Meu sonho, ele era meu sonho, eu sempre iria o amar, mais ele faria o mesmo por mim? Eu morreria por ele...

Eu era tonta, eu estava novamente apaixonada. Afirmava isso com todas as minhas forças, pois eu já estive apaixonada, a muito tempo atrás. Sabia qual era a sensação; como se meu coração acelerasse, como se minhas pernas perdessem o equilíbrio, como se eu não tivesse mais forças para olhá-lo e negar que meu coração queria que ele estivesse comigo, eu precisava dele.

Mais ele só tinha olhos para a sua adorada Renesmee montrinha Cullen.

Eu não o culpo, afinal, me comparar àquela criança era o mesmo que comparar água a vinho. Ela era suave, doce, bonita, educada, rica, talentosa, eu gênio...

Eu era uma garota que vivia rodeada de homens, que era a única mulher dessa espécie.

Alem do mais, eu era feia. O que tinha de mais em mim? Meu cabelo era curto, minha pele eu não dou mais bola, meu corpo não era nada de tirar o fôlego. Talvez meus olhos fossem a coisa mais bela em mim, eram castanhos, grandes, expressivos...

Minha personalidade era fria, dura, eu quase não acreditava que pudesse ter alguém nesse mundo que goste ou me queira por perto. Acho que nem minha mãe gosta mais de mim, por que com certeza meu irmão não gosta de mim...

Porem, eu gosto de todos, desde minha família desde a matilha...

Eu não tinha mais raiva nem receio de Emily nem de Sam. Eu gostava deles, eu sentia falta deles, principalmente de Emily, ele sempre foi minha amiga, sempre gostou de mim e eu sempre gostei dela.

Eu sei que ela me apunhalou mais de águas passadas não movem moinhos. Porem... Eu não posso fazer nada. Como eu vou voltar a ser amiga dela se eu não tenho coragem nem de olhar na sua cara.

O pior de tudo é que eu estou tão sozinha, eu queria que alguém me entendesse, mais ninguém quer me entender, apenas querem me machucar ou sentir pena...

Como eu vou ser amiga de alguém que sente pena de mim?

Por isso eu tomei uma decisão... Irei acabar com essa vida de dor.

Por que para falar a verdade, minha vida só teve dor até agora; com Sam até que eu fui feliz, mais depois disso, a dor e o sofrimento foram os únicos que não me abandonaram, sempre estavam comigo, sempre mesmo.

Pois eu não poderia gerar alguém, não poderia ter uma impressão, ninguém teria uma impressão comigo, eu amaria calada e veria felicidade dele de longe. Por que continuar com isso?

Por isso eu irei fugir desse lugar. Irei longe. Tentar dar um fim a minha vida...

Não me sinto culpada por disser isso, só me sinto culpada por ser tão burra e encarar o amor com tanta força...

Eu sempre levei o amor muito a serio; e espero que ninguém cometa o mesmo erro que eu.

Por que eu fiz o que todos desejavam; transformei minha vida em um sonho; eu era feliz, eu vivia em um mundo cor-de-rosa, eu adorava ser quem eu era. Depois disso, meu sonho virou um pesadelo, pois veio à realidade, e o cor-de-rosa, virou um vermelho vívido. Um vermelho que dói olhar e lembrar-se de meu tão doce sonho.

Mais a dor que eu sentia não passava, não conseguia esquecer...

E o pior de tudo era que eu não conseguia acordar do meu sonho que agora era um pesadelo. Tentava acordar... Mais o único jeito de acordar, com toda certeza era a morte...

Eu não liga para a morte, pois com ela, eu estaria livre. Livre de toda a dor...

Com essas palavras eu parto desse mundo para um lugar sem dor...

LIVRE. LIVRE. LIVRE.