Gênero: Comedia, Drama, Romance,Yaoi

Sinopse: A história é narrada por Roy, um garoto de 16 anos que é apaixonado por Peter desde criança. Com pais exigentes e quadrados, ele sonha com a liberdade de poder ser o que realmente é frente aos pais: Gay. Possuí uma fiel companheira chamada Kristen, a qual é obcecada por Boys Love. Apesar de não demonstrar seu amor, Peter acaba percebendo que Roy possui uma paixão boba por ele, e não perde tempo. Porem, quando Roy finalmente conquista o coração de Peter o destino é cruel e arma uma surpresa inimaginável. Será que eles conseguirão ficar juntos meio a conflitos e preconceitos?

OBS: A historia possui grande nexo com a fic "Felicidade Falsa" é praticamente uma continuação. Porem quem se interessar e não tiver lido a outra fic entederá a historia do mesmo jeito.

Capitulo 1 – Inicio do amor verdadeiro. (Editado)

Sete horas da manhã, eu acordava para me arrumar e ir até o colégio. Enquanto eu me trocava meu pai entra no quarto sem bater:

- Atrasado não é Roy? Ficou até de madrugada naquela merda de computador de novo!

- Sim pai. Já não disse pra bater antes de entrar?Droga!

Fui dormir muito tarde mesmo, passei horas conversando com Peter, ele era...Perfeito. Ele fazia coisas engraçadas e meigas na web e eu me perdia em seus olhos, estava perdidamente apaixonado por ele, há séculos. Mas ele estava namorando outro garoto, era um gay assumido, porem muito discreto nada de afeminado até porque detesto gays afeminados. Poucos sabiam sobre sua opção sexual, percebi quando vi ele pegando na mão de um garoto no colégio e olhando diretamente em seus olhos, como eu desejei ser aquele garoto. Peter era lindo, loiro com olhos da cor do céu. Possuía tudo o que queria, e tinha dois pais, gays assumidos! Quem dera minha vida fosse assim. Meus pais eram quadrados e sempre desconfiavam que eu fosse homossexual, mas fingiam que não sabiam. Diziam que seria uma desgraça ter um filho homossexual, e vivem dando indiretas, eram homofóbicos.

Chegando ao colégio entrei apressado, procurei meu armário peguei alguns livros e corri até a sala. Eu não gostava muito das pessoas daquela classe, muitos garotos ignorantes e estúpidos, e garotas metidas e arrogantes. Apenas uma pessoa me fazia bem naquela classe e era Kristen, minha fiel e melhor amiga.

- Atrasado de novo Roy?

- Sim Kris! O professor me deu o maior ergue.

- Deixo eu adivinhar, computador...Peter?

- Xiu sua louca! Ele é popular demais, vai que alguém escuta?

- E daí Roy? Manda tudo mundo se catar e pronto. Vem cá, quando você vai dar uns pega nele?

- Ah...Quando ele quiser! – Eu ria baixo.

- Quero ver!

- Sai daqui sua doida! Que graça tem ver dois cara se beijando?

- DILIÇA! – Gritou Kris

- Kristen, posso explicar a matéria ou você vai continuar gritando? – Perguntou o professor irritado.

- Desculpe. – Ela respondeu, enquanto ria.

Kris era um sarro. Muito extrovertida ela tinha uma tara incontrolável por Yaoi, via Boys Love em tudo! E foi com ela que me encontrei e descobri quem realmente eu era.

No intervalo eu estava lanchando com Kris sentado embaixo de uma arvore, comentando sobre um filme gay que assistimos há alguns dias atrás, quando ela parou tudo e me cutucou olhando para cima. Era Peter.

- Oi.

- O...O...Oi

- Me disseram que você chegou muito atrasado hoje de novo?

- Pois é...- Ele era tão lindo. Logo se sentou ao meu lado e começamos a conversar.

- Nossa que dor de barriga! Vou ao banheiro!

Essa Kris! Dor de barriga? Desculpa pra nos deixar a sós!Estava mais do que na cara!

- Eu te disse que você perderia a hora de novo, mas você quis ficar conversando até tarde.

- Eu gosto de falar com você...

- Gosta? – Ele perguntava sorrindo

- Sim...- Peter estava diferente. Estava atrevido, parecia estar dando em cima de mim...Não! O que um cara lindo como ele ia querer comigo?!

- Quer sair hoje depois da aula?

- SAAAIR...COF COF? - Perguntei me engasgando com o suco.

- Sim! Porque o espanto?

- Ah nada...Pensei que...Bem...Estivesse namorando...

- Sim, eu estava.

- E o que aconteceu?

- Eu terminei há alguns dias, ele me traiu.

- QUE IDIOTA! Nossa que cara idiota! Burro.

-...?

- Digo...Que...Cruel, não é?

- Sim...Mas não me abalei muito, eu não o amava.

- Que bom. – Eu disse sorrindo.

- Posso te perguntar algo?

- Claro...

- Aquela garota é sua namorada?

- Nãaaao, nãaaao, ela é minha amiga. Todos pensam que namoramos.

- É vocês estão sempre juntos.

- Ah sim...

- É que eu sempre quis te chamar pra sair, mas pensei que você tinha namorada.

- Não, eu não gosto de mulheres.

- Não?

- Não.

- E de garotos? – Ele disse aproximando seu rosto perfeito, droga eu acabei corando.

- Go...Go...Gosto.

- Você ficou vermelhinho, que fofo.

- Seu bobo! – Eu sorria envergonhado.

- Depois da aula então, né?

- Sim!

Peter se levantou e me deu um olhar antes de sair que me fez comer as unhas e quase os dedos de ansiedade para vê-lo na saída. Kris ficou falando bobagens na sala, e eu me divertia com ela enquanto contava os minutos para vê-lo. Peter era do 1º ano e eu do 2º ano, eu não costumava me interessar por garotos mais novos, mas Peter...Eu não estava interessado, estava apaixonado!

Bate o sinal e Peter me esperava no corredor.

- Aonde vamos?

- Aonde você quiser ir...

- Que fofo Roy...- Ele sorria.

Droga corei de novo! Era inevitável! Eu me constrangia ainda mais em pensar que estava apaixonado por um garoto mais novo e tão perfeito quanto Peter.

- O...Obrigado.

- Vamos lá em casa! Você vai adorar conhecer minha família.

Fui até o apartamento de Peter. Era tudo tão lindo e organizado, não parecia uma casa aonde só homens moravam.

- Que perfeito...

- Meus pais sabem decorar muito bem nossa casa, principalmente Brian!

- Eles não estão?

- Não sei...PAAI?

-...

- Acho que saíram.

Peter me levou até a cozinha aonde havia um recado colado na geladeira.

- "Fui levar seu pai no medico". Ah entendi tudo! Qual pai? – Ele ria.

- Eles devem ser legais...

- E são...Pela letra deve ter sido Steve que escreveu...Ah, semana que vem é meu aniversario de 15 anos, quer vir na festa?

- Ah, não sei se meu pai deixaria...Vai acabar tarde não é?

- Você pode dormir aqui!

- AQUI?

- Sim...Comigo. – Ele dizia pegando na minha mão.

- Ah...Não...Sei...

Ele nem havia me deixado terminar de falar, me puxou logo para um beijo, não era o primeiro, mas foi o melhor de todos. Seus lábios eram perfeitos e ele mordia minha boca enquanto me beijava, me arrepiando.

- Roy... – Ele dizia abraçado a mim.

- Sim...

- Você já fez...Aquilo?

- Hã?

- Aquilo...?

-...

- Sexo!

- Ahhhh...Eu...Não...Nunca...

- Vamos...Fazer? – Ele surrava em meu ouvido e passava as mãos por dentro da minha calça.

Continua...

Adoro esse "continua" me sinto o Oda matando os fãns de One Piece XD