Short-fic

Gênero: Slash (Yaoi)/ Shota/ Dark Lemon. Não gosta? Não leia!

Ship: MelloxMatt

Classificação: NC 17 (M) +18

Beta: Reece River

Disclaimer: DN é de Tsugumi Ohba, sem fim lucrativo ou objetivo de denegrir a real estória.

Título: Black Out

Presente para: Yonamine-chan, Yo-chan, essa é a 1ª fic presente que eu te disse :3

WIP. R&R, ok? :3


Era uma noite quente, quase não havia nuvens. As crianças da Wammy's house brincavam tranqüilas em seus aposentos, assistiam TV na sala de convivência e alguns roubavam comida sorrateiramente da cozinha.

Matt e Mello se enquadravam na última opção.

O loiro se encontrava sentado displicente, em umas das várias cadeiras do lugar, com suas pernas cruzadas postas sobre a mesa de maneira desleixada. Suas roupas como sempre negras, mas o camisão havia sido substituído por uma camiseta sem mangas, pois o clima estava cálido.

Jeevas, por sua vez, estava de pé encostado na pia enquanto passava tranquilamente de fases em seu game. Trajava um calção escuro abaixo do joelho e uma camiseta listrada horizontalmente em vermelho e preto.

Keehl observava o ruivo de forma lúbrica enquanto saboreava uma barra de chocolates. Olhava Mail como se este fosse o seu alimento preferido. A roupa lhe caía muito bem, quase não tinha mais traços infantis. Toda vez que estava com este sentia-se diferente. Talvez fosse por isso que se davam bem. Admitia que o que sentia com relação ao companheiro era mais do que amizade. Aceitava muito bem aquilo, não procurava escape ou justificativas de que era a adolescência ou hormônios. Gostava deste e pronto, sua inteligência e sentimentos, por mais turbulentos que fossem, entravam em sincronia quando o assunto era o "vermelho", mas também era verdade que tinha receio de falar com Matt, nunca teve medo de nada, mas estava falando de Mail Jeevas seu único e melhor amigo. Não queria perder o único que ficava ao seu lado mesmo em seus arroubos. Algo bem rotineiro.

O ruivo encaminhou-se até a mesa e sentou-se ao lado de Mello desligando o seu jogo. "—cansou?" – Disse incrédulo.

"—Não." – Apoiou o cotovelo na mesa e sustentou o queixo com a mão. Virou suas vistas para o amigo. "—Só quero falar com você." – Disse alegre.

"—Conversar o quê?"

"—Ultimamente você está mais calado. Anda sem ânimo até para implicar com o Near. Só fica me olhando jogar... tô preocupado, sabia?"

"—Tá falando sério?" – Disse em escarnaria.

Sorriu abertamente. "—Eu gosto de você, Mello. Embora eu esteja rindo, eu to falando sério."

Seu rosto queimou, olhou para o lado. "—Você anda fumando demais."

O ruivo ficou meio pensativo. "—Acho que sim." – Nem percebeu a visível timidez do outro.

Ficaram vários minutos calados.

"—Hei Matt." – Quebrou o silêncio.

"—Oi?" – Admirava o seu jogo ainda desligado.

Mello ficou pensando se realmente era certo colocar um amigo a perder por seus desejos, mas como sempre fora inconseqüente nem se deteve muito nisso, já esperara tempo demais. Seria egoísta. "—Você gosta de alguém?"

Virou suas vista para o loiro. "—É tão esquisito você fazendo esse tipo de pergunta." - Soergueu a sobrancelha direita. "Mas sim. Eu gosto de alguém." – Falou sorridente.

"—Ela sabe?" – Tentou com toda a paciência do mundo, coisa que não tem, não ligar para a forma com que era encarado. E a voz sumia em um murmúrio.

"—Não." – Sustentou o ar sorridente.

"—E por que está rindo?" Isso não é ruim?"

"—Está tudo bem para mim se essa pessoa estiver feliz."

"—Ahh." – Calou-se.

Novamente silêncio.

"Será que eu devia? Ele gosta de alguém..." – internamente. "Err... que se dane, eu vou o fazer esquecer essa pessoa e colocar um belo plano em prática."

"—O que foi Mello? Você tá estranho."

"—Sim."

"—Impressão." – Riu maroto se aproximando. Já decidira qual plano macabro iria fazer.

De repente as luzes do ambiente são apagadas e um alarido foi escutado.

"—É melhor sairmos daqui. Faltou luz." – Expôs o ruivo.

"—Malditos Wammy." – Estava colérico. "—Num pagam nem a luz."

"—Deve ter acontecido alguma coisa."

"—Matt." – Chamou. Aquela escuridão era oportuna.

"—O que foi?"

"—Liga o seu game. Com a luz eu vou pegar mais chocolate. – Idéias povoavam a mente do loiro.

"—Certo." – Fez o que o outro pedira.

Em alguns minutos o loiro pegou várias coisas: Cobertura de chocolate, várias barras, velas, fósforos e uma faca enorme.

"—Mello, pra quê essa faca?" – Inquiriu alarmado.

"—Você vai sem- ops, ver..." – Sorriu macabro, mas o outro não viu com a penumbra.

Dirigiram-se ao quarto apenas tateando as paredes. Viram os monitores com lanternas guiando as crianças mais novas para seus quartos e pedindo a todos que trancassem suas portas e não saíssem de lá por NASA.

Mello achou aquela confusão toda simplesmente ótima. Colocaria em ação suas fantasias com Matt mais cedo do que imaginara, seria naquela mesma noite.

Continua.


N/A:

A fic toda já está feita *-*, mas vou torturá-los. Afinal vo6 geralmente ficam fantasmas... ¬¬' fico pensando se é porquê não são boas.

Será três capítulos curtos com o ultimo um pouco maior. As atualizações serão de dois em dois dias já que o meu River-sama está me perturbando há séculos por uma fic do Harry Potter e não posso postar diariamente por isso...

Kissus e reviews.

Nota do Beta:

Oi gente, mandem reviews como a Mello pediu #100% capitalismo# afinal é isso que todo ficwriter quer, ne´? Ela devia ganhar um premio por fazer o POV do Near tão bem *-*

Yonamine-chan... Seja bem vinda a fanfiction. E olha a responsa por ter fics da Mello dedicadas a você! E vou logo avisando, tenha cuidado com as suas amizades, a 'ff' não é só flores, principalmente no fandom Death Note. Agora eu vou trabalhar #vagabundo#

N/A²:

Near... Não assusta a garota ¬¬'