XI – Merry Christmas and Happy New Year, vamps! (Pt II)

- É o seguinte! Rose, Lúh, vocês vão até Port Angeles e comprem várias máscaras coloridas. Ed, cuida da comida, Blue, lista de convidados, Resto do povo, decoração! Tudo branco e prata, por favor! E eu, vou arrumar nossas roupas, Beatriz, vem comigo! - Os olhos de Alice brilhavam. Acho que ela faria um baile de máscaras. E ainda era manhã do dia 25.

- Mãos a obra! - Emmett bateu uma palma muita alta. Eu até assustei. Então, me levantei, e fui para o escritório fazer a lista de convidados.

Peguei um livro de anotações e uma caneta. Por um momento, não sabia quem convidar. Pensei bastante, e desisti.

- Alice! Chamamos os humanos ou não? - Gritei pro andar de baixo.

- Claro que sim! Uma festa, é uma festa! E uma festa, precisa de convidados! - Ela gritou de lá de baixo. O que me fez rir. Hábitos humanos que nunca perderíamos. Não precisávamos gritar.

- Tudo bem. - Isso seria engraçado.

Comecei a fazer a lista dos mais intimos, pros mais afastados. Lúh e Wit eram bem populares na escola, comecei a lembrar dos rostos de todos os nossos amigos. Jullie, Emma, Nikki, Cristhine, Victor, Ronald, e Harry do 1º ano... e assim segui, até terminar a lista, de sessenta pessoas. Eu não conhecia tantas pessoas assim, mas Alice queria uma festa, e as meninas

queriam, então, eu faria direito.

***

- Ei! Blue, venha cá!

- Estou indo Geh! - Gritei do meu quarto, e logo já entrei no quarto de hóspedes, o quarto de Geh e Lacta.

- Você sabe que eu te amo, não é? - Ele me perguntou, sorrindo malicioso. Engoli em seco.

- Gramps? O que está acontecendo? - Olhei suspeitando de algo. A mente dele estava turva. Era dificil demais ler seus pensamentos, eu não conseguiu ouvir nem ver nada.

- Eu quero você. - Ele se aproximou rapidamente de mim, segurando meus ombros fortemente.

- Gramps, eu não posso, você sabe... - Eu tentava manter a calma. Mas estava cada vez mais complicado. Até que ele baixou os lábios para o meu pescoço, e começou a me beijar.

Paralisei instantaneamente. Não parecia ele naquele corpo. Ele nunca faria aquilo, e eu não conseguia ver o que estava acontecendo, o que se passava na mente dele.

- Hum! - Jacob entrou no quarto, interrompendo Gramps, que parecia terrivelmente irado, mas logo retomou a sua habitual calma. Estranhei sua atitude. - Desculpe atrapalhar. Gramps, as meninas querem que você vá no mercado comprar algumas coisas que estão faltando pra amanhã.

- Tudo bem. - Gramps deu uma tossida, pegou os óculos escuros na cômoda e saiu.

- Obrigada. - Sussurrei pra Jake, ainda tensa.

- Você teve sorte. - Aquilo me fez lembrar dos lobos.
***

O dia estava chegando, já era véspera de ano novo. Os convites haviam sido enviados, e poucas pessoas não viriam, como a Alice previra. Ainda não havíamos visto nossas roupas. Tive medo do que Alice poderia fazer. Toda a casa estava decorada de branco e prateado, com luzes coloridas, muitos espelhos, e almofadas, tapetes e pufes coloridos pelos cantos. Uma grande mesa com comidas leves, e uma mesa de frutas tropicais, importadas do Brasil. Estava com uma cara ótima.

- Vamos nos vestir! Daqui a pouco os convidados chegam! - Alice disse saltitando, puxando Bella e Bea pela mão escada acima.

Entramos no quarto de Alice e Jasper, e fomos até o enorme closet. Assim que entramos, vimos vários sacos de veludo, com roupas dentro. Cheirava a malha, linho, seda e cetim.

- Aqui estão suas roupas! - Ela sorriu, soltou as mãos das meninas e rapidamente abriu os sacos, mostrando nossas roupas. - Bella. - Ela apontou para um vestido curto, porém comportado, com um decote em v, com detalhes prateados. - Rose. - Ela apontou para um vestido bem curtinho, e rodado, com um corpete com vários strass prateados. - Nessie. - Ela nos mostrou uma bata rosa clara e um shortinho branco. - Esme. - Uma bata amarela bem clarinha, quase creme, com uma bermuda preta, de tecido social. - Emmett. - Ela apontou para uma camisa polo branca com listras amarelas, e uma bermuda cáqui. - Jasper. - Um jeans cinza, e uma camisa verde e branca. - Carlisle. - Uma calça social preta, e uma camisa branca. - Edward. - Uma camisa azul, e uma calça jeans cinza. - Jake. - Uma camisa amarela, e uma bermuda cáqui, semelhante a de Emmett.

- E você Alice? - Rose olhou para ela estranhando que ela não mostrara suas roupas primeiro.

- Aqui está! - E ela abriu um saco, com um curto vestido prateado de seda pura, tomara-que-caia, com um bonito laço de cetim branco. Era maravilhoso. - Lindo não!?

- Demais prima! Arrasou! - Lúh e Alice deram pulinhos de alegria. - Mas, e a gente? - Lúh olhou, confusa, tentando descobrir que raios Alice estava aprontando.

- Lúh, você ficará linda nisso aqui! - Ela ergueu uma mini-saia branca, e um top vermelho. - Arrasa prima! - Elas riram. - Bea, você ficará maravilhosa nesse. - Uma bata florida vermelha, pink e azul, com um shorts curtíssimo nude. - Wit, acho que você irá amar! Aliás, você vai amar! - E ela mostrou-lhe um vestido vermelho curto, porém delicado. Com a saia rodada, e o busto marcado. Era lindo mesmo. - E Blue. Foi dificil. Mas eu consegui! - Ela me estendeu uma blusinha verde, com decote em v, e uma calça jeans bem escura, quase preta, com fios dourados.

- Alice! O meu está perfeito! Obrigada! - Sorri pra ela.

- Você não me deixou te vestir com um top e uma skinny, e nem com o vestido que eu queria. - Ela fez um biquinho. - Eu me vi morrendo quando eu escolhi o vestido.

- Alice, qual seria o vestido? - Perguntei receosa.

- Esse aqui! - E ela mostrou um vestido rosa pink curtíssimo, aberto nas costas e com um decote enorme na frente. Eu pareceria uma vadia dentro dele.

- Ainda bem que você viu. - E todos rimos.

- Mãos a obra! Vamos nos trocar! - E fomos para nossos quartos, nos trocar.

Algum tempo depois, as pessoas começaram a chegar.

***

POV Matt

A fogueira estava sendo montada na praia, nem estava tão frio para nós, lobos, então, seria uma boa festa. Não ótima, mas poderia ser boa.

- Matt, anda! Trás logo essas caixas pra cá! - John gritava pra mim. Eu estava com a 'princesinha' dele. - Não deixe ela cair! - Eu tropecei de propósito, John quase entrara em pânico. - NÃO! Cuidado seu lobo desastrado! O imprinting tirou seu equilibrio!?

- Cale a boca John! - Joe gritou, e John calou-se instantaneamente.

Eu sentia muita falta dela, e sabia que ela também sentia falta de mim. Meu coração se apertou, o ar queria parar de entrar em meus pulmões, comecei a suar frio, minhas mãos ficaram geladas. Chacoalhei a cabeça pela décima vez ao dia, e segui para a mesa onde os garotos estavam, e deixei a garrafa de tequila no centro da mesa. Cinco minutos depois, ela estava já pela metade.

A noite chegou rapidamente, e metade de La Push estava na First Beach para a comemoração da chegada do ano. Os lobos estavam vestidos de camisas pólo, ou regatas, e bermudas, e as garotas, em sua maioria estavam de vestidos e sainhas. Estavam uma delícia, mas por mais que eu quisesse, não conseguia me aproximar de nenhuma, alguma coisa me repelia delas, ou elas me repeliam. Ou era porque nenhuma delas era Hinata. Sentei num tronco de árvore caído na areia, e comecei a beber.

Tomei um grande gole da garrafa de cerveja. Eu tinha que achar um jeito de trazê-la de volta, de reconquistá-la. Mesmo que isso fosse impossível. Essa seria minha meta pra esse ano que estava chegando, e eu conseguiria. Mas tinha que começar agora. Não tinha tempo para mais nada.

- Vamos Matt! Contagem regressiva! - Vincent me puxou e fomos para onde a galera estava reunida, deu meia noite, e havia pessoas demais a minha volta, pessoas extremamente felizes. Me afastei dali, e entrei no carro. Indo em direção a Forks, para a casa de Hinata.

Larguei o carro de qualquer jeito, e me dirigi para a porta. Blue atendeu, e saiu da casa, me puxando com ela.

- O que quer aqui? - Ela dizia fria.

- Vamos deixar o que ficou pra trás no passado! Não podemos ficar nisso por muito tempo. Eu te amo! - Dizia a ela, já chorando.

- Eu te amo, você sabe! - Ela me respondia, com a voz já embargada.

- Ela é minha cachorro. Saia daqui. - Gramps pegou Blue pelo braço, tentando arrastá-la para longe de mim. Nem havia visto de onde ele saira, ou quando, mas senti o nervoso dele.

- Não vejo seu nome nela! Ela tem direito de escolha! - Gritei para o vampiro.

- Ela já escolheu, ela bme/b escolheu. - Ele riu sarcástico.

- Isso é mentira! - Hinata chorava muito.

- Não, não é Blue! Você não quer machucá-lo! Você sabe que é verdade! - Ela parecia atordoada, com certeza, lendo os pensamentos de Bea, que dava razão a Gramps. - Minha irmã, conte-lhe a verdade! - Beatriz dizia.

- Que verdade? - Perguntei estupefato.

- Estamos noivos vira-lata! - Gramos soltou a bomba. Tive que me controlar para não explodir em um lobo, e matá-lo ali mesmo. Respirei fundo, e me segurei.

"Não é verdade. Me ajude. Eles estão mentindo, não sei o que está acontecendo! Eu nunca fiquei noiva." A voz mental de Hinata implorava por ajuda. Chegava a doer.

" Tentarei." Respondi mentalmente, e ela se acalmou. Voltando para dentro da casa. Pude ver ela limpando o rosto, e ajeitando as roupas novamente. Ela sorriu, e entraram dançando, felizes, assim como a minutos atrás.

Entrei em meu carro, e voltei a La Push, pensando no que poderia estar acontecendo. Me estranhou a ausencia da Volturi na casa.

POV Blue

Passava da meia-noite e dançávamos, cantávamos, bebíamos, estava tudo muito engraçado. Senti uma mente conhecida aproximar-se de mim. Eu já sabia quem era, mesmo a quilômetros de distância.

Emmett dançava a Macarena em cima de uma mesa. Todos dançavam também, parecia coreografado. Eu também entrei na dança, e todos brincávamos e ríamos. Os humanos pareciam se divertir, e a festa de Alice, estava sendo um sucesso, como sempre.

Ouvi as batidas na porta, e logo saí da formação da dança, para atender a campainha, realizando meu desejo de ano novo.

- O que quer aqui? - Puxei Matt para fora de casa, esperando sua resposta. Fiz a voz mais fria que pude, eu não podia ficar com um sorriso no rosto, e saber que ele me abandonaria, que ele tentaria me esquecer.

- Vamos deixar o que ficou pra trás no passado! Não podemos ficar nisso por muito tempo. Eu te amo! - Ele dizia com as lágrimas rolando por seu rosto, pude perceber a dor em seus pensamentos, e todo o mal que havia causado a ele.

- Eu te amo, você sabe! - respondi com a voz embargada, e a dor me consumindo por dentro..

- Ela é minha cachorro. Saia daqui. - Gramps me pegou pelo braço, tentando arrastar-me para longe de Matt. Nem havia visto de onde ele saira, ou quando, mas senti o nervoso dele. Os pensamentos dele estavam com muita raiva, e confusos, do mesmo jeito de quando ele quase me forçou a ficar com ele, a dois dias atrás.

- Não vejo seu nome nela! Ela tem direito de escolha! - Matt tentava me defender.

- Ela já escolheu, ela bme/b escolheu. - Gramps riu sarcástico.

- Isso é mentira! - Eu estava chorando horrores, eu não queria ficar com ele.

- Não, não é Blue! Você não quer machucá-lo! Você sabe que é verdade! - eu estava atordoada, pude ver na mente de Bea Flash Backs de um anel, de Gramps me pedindo em casamento, e tudo o mais. Em minha mão direita, senti o anel prateado. - Minha irmã, conte-lhe a verdade! - Beatriz dizia.

- Que verdade? - Matt estava espantado.

- Estamos noivos vira-lata! - Gramos soltou a bomba. Congelei em meu lugar. Agora acabara tudo para Matt. Nunca mais teríamos volta.

"Não é verdade. Me ajude. Eles estão mentindo, não sei o que está acontecendo! Eu nunca fiquei noiva." Implorava por ajuda a Matt com meu dom. Eu estava desesperada. Não sabia exatamente o que fazer.

" Tentarei." Ele me respondeu. Gramps me abraçou pelos ombros, e eu limpei meu rosto. Voltamos para casa, onde Emmett dançava Living La Vida Loca, do Ricky Martin.

Mas algumas coisas não saiam de minha cabeça. Primeira: Lacta havia sumido, e ninguém parecia se importar. Segunda: Todos sabiam que eu tinha noivado com Gramps, mas eu mesma não sabia de nada. Era estranho isso. Alguma coisa os faziam acreditar que estávamos realmente noivos, era como se alguém pudesse ter formado lembranças falsas na cabeça de todos de minha família. E terceira: Matt acreditava em mim, e viria me ajudar. Aliviada, continuei dançando, e me joguei na pista com Gramps, ele iria se ferrar depois.