Into Your Gravity
Chapter One: Não Há Cura Para a Curiosidade


A/N: A fic é UA do 7º ano do Harry, pondo a Luna no 6º.


Set me free, leave me be
I don't want to fall another moment into your gravity
Here I am
And I stand so tall
Just the way I'm supposed to be
But you're onto me
All over me
You loved me because I'm fragile
When I thought I was strong
But you touch me for a little while
And all my fragile strength is gone
--Sara Bareilles, Gravity


"Olá", Luna disse gentilmente ao abrir a porta do compartimento em que estavam Harry Potter, Hermione Granger, Rony Weasley, Neville Longbottom, e Ginny Weasley. Quando o trem começou a se mover ela se sentou ao lado de Ginny.

"Oi, Luna," disse Ron que se esforçava em não rir da sua aparência, ela estava vestindo um suéter amarelo claro e uma saia vermelha, bem como seus habituais brincos de rabanete, e além de tudo, meias até o joelho, roxas.

"Como foram as suas férias", perguntou Hermione.

"Ah, foram boas, meu pai e eu passamos a maior parte delas à procura de um espécime vivo do bufador de chifre enrugado".

Mordendo os lábios para impedir algum outro comentário Hermione disse, "É? E você encontrou um?".

"Não", respondeu Luna sonhadora, "suponho que, quando eles ouviram que estávamos procurando por eles, todos deixaram a área. Eles são criaturas muito tímidas".

Isto, aparentemente, foi demais para Hermione, mas Harry rapidamente interrompeu antes que Hermione pudesse dizer alguma coisa desagradável. "Que pena", disse, atirando um olhar à Hermione.

Luna suspirou. "Sim, mas tudo bem. Como têm estado todos vocês?"

Harry, Ron, Hermione, Neville, Gina, cada um deu uma breve explicação de seu verão, enquanto Luna assentia, educadamente interessada.

Eles conversaram por várias horas, Luna ocasionalmente mencionando algo que causava um olhar nada lisonjeiro no rosto de Hermione, particularmente quando ela mencionou o fato de que seu pai planejava fazer um inquérito sobre se o Ministério da Magia, de fato, possuía diversos heliopatas*.

"Você sabe, é claro, que heliopatas sequer realmente existem, certo?" Hermione disse rangendo os dentes, incapaz de se impedir.

Luna deu um olhar estranhamente azedo antes de dizer: "Claro que eles existem."

Hermione, por apreço à Luna e por desejar evitar um confronto, não disse nada.

A bruxa do carrinho de doces chegou, e cada um deles comprou alguma coisa. Luna estava mordendo uma varinha de alcaçuz quando de repente ela apontou para Neville e disse "Qual o problema com Trevo?"

Trevo, o sapo, estava no colo de Neville, e no momento atual, ele parecia estar engasgado com uma correntinha muito longa e fina.

"Oh, não! Trevor!" Neville gritou.

Alguns momentos de pânico seguiram-se antes que Luna calmamente pegasse o sapo das mãos de Neville. Ela o levou para perto dela, ignorando seus ruídos desagradáveis de ânsia, e inclinou a cabeça sobre ele, de forma que seu cabelo longo, louro escuro formou uma espécie de cortina em torno de seu colo e do sapo, de tal modo que os outros não podiam ver exatamente o que ela estava fazendo. No entanto, após alguns momentos, os sons de náusea pararam e quando ela olhou para cima novamente, ela estava segurando uma longa correntinha em uma mão e acariciando costas Trevo com a outra.

"Ele está bem, apenas um pouco surpreso, eu acho", disse ela calmamente enquanto entregava o sapo de volta para Neville.

"Você salvou! O que você fez?", disse Neville, enquanto seu rosto cheio de preocupação ficava relaxada novamente.

"Eu apenas tive que persuadi-la para fora dele", respondeu Luna, como se os anfíbios persuadidos fosse perfeitamente normal. Enquanto o resto deles amontoavam-se em torno de Trevo para se certificarem de que estava tudo bem, Luna olhou para a correntinha que tinha na mão. Em seu final havia uma pequena ampulheta banhada em ouro e apesar de estar ligeiramente cheia de saliva de sapo, era muito linda. Olhando de relance para os outros, ela envolveu gentilmente da correntinha envolta do pescoço e inspecionando a ampulheta mais de perto, ela a tocou casualmente, fazendo-a girar em seu eixo. Encantado, ela a rodou de novo e de novo e de novo, continuando incessantemente durante vários minutos até que ouviu um grito.

"Luna! Isso é o meu vira-tempo!" Hermione gritou de repente, seu rosto branco pastoso.

Mas um segundo depois Luna se foi.

"Ah não", disse Hermione, andando para lá e para cá. "Ah não, ah não, ah não, ah não."

Harry, Gina, Neville, Rony e todos olharam para ela com olhares estupefatos em seus rostos.

"O que vamos fazer?" De repente ela gritou, desabando na cadeira vaga de Luna.

Harry timidamente disse: "Erm, bem, ela foi para o passado, então?

"Claro que ela foi para o passado, Harry! Isso é terrível! "Hermione gritou, correndo uma mão trêmula através de seu cabelo espesso.

"Por que você tem um vira-tempo?" Ginny perguntou.

"Sim, eu pensava que você tinha devolvido para McGonagall," Ron disse, parecendo claramente verde.

"Quer dizer que você tinha um antes?" Ginny perguntou, esquecendo o assunto em questão por um momento, em favor de curiosidade.

"Sim, sim, eu devolvi, mas consegui novamente, McGonagall me enviou esse verão junto com carta de monitora-chefe. Alguma coisa sobre ter aulas demais somado com os deveres de monitora-chefe, mas como não havia mais ninguém para o trabalho - Oh, isso é horrível!" Disse Hermione rapidamente, cobrindo o rosto com as mãos.

Decidindo não insistir, Ron sentou-se ao lado de Hermione e desajeitadamente deu tapinhas nas costas dela. "Isso vai acabar bem", ele disse, embora o seu rosto, dissesse exatamente o contrário.

"N-não, n-não vai," Hermione disse, começando a chorar. "Eu deixei ele no bolso, e ele deve ter caído e, em seguida, Trevo tentou comê-lo, e – não temos idéia de quão longe no passado ela foi! Pelo que nós sabemos, ela ficou lá girando a droga da coisa por cin-cinco mi-mi-minutos!" Ela gemeu.

Olhando suplicante para Harry ajudar, Ron disse, "Olha, Hermione, nós vamos conversar com McGonagall quando chegarmos à escola, tudo bem?"

Hermione soluçou por alguns minutos, fazendo seu corpo todo tremer, Harry e Ginny e até mesmo Neville a cercaram, tentando confortá-la. Depois de muito lhe terem assegurado que não era culpa dela, e que tudo iria dar certo, ela olhou para eles com lágrimas visíveis em seu rosto, então limpou seu rosto molhado e disse: "Sim, eu suponho que você está certo, não adianta a gente se preocupar com isso agora, e tenho certeza que a professora McGonagall vai saber o que fazer" mas disse isso como se estivesse tentando se convencer tanto quanto a eles.

O resto da viagem de trem foi, sem dúvida, a mais longa que eles já tiveram.

"Luna! Isso é o meu vira-tempo!" Hermione gritou de repente, seu rosto branco pastoso.

Luna queria dizer algo de volta, mas naquele momento, a ampulheta parou de girar. Naquele mesmo momento, o compartimento do trem em torno dela começou a rapidamente se dissolver. Luna, completamente apanhada desprevenida talvez pela primeira vez em sua vida, tentou gritar, mas não conseguia fazer qualquer ruído porque ele parecia voar para trás extremamente rápido, isso continuou pelo que lhe pareceu pelo menos dez minutos, então, de repente, sentiu chão sólido sob seus pés e ela caiu. Ela caiu sobre um assento, e, olhando ao redor, ela percebeu que estava no mesmo compartimento no Expresso de Hogwarts que ela tinha acabado de sair, mas agora ela estava completamente sozinha. Demorou um momento para firmar-se, ela parou e olhou para fora da janela, o céu lá fora era já escuro, com estrelas cintilantes, e ao longe ela podia ver as luzes e torres do castelo de Hogwarts. Suspirando com alívio, ela saiu do compartimento, olhou para cima e para baixo no corredor, até mesmo pondo a cabeça dentro de alguns compartimentos procurando por qualquer um que ainda estivesse a bordo, antes de decidir que o Expresso de Hogwarts estava completamente deserto.

Seja lá o que aconteceu, pensou, todo mundo já saiu do trem.

Então la começou a sair do comboio. Ela olhou em volta mais uma vez procurando por um sinal de alguém, mas depois de não ver ninguém, nem mesmo o testrálios puxando as carruagens, ela começou a longa caminhada até a escola a pé.


N/T: Olá!

Como deu pra notar pelas siglas que usei no inicio da fic e agora no finzinho, essa é uma mera tradução, não uma fic totalmente inédita. Maaaaaas... essa é a primeira vez dela em portugês, então prety please sejam legais e deixem reviews! ;)

A original também se chama Into Your Gravity e é de autoria de sockyferret, que muito gentilmente autorizou essa tradução.

Até o exato momento em que estou postando esse capítulo a fic tem 27 no total e não está finalizada. Isso pelo menos garante que por muito tempo vocês tenham atualizações regulares.

Quem estiver interessado, esse é o link da versão original, em inglês (não esqueçam de tirar os espaços!): www . fanfiction . net/s/3712048/1/Into_Your_Gravity

Não esqueçam de clicar no botãozinho e deixar review! =D


*Heliopatas: Esta criatura não tem uma existência comprovada, pelo que muitas bruxas e feiticeiros acreditam que eles não passam de fábulas. Os heliopatas são espíritos do fogo, enormes e flamejantes que galopam pela terra, queimando tudo por onde passam. Foi primeiramente citado no o 5º livro quando Luna Lovegood proclama que Cornelius Fudge tem um exército de heliopatas ao seu comando.