Tão de repente como começou, acabou. A Ushio me disse que éramos muito mais amigas do que namoradas, que não daria certo.
Meus pés me levaram automaticamente pelas escadas até chegar no terraço, não sei se estava triste, estava confusa, nunca soube se gostava dela realmente, era tão indefinido.
- Eu já te falei sobre matar aula.
- A aula ainda nem começou – tentei manter minha voz normal e não me virei para olhá-la.
- Eu vi a Ushio-san chegar sozinha, achei que estivesse aqui... – Touma se sentou comigo no banco, eu senti nossos braços se tocarem, ela olhava para o outro lado – admita que ia matar aula.

- Preocupada com eu te incomodar de novo? Crueeel Touma! – voltei a dar risada esperando que ela se irritasse.

- Na verdade, dessa vez eu estava preocupada com você. Um pouco.
Olhei-a surpresa, mas ela ainda estava de costas, queria saber qual foi a expressão dela quando disse aquilo. Ela tirou os óculos para limpar.
- OK, não vou matar aula. Mas tinha uma coisa que eu queria experimentar antes de voltar para a classe – ela me olhou com uma cara desconfiada. Ela ficava realmente bonita sem os óculos, então só segurei o braço dela e a beijei.

Dessa vez não foi automático, foi muito bem planejado, eu fiquei nervosa mais sabia que era isso que eu queria. Talvez eu soubesse dês da primeira vez que vi seu rosto calmo se tornar irritado por minha culpa.

Coloquei seus óculos no lugar, peguei sua mão e fomos para a sala, como sempre íamos, todas as vezes em que eu ia para o terraço e esperava vê-la lá.