A Little Fight (Uma pequena briga)

- O que foi? Algo errado? – Mei parecia estar se divertindo com a situação.

- Não fique com esse ar superior, você nem ao menos é uma maga de verdade. – Guilherme falava com um tom sério e era possível notar seu esforço para não elevar a voz.

- Ainda não. – uma quarta voz soou próxima ao trio, fazendo com que os três se virassem em sua direção.

- Tess! – Mei o reconheceu de imediato – Há quanto tempo! – e então foi abraçá-lo.

Tess era um amigo de longa data de Nina e várias vezes tinha isso visitá-la. A garota vivia no Mundo Real, enquanto ele continuava vivendo no Reino Mágico. Foi com essas visitas que Tess e Mei se conheceram e ela o considerava um tio.

- Realmente. Lembro que você era bem menor quando a vi pela última vez. – Tess abraçava a garota de volta – E aquele é o Kyosuke-kun?

O rapaz acenou ao ouvir seu nome.

- E o que veio fazer aqui, tio Tess? – mei já o havia soltado e parecia curiosa.

- Exatamente. Não tínhamos combinado que você não apareceria por aqui? – Guilherme tinha os braços cruzados diante do corpo.

- Espera um pouco aí! – Kyosuke deu um passo à frente e parecia confuso – Vocês se conhecem?

- Sinto muito por reencontrarem-no dessa forma… – Tess suspirou – Lembram-se de quando eu os visitava anos atrás acompanhado de meu filho? – ele esperou pela confirmação de Mei e Kyosuke para continuar – Pois bem, é ele.

- O que?! Não é possível! – Mei parecia indignada – O Guilherme de que me lembro não era arrogante desse jeito!

- Isso não importa agora. Tenho assuntos importantes a tratar com você, Mei, e por isso estou aqui. – Tess tinha a voz séria e, ao mesmo tempo, tranqüila.

E o que é tão importante assim, tio Tess, para fazê-lo sair de Etruria durante o trabalho? – Mei entendia cada vez menos o que estava acontecendo.

- A própria Etruria. Eu estou aqui, Mei Tsujiai, para convidá-la a se matricular na escola de elite. – Tess sorria orgulhoso. Mei era, se não a primeira, uma das poucas pessoas mestiças a ser convidada para entrar em Etruria. Geralmente mestiços não conseguiam sequer ir ao Reino Mágico.

- Eu…? Convidada a entrar… Na Etruria…? – a garota piscou algumas vezes, assimilando as palavras.

- Exatamente. Meu filho Guilherme estuda lá há um ano e os resultados já são notáveis. Uma mestiça com o seu poder é capaz de chegar ao mesmo nível se treinar corretamente.

- Isso é inaceitável! – Guilherme, que observava tudo com certa irritação, tinha finalmente interferido na conversa.

- E por que diz isso? – Tess se virou para o filho, falando com um tom calmo na voz.

- Aquela é uma escola de magia de elite capaz de transformar em um mago de renome qualquer feiticeiro que apresente capacidade suficiente. Não é um lugar para semi-humanos brincarem de mágica!

A última frase de Guilherme fez com que Mei chegasse ao limite de sua paciência. Com um rápido movimento de mão, a garota fez com que grossas correntes aparecessem e se enrolassem em torno de Guilherme, o prendendo e imobilizando. O garoto se assustou, chegando a perder o equilíbrio e cair no chão com um baque surdo.

- Acalme-se, Mei! – Kyosuke achou melhor intervir na situação.

- Cale a boca! Você não tem ideia de como me sinto agora! Eu fui profundamente ofendida! – Mei voltou o rosto irritado para o amigo, que percebeu a vontade da garota de chorar.

- Mei, por favor. Se você não se acalmar, pode expor a mágica para o Mundo Humano. – Tess tinha um tom severo e ao mesmo tempo reconfortante.

Mei apenas se virou para Guilherme e, com outro gesto de mãos, fez com que as correntes sumissem. O garoto ainda estava assustado, mas sua irritação tinha crescido com o acontecimento, por isso a primeira coisa que fez ao se ver livre das correntes foi se aproximar de Mei com passos largos e segurá-la pela gola do uniforme da escola.

- O que foi? O que pretende fazer? – ela sorria de forma zombeteira.

Ele não respondeu, apenas fechando a mão com mais força na roupa.

- Vamos, responda. Não sou eu o ser inferior? Então prove. – ela continuava com as provocações.

- Largue-a. – a ordem veio simultaneamente de Kyosuke e de Tess.

Guilherme, percebendo o tom usado pelo pai, soltou o uniforme de Mei e se afastou. Ela, por outro lado, parecia não ligar. Tinha sido convidada para entrar na Etruria, afinal de contas. Não deixaria que um garoto mimado estragasse seu dia. Mesmo que já tivesse começado.

- Tess – a voz de Kyosuke fez com que o funcionário de Etruria se virasse para ele –, você pode consertar a quadra do colégio? É capaz de perceberem logo se deixarmos a ilusão criada por Guilherme.

- Não se preocupe. Já fiz isso. – Tess sorriu de canto, parecendo se divertir com a expressão surpresa de Kyosuke.

- Tio Tess… Eu não sei se quero ir para Etruria agora… Digo, esse ano ainda. – Mei deu um sorriso triste para ele – Desculpe. – e então se retirou da quadra.

Tess suspirou.

- Kyosuke, acha que consegue convencê-la? Se ela não desenvolver sua magia corretamente, não será capaz de controlá-la logo mais. Ela tem tanto potencial quanto a mãe e isso pode ser perigoso se não for controlado.

- Entendo. Eu vou falar com ela. – Kyosuke fez uma reverência – Agora, se me dá licença, preciso terminar de resolver uns assuntos pendentes.

Tess concordou com a cabeça e logo nenhum dos dois estava mais na quadra.


N/A: Yo, minna! Demorei, mas escrevi mais um capítulo! E minha net não quer colaborar, então não sei quando poderei atualizar alguma fic minha. Sabe como é, né… Speedy é uma #$%! :) Eeeenfim… Espero que estejam curtindo! Eu estou! (a fic, sim) Kissu e até a próxima! o/