• Anjo •

Eu estou morto. E morto, conheço o Inferno. Pago, então, os meus pecados. Você não conhece o Inferno porque não está morto, e se Deus acabar por compadecer-se de sua alma, você jamais conhecerá as chamas que aqui dançam. Se Deus existe, Ele há de cuidar para que sua alma chegue segura ao Paraíso.

Deus não se compadeceu de mim ou das pessoas que comigo se importavam. Como uma mãe que castiga o filho, enviou-me para onde a dor é eterna. Cá estou, queimando no Inferno. Está curioso? Conheça o Inferno, serei o seu guia. Não se preocupe, pois os demônios risonhos que aqui brincam não interferem na vida. E você está vivo, o sangue ainda corre em suas veias e move seu coração. Ainda há o cheiro da carne em seu corpo, enquanto aqui, a fumaça e o enxofre reinam junto à Lúcifer. Absolutos.

Aqui, onde respirar se torna um ato sofrido e implorar por misericórdia transforma-se em rotina, as chamas são o tudo e ao mesmo tempo, o nada. O fogo é o próprio Inferno. Está entendendo? O Inferno é o fogo. E ao mesmo tempo, o gelo. Não entenda, aceite.

E você sabia? Será um segredo só nosso. Não conte para ninguém, guarde essa imagem no fundo de sua memória e feche os olhos para conter as lágrimas.

Observe a dança sensual do fogo. Vê? Ali, próximo ao trono do anjo caído, respirando o ar amargo como fel e fitando o vazio. Ali, aos pés do único que é superior as chamas e a fumaça. Ali, também há um anjo. Um anjo caído, com as asas negras arrancadas, de cabelos loiros e pele pálida. Um anjo traído, de olhos carmesim sofridos, brilhantes pela luz das chamas. – Ou das lágrimas? Homens não choram. Anjos também não. – É um pequeno anjo que sempre nos presenteia com sorrisos maliciosos. Vê? Ele lhe sorri. Sente o cheiro da vida que corre em seu corpo fraco.

Oh, não fuja! Ele não lhe fará mal. É um anjo, lembra? Veja a verdade em seus olhos e leia seus lábios finos. Se aquilo é sangue? Pergunte a ele. Ele está sob controle, uma marionete bem trabalhada, com suas cordas enroladas nos dedos de nosso Senhor. Não o Deus para o qual reza. O nosso, o senhor dos demônios.

Contar-lhe-ei a história desse pequeno demônio de orbes avermelhados. Confie nele, afaste-se de suas presas. Grave sua imagem pecaminosa no fundo de suas lembranças. Deixe que seus cabelos loiros e pele pálida assombrem sua mente toda madrugada.

Os lábios dele se movem junto aos meus. Apenas uma palavra.

"Traição".

É assim que resumimos sua história. A figura maculada que nos fita foi traída e paga aqui pelo erro de outros. Sofre com ódio inexistente de seu irmão. Era mentira. Sempre foi mentira, entende? O irmão desse demoniozinho não o odeia. Porém, também o traiu.

O anjo vai se vingar de cada um deles, assombrando-os eternamente com suas asas bestiais e olhos sangrentos. O anjo vai cortar os fios que o tornam uma marionete e então, vai se tornar deus.

Você vai guardar segredo, não vai? Você não contará para ninguém o que o anjo fará, não é?

Porque quando o anjo se libertar e voltar a voar, ele irá atrás de você. E depois de beber do

sangue que mantém seu corpo quente, ele perseguirá seus irmãos. Irmãos seguidores de Judas.

Está fugindo? Não se preocupe com o anjo. Ele também brinca com as chamas do Inferno, também é parte demônio, não é? Ou aqui não estaria. Ele não vai poder tocar em você, porque você vive.

Mas ele há de se libertar. E então, vai tomar a sua vida. Continue correndo. Continue fugindo. Apenas entenda, que não há como escapar de Sétimo. O anjo traído.

FIM

Nota da Autora: Que merda, cara. Eu não consigo escrever fanfic de 'Os Sete". D: