"O que eu adoro em ti,
é a vida."

Vou ser cuidadosa com você, Miguel. Vou ser rápida e indolor (ou, ao menos, tentar), para que não sofras tanto. O que me entristece é que levarei tua alma, mas não teu corpo nem tua consciência. É quase a dor de um trabalho incompleto. Pena - vai doer muito em mim, Miguel, deslizar os dedos por tua testa e arrancar tua essência aos poucos. Mas vai doer ainda mais em ti, que irá ficar e sofrer e há de sofrer mais e mais, pois ainda irá me ajudar no meu trabalho. É árduo o teu destino, Miguel, nem mesmo a luz do sol poderás ver. Tentarei ser breve, Miguel e terás de ser bravo para aguentar tudo. Terás de ser bravo, pois não serás breve. Como eu, serás eterno e como eu, não terá escolhido isso. Não chore, gentil Miguel, seis sucumbirão com você, se te consola. Não chore. Não aumente o meu sofrimento por te fazer sofrer. Eu serei rápida, prometo. Serei breve, sim.

Triste que você não, gentil Miguel.


N/A: madrigal - pequeno poema que exprime um pensamento terno. A fic surgiu enquanto eu lia Madrigal Melancólico, do Manuel Bandeira, por sinal, aqueles versinhos ali em cima são dessa poesia linda. Love ya.

30Cookies
Set Outono
30. Breve