Título: Um problema, talvez uma solução.

Autora: ShiryuForever94

Desafio de Drabbles do Saint Seiya Dreams

Classificada em segundo lugar

Par: Máscara da Morte e Afrodite

Tema usado: Obsessão

04. Obsessão

No dicionário: 1 Ato ou efeito de importunar ou vexar. 2 Impertinência excessiva. 3 Preocupação constante; idéia fixa. 4 Med Perturbação causada por uma idéia fixa que leva o doente à execução de determinado ato. 5 Teol Perseguição diabólica, sugestão atribuída à influência do demônio.

Um problema, talvez uma solução

Onde você está? Com quem está? Por que não está aqui?

As perguntas martelam sem parar em minha tumultuada mente. Eu que era tão centrado agora me vejo o tempo todo com o raciocínio nublado por pensamentos contraditórios, por vontades que eu não tinha antes.

Eu que nunca liguei para ninguém, sequer para a noção de certo e errado, mas apenas para minha idéia de que força é justiça, agora me vejo agoniado porque você não voltou ainda.

Ridículo!

Onde está o assassino serial que eu sempre pensei que eu era? Aliás, onde eu estou? Já não me reconheço tão bem e isso me enfurece.

Por onde anda aquele italiano de voz firme e atitude mais demoníaca que o próprio inferno e que cortava cabeças sem pestanejar?

Por que estou loucamente interessado num par de olhos azuis? Por que ele tem que parecer um sonho tornado pesadelo? Ao menos para mim, pois sonhos são inalcançáveis e o inalcançável faz tudo ser um pesadelo.

Consigo disfarçar até muito bem quando ele chega com seu ar tão perigoso quanto o meu e passa sem dizer palavra. Não há nada demais em que eu o ache um dos homens mais bonitos do mundo, isso já é fato corrente entre todos os cavaleiros.

O problema agora é que eu me importe que mais alguém perceba que a dose extra de veneno que escorre daqueles lábios perfeitos me acertou em cheio.

Não entendam errado. As palavras dele não são doces. Ele é arrogante, violento até, mesmo que sua aparência tão bela possa dar a entender que suas rosas não sejam mortais.

Ledo engano.

Afrodite de Peixes é um assassino eficaz, silencioso e competente ao extremo. Acho que por isso eu gosto dele. Talvez o ame.

O problema é que minha reles admiração por seus métodos limpos de "abate" dos inimigos se tornou algo mais e agora me reviro na cama como um imbecil apaixonado e odeio sentir-me um imbecil.

Talvez eu deva matá-lo e livrar-me dessa obsessão pelos lábios bonitos, pelo corpo esguio e forte, pelos cachos longos e que ondeiam ao vento quando ele espia do cimo de seu templo para todo o Santuário.

Será que o acho parecido comigo?

Ora, sou muito melhor que ele! Sou mais forte, mais alto e...

Um idiota apaixonado, é isso que sou.

Não há solução, não há mesmo. Talvez um corte rápido naquela garganta alva e eu possa voltar a dormir em paz.

- "Cavaleiro de Câncer?"

Essa voz...

É a personificação de tudo que mais temo, é minha fraqueza. Por que ele está parado feito uma escultura perfeita à porta do meu templo? Por quê?

- "MDM, me mate ou me ame, não sou amazona, mas não consigo conjurar minhas rosas brancas mortais pensando em você e isso me irrita."

Mais direto que isso...

- "Empate." É a única resposta que tenho.

- "Então você..."

- "Sim."

- "Nove horas, na minha casa." E ele simplesmente vai embora.

Eu odeio esse homem.

Eu amo esse homem.


Nota: Essa fanfiction obteve nota máximo em aproveitamento do tema e no canon, mas na avaliação do gosto das avaliadoras, latrodectism e tenement fuster, poderia estar melhor e a última frase "eu amo esse homem" poderia ter sido excluída sem problemas. Deixou aos leitores, portanto, a que foi considerada a minha melhor drabble no desafio. Sim, estou bem afastada do fandom de Saint Seiya, mas nem por isso deixo de participar de eventos assim.