Título: Irresistível Atração

Autora: Toynako

Anime: Katekyo hitman REBORN!

Casal: Dino x Hibari

Classificação: + 18.

Gênero: Yaoi/ Lemon

Betada por: Komui/Sleepness (C. Breaks, Komui e Sleepness são uma pessoa só, só que eu sou uma chata com nomes e agora é época de Sleepness).

Direitos Autorais: Nada me pertence, apenas crio estórias para distrair leitores em tédio.


---x.I.x---

Irresistível Atração

"— Dino..." – chamou baixo o nome deste, virando o rosto para si "— É o meu presente de maioridade..."

"— Era o meu sangue..."

"— Era você."

Dito isto, o moreno puxou o outro com possessão para um beijo ardente, querendo saciar-se daquela boca.

"— Hibari..." – chamou rouco pelo nome deste, observando atentamente aqueles olhos, agora vermelhos "— Você tem certeza que quer isso, neste estado em que você está?"

"— Está fazendo drama demais..." – sorriu malicioso, levando uma de suas mãos a calça do maior, apertando o volume nesta "— Apenas faça."

"— Mn..."

O loiro começou então a beijar todo o peito do outro, brincando com sua boca em um dos mamilos, enquanto sua mão fazia o mesmo com o outro.

Amava aquele ser, não entendia como isto pode acontecer logo no primeiro olhar. Um gemido um pouco mais necessitado o tirou de seus devaneios, olhando para cima se deparando com aquele olhar vermelho lhe observando cada ação, em uma quase infantil curiosidade.

"— Continue." – Hibari mandou.

"— Quem disse que quero parar agora?"

Sorriu ao ver a vermelhidão que se apoderou da face daquele vampirinho. Logo continuou com seu trabalho, beijando o peito deste, serpenteando com sua língua, deixando um rastro quente por onde passava.

Levou uma das mãos as pernas deste, as afastando um pouco mais, para ter mais espaço para o que queria fazer. Seus beijos vinham descendo lentamente, em quase uma agonia para o menor de tão vagaroso que fazia a tudo.

Mas queria apreciar cada pedaço, deliciar-se com cada gemido, brincar com aquele ser amado.

Chegou enfim com sua boca ao membro deste, depositando um suave beijo na ponta deste, descendo a extensão com a língua.

"— Ahnnm..." – o moreno arqueou na cama, cravando uma mão com força na cama e a outra nos cabelos deste, empurrando mais.

"— Hibari..." – falou rouco o nome deste.

Todavia em vez de ficar naquele lugar, desceu com sua língua, lambendo-lhe entre as pernas, forçando e umedecendo a entrada deste.

"— Ca-caçador!?"

"— Calma... Eu te deixei bem limpinho..." – respondeu com um ar maroto.

Hibari apenas jogou-se na cama, deixando o outro fazer o que bem entender com seu corpo. Aquele toque quente da língua naquela área sua o estava quase deixando louco, sentia-a forçando seu corpo, umedecendo aquele lugar.

"— Ma-mais..." – um gemido rouco saiu de sua garganta.

Dino parou o que estava fazendo, para olhar o rosto deste. Nunca viu nada tão encantador quanto aquele vampirinho. Os olhos forçando-se a ficar abertos, a boca levemente vermelha e inchada pelos beijos que trocaram, portando um mínimo, mas perceptível sorriso.

"— Te amo..." – declarou-se novamente, dando um ultimo beijo naquele lugar.

Ajoelhou-se na cama em seguida, levando dois dedos a sua boca, lambendo-os bem para poder preparar melhor o menor.

Hibari olhava de cima a baixo o outro, incomodado em ver tanta roupa neste, sentou-se na cama, sobre o olhar curioso do loiro que não parava de molhar os dedos. Suas mãos foram para o fecho da calça deste, abrindo-a rapidamente, já puxando esta para baixo.

"— Tentando me despir?" – dava para notar o divertimento na voz do maior "— Poderia ter pedido..." – parou o que fazia, fazendo menção de levar suas mãos a calça.

"— Não." – respondeu frio, tirando as mãos deste de lá "— Fique quieto."

O vampiro olhou vulpino, segurando o caçador pelos ombros e jogando-o na cama com sua força. Sorriu vitorioso vendo a cara confusa que este fez.

Estava odiando ser tão passivo, ficar gemendo por cada toque, queria fazer o mesmo com o loiro.

"— Você é meu..." – deitou sobre este, indo para sussurrar em seus lábios "— Eu que mando..." – falou baixo, sentindo a boca deste quase tocando a sua.

"— Sim, meu mestre."

Dino não tardou em entrar na brincadeira. Iria fazer as vontades do vampirinho, ver o que este queira fazer, pelo menos um pouco. Afinal a ideia de um caçador sendo obediente a um vampiro era muito tentadora para si.

"— Perfeito..." – sibilou o menor, beijando aqueles lábios tão pertos.

Os dois se perdiam naquele beijo possessivo de ambas as partes. As línguas enroscavam-se, se emaranhando quase como serpentes. Pequenos gemidos saiam das bocas enquanto aquele beijo se aprofundava mais.

As mãos do loiro deslizavam pelas costas do menor em meio aquele beijo, afagando e apertando cada parte deste, puxando-o mais para si.

Uma destas deslizou sorrateiramente para a bunda deste, esgueirando um daqueles dedos úmidos para a entrada, acariciando esta com uma insistência quase pecaminosa.

"— Ahnn!" – Hibari gemeu alto, largando aquela boca "— Qu-quem disse que podia?" – olhou com uma falsa zanga para este.

"— Nunca fui muito obediente." – piscou um dos olhos, de maneira provocante, enfiando aquele dedo um pouco para dentro naquele lugar.

"— Ahn... Dino..." – com muita força de vontade, o vampirinho retirou aquela mão de lá "— Terei que te castigar..."

Dito isto, o menor abaixou-se no peito deste, arranhando com suas presas, fazendo pequenos cortes onde o sangue saia francamente. Sorriu deliciado, começando a lamber o sangue, gemendo baixinho em sentir aquele gosto em sua boca novamente.

Aquele gosto para ele era como mel, entrava em sua boca de um jeito viciante, que o instigava a querer mais. Todavia sabia os limites que podia morder em um humano, olhou sorridente para este, lembrando-se que não tinha pegado tanto sangue na primeira mordida.

Abaixou-se, agora somente beijando o corpo deste, notando um ou outro gemido rouco sair dos lábios do maior. Queria mais, iria o fazer gemer tanto quanto o loiro o fez gemer. Foi descendo com seus beijos até se deparar com a calça deste.

Como já tinha a aberto, somente a puxou junto com a roupa de baixo, saindo um pouco de cima deste para tudo passar pelas pernas. Lambeu os lábios, olhando atentamente para o corpo deste, enquanto jogava as peças de roupa ao lado da cama.

"— Hibari..." – chamou baixo por este, já tentando sentar-se para retomar o controle.

"— Quieto." – empurrou com força este de volta para a cama, aproximando seu rosto deste "— Ainda não lhe castiguei..."

Dino fica mudo, apenas portando um sorriso nos lábios, tinha quase esquecido do jogo de mestre e servo ao ver aqueles olhos, agora já na cor natural, olhando para seu corpo com tanta fome e desejo.

O menor sorriu com a mesma intensidade, deitando-se novamente sobre este, beijando insistentemente o pescoço deste, como se desejasse perfurar-lhe novamente com suas presas.

"— Ainda quer mais?" – Dino falou contente pela ideia.

"— ..." – afastou-se mudo dali, sentando-se no abdômen deste.

"— Não quer?" – olhou curioso, um pouco desapontado.

"— Claro..." – levou uma de suas mãos para trás, acariciando o membro deste.

"— Ahn...!" – gemeu de surpresa e pelo prazer "— Me morde..."

Aquele pedido rouco fora mais do que o suficiente para o vampirinho fazer o que este queria, alongou suas presas rapidamente, olhando para este enquanto passava sua língua no dente pontiagudo.

Um sorriso quase cruel se apoderou de seus lábios, enquanto deslizava para baixo no maior, lambendo-lhe a barriga, descendo pelo umbigo e um pouco mais. Olhou para este, vendo a cara curiosa e até um pouco espantada em sua direção.

"— O que far-aaaahhhh!!" – o loiro não conseguiu terminar sua frase, um gemido longo e rouco saiu de sua boca.

Maldosamente, Hibari o mordeu bem onde passava a artéria femoral, forçando seus dentes a penetrar lentamente. Sugava com força, levando uma mão ao membro deste, masturbando-o em quando se saciava daquele sangue que enchia sua boca, que satisfazia com muito grato sua alma.

Dino agarrou-se quase desesperado ao colchão, não conseguindo parar de gemer, tanto pelas presas do outro em uma parte mais sensível, tanto pelas mãos que se moviam quase afoitamente em seu membro.

O menor afastou lento suas pressas do local, lambendo com insistência em seguida para que cicatrizasse. Soltou um suspiro satisfeito, parando de mover sua mão, olhando atentamente para aqueles olhos cor mel que o loiro possuía.

Lambeu os lábios, apreciando os resquícios daquele plasma, deixando seus dentes no tamanho normal.

"— Não é só seu cheiro que é bom..." – largou-se em cima deste, abraçando-o pelo pescoço "— Seu gosto é maravilhoso..." – revelou baixo, de uma forma quase manhosa.

"— Está satisfeito...?" – falou baixo, tocando com leveza naqueles cabelos negros.

"— ...Não."

"— Então eu lhe satisfarei."

O maior rolou pela cama ficando por cima do outro, olhando com amor naqueles olhos novamente de coloração carmesins, nunca se cansaria de olhar-los assim, e agora principalmente, por saber que o que os deixou desta forma fora seu sangue.

Abaixou-se e beijou levemente aqueles lábios, sentindo o gosto de seu próprio sangue misturado a saliva daquele vampiro. Suas mãos deslizavam pelas formas deste acariciando-o suavemente.

Desceu com suas mãos para o membro do menor, massageando levemente este, começou um leve manuseio, repetindo o ato de minutos atrás, lambendo com insistência seus dedos.

Fora rápido em fazer aquilo, logo já estava úmidos o suficiente então parou de tocar no menor, levando suas mãos para as pernas deste, abrindo-as um pouco para si. Não tardou em esgueirar um dedo de modo devagar naquela entrada, notando que este se retesara pelo invasor.

"— Calma..." – falou doce, somando mais um dedo ao outro.

Movia lentamente aqueles dedos no interior do vampiro, alargando-o, massageando-o. Sempre prestando o máximo de atenção naquele olhar vermelho a lhe fitar. Amava aquela curiosidade típica de um ser da noite.

Logo acrescentou mais um dedo, movendo-o fundo junto com os outros, vendo que este não conseguiu mais olhá-lo, pois fechou os olhos com força deixando um gemido longo de prazer sair de sua boca.

"— Hibari... Seu presente..." – sussurrou baixo o loiro, abrindo mais as pernas deste, encaixando-se ali.

"— Rá-rápido... Eu não aguento mais esperar..." – pediu, cobrindo com seu braço o rosto.

O caçador forçou-se contra a entrada do menor, sentindo a resistência inicial tentar o impedir. Mas com um pouco de técnica, conseguira entrar neste, estocando-o fundo em um único empurrão. Parando apenas quando estava todo dentro deste.

"— Ahnm..." – o moreno gemeu rouco, fechando os olhos com força.

"— Desculpe... Quer que eu pare?"

"— Se parar," – abriu os olhos, encarando-o profundamente "— te morderei até a morte."

O loiro sorriu, segurando-se no menor, em enquanto recuava o seu corpo para logo investir novamente neste

"— Ahhh! Mais!" – gemeu algo, voltando a fechar os olhos.

Não parou mais de investir contra aquele corpo, porém sempre maneirando sua força para não o ferir. Sabia que este ato era inútil, pois o que estava em seus braços era um vampiro, todavia, não queria que este sentisse dor.

Beijava-lhe os ombros e peito, não parando com seus movimentos, deliciado em sentir aquele corpo lhe acolher tão bem, massageando-o enquanto sugava-o mais para si.

Já Hibari, não conseguia fazer outra coisa além de gemer. Não sabia se aquilo era normalmente tão bom ou se ainda era obra da droga em seu corpo, entretanto não era hora para pensar nisto.

Sentia-se quente, completamente preenchido de um vazio que mal sabia existir. Era uma sensação tão boa quanto se alimentar, talvez até melhor. Agarrou-se com força nos ombros do maior, movendo-se de encontro a este, querendo mais contato.

Notando que este parecia não sentir dor, parou de tentar se controlar e começou a investir com força neste, acertando-o fundo e cada vez mais rápido. Levou uma de suas mãos ao membro deste, massageando-o intercalando a leveza e a força.

"— Ah-Ahh... Não-aanwh!" – o menor mordera com força os lábios, contendo-se para não gozar com aquela mão absurdamente quente em seu membro.

"— Calma..." – falou com a voz alterada pelo prazer "— Se está gostando-ahn, pode gozar..."

Mal o vampirinho escutou aquilo, e gozara na mão deste, gemendo alto seu nome, contraindo-se todo, no espasmo do prazer.

Dino fechou os olhos com força, sentindo aquela passagem estreitar-se mais, e logo, com mais algumas estocadas firmes, derreteu-se dentro do menor, chamando o nome deste tal qual o outro fizera.

Ambos agora estavam largados na cama, tentando recuperar o fôlego, o maior saiu de dentro do outro, deitando-se do lado, puxando-o para seu peito.

"— Te amo..." – declarou-se novamente o loiro, acariciando aqueles cabelos negros com carinho.

"— Eu também..." – falou baixo, de olhos fechados, apreciando aquele afago.

"— Como?" – levantou o queixo deste, fazendo o encarar "— O que... Você disse?" – queria ter certeza de que não fora apenas fantasias de sua cabeça.

"— Eu..." – calou-se um pouco, vendo a veemência com quer era observado, não conseguindo evitar em corar "— Eu..."

"— Diga..." – sorriu doce para este, aguardando a frase que tanto queria ouvir, mas que ainda não tinha certeza que era esta "— Diga que me ama..."

O vampiro ficou mudo, ponderando suas palavras. Era algo muito forte a ser dito, principalmente para um ser eterno como era. No entanto, aquele olhar mel lhe olhando com encanto, os lábios deliciosos com um sorriso maroto e alegre.

O amor que este sentia...

O amor que sentia por este...

"— Eu te amo... Dino." – finalmente falara, olhando com igual amor, não escondendo mais este.

O caçador abriu os olhos, espantado, mas logo sorriu abertamente, abraçando com força o menor, trazendo-o mais para si, dando mais um beijo apaixonado em seus lábios, um daqueles que deixavam ambos sem fôlego.

"— Te amo... Meu vampirinho..." – falou brincalhão após o beijo.

Olhou para este, notando que já estava a se 'animar' por causa do beijo que tinham tido. Sorriu deliciado, afinal, teriam a noite toda para retirar a droga, qual que fosse a desculpa o moreno daria depois.

---x.II.x---

"— Mukuro-sama... Consegue se mover?" – perguntou Ken, ajoelhado ao lado de Mukuro, preocupado com o estado deste.

Chikusa estava a remover, do outro lado deste, o que prendia o corpo daquele vampiro. Sendo um humano, não seria afetado por aquilo.

"— Maldição... Ele escapou de minhas mãos..." – Mukuro abriu lentamente os olhos, vendo seus servos, um de cada lado.

Olhou de um a outro, admirado em ver aquelas caras em preocupação olhando para sim com tanto zelo e amor.

Sim. Sabia que aqueles dois o amavam, e os usava mesmo assim. Porém, desta vez, realmente se sentiu culpado por ter ignorado este sentimento.

"— Chikusa, Ken..." – chamou ambos, vendo estes lhe observarem obedientemente "—Por que estão comigo...?" – estreitou o olhar "— Vocês sabem que tipo de ser imundo sou." – sentou-se no chão, não tirando os olhos destes "— Fazem tudo isto, pela esperança que eu os transformem em vampiros?"

"— Não!" – respondeu de imediato o loiro, abaixando a vista em seguida.

"— Não..." – o moreno falou baixinho, típico de sua personalidade.

"— Então, me respondam." – esperou a resposta que não veio, sorriu de uma forma até doce para estes "— Tudo bem, eu sei de tudo..."

Dito isto, levou primeiro sua mão a cabeça de Ken, trazendo-a para si, dando um pequeno, mas significativo beijo. Logo que largou este, fez o mesmo com o Chikusa, levantando-se em seguida.

Os dois humanos olhavam-se vermelhos, admirados pelo que tinha acontecido, olharam para o mais velho com uma muda suplica.

"— Vocês sempre serão meus..." – avisou-lhes, sentando-se na cama "— Começaremos por esta noite."

"— Sim." – falaram os dois em uníssono, levantando-se e indo para a cama deste.

Mukuro não precisava daquele vampiro Nobre, tinha tudo tão perto, ao alcance de seus braços que não notou por um bom tempo.

Porém, agora daria a eternidade para aqueles humanos permanecerem ao seu lado.

FIM

19/12/09


Nota da autora:

Buaaa!

Acabou-se mais uma historia com vampiros... Odeio quando isto acontece...

Eu gostei tanto desta FIC, vai para as minhas favoritas XD

Dino estava simplesmente de matar, e o vampirinho estava tão fofo.

Espero que tenham gostado, eu até dei um final feliz para o Mukuro (e eu nem gosto dele)

Tentei caprichar no Lemon e na cena da mordida (ui!) para compensar a demora deste CAP.

O motivo da demora? Não, eu não fiquei de recuperação(na faculdade), só que simplesmente me deu um 'pane' e não conseguia der ideias para o final. Mas acho que isto já está melhor, pois esta fic saiu em dois dias O.O

Espero que tenham gostado desta fic com vampiros e caçadores. Até outra fic de Katekyo Hitman REBORN!

Comentário da beta:

Achei esse fim tãão fofo. *fangirl* w
MIL PERDÕES, É. Eu sei que sou chata, demoro pra betar (principalmente quando estou com cólica) e mudo frequentemente de nome.
Então é isso, seus madrugadores, cafeínados, drogados e tudo que há por aí, esta é mais uma fic concluída da Toy. ;D
Então,

Reviews caem bem, não? *aponta bazooka do Sougo*

By: Toynako