Há não tanto tempo atrás, num site não tão distante, existia na cabeça de algumas pessoas a idéia de criar um blog de fanfiction coletiva que se passasse na época dos fundadores de Hogwarts. A idéia maturou e deu-se início ao Accio Past, blog afiliado ao extinto Accio Cérebro.

O blog não chegou a vingar por muito tempo, mas produziu personagens e parcerias que se tornariam inesquecíveis. Uma dessas parecerias era a das autoras de "Matthew de Aldearan" e "Mira Barlow", respectivamente, a Raíssa/Deusa/Arlequina [que escrevia no Accio Cérebro, no Magic Spell e no Magic Past], e a Ju [que escreve para o Expresso e Amaterasu e escrevia para o Accio e os Magics, também].

Matthew de Aldearan é professor de História da Magia e também leciona Esgrima para os alunos [do sexo masculino, deixando claro], enquanto Mira Barlow é uma lufana já no meio de seu aprendizado na escola.

Matthew é bebedor inveterado, galanteador e ranzinza por ter perdido a habilidade de um dos braços, já que uma doença e um nervo cortado o impedem. Mira é uma boa moça, aprendendo seu papel na sociedade, mas um tanto quanto frustrada com o que ele representa.

Apegadas a esses personagens, decidimos que mesmo com o fim do blog, iríamos continuar 'escrevinhando'. O convite para postar aqui foi uma surpresa para nós duas, e ficamos muito felizes com ele. Tão felizes que cá estamos. =P

Alguns personagens do falecido blog são usados nesta saga, mas com autorização, e sem malícia envolvida, apenas para prestarmos homenagem a um momento importante de nossas vidas. Charlie Trocken [escrito pelo Rod, que participou de vários blogs], Lavínia Caldwell [que quem escrevia era a Deh]...

=) Esperamos que gostem das desventuras do casal tanto quanto gostamos de escrever sobre eles.

Primeiro, ele achou que fosse um anjo ou um delírio da bebida que consumira aquela noite. Depois, ele percebeu que era, simplesmente, sua aluna. Simplesmente? A menina tinha cabelos ruivos e um perfume hipnótico que o enfeitiçara desde o primeiro momento.

Matthew de Aldearan não percebera que a mulher perfeita estava à sua frente. Mira Barlow ainda não percebera que o seu futuro homem estava ali, dia sim, dia não, ensinando-lhe sobre as guerras passadas e a história da magia.

Ele não perderia mais tempo. Era ela a única digna dele e ele, uma vez tendo-a escolhido, não pretendia abrir mão de seus direitos. Cabia, apenas, conquista-la de uma vez por todas e partirem logo para o Felizes Para Sempre.

Será?