Escrito por Stephen Tsai (koc@ml.usagi.org)
Traduzido por Verythrax Draconis (verythrax@myrealbox.com)

Tradução Autorizada pelo Autor

10/12/2001 Script ver. 1.0


Episódio 3 - Leve-me ao Jogo de Beisebol

[A cena muda para o campo de beisebol da Universidade Waseda. O barulho seco da batida
do bastão é seguido pelo grito da multidão nas arquibancadas. Na ala dos estudantes,
Kasuga e Ayukawa estão sentados juntos. Os torcedores à volta deles assistem o jogo,
enquanto ouvem aos comentaristas, em seus rádios de pilha.]

Narração de Kasuga:
Este era a primeira partida de beisebol da temporada. Ayukawa e eu passamos o dia
assistindo o time da nossa universidade enfrentando uma das faculdades rivais.
Normalmente, eu estaria feliz em passar o dia com ela. O único problema era quem
estava jogando...

Comentarista de Rádio:
Com um fora no início do segundo set, Hinata está rebatendo, com um homem na primeira
base. O corredor vai, há o arremesso... a bola faz uma linha, mergulhando no meio e é
pega por Hayashibara! Ele tira o da segunda, arremessa, e tira o corredor na primeira!

Ayukawa:
[Enquanto a torcida da casa comemora.] Uau! Você viu aquele double-play*?
*N.T.: ponto onde dois jogadores são postos para fora.

Kasuga:
[Desinteressado.] Claro, grande partida...

Ayukawa:
Sabe, você não está tornando o jogo mais divertido para nenhum de nós assim...

Kasuga:
[Para si mesmo.] Eu devia saber que as coisas acabariam assim...

[A cena muda para mais cedo naquela manhã. Kausga e Ayukawa estão andando pela
calçada, indo para o jogo.]

Kasuga:
Você tem certeza que não há outro motivo para você querer ir a este jogo?

Ayukawa:
Do quê você está falando, Kasuga-kun?

Kasuga:
Bem você estava dançando bem juntinho com o Hayashibara naquela outra noite.

Ayukawa:
[Com dureza.] Ciúme não combina bem com você...

Kasuga:
Hrumph! [Continua andando, e pensa consigo mesmo.] Ah bem... ele pode ser rico e
bonitão, [Seu rosto se ilumina um pouco como se ele encontrasse em si mais um pouco
de esperança.] Mas talvez ele não jogue tanto quanto dizem...

[A cena muda novamente para o presente, no estádio.]

Comentarista de Rádio:
Final do quarto set, Keio está ganhando por três. Hayashibara está rebatendo, homens
nas laterais. Vem o arremesso... (crack!) e a bola vai para o fundo da lateral
esquerda. Sagawa e Nose marcam para Waseda! A liderança de Keio é quebrada por
Hayashibara, que tem dois RBIs* e um double!
*N.T.: "Runs Batted In" - rebatida que ocasiona uma volta completa nas bases.

Kasuga:
[Esconde a cabeça com as mãos quando a multidão se lenvanta, num grito.] Melhor eu
esquecer esta idéia... [Seu lamento é interrompido por um maço de dinheiro sendo
empurrado na sua cara.]

Ayukawa:
[Parecendo um pouco aborrecida. Ela estende à ele algumas notas.] Se você não está
interessado em assistir ao jogo, então vá me buscar uma soda, por favor.

Kasuga:
[Pega as notas.] Ahh... hai... [Sai.]

Ayukawa:
[Continua a assistir o jogo por alguns minutos, então vira-se para onde Kasuga estava
sentado, onde ela vê Kasamatsu levantando a almofada da cadeira de Kasuga.] Quem é
você e o que você pensa que está fazendo?

Kasamatsu:
Shhh! Eu sou um dos colegas do Kasuga-san! Eu vi ele da fileira de trás de vocês e
percebi que ele está precisando se alegrar! Eu só estou tentando divertí-lo um pouco!

[A cena muda para abaixo das arquibancadas. Depois de esperar na fila por alguns
minutos, Kasuga chega ao balcão.]

Vendedora:
Obrigada, o-kyaku-sama*!
*Honorável cliente

Kasuga:
Ahh... hai... [Pega os refrigerantes e um pacote de amendoins.]

Voz:
[Atrás dele.] Kasuga Kyosuke...

[Ao ouvir o seu nome, Kasuga vira-se e olha para o homem que se dirigiu a ele. É um
homem alto e magro, e seu cabelo parece lambido para trás. Seus olhos são pequenos e
calculistas.]

Kasuga:
Eh? Nós já nos vimos em algum lugar?

Homem:
Eu diria que sim... pelo menos de passagem.

Kasuga:
[Olha para o rapaz e franze as sombrancelhas.] Bem, agora que você mencionou, você
me parece familiar...

Homem:
[Faz um reverência formal.] Eu sou vizinho um seu, no pensionato. Eu moro no quarto
número 4. Não pude deixar de reconhecê-lo nas arquibancadas e resolvi aproveitar a
opurtunidade para descer até aqui e me apresentar pessoalmente.

Kasuga:
[Retorna a reverência.] Ahh... hai, prazer em conhecê-lo.

Homem:
É bom saber que está se divertindo.

Kasuga:
Eu acho...

Homem:
E a garota com você... [Avaliando a reação de Kasuga.] Tenho certeza de que ela está
se divertindo também...

Kasuga:
Err... certo. [Se lembra de algo de repente.] De qualquer modo, eu não me lembro de
você ter me dito o seu nome.

Homem:
Eu nunca conto. É um sinal de fraqueza de espírito termos que usar títulos para nos
referirmos a uma pessoa. [Pára enquanto observa o espanto de Kasuga.] ...mas para que
se possa cumprir este expediente, você pode me chamar de Tanaka-san. [Vira-se para ir
embora.] Tenho certeza de que nos veremos novamente.

Kasuga:
[Fala para si mesmo, enquanto observa Tanaka ir embora.] Porque eu sempre acabo me
metendo com gente esquista? [Olha para o seu relógio.] Espero que o jogo não demore
muito, senão eu vou acabar me atrasando...

[A cena muda para a arquibancada da ala dos estudantes. Kasuga volta para a sua
fileira.]

Kasuga:
Aqui... [Ele oferece a bebida à Ayukawa, então dá uma olhada para o campo, enquanto
fala, quase que para si mesmo.] Ele já terminou de rebater?

Ayukawa:
[Pega a bebida.] Você está agindo como um idiota.

Kasuga:
Eu não vou passar por idiota na frente de ninguém. [Senta-se, sendo então saudado com
o som de flatulência vindo debaixo de sua cadeira.]

[Várias pessoas em volta dos dois ficam imediatamente em silêncio, fazendo um esforço
para segurar as gargalhadas.] O rosto de Kasuga fica inteiro vermelho, enquanto
Ayukawa deixa escapar uma risadinha.]

Kasuga:
[Levanta-se novamente e examina a sua cadeira.] Mas o quê...! [Puxa uma almofada de
ar vermelha, de debaixo da almofada.] Kasamatsu...!

Kasamatsu:
Oi, Kasuga! [Pega a almofada indiscreta.]

Kasuga:
Você não tem nada melhor pra fazer além de ficar me incomodando?

Kasamatsu:
Bem, eu poderia ir até a próxima fila para incomodar as gêmeas Miyasato, mas aprontar
com aquelas duas pode ser prejudicial à minha saúde.

[Kasuga sacode a cabeça em desaprovação e volta a sua atenção para o jogo.]

Comentarista de Rádio:
Estamos no final do oitavo set, e Keio está com uma corrida na frente, mas Waseda
está ameaçando com um homem na primeira e outro na segunda. Hayashibara está
rebatendo. Aí vem o arremesso e... (crack!) e ele manda a bola com passagem só ida
para a Coréia do Sul! Hirata vai precisar de uma passagem de avião pra pegar essa aí!
Pois é, não sobrou nada além do rastro de fumaça! Três corredores e Waseda passa na
frente por dois! Yamashita-kantoku* corre para o campo. É, parece que acabou para o
Kajiyama, que deve estar se enterrando na base de arremesso para fugir do Hayashibara!
*Treinador Yamashita

Kasuga:
[Para si mesmo.] Shimatta! Com todas estas rebatidas, parece que o jogo vai demorar
muito mais do que eu pensei! Se eu não prestar atenção no relógio, vou acabar me
atrasando pra minha sessão de estudo! [Olha para o relógio.]

Ayukawa:
[Percebe a agitação de Kasuga.] O que foi? Você tem algum compromisso?

Kasuga:
[Põe a mão atrás de sua cabeça.] Eu tenho uma sessão de estudo daqui à pouco.

Ayukawa:
Ótimo, pode ir. Você deve acabar se divertindo bem mais que aqui.

Kasuga:
[Para si mesmo.] Ouch! Ela realmente está bem fula da vida... [Enquanto se levanta
para sair.] Talvez eu esteja mesmo agindo como um idiota...

[A cena muda para debaixo das arquibancadas. Kasuga está correndo por entre as
barracas, procurando pela saída.]

Kasuga:
[Virando uma esquina.] Não vai dar tempo de chegar lá a pé! Eu vou ter que usar o
Poder... Ele segue a passarela até a parte mais baixa do estádio.] Droga! Aqui
também tem muita gente! [Corre até o fundo do estádio e finalmente encontra uma
região calma no subsolo.] Finalmente! Este canto deve servir...!

[Ele anda até um canto mais escuro e se concentra. Um instante depois, ele
desaparece. Enquanto a poeira do chão começa a baixar, uma figura surge das sombras.
A figura fica observando o local onde Kasuga estava.]

Figura:
Kasuga-san?

[A cena muda para o quarto de Katsu. Na mesa de laboratório, um vidro de bico curvo,
cheio de café está fechado por uma válula. Katsu abre a válvula e o café começa a
escorrer para um becker mais abaixo. Assim que o becker está três-quartos cheio, ele
fecha a válvula o ofereceo becker à Saito.]

Katsu:
Aqui está. Preto, certo?

Saito:
Un. [Olha para o relógio.] Se Kasuga-san foi assistir o jogo, ele vai chegar tarde.
É melhor começarmos sem ele.

Kimura:
[Sacode a cabeça vigorosamente.] Nananinanão... ele vai vir! [Com um olhar
desolado.] Kyosuke-kun não perderia uma sessão de estudo!

Katsu:
[Tentando ser simpático.] Sim... claro que ele não perderia. [Sorri.] Vamos esperar
um pouquinho... [É interrompido por alguém batendo na porta. Ele se levanta e abre a
porta.] Kasuga-san!

Kasuga:
Ah... me desculpem o atraso!

Kimura:
Kyosuke-kun!

Kasuga:
Err... [Visivelmente nervoso.]

Katsu:
[Cochicha no ouvido de Kasuga.] Pelo menos ela não está te chamando de "Kyo-chan".

Saito:
Bem, agora que estamos todos aqui, deixem-me lhes mostrar uma coisa antes de
começarmos. [Pega a sua mala e tira um laptop.]

Kimura:
[Com os olhos brilhando.] Waah... kawaii*!
*"que gracinha!"


Kasuga:
[Impressionado.] Muito bacana... onde você o conseguiu?

Saito:
[Orgulhoso.] Meus pais me deram de presente por ter passado no vestibular. Eu
escaneei os cinco primeiros capítulos num editor gráfico, então nós podemos tornar a
nossa sessão de estudo um pouco mais ilustrativa.

Katsu:
[Olha para a tela.] Me diga uma coisa, onde você conseguiu este programa? Eu conheço
um pouquinho de software, e nunca vi este antes.

Saito:
Eu mesmo o escrevi nas minhas horas vagas.

Kasuga:
Eh? Não teria sido mais fácil apenas ir num a loja e comprar o programa?

Saito:
Sim, mas não é essa a idéia. Programar é uma arte. Você não encontra qualquer
programa nas prateleiras.

Kimura:
Hum... por que nós não começamos?

Katsu:
[Concorda e sorri.] Claro.

[A cena muda para mais tarde naquela noite. Há vários papéis espalhados pelo tatami*
de Katsu, já que os quatro estudantes à tempos já haviam abandonado a mesa e agora
estavam deitados em várias posições diferentes, em várias almofadas espalhadas pelo
chão. Katsu, Kimura e Kasuga estão escrevendo sem parar, em quanto Saito permanece em
pé.]
*Placas grossas de tecido usadas como piso em casas tradicionais japonesas.

Saito:
...a segunda derivativa da posição nos dá a fórmula de aceleração, definida como a
mudança de velocidade sobre o tempo. Pegando a dupla integral da fórmula fornecida,
nós podemos calcular a mudança de posição de qualquer ponto a qualquer tempo.
[Levanta a cabeça e olha para os outros.] Estão conseguindo me acompanhar?

Kimura:
[Concorda com a cabeça.] Un!

Kasuga:
[Aponta para um trecho mais complicado do problema.] Bem, eu... [Uma batida na porta
o interrompe.] Ehh? [Vira-se para Katsu.] Você está esperando mais alguém?

Katsu:
Não... [Levanta-se e abre a porta. Ao abrí-la, o seu rosto se ilumina ao reconhecer
o visitante. Parada à porta está uma mulher jovem. Ela é alta e esguia, com longos
cabelos castanhos penteados para o lado. Ela parece ter uns vinte e tantos anos. Ela
está vestindo um avental, e segurando uma bandeja com alguns folheados.] Fujimoto-san!

Fujimoto:
Konbanwa*, Katsu-san. Como Eiji não queria sobremesa, eu resolvi vir ver se vocês não
gostariam de fazer uma pausa para o lanche.
*Boa noite

Katsu:
Muito obrigado. [Vira-se para os outros.] Esta é Fujimoto Mariko! Ela mora no andar
debaixo, no número 3. [Vira-se novamente para Fujimoto.] Estes são Saito Kenichi,
Kimura Keiko, e Kasuga Kyosuke.

Fujimoto:
[Faz uma reverência.] Nosso novo vizinho, bem-vindo. Espero que você esteja gostando
daqui.

Kasuga:
[Responde a reverência.] Obrigado. Estou gostando, sim.

Katsu:
[Pega os doces oferecidos.] É muita gentileza sua. Você não precisava se dar a todo
esse trabalho.

Fujimoto:
[Sorri.] Isso não é nada. É sempre um prazer receber novos estudantes aqui. Além
disso, nós teremos uma festa de boas-vindas para os novos hóspedes no próximo final
de semana. Todos vocês estão convidados.

Saito:
[Concorda com a cabeça.] Muito obrigado. Parece que vai ser divertido!

[A cena muda para muito mais tarde naquela noite. Nesse instante, Saito e Kasuga
estão guardando os seus livros e se preparando para ir embora. Kimura caiu no sono já
a algum tempo e está encolhida num canto do quarto de Katsu.]

Saito:
[Boceja.] Bem, acho que conseguimos fazer bastante coisa esta noite. [Olha para
Kimura, e logo em seguida para o caderno dela.] Ela é incrível! Acho que estamos indo
muito devagar para o ritmo dela.

Kasuga:
Nós descobrimos isso na última vez em que estudamos juntos. parece que ela tem um
dom natural para matemática.

Saito:
Acho que sim. Que vocês acham de marcarmos de novo para a próxima semana?

Kasuga:
Ok... [Cobre a sua boca para esconder um bocejo.] Você vem para a festa?

Saito:
Claro. O que vocês acham de eu trazer o Kasamatsu? Ele gosta muito de festas.

Kasuga:
[Com nervosismo.] Ah... bem... Eu acho que não tem problema.

Saito:
[Faz um gesto na direção de Kimura.] Me ajude a acordá-la que eu a levo para casa.
[Ele tenta acordar Kimura, mas só consegue dela um resmungo de protesto e uma pequena
mudança de posição.]

Katsu:
Por que vocês não a deixam aqui? Eu à levo para casa pela manhã.

Saito:
Você tem certeza?

Katsu:
Não se preocupem. Eu não vou tocar nela.

Saito:
Tudo bem...

Katsu:
Sim. Vamos ficar bem.

[Depois que Saito e Kasuga saem, Katsu desliga as luzes. Ele pára um instante,
saboreando a luz da lua e o ar da noite, que entram pela janela aberta.]

Katsu:
[Cobre gentilmente Kimura com um lençol.] Durma bem... Keiko-san...

------------------------------------------------------------------------------------

[INTERVALO COMERCIAL.]

[A cena muda para um hangar, contendo uma gigantesca unidade Gundam classe GM. Um
piloto observa a unidade, enquanto se aproxima dos andaimes de embarque. Vendo a luz
do dia pelas janelas, ele põe seus óculos escuros.]

Narrador:
Óculos escuros: Y12000.

[O piloto termina de vestir sua jaqueta de aviação sobre o seu uniforme de piloto e
entra no cockpit.]

Narrador:
Jaqueta de couro: Y25000.

[O GM caminha para fora do hangar e posiciona-se para a batalha.]

Narrador:
Unidade Gundam classe GM: Y200000000000.

[O GM anda por uma rua da cidade, esquivando-se do fogo da artilharia de um mech
inimigo. A arma do inimigo engasga por um momento, permitindo ao GM travar a mira e
disparar um míssil.]

Narrador:
Míssil AGM-114F Hellfire: Y4200000.

[A cena muda para o hangar. O piloto carimba mais um inimigo abatido na fuselagem de
seu mech, com um sorriso de satisfação. Seus camaradas o carregam em festa, levando-o
ao bar para uma cerveja.]

Narrador:
Satisfação de ver o seu oponente virar fumaça: não tem preço.

Narrador:
Algumas coisas na vida não têm preço. Para todas as outras, existe Mastercard.

[Nota do Autor: disclaimer padrão.]

[FIM DO INTERVALO COMERCIAL.]

------------------------------------------------------------------------------------

[A cena muda para o dia seguinte; uma aula de literatura em Waseda está terminando.
Kasuga está fechando o seu caderno, assim como os outros alunos, enquanto o professor
faz os seus últimos comentários.]

Professor:
...ensaios sobre os romances e suas influências na literatura através da
história devem ser entregues no próximo mês. Suas primeiras dssertações sobre livros
são para a próxima semana. Preparem-se para citar suas fontes. Estão dispensados!

[Kasuga sai da sala de aula, seguindo para a biblioteca. Na seção de ficção, ele pega
alguns livros e senta-se em uma das mesas de leitura. Ele começa a tomar notas
enquanto lê.]

[A cena muda para a imaginação de Kasuga.]

Kimura:
[No terraço de um castelo.] Kyosuke-san, onde estavas tu, Kyosuke-san?

Kasuga:
[No jardim florido, logo abaixo.] Kimura-san, eu não posso ir contigo. [Angústia
exagerada.] Meu... meu coração já está entregue à outra pessoa.

Kimura:
[Sacode a cabeça.] Não! Você será para sempre o meu Kyosuke-san! [Com os braços
estendidos na direção de Kasuga.] Você pode amar a nós duas!

Kasuga:
[Em choque.] Eh?! D...de novo não! [Dá uma tossidela.] Hã, Keiko-san, negue seus
sentimentos e esqueça o meu nome!

Kimura:
[Com a voz de Katsu.] Kasuga-san!

[Voltando à realidade.]

Kasuga:
[Acorda surpreso.] Hã?!

Katsu:
Kasuga-san, está tudo bem com você?

Kasuga:
Hã? Ah, Katsu-san.

Katsu:
Você parecia mesmo estar dormindo. [Olha para a pilha de livros ao lado de Kasuga.]
Procurando alguma idéia para um encontro, hein?

Kasuga:
Hã? [Olha os livros novamente, então levanta as mãos, em protesto.] Não, não é nada
disso que você está pensando!

Katsu:
Por mim, tudo bem. [Seriamente.] Não precisa ser nenhum gênio para perceber que a
Kimura-san tem uma queda por você.

Kasuga:
[Levanta-se] P-pare de falar bobagem!

[O povo à volta deles na biblioteca pára o que está fazendo, e começa a olhar para
Kasuga. Kasuga senta-se novamente, com uma expressão de embaraço no rosto.]

Kasuga:
[Em voz baixa.] Bem... na verdade há outra pessoa.

Katsu:
[Assustado.] O quê?! Você está dividindo Kimura-san com outro?

Kasuga:
Não, não é isso! [Acalma-se novamente.] Tem outra garota, seu nome é Ayukawa. Eu e
ela, bem, estamos saindo desde o colegial. Eu gosto da Ayukawa. E Kimura-san...
bem... ela me lembra uma outra amiga que eu tive no colegial. E... e eu não quero que
o que aconteceu com ela aconteça novamente.

Katsu:
[Longa pausa.] Bem, então diga a Kimura-san a verdade. Mesmo que ela fique magoada
agora, pelo menos ela não vai ficar alimentando falsas esperanças.

Kasuga:
[Concorda com a cabeça.] Un. Na próxima vez que eu vê-la, eu vou...

Katsu:
[Olha atrás de Kasuga] Ah... Kami-sama deve estar ouvindo voc6e agora. [Faz sinal
para Kasuga olhar para trás.]

[Em uma das mesas de letura da sala há uma pilha com quatro romances. Sentada junto
à ela, com o rosto enfiado num quinto livro está Kimura.]

Kasuga:
[Nervoso.] K-Kimura-san...

Katsu:
Você ainda pretende contar para ela?

[Após uma pausa, Kasuga concorda, levanta-se, e caminha até à mesa de Kimura.]

Kasuga:
Hum...Kimura-san?

Kimura:
[Levanta a cabeça do livro.] Ahh! Kyosuke-kun! [Larga o livro e abraça Kasuga.]

Kasuga:
[Embaraçado.] Err... Kimura-san! [Ele gesticula com a usa mão livre para chamar a
atenção dela. Quando ela olha, percebe todo o povo da biblioteca parado, olhando para
eles dois.]

Kimura:
[Seu nariz fica vermelho de vergonha enquanto ela se solta dele.] Desculpe... é que eu
fiquei muito feliz em te ver!

Kasuga:
Ah...un.

Kimura:
[Percebendo Katsu vindo atrás de Kasuga.] Olá, Katsu-san. Obrigada por me acompanhar
até em casa esta manhã!

Katsu:
Não seja por isso. Seus pais pareciam bastante aliviados. [Coça a cabeça.] O que é
que a sua mãe estava gritando para mim sobre a polícia, hein? Eu não consegui entender
direito.

Kimura:
[Sem graça.] Ah, nada, nada! Está tudo bem! [Percebe Kasuga inspecionando a sua pilha
de livros.] Você está procurando alguma coisa?

Kasuga:
[Põe a mão atrás da cabeça.] Bem, eu preciso de uns dois romances para um ensaio que
tenho que escrever, mas já que você ainda não terminou de lê-los...

Kimura:
[Seu rosto se ilumina.] Sem problema! [Estende os braços por detrás da cadeira e puxa
uma pilha com dezoito outras novelas.] Você pode pegar qualquer um desses! Eu já
terminei de lê-los!

Kasuga:
[Surpreso com o tamanho da pilha.] V-você já leu todos eles?

Kimura:
[Com uma expressào sonhadora.] Amor e romance são tão maravilhosos... [Olha
diretamente para ele.] Você não acha... Kyo-chan?

Kasuga:
[Rindo nervosamente.] Ahh... sim... [Pega quatro dos livros oferecidos.] Obrigado
pelos livros... [Um verdadeiro pânico parece tomar conta de seu rosto, enquanto ele
se vira e sussura para Katsu.] Droga! Ela está falando de mim?

Katsu:
[Sussura para Kasuga, sem demonstrar emoção.] Você não vai contar pra ela?

Kasuga:
...

[Na saída, Kasuga passa seus livros pelo bibliotecário. Pela entrada principal,
Ayukawa está em pé, observando silenciosamente a conversa entre Kausga e Kimura.]

Ayukawa:
[Voz da sua memória.] "Ciúme não combina bem com você..." [Para si mema enquanto
sai.] ... e não combina muito bem comigo, também...

[A cena muda para o apartamento de Ayukawa. Já se passaram algumas horas desde que o
sol começou a se pôr na cidade.] Ayukawa destranca a porta da frente e entra. Pondo
seus livros sobre a mesa da sala de estar, ela pega o telefone.]

[A cena muda para Yujou-kan. Kasuga folheia os livros que ele emprestou, fazendo
ocasionalmente uma anotação em um cartão.]

Kasuga:
Como alguém pode levar esta coisa aqui à sério? [Ele continua a escrever anotações,
quando o telefone toca.] Alô?

Ayukawa:
Kasuga-kun...

Kasuga:
Ayukawa!

Ayukawa:
Que bom que eu te encontrei. Eu estava pensando sobre o que você me disse ontem, no
estádio. Eu acho que nós precisamos de um tempo juntos, sem ninguém... Você tem algo
planejado para amanhã?

Kasuga:
Bem... nada...

Ayukawa:
O que você acha de fazermos um piquenique então? Só nós dois.

Kasuga:
Ótimo!

Ayukawa:
Eu te encontro aí amanhã de manhã, às oito.

Kasuga:
Eu vou estar te esperando! [Pausa.] E, Ayukawa... me desculpe se eu agi como um
idiota...

Ayukawa:
[A cena muda para o quarto de Ayukawa] Bem... eu acho que nós podemos resolver isso
melhor se conversarmos. Eu te vejo amanhã. [Desliga.]

Ikemoto:
Ayukawa-chan!

Ayukawa:
[Com um tom de condescendência fingida, mas mantendo-se social.] Sim...?

Ikemoto:
Eu vou estar em uma viagem de negócios por alguns dias, então você vai ter que ficar
sozinha por algum tempo.

Ayukawa:
[Para si mesma.] Ótimo! Vai ser muito bom não ter que olhar para a sua cara por
alguns dias... [Para Ikemoto.] Você deve voltar quando?

Ikemoto:
Na próxima sexta. [Percebe que Ayukawa está tirando alguns alimentos do armário,
junto com uma cesta.] Você vai à algum lugar Ayukawa-chan?

Ayukawa:
Vou à um piquenique com um amigo...

Ikemoto:
[Com mais sinceridade.] Divirta-se... [Sai.]

Ayukawa:
...

[A cena muda para o Yujou-kan. Já é a manhã seguinte, com uma brisa suave soprando
entre as árvores. No quarto no. 5, Kasuga embala suas provisões para encontrar
Ayukawa. Enquanto ele termina, ele ouve uma batida na porta.]

Kasuga:
[Para si mesmo.] Deve ser a Ayukawa. [Grita.] Ok, já estou indo! [Ele caminha até a
porta, gira a maçaneta e abre a porta.] Ele mal consegue falar, quando seus olhos se
arregalam e seu queixo cai, ao reconhecer a sua visitante.] Hi...Hi...Hikaru-chan?

Hikaru:
Darling! [Hikaru passa pela porta num pulo, abraçando Kasuga pelo pescoço.] Ele
dá um passo para trás, tropeça em seu futon e cai deitado nele, com Hikari sobre si.
Ela sorri para ele.] Darling! Eu estava morrendo de saudade!

[Hikaru inclina a cabeça em sua direção, preparando-se para um beijo. Kasuga fica
imóvel por um instante, quase deixando Hikaru beijá-lo, antes de reagir.]

Kasuga:
[Com uma voz estrangulada.] NÃO! [Ele empurra Hikaru de cima dele e engatinha para
um canto do quarto, com um animal acuado.] Hi...Hikaru-chan. O quê...? Por quê...?
[Sacode a cabeça, tentando recobrar os sentidos.

Hikaru:
[Sentando-se.] Darling, você fica tão lindinho quando fica sem fala! [Ela começa a
se aproximar dele novamente.]

Kasuga:
[Respira fundo e levanta a cabeça, olhando diretamente para Hikaru.] Não.

Hikaru:
[Para de se mover em direção de Kasuga.] Não?

Kasuga:
Não. Isto está errado. Eu já te disse antes, Hikaru-chan. Acabou tudo entre nós.

Hikaru:
[Ainda sorrindo, balançando a cabeça.] Mas isso nunca vai acabar! Você sempre vai ser
o meu darling!

Kasuga:
[Assustado, ele aponta o braço em direção de Hikaru, com a palma da mão virada para
ela, num sinal de "pare".] Pare com isso, Hikaru. Eu já te disse. Eu amo Ayukawa...
[Faz uma pausa para organizar seus pensamentos.] e ela me ama. Me desculpe, mas é
assim que as coisas são. Me desculpe por você ter vindo até aqui por nada, mas eu
peço que você saia. [Ele cruza os braços junto ao peito e olha para Hikaru com uma
expressão séria no rosto.]

Hikaru:
[Ainda sorrindo.] Humm... Bem, depois de ouvir isso, vejo que a minha visita não foi
por nada. [Sua voz parece mudar, e ela se inclina para trás.] Sabe Kyosuke, eu nunca
ouvi você dizer isso com os meus próprios ouvidos. Eu jamais acreditaria você seria
capaz disso. [Kasuga encosta-se contra a parede, totalmente confuso, enquanto Hikaru
continua a falar.] Você sempre foi o covarde da família, mas...

Kasuga:
Família? Do quê você está falando, Hika... [Sua voz diminui assim que ele realmente
percebe o que está acontecendo. Ele olha bem nos olhos da "Hikaru".] Akane...

[A forma de Hikaru começa a tremular levemente e desaparece, dando lugar a outra
forma bem familiar.]

Akane:
[Rindo.] Oi, primo! Há quanto tempo!

[Kasuga respira fundo, e então se solta de costas contra a parede.]

[CONTINUA...]


-------------------------------------------------------------------------------------

CRÉDITOS

Design dos Novos Personagens/Escritor:
Stephen Tsai

Co-escritor:
Andy Combs

Pré-leitores:
Ravi Konchigeri
Derek Work
Jim Ramberg
Christian Gadeken
Chung-Mau Cheng
Robert Carragher
Vladimir Zelevinsky

Agradecimentos especiais a:
Hitoshi Doi

Tradutor para a língua portuguesa:
Verythrax Draconis

Uma tirada de chapéu e uma grande reverência para:
Matsumoto Izumi,
por ter começado tudo isso.

Se eu deixei alguém de fora, minhas desculpas. Quaisquer enganos/gafes são de inteira
responsabilidade minha. Se você tem algo a reclamar, escreva para stsai@netcom.com.

Obrigado por despender do seu tempo lendo este episódio da minha série. Eu tenho o
próximo episódio em desenvolvimento.

Espero que você tenha gostado e obrigado novamente!


-------------------------------------------------------------------------------------


Para os novos leitores: Eu estarei lançando perfis dos personagens, descrições dos
locais e situações mais importantes, rotativamente à cada episódio. Se há algum
personagem, local ou evento em particular sobre o qual você gostaria de saber mais e
não está sendo mostrado, não hesite em me mandar um email e eu lhe mandarei uma nota
ou uma cópia do episódio onde ele é apresentado.

Foco em Saito Kenichi [Apresentado no Episódio 2.]: Um dos colegas da turma de
matemática de Kyosuke, Saito é calouro do curso de Ciência da Computação. Sendo um
dos mais brilhantes e estudiosos alunos de sua turma no colegial, ele geralmente era
considerado o "nerd" da sala. Esta sua imagem era ainda reforçada pela sua
considerável perícia com computadores. Agora que ele está na faculdade, ele está
tentando ampliar seus relacionamentos sociais, o que inclui arranjar a sua primeira
namorada.

Ainda no colegial, ele fez amizade com Kasamatsu Teruhiko; entretanto ele é esperto
o suficiente para não considerá-lo um bom guia de como conhecer uma garota. Em busca
de resultados, ele vira-se para Kasuga em busca de conselhos.

Descrição: Um rapaz magro, com cabelo loiro-avermelhado, com uma franja na testa. Ele
tem um físico pouco desenvolvido, e usa um óculos de armação fina. Comparações
aproximadas com outros personagens de anime incluem (mas não sao limitadas a) um
Jean de Nadia já crescido e Megane de Urusei Yatsura.

====================================================================================

Comentários sobre esta tradução podem ser enviados para Verythrax Draconis.
verythrax@myrealbox.com

O original en inglês deste fanfic pode ser encontrado em http://www.dhc.net/~stsai/koc/
Sua tradução para a língua portuguesa foi autorizada pelo autor. Sinta-se à vontade
para disponibilizar este fanfic em seu site. Apenas peço que dê o crédito da obra aos
seu devidos autores/tradutores. (e nos avise para darmos uma olhadinha! -_^)

Verythrax Draconis,
10/12/2001

====================================================================================