Paix o Dos Ventos Cap tulo 1 Era uma noite muito escura por causa da mata fechada. N o se podia ver nada al m da escurid o. Natsuo estava procurando por comida. Hora perfeita pra procurar comida. Natsuo conseguia enxergar tudo, mesmo quando os olhos de um humano normal n o conseguiam ver nada. Sabe quando entramos num guarda-roupa e fechamos a porta? Era assim mesmo que estava a floresta do leste de Hikoto. Mas Natsuo podia ver como se fosse um dia sem sol. Natsuo conseguiu pegar alguns tigres e le es da montanha. Ele ficou vagando pela floresta procurando um lugar pra dormir quando amanhecesse. Quando estava amanhecendo ele decidiu que descansaria perto do rio e de noite atravessaria o deserto de Whenji e chegaria numa floresta bem maior que essa. Mas isso n o aconteceu. Todo o destino que planejou se fora pra sempre. A vida solit ria sem sentimentos fora comida pelo abismo mais profundo de todos. Acho que eram quatro horas da manh quando Natsuo viu uma menina do vilarejo pr ximo se banhando no rio. Ela era de uma beleza estonteante com os olhos cor das esmeraldas mais preciosas que existem. Tinha uma express o solene e fleum tica. Natsuo resolveu se aproximar um pouco. Quando chegou perto o bastante, a menina mergulho dentro d gua. Ela ficou l o bastante para um ser humano com pulm o de ferro morrer afogado. Natsuo pensara que ela tinha morrido. Ele resolveu entrar na gua, mas quando deixou a floresta sombria e o sol lhe tocara a face, a menina emergiu.
Ela olhava intrigada e ao mesmo tempo frustrada para Natsuo. Ele percebeu agora que ela tinha os olhos da cor da gua. Natsuo ent o ficou intrigado tamb m. Depois de quase meia hora de sil ncio, a menina perguntou:
- Voc humano?
Natsuo demorou um pouco para responder, mas o fez. Um quase mudo sim s levantou mais perguntas na cabe a da jovem.
- N o parece humano, tem andar de felino grande. De onde veio?
Natsuo estava maravilhado com a voz da jovem. Era t o suave, como uma can o. S ent o Natsuo prestou aten o na sua express o. Parecia que estava esperando uma resposta.
- O que disse?
- Perguntei de onde veio.
- N o sei de onde vim. Mas fui criado pensando que era de uma fam lia em Wasabi. Por qu ?
- que voc n o como os outros daqui. branco e tem olhos e cabelos claros.
- N o quero falar de mim. Conte-me sobre voc . Por que seus olhos mudaram de cor?
- Acho que hora de ir embora. Voc poderia virar-se para eu poder pegar minhas roupas?
Nesse instante os dois ficaram vergonhosos. Natsuo se virou e a bela jovem saiu do rio calmo e se vestiu.
- Pronto. Agora preciso voltar. Por que voc n o vem comigo. Deve ser viajante e com certeza est morto de fome. Minha fam lia tem prest gio em receber viajantes.
- N o estou com fome. Eu s quero dormir.
- N s temos camas l em casa. Voc pode dormir l .
Ent o os dois foram em sil ncio.