PEQUENAS ESCOLHAS DA VIDA

Nota da Tradutora: Essa fanfic começou a ser traduzida no FF, mas foi abandonada em abril. Agora eu tenho a autorização da My-Bella para recomeçar.

Disclaimer: A história pertence a My-Bella e os personagens a Stephenie Meyer, a mim só pertence a tradução.


Capitulo 67 – Depois

Edward PDV

Eu abri a porta devagar. Eu tinha pedido a nossa família para ficar do lado de fora esperando. Eu queria ficar sozinho com ela. Eu não queria ter que lidar com mais de sua aparência triste. Pena era a última coisa que eu precisava agora.

Eles haviam mudado Bella para seu lado, de frente para a janela. Eu queria ver o rosto dela, mas eu estava com medo de ir mais perto.

A gravidez foi não planejada. Tinha sido um acidente sério. Mas ambos tínhamos ficados tão animado sobre ele, assim como o resto da família. Mas se eu soubesse que ia acabar assim…

Como isso pode ter acontecido? E especialmente para ela? Ela era tão quente e carinhosa com todos em nossa vida. Ela era tanto de um anjo como ninguém jamais poderia ser. Eu sabia melhor do que a maioria que a vida não era justa, mas isto foi muito além disso.

Eu forcei meus pés moverem-se através do piso. Eu a vi ainda enquanto cruzei a extremidade da cama e fui até a janela. Isso estava me matando para vê-la desse jeito.

Eu sentei na cadeira Alice havia usado anteriormente. Minha mão tremia quando cheguei a tocar sua testa. Ela estava tão fria. Eu alisei o cabelo para trás, dobrando um bloqueio atrás da orelha como eu tinha feito tantas vezes em nossa curta vida juntos. Inclinei a cabeça contra a dela e chorei silenciosamente para o anjo diante de mim.

"Edward." Era um sussurro com uma pequena voz rouca, mas era tudo o que meu coração precisava ouvir.

Eu rapidamente enxuguei meus olhos e sorriu para ela. Eu esperava que ela não fosse me culpar ou se para isso. Se tivéssemos sabido usar a proteção, naquela noite, ela não seria essa dor. Mas também não teria um filho, a parte egoísta de me referir. Eu esperava que ela ainda estaria feliz com o bebê.

"Bella. Eu estava tão assustado."

"Eu também." Lágrimas escorriam de seus olhos castanhos e seu corpo tremia com soluços.

Subi em cima da cama e segurei-a firmemente contra o meu peito. Eu acariciava seus cabelos e costas. "Você está segura agora, Bella. Tudo vai ficar bem. Eu prometo a você". Duvidei que eu jamais seria capaz de deixá-la fora da minha vista depois disso. Eu tinha chegado tão perto de perdê-la. Era insuportável pensar na vida sem ela.

"Será que…se… ele te disse?" Soluçou.

"Sim, amor."

"E?"

"E o quê?"

"Você não está chateado?"

"Não Bella. Eu não me importo. Você está viva e segura. Isso é tudo que me importa. "

"Mas você... nós não podemos ter mais filhos."

"Eu não sabia que queria mais do que o temos" Eu ri, tentando aliviar suas preocupações.

"Nós nunca realmente falamos sobre isso. Ele foi como uma surpresa. "

"Eu já lhe disse isso quase todos os dias desde que nos conhecemos, Bella. Eu espero que você acredite em mim quando eu lhe digo agora. Você é tudo que eu preciso nessa vida. Estou muito feliz do que temos, mas Bella, eu preciso de você ".

"Eu preciso de você, também. Teria sido tão fácil deixar ir à dor… Eu não acho que poderia levá-lo mais, cada parte de mim estava doendo tanto, Edward. Mas depois pensei da noite eu me mudei para casa de seus pais... você esmagou-me, dizendo-me que me amava e que iria matá-lo se eu não estivesse com você. É por isso que eu não iria me deixar desistir… Isso iria machucá-lo e eu te amo demais para te ferir."

Estávamos firmes um no outro, levando o conforto nas palavras que tínhamos falado. Ela quase… nem mesmo em minha mente eu podia falar a palavra. Eu só podia manter agradecendo a Deus, mais uma vez, que Bella estava viva e em meus braços agora.

"O bebê está bem?" Ela perguntou.

"Ele está bem. Ele está no berçário agora. Dr. Johnson quer que você para descanse um pouco antes de eles trazerem o bebê."

"E se ele ficar com fome?"

"Eles vão dar-lhe uma mamadeira. Você está fraca demais para amamentá-lo agora. Talvez em alguns dias."

"Será que a família ainda está aqui?"

"Sim, amor".

"Eles sabem?"

"Sim".

Bella suspirou profundamente. "Eu acho que é o melhor. Pelo menos dessa forma, eu não tenho que lhes dizer."

"Você deve tentar dormir agora, amor."

"Você tem que ficar comigo."

"Eu não tinha planos para sair." Eu a beijei e abracei um pouco mais apertada. Eu cantarolei para ela e caiu em um sono tranquilo. Suspirei profundamente, com alívio. Ela estava segura e em meus braços. Eu fechei meus olhos e disse em silêncio algumas preces de agradecimento.

Meu ombro estava sendo abalado. "Eddie!" Eu sabia de quem era voz. Pertencia a Emmett.

Abri os olhos e virei a cabeça. Nossa família estava no quarto com a gente. Eu olhei para baixo e para ver Bella que ainda estava dormindo. Até seus suaves roncos eram lindos. Eu beijei sua bochecha e movi para fora da cama.

"Como ela está?" Perguntei à minha mãe, me puxando para um abraço.

"Ela está muito cansada. Eu não acho que ela percebe o quão perto ela esteve de perder a sua vida hoje", eu sussurrei.

"Confie em mim, meu filho, ela sabe," minha mãe respondeu. "Ela está apenas tentando ser forte para você."

"Eu não preciso que ela seja forte para mim", suspirei, correndo a mão pelo meu cabelo.

"Ela precisa disso", disse minha mãe. "É preciso deixá-la lidar com isso, da melhor maneira que pode."

"É uma coisa boa que ainda estamos vivendo em casa", eu suspirei. "O médico disse que terá algumas semanas antes que ela possa realmente se movimentar e ajudar com o bebê."

"Vai dar certo, Edward," meu pai disse, colocando a mão no meu ombro. "Sua mãe e eu ficaremos felizes em ser mais do que avós estragando um bebe".

"Não se esqueça de tia Alice!" gorjeou Alice.

Eu virei para ela. "Você, querida irmã, tem que ir descansar, como seu médico disse-lhe. Não vamos estar na posição de ter de se preocupar com você. "

"Edward está certo." Todos viramos para Bella, enquanto sua voz suave flutuava pelo quarto.

Eu fui com ela, ajudando-a a sentar-se e deixá-la encostar em mim. "Você dormiu bem?"

Ela assentiu com a cabeça. "Eu estou descansada. Posso ver o bebê agora?"

Apertei o botão de chamada próximo à cama dela. Uma enfermeira entrou um momento depois. "Bella! Você está acordada. Você está sentindo alguma dor neste momento?"

"Não. Eu estou bem. Eu estava esperando para ver o bebê ", respondeu Bella.

"Deixe-me ver com o Dr. Johnson", disse a enfermeira. "Tenho certeza de que não será um problema."

Poucos minutos depois, a enfermeira voltou, empurrando um carrinho pequeno. Um pacote azul descansava dentro dela. Minha família começou 'ooohh' e 'aaahh' e sussurravam uns aos outros enquanto a enfermeira deu a volta ao lado da janela do quarto. Ela levantou delicadamente o bebê e colocou-o nos braços de Bella que estava esperando.

Ele tinha uma leve sugestão de bronze no cabelos, e grandes olhos castanhos. Ele tinha o meu nariz, e os lábios. Ele era lindo. Bella beijou sua testa e segurou sua mão junto a dela. Abracei-os contra mim.

"Edward, eu tenho uma idéia para um nome", disse ela, sorrindo para mim.

Balancei a cabeça para ela ir em frente.

"O que você acha sobre Charles Edward Cullen? Poderíamos chamá-lo de Charlie para breve."

"Eu acho que é bonito, Bella", eu respondi, beijando os seus lábios suavemente.

"Funciona para mim!"Alice cantou.

"Papai ficaria muito feliz com isso, Bella," Emmett disse solenemente.

"Ele parece um Charlie", Rose disse.

"Agora nós podemos terminar o seu quarto!" Minha mãe sorriu. "Carlisle, nós devemos ir à loja de decoração, quando nós saírmos. Eu sei exatamente o estilo de letra eu quero para ele. "

"Olhe para cá vocês dois!" Meu pai chamou.

Bella e eu olhamos em direção a sua voz. Ele estava segurando nossa câmera. Ele tirou uma foto de nós… a nossa primeira foto como a nossa pequena família completa. A primeira de muitos!


Dois anos depois (Bella PDV)

"Charles Edward Cullen! Você começou com a sua corrida nu, hey volte aqui agora!" Eu falei, enquanto perseguia o meu filho rindo.

A porta do quarto estava aberta para revelar o meu marido perfeitamente maravilhoso. Ele deu uma olhada para mim e seu filho desnudo e começou a rir. Charlie correu para Edward gritando "Papai" pelo caminho. Edward inclinou-se e pegou-o em um movimento fluido.

"Mamãe não parece muito feliz com você, Charlie. O que você fez? "

"Eu molhei a mamãe!" Charlie disse alegremente. "Eu corri".

Fui até ele e abracei meus dois homens favoritos no mundo todo. Edward me deu um beijo maravilhoso, enquanto Charlie riu de nós. Voltei minha atenção para o pequeno demônio de olhos castanhos que era o meu menino.

"Lily estará aqui em breve. Você quer que sua prima menina veja você pelado?"

"Não, mamãe!" Charlie gritou, atirando os braços ao redor do meu pescoço.

Sorri para a minha vitória enquanto tirei o meu bebê em meus braços. Eu beijei seus cabelos e respirei fundo. Charlie parecia que sempre cheirava a pó de bebê e Edward, não importa o quanto eu lavasse.

"Eles estão chegando?" Edward perguntou, enquanto me seguiu pelo corredor, até o quarto de Charlie.

"Sim. Rose insistiu que eles viessem aqui, em vez de irmos lá. Ela está tão cansada de estar grávida e Emmett é tem muito medo de lutar com ela", expliquei.

Edward deu uma risadinha. "Eu mal posso esperar para ver que seu filho que vai ter depois. Lily é muito bonita e quero ver com qual dos dois parecerá."

"Só o tempo dirá. Charlie certamente é mais e mais parecido com você todos os dias. Eu dificilmente me vejo nele" eu disse com um suspiro pequeno.

Ele pegou Charlie de mim e colocou em sua camisa. Ele inclinou o rosto do bebê, fazendo Charlie rir. "Bella, você pode ver-se nele toda vez que olhar para esses olhos. Eles são tão profundos quanto os seu. E você tem que saber que seu senso de humor é todo seu."

Eu trabalhei com Edward para conseguir puxar Charlie e suas calças. "Ele tem algo novo para mostrar a você hoje."

"Sério?", Perguntou ele com entusiasmo evidente em sua voz e rosto. Ele adorava quando Charlie tinha algo de novo para mostrá-lo.

"Charlie, mostre a seu pai o que você aprendeu a fazer hoje sozinho!"

Charlie sorriu e foi exatamente o mesmo sorriso torto de Edward, mas sem covinhas.

Apontei para o nosso menino. "Isso é o que eu estou falando."

Edward riu com Charlie e puxou-me em seus braços. "Bella, você é absurda. Só porque Charlie se parece comigo e pode sorrir como eu não, significa que ele não tem mais traços de você."

"Eu sei que, Edward. Ele está apenas começando a ficar tão grande rapidamente ".

"Por favor, me escute e pare de trabalhar, Bella. Charlie ainda será somente ser um bebê por alguns anos mais. Por favor, fique em casa com ele e aprecie."

"Mas você não deveria ter que carregar todas as despesas por conta própria."

"Amor, meu salário é mais que suficiente para cobrir tudo, principalmente porque nós temos nossa própria casa."

"Verdade. Eu ainda não posso acreditar que Carlisle e Esme colocaram o resto do dinheiro para obter-nos esta casa. "

"Eles nos amam," Edward disse com um encolher de ombros. Ele me olhou por um momento, completamente sério. "Bella, eu quero que você fique em casa com o nosso menino maravilhoso. Não vou mais aceitar um 'não' como resposta. Você vai ficar em casa." Edward deitou-se de costas e levantou Charlie para o ar, tornando-o guincho. "E isso é o final."

"Adoro quando você começa a ser todo mandão", eu ri, deitada ao lado dele.

"Mais, papai!" Charlie gritou.

"Mais, hein?" Edward riu.

Ele se virou e colocou Charlie no meu estômago. Ele começou a fazer cócegas em nós dois. Charlie se mexia em mim enquanto eu tentava mantê-lo em prática através do meu próprio riso. Quando Charlie começou a soluçar, Edward finalmente parou de fazer cócegas. Ele beijou a testa do nosso filho docemente então se inclinou e me beijou na boca. Ele se afastou um pouco e sorriu para mim.

"Eu te amo, Bella Cullen. Você é minha vida e você faz todos os dias valerem a pena. Obrigado por me amar. Obrigado por ser minha esposa. E agradeço o lindo garoto que tem seus braços. "

"Todas essas coisas que você disse ... de volta para você, Tutor-boy!"

Edward sorriu e começou a me beijar mais uma vez, enquanto Charlie ria entre nós. Esta vida maravilhosa tinha sido traga para nós por uma pequena escolha para ir ao jantar anos atrás. Nos últimos cinco anos da minha vida, eu aprendi que as pequenas escolhas da vida tem um maior impacto no mundo.

FIM


Espero que tenham gostado de ler isto, tanto quanto eu gostei de escrever!
My-Bella


AHA PEGUEI VOCÊS rsrsrs'

Quero agradecer a TODOS por terem acompanhado a fic, cada comentário foi importante.

Continuem comigo na tradução da sequência "Nosso Pequeno Homem"

Bjs amores. s2