Capítulo 8: Decisões

Lily havia passado as mãos para baixo da camisa de James e conseguia sentir aqueles músculos firmes, metade de sua própria blusa já estava aberta deixando a mostra o sutiã de renda lilás e não tinha idéia de onde iriam parar ou se realmente queria parar, só de estar junto a ele se sentia em casa, mas de repente se lembrou quem estava beijando e como estava sendo idiota, só de pensar nisso foi como se estivesse ouvindo sua amiga Lizzie dizer que qualquer garota que se deixasse envolver por um cara comprometido era burra demais para viver e não podia dizer que ela estava errada, afinal se Margareth descobrisse ela estaria morta. E para falar a verdade ela ainda não estava pronta para se envolver novamente com alguém, ainda mais com alguém que lhe traria tantos problemas.

- O que aconteceu? - James perguntou sentindo ela rígida entre seus braços.

- Aconteceu o que não deveria acontecer. - Lily falou tentando se afastar.

- Do que você está falando? - James perguntou ainda junto a ela passando a mão nervosamente pelo cabelo.

- Estou falando que nós não deveríamos estar nos beijando, para falar a verdade você nem deveria estar aqui, deveria estar lá dentro com a sua namorada. - Lily falou respirando fundo fechando os botões da blusa.

- Eu vou resolver as coisas com a Margareth, Lily é você que...

- James eu não estou pedindo para você terminar com a Margareth, estou pedindo para e deixar em paz. - falou firme quando sentiu que tinha o controle de suas pernas novamente e foi praticamente correndo para dentro do castelo.

- Droga...

Enquanto isso Rebecca espiã de Margareth observava a cena nem querendo imaginar o que iria acontecer. Se ela contasse o que tinha visto era capaz de sobrar para ela e para o resto do mundo, principalmente se fosse sincera e dissesse que foi James quem beijou Lílian Evans e o pior que foi ela que se afastou dele mandando o procurar sua namorada. Margareth nunca iria admitir que culpa era de seu namorado. Mas se não contasse e ela viesse a descobrir por outra pessoa poderia ficar em situação ainda pior. Definitivamente Rebecca não tinha idéia do que iria fazer.

No dia seguinte Lily mal tinha conseguido dormir a noite e a única conclusão que havia chego era que James Potter era sinônimo de problemas, Lizzie e Taylor sempre falavam que o melhor era manter a distância de pessoas assim, o problema seria conseguir se manter distante de James, mal tinha acordado de suas duas horas de sono e lá estava ela pensando nele novamente, nos cabelos arrepiados, nos lábios macios. Não, não podia seguir por esse caminho decidiu saindo do quarto e descendo para o salão principal, onde Kayne e Kim já estavam sentados tomando café da manhã.

- Mas que cara é essa Lily? - Kayne perguntou vendo Lily com os olhos fundos.

- Parece até que vai se jogar da torre de astronomia ou pior que se jogou e está aqui para dizer Adeus... - Kim falou fazendo uma careta enquanto comia.

- Eu fiz uma burrada sem tamanho. - falou passando os dedos na testa sua cabeça estava latejando.

- O que? Ficou animada demais com esses boatos que estão correndo na escola e se animou a...

- Para de palhaçada Kim. - Kayne resmungou - Fala o que está te preocupando Lily?

- Eu beijei James Potter. - Lily falou baixinho com medo que alguém os escutasse.

- Não acredito no que estou ouvindo. - Kim falou impressionado - Você colocou um belo par de chifres na Rainha das Neves? - perguntou com os olhos brilhando de satisfação.

- Fala baixo! - Lily pediu afundando mais no banco.

- Você ficou mesmo com o Potter? - Kayne perguntou. - Não foi outro dia mesmo que você estava com raiva dele?

- Mais ou menos. - Lily falou já se arrependendo de ter contado a novidade para os amigos.

- Não existe "mais ou menos" nestes casos Lily. - Kim falou querendo descobrir todos os detalhes sórdidos.

- Bem primeiro ele me beijou quando veio me pedir desculpas por ter dito algumas idiotices. E depois bem aconteceu de novo, depois que vocês me abandonarem lá fora para ir jantar ontem.

- Não coloque a culpa na gente. - Kayne falou com ar divertido.

- Você sacaneou a Margaret por duas vezes! Estou realizado! - Kim falou sorridente.

- Ta e se ela descobre vai querer torcer o meu pescoço.

- Deveria ter pensado nisso antes de ter dado alguns beijos em James Potter. - Kayne falou com simplicidade.

- Acho que ela não estava pensando na hora, Kayne. E agora o que você vai fazer Lily? - Kim perguntou interessado.

- Como assim? - perguntou confusa.

- Ainda vão trocar uns beijos clandestinos por ai, vai dar o fora nele ou ele vai o fora na namorada? - Kim perguntou na expectativa.

- Por favor, não tenho como disputar com a Margareth. - Lily falou desdenhosa.

- O que? - Kayne e Kim perguntaram ao mesmo tempo.

- Meu Deus a Margareth é linda, magra, glamourosa! O que ele pode querer comigo? - Lily perguntou rindo fazendo Kayne e Kim a olharam de cima a baixo. - Claro além de uns beijos roubados.

- Você já se olhou no espelho hoje? - Kayne perguntou gentil.

- Fala sério Lily, você é gata, estilosa e fica muito sexy com a sua mania de ficar mordendo o lábio quando está pintando. Qualquer garoto estaria louco para namorar com você e ela tem de proteger o lado dela.

- Agora só falta o idiota do Potter se dar conta disso. - Kayne falou estalando os dedos da mão e Lily teve certeza de que não deveria ter contado para os amigos.

Enquanto isso ainda no quarto dos garotos da Grifinória, James ainda pensava no que Lily havia dito, tinha ficado irritado por ela ter lhe rejeitado, mas depois quando enfim sua cabeça voltou a funcionar e seus pés voltaram a tocar o chão teve que admitir que ela estava certa, só estariam arranjando mais problemas se ficassem agindo pelas costas da Margareth, mas eram tão difícil estar perto da Lily e não toca-la, não sentir aquilo de novo, nossa só de vê-la tinha vontade de abraçá-la e fazer muitas, muitas outras coisas... Aborrecido se levantou da cama e foi direto para banheiro.

- Que cara é essa James? Parece que não dormiu a noite toda. - Remus falo vendo o amigo lavar o rosto com água fria.

- E não parece que perdeu a noite fazendo algo interessante. - Sirius comentou enfiando a camisa pela cabeça.

- Bem que a noite de ontem começou a ficar interessante, até que eu levei um fora. - James resmungou secando o rosto.

- A Margareth te deu um fora? - Sirius perguntou com os olhos arregalados.

- Até parece. - Remus falou rindo alto.

- Não, a Lily me deu um fora. - falou amuado.

- Por que será que isso não me surpreende... - Remus falou revirando os olhos.

- Deixa eu te dar uma lição com toda minha vasta experiência e sabedoria. - Sirius falou afetadamente - Quando encontramos a mulher certa nem tem mais para onde correr, meu caro. Apenas aceite o seu destino e seja feliz.

- O que está sugerindo? - perguntou rindo.

- O óbvio.

- Assim? Sem um aviso prévio, termino com a Margareth agora e em seguida saio correndo atrás da Lily?

- Só se você realmente souber o que quer. - Sirius falou dando uma piscadela.

- Esse é o problema. - James resmungou claro que adorava a Lily, mas sabia que se ficassem juntos agora, nunca mais a deixaria ir embora de novo e não sabia se estava preparado para isso.

- E você já encontrou essa mulher? - Remus perguntou para Sirius vendo que James estava confuso.

- Não e na verdade assim que vir o relance dela vou fugir mais rápido do que se estivesse sendo perseguido por rinoceronte desembestado.

- Meu Deus... - Remus comentou gargalhando - Vamos esse papo ta me dando fome.

- É verdade e hoje temos que nos alimentar muito bem para derrotar a Lufa Lufa!

Kayne e Kim vendo Lily amuada a tiraram rapidamente do salão principal, antes que James descesse para tomar o café da manhã e bagunça começasse ao redor dele, afinal hoje era um dia que todo com certeza não parariam de falar sobre ele, era dia de jogo de quadribol e James era o apanhador da grifinória. Já bastava Margareth ter entrado no salão e ter mandado aquele olhar mortal na direção de Lily que se sentia culpada.

- Vamos não fique assim Lily você tem que se distrair. - Kayne falou bagunçando os cabelos dela.

- Também acho, vou procurar alguma coisa bem alegre para pintar. - falou pensativa.

- Vai perder o dia pintando? Não senhora, hoje tem jogo! - Kim falou animado.

- Já disse que não gosto de quadribol e nem sei porque dessa sua animação toda, afinal hoje o jogo não é Grifinória e Lufa Lufa?

- Não quero te mostrar o jogo e sim uma coisa muito mais engraçada. - Kim falou a puxando pelo braço.

- Já sei até o que você vai mostrar a ela. - Kayne comentou se levantando.

- Você gosta de ver o jogo Kayne? - Lily perguntou surpresa vendo Kayne ir atrás dela e de Kim, era difícil ver Kayne fazendo qualquer coisa que o aproximasse de outras pessoas.

- Claro. - Kayne comentou sorrindo - Não importa quem está jogando não perco uma partida.

- Porque não entrou no time da Corvinal então? - Lily perguntou.

- Porque ele ia fazer muitos amigos e ia ter vários admiradores, o pobre coraçãozinho do Kayne não iria aguentar isso. - Kim falou desdenhoso.

- Muito engraçadinho. - Kayne resmungou. - Vamos Lily acho que até você vai gostar do jogo.

- Como assim até eu?

- Bem pelo menos motivo para rir você vai ter.

Meia hora depois um pouco antes do jogo iniciar Lily viu o motivo de Kim querer tanto carrega-la para o jogo e inevitavelmente não pode deixar de rir. Era cômico ver seis alunas bonitonas da Lufa Lufa tentando se empilhar numa pirâmide e falhando miseravelmente, não que as garotas da grifinória estivessem se saindo melhor, já tinha presenciado três tombos e achava que a madame Pomphrey teria mais trabalho com as meninas depois do jogo, do que com os jogadores.

- Nossa.. - Lily falou assustada vendo as líderes de torcida que mal conseguiam fazer uma pirueta.

- Se você não tivesse sido transferida provavelmente hoje você também seria uma dela. - Kim falou em tom de gozação.

- Eu? Não tenho coordenação motora e também não sei rimar. - Lily comentou rindo.

- Como você pode ver isso não é pré-requisito por aqui. - Kim falou apontando para duas garotas despencando da pirâmide.

- Lá nos Estados Unidos elas seriam execradas. Ser uma teenleader por lá é como se estivesse mais perto de Deus. Lá tem um monte de competições, sendo bruxas ou trouxas. O que me leva a perguntar como isso chegou aqui? - Lily comentou vendo as meninas sorridentes se atirarem em cima dos jogadores que entravam em campo.

- Elas fazem qualquer coisa para se exibir. - Kayne falou dando de ombros.

- Nada como uma saia curta para elevar a moral de ma garota. Opa ou será que é a expectativa de alguém levantar essa saia? - Kim perguntou.

- Você é terrível Kim Wang.

- A língua dele é mais venenosa do que a de uma cobra cascavel. - Kayne comentou rindo.

- Assim vocês me magoam e saiba Kayne Richmond que muitas garotas gostam dessa língua aqui.

- Esse assunto nada tem haver comigo. - Kayne comentou balançando a cabeça.

- Bem eu já vou. - Lily falou vendo que os garotos se divertiam.

- Não vai ver o jogo? - Kayne perguntou desapontado.

- Pra que? Não gosto de quadribol e preciso terminar um quadro para mandar a Lizzie. - falou pensando que era um agradecimento pelo seu conselho mental que veio na hora certa.

- Tenho certeza que o James iria gostar de te ver na arquibancada. - Kim falou maliciosamente.

- Tenho certeza que ele vai estar mais preocupado com as goles ou seria os pomos?

- É pomo e só existe um no jogo, Lily. - Kayne esclareceu.

- Ah claro... - Lily falou revirando os olhos - Até mais tarde garotos da minha vida.

- Acho que não seremos os únicos por muito tempo. - Kayne comentou depois de ver Lily sair animada.

- Também tenho essa impressão.

Saindo do campo de quadribol Lily esbarrou em Severus Snape que se encaminhava para uma das arquibancadas.

- Lílian Evans... Quanto tempo, está fugindo do jogo?

- Severus Snape, não temos nos esbarrado muito por Hogwarts. - Lily comentou nunca tinha antipatizado com o garoto apesar das travessuras dos marotos.

- Agora que você não anda mais com aqueles garotos pensei que estava mais acessível, mas parece que arranjou dois novos amigos para te proteger. - Severus comentou com um brilho estranho no olhar.

- Eu não preciso de proteção e você o que tem feito? Te vi de relance na festa do professor Slugorn.

- Pois eu te vi a festa inteira, principalmente quando o Wang deu aquele show.

- É mesmo vocês dividem o quarto.

- Nem me lembre disso. - Severus comentou soltando um suspiro.

- O que? Tem problemas com ele também? - Lily perguntou pronta para defender o amigo.

- Não, apesar dele já ter dito algumas vezes o que acha das minhas vestes e o que eu deveria fazer com meu cabelo. O meu problema não é com ele e sim com aquela garota que vive atrás dele. Outro dia ela estava no nosso quarto vasculhando algumas cuecas no chão com um olhar psicótico no rosto.

- É eu teria ficado assustada... - Lily falou imaginando muito bem o que Kim deveria ter falado sobre Severus.

- Sinceramente eu acho que não, você sempre parece estar cercada de amigos que tem algumas peculiaridades.

- É o meu carma. - Lily comentou rindo.

- Tome cuidado com ele então. - Severus falou ficando sério.

- Do que você está falando?

- Seu carma... Sabe Lílian muitas pessoas costumam passear perto do lago a noite. - falou por fim indo embora.

- Ah... - foi a única coisa que ela conseguiu murmurar.

Depois do jogo, os jogadores estavam a caminho da escola comemorando a vitória, menos um deles...

- Que cara é essa? Nós ganhamos! - Sirius falou animado enquanto tirava a camisa suava e balançava acima da cabeça enquanto ouviam os gritos dos torcedores, mas principalmente das garotas.

- Uma certa garota não estava na arquibancada babando por ele. - Remus falou de modo significativo.

- Entendo, mas outra esta vindo correndo se jogar nos seus braços. - Sirius comentou.

- Droga... - James resmungou.

- Corre, te damos cinco minutos de vantagem. - Remus falou brincando, mas para sua surpresa James levou a sério e se mandou.

Mais tarde Lily estava parada perto de seu lugar favorito em frente ao lago e ouviu alguém se aproximar, somente de ouvir aqueles passos, ela já sabia quem era e nem ao menos se virou para cumprimentá-lo.

- Cadê o Kim? - perguntou.

- Foi tirar o sono de beleza dele, achou o jogo muito estressante. - Kayne falou fazendo uma careta - Se estiver interessada em saber a Grifinória ganhou de 120 a 30.

- É mesmo... - falou sem tirar o olho da tela diante de si.

- Até que foi interessante a caça ao pomo, mas acho que você não quer saber sobre isso. Terminou o presente da sua amiga?

- Pois é... Aqui da uma olhada nesse quadro, por favor, Kayne. As cores favoritas da Lizzie, são cinza, marrom e chumbo, mas não da para fazer um quadro alegre nessas cores. Ficou bom?

- Está bem... Feminino. Quem é Lizzie? - Kayne perguntou examinando o quadro composto por jatos de cores fortes, como laranja, rosa, vermelho, lilás e azul céu, olhando mais atentamente viu que no fundo dava para visualizar o perfil de uma pessoa com os braços abertos e os cabelos encaracolados ao vento, Lily sempre conseguia surpreende-lo com suas pinturas.

- Uma grande amiga minha dos Estados Unidos, ela sempre me deu conselhos muito bons, apesar de ser meio birutinha e ter um medo tremendo dos trouxas. Toda vez que ela vai até uma Rua Trouxa ou ao centro de Londres ela acha que alguém vai descobrir que ela é uma bruxa e vão querer matá-la para fazer uma autópsia e assim tentar descobrir de onde vêm seus poderes.

- Creio que ela não está muito distante da realidade. Todos nós temos medo daquilo que não compreendemos. - Kayne resmungou.

- Isso é verdade. - Lily falou, mas parou interessada e olhou para ele - E você de que tem medo Kayne?

- São tantas coisas que fica até difícil responder. - falou dando de ombros.

- Ta falando sério? - perguntou pegando uma folha de papel no bloco.

- Claro, porque você não tem medo de nada?

- Até pouco tempo eu não sentia medo de nada ou quem sabe não estava sentindo nada... - Lily falou suspirando - Mas hoje posso falar com certeza que tenho medo de algumas coisas. Isso é bom não?

- Não sei, deve ser bom não sentir medo de nada ou não sentir nada... Deve evitar muitos problemas e sofrimento.

- Não sentindo nada, também não sentimos alegria ou felicidade. - Lily falou surpresa com a amargura que escutou na voz do amigo.

- São apenas palavras, a tranquilidade e paz de espírito é muito mais precioso do que isso tudo.

- Então é por isso que faz isso? É para manter sua paz de espírito que você se afasta das pessoas? Não se importa em como outras pessoas se sentem em relação a você? - Lily perguntou enquanto esboçava a figura dele no papel.

- Não sou responsável pelos sentimentos de outras pessoas. - retrucou - Sou responsável por meus próprios sentimentos.

- Parece até que você trancou seus sentimentos e jogou a chave fora.

- Tenho sentimentos, mas prefiro não deixá-los sair de controle. Não vejo sentido em ser escravo de alguém. Uma vez que você gosta muito de uma pessoa, tende a fazer tudo que ela quer. É por isso que não me permito grandes envolvimentos.

- Quem fez isso com você? - perguntou curiosa.

- Eu te respondo quando você me contar porque fugiu de Belheim e prefere ficar aqui sendo maltratada quando obviamente ainda tem amigos lá, sem contar sua família.

- É complicado. - Lily falou e Kayne pode ver o sofrimento em seus olhos.

- E o que nessa vida não é?

...

Peço desculpas a vocês, porque eu meio que abandonei o blog, mas é que e fiquei sem idéia do que postar por lá. E ai o que eu faço? Idéias, por favor!

Minhas leitoras:

- Jaque Weasley: Um beijo na boca é sempre muito bom não? Pena que possa causar tanta confusão rsrs. Coisa que você também gosta muito, não? Agora vamos aos sentimentos confusos do nosso casal favorito. E grandes emoções surgiram na fic, espere e verá. Agora depois que postar vou tomar vergonha na cara e ler sua fic Margarida.

- Lady Aredhel Anarion: Você com certeza é nova na fic, não me lembro de ninguém com um nome tão elegante e complicado rsrs, seja bem vinda! Beijos são ótimos não! Vamos ver o que vai acontecer com eles agora!

Beijos

Vampira Black

...