Nota Inicial: One-shot. Soft porn. Little non-sense. Hope you enjoy it!

.

Ausência

.

Lentamente seus dedos tracejavam o abdômen alheio. E ele suava, a boca do amigo acompanhando os movimentos dos dedos. Matt não podia ver os movimentos em seu corpo, mas ofegava e sussurrava gemidos. Ele pegava do jeito que o ruivo gostava.

"me explora que eu sou seu… usa a boca…"

O outro espalhava chocolate por seu corpo, e lambia as linhas que o doce formava.

"vai, a boca!"

Matt era viril, mas sedia aos toques precisos. A língua alheia em sua glande, a boca preparada em seu membro. O amigo era bom, o ruivo não agüentava a pressão de seus gemidos em sua garganta, perdia o compasso respiratório. Até que uma sensação quente… Era um orgasmo.

Deitou ainda com a venda que lhe cobria os olhos, sentia o corpo do outro ao seu lado, mas já não o queria mais, a única coisa de que que realmente precisava era oxigênio. E mais oxigênio.

Levantou meia hora mais tarde, tirou a venda, coçou os olhos, cheirou mais uma carreira de pó e olhou fundo para o rosto dormindo ao seu lado. Ela tinha os cabelos loiros, a pele perfumada, não tinha sido muito cara… Tinha um passado, algo relacionado a uma ex-carreira de modelo, abuso de drogas e filmes pornô. Mas não era Mello.

"droga!"

E então, a sensação é a mesma? Quando você tocava nos mamilos dela poderia até confundi-los com os do outro pela pequenez de seu seio. Quando você a beijava poderia até se confundir pelo jogo de línguas. Quando ela te tocava você pode até fingir que a sensação é a mesma, mas está nos seus olhos… Quando você os abre e não o reconhece, o brilho neles some.

.

Aviso sub-entendido: O tempo se passa antes do Matt reencontrar o Mello.