Já era meio do ano letivo, os alunos voltavam de suas férias. Todos pareciam conversar animadamente sobre o que tinham feito e para onde tinham ido. Estavam todos em seus lugares quando a aluna nova pisou na sala.

- Que bom que chegou, senhorita Tsuki.

- D-desculpe… Eu tentei não chegar atrasada, professor. – ela então se virou para o restante da turma para se apresentar, mas seus olhos pousaram sobre alguém que lhe chamou atenção – Haruhi? É você? Ah, Haru-chan! Que bom! – e correu até Haruhi, a abraçando com força.

- Eh?! – os gêmeos olhavam, mais surpresos do que todos presentes.

- Kaoru… – a voz de Haruhi mal saía.

- O que foi, Haru-chan? – a jovem a soltou quando ouviu o próprio nome.

- EH?! – os gêmeos pareceram se surpreender mais.

- Desculpem – a jovem agora estava novamente na frente da sala – Eu acabei não me apresentando. Meu nome é Kaoru Tsuki. Eu vim para esse colégio porque sabia que Haru-chan estava aqui. Como é uma pessoa muito despreocupada, fiquei alerta para os maus elementos. – ela desviou o olhar para os gêmeos.

- Kaoru, não acha que está exagerando? – Haruhi se levantou e falava tranqüilamente – E… Assim vai confundir as pessoas – ela apontou para os gêmeos – Um só chamando Kaoru está…

- Não! – a novata pareceu indignada com algo – O que fizeram com você?! Pobre Haru-chan! – novamente ela desviou o olhar para os gêmeos – Vocês! Foram vocês,não é?! O que fizeram à pessoa maravilhosa que Haru-chan sempre foi?! – ela agora estava extremamente próxima dos gêmeos, parecendo irritada.

- Kaoru-chan, não implique com Kaoru-senpai e Hikaru-senpai em seu primeiro dia aqui… – Haruhi parecia temer o que a outra podia fazer.

- Etto… Kaoru… O que faremos…? – Hikaru desviou o olhar para o irmão.

O gêmeo não respondeu. O olhar firme e destemido que a novata lançava para ele o deixava incomodado. E esse incômodo gerou um leve rubor em suas bochechas, mesmo que não quisesse e tentasse impedir. Então finalmente a garota se afastou e foi para seu lugar. Ela não foi vista durante todo o resto do dia, o que parecia deixar Haruhi preocupada. O pessoal do Host percebeu.

- O que foi, Haruhi? – Kyouya foi o primeiro a perguntar.

- Kaoru-chan… – Haruhi olhava pela janela até ser atacada por Tamaki.

- Haruhi! Não seja contaminada por esses gêmeos depravados!

E foi aí que a pessoa em questão surgiu pela porta. Uma jovem de cabelos até o ombro, bastante escuros, olhos verdes. Sua altura era próxima da dos gêmeos.

- O que pensa que está fazendo com minha doce Haru-chan, seu baka hentai?!

- Ah, Kaoru-chan! – Haruhi sorriu e foi até a amiga, aproveitando que Tamaki havia se isolado com o comentário da recém-chegada – Fiquei preocupada porque você sumiu…

- Haru-chan sempre se preocupa, né?

Um jovem de óculos se aproximou.

- Desculpe… Quem seria você, minha jovem?

- Eu sou Kaoru Tsuki! – ela pareceu se empolgar – Da mais nova família emergente no campo de artes visuais!

O moreno apenas ajeitou os óculos.

- Uma ex-plebéia… Por isso é amiga de Haruhi. – o comentário veio dos gêmeos.

Tsuki se virou para responder, mas seu olhar foi parar em outra dupla.

- Takashi… Mitsukuni… Como é bom ver vocês! – ela saiu correndo, indo abraçar os dois.

- Eh? Como você os conhece, ex-plebéia? – novamente a frase, dada em uníssono, veio dos gêmeos.

- Meu nome é… Kaoru Tsuki! – e quando a jovem se virou, seu calcanhar atingiu a cabeça de Hikaru, que foi lançado no irmão. E por fim ambos pararam na parede – Não me chamem de forma tão indelicada! – ela parecia irritada.

- Sim, sim. – Tamaki havia se recuperado e agora se dirigia aos gêmeos – Sempre tratem as damas apropriadamente.

- Cale-se, baka hentai. – Tsuki lhe lançou um olhar frio, fazendo-o voltar ao seu estado depressivo.

- Então por isso Kaoru-chan gostava de ver as lutas? – Hani parecia curioso.

- É. Eu aprendo muito só de observar. Com um pouco de treino fica tudo certo. Né, Mitsukuni? – ela sorriu inocentemente para o loiro.

Hani sorriu de volta.

- Ah, Kaoru-chan… – Haruhi se aproximou – Tente não causar muito estrago…

- Haru-chan, como foi se envolver com um baka hentai, um quatro-olhos demoníaco e os clones? – Tsuki ignorou por completo o comentário feito pela outra.

Foi Kyouya quem respondeu.

- Dívida.

E nessa hora algo se esclareceu na mente de Tsuki.

- Você. – ela apontou para Kyouya – Venha comigo – e se virou, indo para o vestiário.

O outro a seguiu, contrariando o que todos esperavam. Então, quando estavam suficientemente longe, a jovem começou a falar.

- Você… Kyouya-kun, não é? – ele confirmou com a cabeça, então ela prosseguiu – Vejo que está apaixonado pela minha pequena Haruhi.

Ele corou de leve e desviou o olhar.

- Sabe… – continuou ela – Se for você, acho que não tem problema… Diferente do baka hentai, acho que posso confiar em você… Acho que Haruhi ficaria bem…

Ele sorriu de canto, ainda ruborizado.

- Mas! – ela o fitou, parecendo séria – Não pense que será fácil tirar a Haru-chan de meus cuidados!

E então ela deu as costas e sai, voltando para a sala de música. Foi direto para onde estavam Hani e Mori, começando a conversar com eles.

- Né, Hani-chan. Fiquei sabendo que você saiu do clube de karatê. – Tsuki conversava com o pequeno como se eles se conhecessem há muito tempo.

- É… Aí eu poderia entrar para o Host Club! – ele sorria.

- E Takashi entrou junto. – ela suspirou.

- É. – o moreno permaneceu indiferente.

- Fiquei curiosa agora. Sobre o nível de vocês. – ela tinha um olhar curioso.

- Kaoru-chan também evoluiu muito, né?

Pouco depois o clube foi aberto, então a jovem preferiu se retirar. Andava distraída pelo colégio e quando percebeu, estava de volta, diante da porta que dava para a Terceira Sala de Música. Que dava para o Host Club. Aquilo a irritou, mas pelo menos lhe deu uma idéia. Pegou a bolsa e entrou na sala. Quando se voltaram para ver quem tinha aparecido, ninguém pareceu respirar.

- Takashi Morinozuka, eu o desafio. – a garota tinha uma espada apontada para o moreno.

- Eba, eba! Takashi vai lutar! – Hani parecia alegre com o que acontecia.

- Kaoru, não é uma boa idéia. – ele parecia indiferente, mas sua voz estava séria.

- Lugar impróprio, eu sei. – ela revirou os olhos.

- Né, Kaoru-chan… Takashi é bem forte. – Hani tinha ido para junto da amiga.

- Não se preocupe, Mitsukuni. Eu também fiquei. – ela sorriu.

Mori então se levantou e foi até ela.

- Tem certeza disso, Kaoru? – ele colocou uma mão sobre a que ela usava para segurar a espada e a abaixou.

A jovem concordou com a cabeça.

- Amanhã, antes de o Host abrir. Topa, Takashi? – ela olhava destemida para o moreno, que concordou com a cabeça.

Satisfeita, ela tornou a guardar a espada, se retirando em seguida. No dia seguinte deixaria os dois orgulhosos com o quanto havia crescido no tempo em que não haviam se visto. Iria mostrar o quanto eles a haviam ensinado e deixá-los felizes com isso. Estava determinada a tal e nada a faria voltar atrás.

O resto do dia e tudo o que se seguiu antes da luta combinada pareceram maçantes. Todos estavam ansiosos. Os gêmeos, Tamaki, Kyouya, Haruhi, Mori, Hani e Kaoru. Até as clientes ausentes no dia anterior e o pessoal das salas dos integrantes do Host ficaram sabendo. E na hora combinada, uma multidão estava reunida no clube de kendô para servir de platéia. Kaoru foi a última a chegar.

- Eh… Juntou mais gente do que o esperado… – ela coçou a nuca.

As pessoas, ao verem-na, logo começavam a comentar coisas como "O que? Ela?", "Mori-senpai vai ganhar, certeza.", dentre outros. Nenhum dos combatentes, porém, se incomodou. Simultaneamente sacaram suas espadas e logo a luta começou. Eles se equiparavam em habilidade, o que surpreendeu a todos. Assim como o fato de que ambos sorriam. (N/A: o Mori sorrindo? De onde eu tirei isso? O.õ) E aí aconteceu.

Em um momento logo após o ataque de Mori, Kaoru deu o golpe final. Desviou com um pouco de dificuldade, mas logo sua lâmina estava tocando o pescoço do moreno. E os dois sorriram satisfeitos com a luta. Uma vez que tudo estava terminado, guardaram suas espadas.

- Você cresceu, Kaoru. – ele voltara à expressão serena.

- Obrigada, Takashi! Mas se não fosse por você quando éramos pequenos, eu nunca teria começado a treinar. – ela sorria alegremente.

Os dois se retiraram juntos, conversando sobre algo. Hani logo se juntou a eles, entrando na conversa. Os integrantes do Host apenas observavam, estranhando como Mori parecia mais alegre agora que aquela garota tinha aparecido. Era como se eles tivessem muito que dizer. Mas o que mais os intrigava era como aqueles dois poderiam conhecê-la, como o trio podia ser tão amigo.

Mori e Kaoru foram se lavar, enquanto Hani ficou esperando do lado de fora. Os outros logo se juntaram ao pequeno.

- Hani-senpai. – Haruhi foi quem começou a falar – Como vocês conhecem Kaoru-chan?

- Foi quando éramos pequenos. Kaoru-chan costumava aparecer em alguns eventos em que íamos também. Éramos os únicos da nossa idade. – Hani sorria.

O pequeno começou a contar a história de como tinham se conhecido. Quando estava terminando, Kaoru saiu, o cabelo escorrendo. Sorriu ao ver o pequeno e depois voltou o rosto para os outros. Quando pousou os olhos em Haruhi, seu sorriso aumentou. Mori saiu pouco depois e logo percebeu os olhares dos outros, exceto de Hani e Tsuki, sobre ele. Preferiu não comentar, indo com o primo e a amiga para o clube. Logo os outros também foram.

Naquele dia Kaoru ficou no Host, como cliente dos dois. Mas observava a todos, sem exceção. E sentia a cabeça rodar quando via as interpretações dos gêmeos. Hani e Mori, assim como as clientes destes, notaram que a morena sempre franzia a sobrancelha quando fitava os ruivos. Isso arrancou alguns risos. Então, já sem suportar, Kaoru começou a ficar atenta somente a Hani e Mori. Quando o Host fechou, foi falar com Haruhi.

- Haru-chan, posso ir a sua casa hoje? É que não tem ninguém na minha… – a garota fitava o chão, parecendo sem graça.

- Sem problemas, Kaoru-chan. – Haruhi sorriu – Só que meu pai ainda não deve ter chegado. Isso não é algo que incomode, né?

A outra negou, sorridente.

- Oe, oe. Também podemos ir, Haruhi? – os gêmeos apareceram atrás de Tsuki, com um sorriso estranho no rosto.

- Não. – Haruhi foi direta e parecia indiferente.

Tsuki riu.

- Então vamos, Haru-chan? – ela pegou na mão da amiga e começou a arrastá-la para fora, lançando um olhar superior aos gêmeos.

- Acho que vamos perder nosso brinquedinho, Kaoru. – Hikaru fitava a porta.

-Concordo, Hikaru. – o gêmeo olhou então para o irmão.

Foi assim que, mais uma vez, uma garota entrou na vida dos anfitriões para atrapalhar a paz que tinham. Uma jovem que estava disposta a ajudar na formação do casal que Kyouya e Haruhi poderiam ser. Uma jovem que sempre teve contato com o mundo dos ricos, mesmo não sendo. Alguém com um passado que nem mesmo sua melhor amiga conhecia. Aquela era Kaoru Tsuki, a mais nova de três filhas.