. Nóe. Cinza.

Por: Tainã Zuccolotto Vieira – Vulgo: Demetria Blackwell



Gotas de navalha que lhe cortam a pele pela força que caem em seus ombros.

A fonte dessas e o céu cinza.

Cinza.

Cinza.

Cinza...

X

Tyck Mikk era o tom de cinza que mais se destacava.

Road Kamelot era a menina cinza que se regenerava de qualquer coisa.

Lullubel, Devito, Jasdevi...

Que tom de cinza ele é?

X

Aquela noite era tão sombria quando seus sonhos, destino e fim.

Sabia que iria morrer nesse jogo.

Ao tocar os pés no chão, tentou se agarrar a realidade.

Tentou fugir da realidade.

Pensou que tudo fosse um sonho, e no final estaria tudo bem.

Ele tentou se enganar.

X

Aquela mão guardava sua salvação e a sua maldição.

Aquele olho carregava seu passado e seus medos.

Sua mão lhe protegia dos akumas, mas também era caçada pelos Noés.

Aquele olho era a única lembrança de Mana e a penumbra que o atormenta todos os dias de sua vida.

O que restou para ele?

X

Seus passos eram marcados na lama e depois apagados pela chuva. Para o seu deleite, estava escuro, nebuloso e frio.

Cenário perfeito para um suicídio.

X

Rasgava-lhe o peito ter que olhar diariamente as pessoas que sorriem a sua volta e saber que uma hora, aqueles sorrisos seriam arrancados, tomados pela força do pavor e pela melancolia.

Só de pensar isso, dava-lhe nostalgia.

X

Era triste, mais era o fim.

Puro sangue rubro.

Caia ao chão e manchava suas vestes, seu cabelo, sua mão.

E aos poucos, sumia na chuva.

Lágrimas o céu que lhe dispersavam o rubro.

A chuva apagava o caminho da dor e amparava os feridos.

X

Quando seu corpo se chocou no chão, ele contemplou o céu.

Derramava a chuva, as navalhas de água, o cenário que enfeitava sua morte.

E ele era cinza.


N/a: Não me perguntem como está meu estado de perturbação mental, ele está altíssimo. Se você não entendeu essa fanfic, é normal, pois nem eu que a escrevi estou entendendo. o.o