Disclaimer: Percy Jackson não me pertence, mas sim ao gênio do titio Rick!

N/A: Esse capítulo se dá uma semana depois que eles voltam do Acampamento Meio-Sangue.

Capítulo 1: Um Cara (não) dá em cima da minha namorada!

Aquela semana depois fora a mais tediosa da minha vida. Não sei se porque me acostumei com a ação e a adrenalina, mas ficar uma semana sem ser atacado por monstros, tendo uma vida de colegial normal é extremamente chato. Não sei como os mortais aguentam isso! E, ainda por cima, fazia uma semana que não via Annabeth. Eu podia estar só há uma semana sem vê-la, mas, cara, não conseguia parar de pensar nela e nem naquelas duas semanas que passamos juntos.
Ás vezes eu me dispersava no meio da aula pensando nela. Consequência: ficava com cara de retardado, logo, comecei a ser alvo de valentões e populares do colégio. Infelizmente, não posso atacá-los. Ai, como a vida é injusta!
Era sexta-feira e eu havia marcado de encontrar Annabeth na saída da escola dela. Como ela estudava em um internato, ela só tinha autorização para sair aos fins de semana. Eu ia buscá-la no colégio e íamos juntos ao Empire State, ou melhor, ao Olimpo, para ela supervisionar a reforma. Depois disso, talvez fôssemos ao cinema, já que fiquei devendo isso à ela há algund anos. E, pensando bem, seria melhor assim, do que se fôssemos naquela época. Naquele tempo, ainda éramos amigos, e seria um tanto constrangedor. Agora, estamos namorando e, digamos assim, ficaremos bem mais à vontade, se é que você me entende.
Eu estava na esquina do colégio de Annabeth e o que eu vi não me deixou muito feliz. Lá estava Annabeth, de rabo de cavalo, camisa, jeans e tênis, usando seus brincos de coruja, linda como sempre fora. E, do lado dela, estava um cara alto, moreno, todo encorpado, do tipo que faz toda garota suspirar e todo garoto se sentir um lixo. Os dois estavam conversando e... peraí, a Annabeth tava sorrindo! E não era qualquer sorriso, era um daqueles sorrisos radiantes que eu só tava acostumado a ver comigo.
Irritado, caminhei até o portão do colégio, onde os dois estavam. Annabeth me viu e abriu um sorriso maior do que o anterior. Ela me abraçou e me deu um beijo. Por um momento esqueci do tal cara. Quando nos separamos, eu reparei que ele nos lançou um olhar estranho, quase como um olhar de, sei lá, desejo. Isso me irritou mais ainda.
- Que bom que chegou, cabeça de alga! - ela disse me dando um ultimo selinho. Depois, virou-se para o tal cara - Jake, esse é o meu namorado Percy. Percy, esse é meu amigo Jake. - Amigo, sei! Nós costumávamos ser amigos também, Annabeth! Obviamente, eu não disse isso. O tal do Jake apertou minha mão e estava com aquele olhar estranho de novo. Eu cheguei a pensar que ele fosse mais um monstro, já que aquela semana estava tranquila demais.
-Muito prazer, Percy! Até que enfim te conheci, a Annie fala muito de você!-
Parou agora! Ele chamou a Annabeth de Annie? Annie?! Ela nunca me deixou chamá-la de Annie!
Eu devo ter transparecido algo, porque Jake falou logo:
- Bem, preciso ir, gente! Até mais Annie! Tchau Percy! - e, para piorar, o tal de Jake deu um beijo no rosto da Annabeth antes de ir embora.
Annabeth me olhou irritada:
- Percy, custava segurar um pouquinho seus ciúmes e ser um pouco educado com o Jake?
- Ele te chamou de Annie! - eu respondi irracionalmente. - E não estava com ciúmes!
- Aham, sei! - agora ela começou a rir. - E qual o problema dele me chamar de Annie?
- Você não gosta que te chamem de Annie, nunca me deixou te chamar de Annie! - Sim, eu repeti o apelido para enfatizar! Agora Annabeth começou a rir de verdade. Distraidamente, ela olhou para dentro do colégio e fechou a cara.
- Vamos, Cabeça de Alga! Antes de sermos atingidos por um raio pelo atraso!
Ela me puxou pela mão, ainda de cara fechada. Quando nos afastamos o suficiente do colégio, ela sorriu.
- Sabe que você fica uma gracinha com ciúmes?
- Por que você fechou a cara daquele jeito?
- Ah, as líderes de torcida! Nada demais!
- O que? Elas são monstros também? - perguntei preocupado.
Ela riu.
- Quase isso, Cabeça de Alga!
- Dá pra pelo menos uma vez na vida me explicar as coisas? - perguntei irritado.
Annabeth soltou um suspiro e paramos.
- Tudo bem! Acontece que agora estamos no colegial e, sabe tem toda aquela baboseira de populares e não populares. Bem, ós populares gostam de pegar no pé dos não-populares. E adivinhe em qual grupo eu estou?
- Tá, também não precisa me tratar como um idiota!
Ela riu mais um pouco. Não sei o que deu em mim, mas o som da risada dela me fez querer beijá-la. E foi o que eu fiz! Depois de alguns minutos, nos separamos. Ela tava sorrindo pra mim.
- Nossa, o que foi que deu em você?
- Só...estava com... saudades! - Sério, ainda era um pouco constrangedor expressar meus sentimentos pra Annabeth e ela parecia achar graça nisso. - Mas, continue sua história. Ainda quero saber por que aquele cara pode te chamar de Annie e eu não.
- Percy, eu já te disse que eu não gosto que você me chame de Annie!
- Por que?
- Porque é como o meu pai, o Luke e a Thalia costumavam me chamar. É como uma espécie de... apelido fraternal! E, caso você não tenha reparado, nossa relação não é nem um pouco fraternal.
Okay, isso realmente me deixou constrangido.
- Mas aquele cara tá a fim de você!
- Percy, se fosse pra alguém se preocupar com o Jake, devia ser eu! - riu Annabeth. Tá, não entendi! E, provavelmente, devo ter transparecido minha confusão, porque ela tomou fôlego pra explicar:
- O Jake é gay!
Tá, o olhar daquele cara pra mim agora parecia fazer mais sentido, embora não me deixasse mais tranquilo. Annabeth continuava rindo, ela parecia estar bem risonha hoje. Não que eu esteja reclamando! Antes risonha do que irritada. Acredite, falo por experiência própria.
- Tá continua a contar a história das líderes de torcida!
Ela não pareceu mais tão animada.
- As líderes de torcida parecem gostar de mim como alvo.
Eu logo pensei nos valentões do colégio que também gostavam de me agredir. Meu coração doeu de pensar que algo parecido estava ocorrendo com ela.
- Elas te machucaram?
- Não, Percy, garotas não costumam agredir outras fisicamente. Elas gostam de fazer as outras se sentirem piores, humilhando de diversas maneiras. Desde, sei lá, chamando-as de gorda, feia ( o que é o menos pior), até... dando em cima dos namorados das outras.
Tá, agora entendi porque ela me afastou tão rápido de lá, provavelmente as líderes de torcida viram nossa "pequena demonstração de afeto".
- Annabeth, você sabe que eu só tenho olhos pra você! - eu disse, abraçando-a.
- Eu sei disso, Percy, mas não é você que me preocupa, eu confio em você! Bem, você nunca se interessou pelas filhas de Afrodite, então tenho certeza que elas não têm a menor chance! Eu me preocupo com que tipo de armação elas podem ser capazes pra... separar a gente!
- Mas pra que elas iriam fazer isso, Annabeth?
- Simplesmente para me magoar! Acredite, essas garotas são piores que empousas! Elas são sim capazes de fazer isso só para me humilhar! Elas já...
Annabeth parou de falar e olhou o chão. É sério, eu não bato em garotas, mas eu tinha vontade de bater nessas tais líderes de torcida por deixarem Annabeth daquele jeito.
- O que elas te fizeram Annie?
Ela me olhou feio, esqueci que ela não gostava que eu a chamasse de Annie.
- Desculpa!
Annabeth suspirou e respondeu:
- Elas leram meu diário em voz alta no ginásio. Foi na quarta feira! Foi nesse dia que eu conheci o Jake, ele meio que me consolou.
Se eu não soubesse que esse tal de Jake era gay, teria ficado enciumado por ele ter consolado Annabeth, e não eu.
- Você tem um diário? Como eu não sabia?
- Porque um diário não seria algo que eu anunciaria ter, mesmo pra você, até porque... a maior parte do que eu escrevi é sobre você! - ela respondeu olhando-me nos olhos e eu vi uma ponta de tristeza neles. Consegui ver Annabeth saindo chorando do ginásio e até aquele cara tentando consolá-la.
- Como elas souberam do seu diário?
- Sinceramente, não faço a mínima idéia. Se essas garotas ao menos usassem uma pequena parte da audácia que elas têm nas aulas ao invés de tramando humilhações para outros, talvez elas fossem ainda mais inteligentes que eu! E o pior foi que quando eu cheguei no meu dormitório, uma das minhas colegas de quaro me devolveu o diário, parecendo realmente chateada com o que aconteceu. Ela disse que as líderes de torcida lhe pediram para me devolver, e ele tava todo rabiscado e, no final dele havia uma mensagem dizendo "Apoveite seu namorado enquanto pode!" E, pra piorar, meu laptop do Dédalo sumiu!
Fiquei boquiaberto com o que Annabeth acabara de contar. Realmente, garotas eram bem mais cruéis do que garotos. Cheguei a pensar que ter a cabeça enfiada na privada não era tão ruim quanto parecia. E a vontade de bater nas tais líderes de torcida havia crescido mais ainda.
Continuamos andando, conversando sobre outros assuntos: o acampamento, quem seriam os novos meio-sangues esse verão... ás vezes parávamos para nos beijar. Quando percebemos, já haviamos chegado ao Empire State.
Subimos ao Olimpo e vi Athena esperando Annabeth na entrada do Olimpo. Ela me dava medo, principalmente depois do jeito que ela me olhou. Foi a minha deixa para dar meia-volta.
- Aonde você vai? - perguntou Annabeth.
- Sua mãe não gosta de mim, então acho melhor eu esperar lá embaixo! - respondi sussurando, embora soubesse que não faria muita diferença.
Annabeth revirou os olhos, mas concordou. Ela me deu um beijo de despedida ( no qual olhei aterrorizado para sua mãe) e disse:
- Então, pode ir pra casa, depois passo lá e a gente pode ir ao cinema!
Eu assenti e continuei olhando aterrorizado para Athena. Voltei para o elevador e dei uma última olhada. Annabeth parecia estar levando um sermão. Fiquei com pena dela, mas se eu me metesse, seria bem pior!
Desci e voltei para casa e esperei entediado até que Annabeth chegasse!

Continua...

E ai, gostaram? Se sim, mandem reviews e deixem uma criança grande (eu =P) feliz! Aí eu continuo...