Durma

1990. 11h da noite.

Chove muito. John não está no quarto do motel. Dean está perto da janela, vendo a chuva cair e os raios piscarem ao longe:

- Dean?

A vozinha abafada chama ao longe:

- Sammy... O que foi? Você precisa dormir. Amanhã você tem escola.

- Você também tem Dean. Você não precisa dormir?

"Que irmão mais enxerido meu pai me deu!" Pensou o mais velho:

- Não, eu não preciso dormir Sam. Eu agüento ficar acordado amanhã... ou durmo na aula. Não importa mesmo.

- Por quê?

- Porque eu não vou pra faculdade.

- Por que não? Perguntou o pequeno Sam, de 7 aninhos, se interessando e sentando na cama.

- Por que eu vou ser como papai. Respondeu Dean.

- Mas o papai foi pra escola.

- Sim, foi. Mas não foi pra faculdade.

- É ele foi pra guerra. O pequenino fechou os olhos e bocejou.

- Sammy, vai dormir!

- Não consigo Dean! O barulho dos trovões não me deixa dormir. A chuva está me incomodando!

- Sam, você deve ser a única pessoa na face da terra que não gosta do barulho da chuva pra dormir.

- Dean, cadê o pai.

- Trabalhando Sammy.

- Até agora? Como ele enxerga as peças dos carros?

- Já ouviu falar de lâmpadas? O mais velho estava ficando irritado. Era visível que o mais novo caia de sono, mas não se entregava. Teimoso.

- Vamos Sam, você precisa dormir. Dean levantou-se da cadeira perto da janela e sentou-se na beirada da cama de Sam:

- Eu vou cantar pra você dormir, como a mamãe fazia pra mim, mas não a mesma música. A que ela cantava era só minha.

O pequeno deitou-se e olhava o mais velho com um brilho nos olhos. O achava tão grande e importante. Queria ser como o irmão, mas não queria ser como o pai. Isso embaralhava sua cabecinha: Se o irmão queria ser como o pai e ele queria ser como Dean, então ele seria como o pai também? Sentiu um pouco de medo.

Dean então arrumou as cobertas de Sam:

- Posso começar bebezinho?

- Se vai me chamar de bebe eu vou ficar acordado a noite toda, como alguns fazem.

- Ok Sam! Ok! Parei.

O maior olhou com ternura para o pequeno que dava mais um bocejo. Assim, começou a cantar, com a voz que começava a dar os sinais de mudança da puberdade:

Sleep
Sleep tonight
And may your dreams
Be realized
If the thunder cloud
Passes rain
So let it rain
Rain down on he
Mmm...mmm...mmm...
So let it be
Mmm...mmm...mmm...
So let it be

- Dean...

- De novo Sammy?

- Só mais uma pergunta.

- Diz.

- Você acha mesmo que os sonhos se realizam?

Dean tinha sérias dúvidas, mas não queria decepcionar o irmão:

- Claro que sim Sam! Todos os nossos sonhos podem se realizar. Agora dorme.

- Dean.

- Fala Sam!

- Quero ser como os advogados da TV, sabe? Eu quero ajudar as pessoas.

- Você vai ajudar as pessoas Sam. Eu sei que vai. Agora dorme, por favor!

- Tá bom. Continua a música Dean.

Sleep
Sleep tonight
And may your dreams
Be realized
If the thundercloud
Passes rain
So let it rain
Let it rain
Rain on he

O pequeno então caiu no sono. Do lado de fora a chuva se tornou fraca e os trovões pararam de soar. Um som familiar foi ouvido. Uma porta bateu. Outra porta se abriu. John entrou e viu Dean ao lado do irmão, que já dormia profundamente, e sorriu. Dean devolveu o sorriso e deitou na sua própria cama:

- Agora posso dormir também.

A canção nessa fanfic é MLK, do U2. Obrigada por lerem! Esta é simples, mas reviews são muito bem vindas. Ajudam-me a liberar a escritora que existe dentro de mim!

XoXo